Gerente da CEF, Petrônio Garcia, se reuniu com aposentados e pensionistas no auditório do Inpas


Aposentados e pensionistas do Instituto de Previdência e Assistência Social dos Servidores do Município de Petrópolis (INPAS) lotaram o auditório do Projeto Conviver para acompanhar a palestra sobre Educação Financeira, proferida pelo gerente geral da Caixa Econômica Federal em Petrópolis, Petrônio Garcia. O encontro aconteceu na manhã desta segunda-feira (31.07) e contou com cerca de 50 servidores inativos, que aproveitaram para tirar dúvidas sobre o tema.


O tema foi definido com base no momento econômico do país. A crise e a má administração das aposentadorias e pensões têm levado a endividamentos. Na palestra, Petrônio lembrou que o princípio básico da educação financeira é não ganhar mais do que se ganha – o que deve ser obedecido por todas as pessoas que compartilham aquela renda familiar.


“As pessoas precisam ter uma relação adequada com o dinheiro. Isso significa, entre outras coisas, não acumular dívidas, evitar o pagamento de juros, ter cuidado com os pequenos gastos do dia a dia, anotar a monitorar os gastos diários, entre outros. Isso é importante porque faz com que a pessoa saiba exatamente para onde seu dinheiro está indo”, explica Petrônio Garcia.


A atividade faz parte do projeto Café com Sabedoria que leva mensalmente palestras sobre os mais variados assuntos inerentes ao dia a dia dos aposentados e pensionistas. Elas acontecem dentro das ações do Conviver. Além das palestras há dança de salão, oficina da memória, terapia floral, aula de biscuit, de tricot, massoterapia, drenagem linfática, alongamento, massagem e hidroginástica oferecida aos idosos.


“O aposentado e pensionista muitas vezes são as únicas pessoas com renda fixa da casa, por isso é muito importante manter o equilíbrio financeiro e a palestra foi pensada justamente para levar esses conhecimentos. Convidamos o Petrônio, que prontamente aceitou o convite e veio esclarecer a dúvida dos nossos servidores”, explica o diretor-presidente do Inpas.

 

O Café com Sabedoria deste mês – promovido mensalmente pelo Instituto de Previdência e Assistência Social do Servidor Público de Petrópolis (Inpas) – contou com uma edição especial nesta quinta-feira (31.01), no Palácio de Cristal. Em comemoração ao Dia dos Aposentados, 24 de janeiro, nove servidores inativos foram homenageados, representando todos aqueles que ajudaram na construção e no desenvolvimento de Petrópolis. Com um aumento de 25% nos últimos dois anos, a cidade tem hoje cerca de 3 mil servidores aposentados e ainda 680 pensionistas registrados pelo Inpas.

“Gostei muito da homenagem. Sinal que lembram de mim com carinho. Fui professora de história no Liceu Municipal e gostava muito dos meus alunos”, disse a aposentada Glória Nicolau, de 96 anos, a mais idosa entre os homenageados. Ela começou a vida pública na Secretaria de Educação em 1958 e conta com uma carreira de 37 anos de trabalho. Entre os homenageados haviam também aposentados dos mais diversos setores, como da saúde, COMDEP, administração, cultura, entre outros. 

Além de manter em dia as aposentadorias e pensões, o direito também está sendo garantido pela administração: em 22 meses, a partir de janeiro 2017, houve 384 aposentadorias concedidas pelo Inpas aos servidores – muitas delas represadas por anos. Esse número é maior que o que foi dado no dobro do tempo, em 44 meses, entre 2013 e 2016, quando foram concedidas 375. 

O fiscal de serviços públicos aposentado Roberto de Sá Filho, de 78 anos, também estava entre os homenageados. Com mais de 40 anos dedicados à prefeitura, ele se disse honrado e emocionado com a lembrança. “Foi uma surpresa muito agradável, estou até um pouco nervoso. Sempre ajudei a cidade e vou continuar ajudando o governo”, disse.

Segregação de massa foi apresentada nesta terça-feira aos sindicatos e elogiada pelos sindicalistas

As alterações propostas pelo Inpas para garantir a aposentadoria dos futuros servidores aposentados foram apresentadas aos sindicatos dos Servidores Públicos e dos Profissionais da Educação, Sisep e Sepe, nesta terça-feira (12.02) durante reunião na sede da Prefeitura. O encontro esclareceu dúvidas sobre o tema e apresentou como será feita a segregação de massa, mudança que não aumenta as alíquotas de contribuição de 11%. A proposta foi elogiada pelos sindicalistas, que destacaram a preocupação do governo com o futuro dos servidores.

A mudança, conforme foi explicado, é essencial para frear o rombo financeiro que existe hoje no Inpas, com um déficit atuarial superior a R$ 2 bilhões. Significa dizer que os recursos – ou a falta deles – acumulados atualmente não serão suficientes para quitar com os direitos dos servidores hoje na ativa. Ou seja, se nada for feito, os trabalhadores que se dedicam ao município não teriam garantidos suas aposentadorias no futuro.  O projeto que propõe a mudança aguarda aprovação na Câmara dos Vereadores, após ter recebido a chancela do então Ministério da Fazenda, no ano passado, do Conselho Municipal de Previdência de Petrópolis (CMPP) e do Conselho Revisor do Plano Diretor (CRPD).

Na prática não há mudanças para os servidores. Eles não serão afetados de maneira direta com esse projeto e a contribuição permanece em 22% para o patronal e 11% para os segurados. O que muda é que divisão de grupos que irão compor as ‘massas’ – que será criado, e a organização deles. A intenção é a de conseguir corrigir os déficits existentes a partir de agora para que o servidor tenha garantido suas aposentadorias.

Funciona assim: até a lei entrar em vigor, servidores até aquela data fazem parte da ‘massa 1’, o chamado Plano Financeiro, em que o regime continua o mesmo com as contribuições de ativos pagando as aposentadorias dos inativos. Na ‘massa 2’, ou Regime Previdenciário, entra a capitalização de recursos no mercado financeiro. As duas massas de segurados são tratadas isoladamente, com contas bancárias separadas, contabilidade própria para cada grupo e individualizadas quanto ao cadastro e escrituração, além dos recursos financeiros serem administrados separadamente.

“É difícil ver esse tipo de preocupação dos administradores. É uma ação corajosa e ousado porque onera a prefeitura com a reposição de valores maiores, sem afetar de forma alguma os servidores. Um projeto que recebe o apoio dos sindicatos”, elogiou o presidente do Sisep, Oswaldo Magalhães. Já a representante do Sepe, Rose Silveira, elogiou o cuidado da prefeitura ao explicar detalhadamente o projeto. “É uma política que continua, um benefício para o futuro e que começa a ser trabalhado agora”, disse.

A definição da segregação de massa foi feita após análise de oito cenários, sendo escolhida pela comissão como a melhor opção para o município. Um grupo formado essencialmente por servidores de carreira se reuniram e analisaram as projeções realizadas por especialistas. A segregação de massa apresenta equilíbrio atuarial com um superávit de R$ 4,7 milhões no Plano Previdenciário, sendo capaz de suportar eventuais oscilações de custos no futuro. Nele, as contribuições serão feitas pelos próprios servidores, sem a necessidade de aportes financeiros do município. Já o Plano Financeiro vai continuar recebendo recursos necessários para cobrir a diferença mensal com as despesas administrativas e com benefício dos servidores.

NoPlano Financeiro, ingressarão servidores ativos com admissão até 31 de dezembro de 2015 e seus respectivos dependentes, aposentados com idade até 76 anos em 30 de setembro de 2017 e seus dependentes, além de todos os pensionistas já inclusos até a publicação da lei. Já no Previdenciário, estarão servidores ativos com data de ingresso no município até 31 de dezembro de 2015 e seus dependentes, aposentados com idade superior a 76 anos em 30 de setembro de 2017 e seus dependentes.

Júlio Machado Passos, o atuário que trabalhou nas projeções, destacou a iniciativa do município em realizar esse trabalho. “Se essa atitude tivesse sido tomada 10 anos atrás, a situação não estaria como está. O trabalho foi feito dentro das normativas federais, uma vez que é uma obrigação legal o equilíbrio previdenciário e dá ao servidor a garantia de sua aposentadoria no futuro ao mesmo tempo de ‘amarra’ à legislação tendo o município que manter os repasses e não mexendo nos recursos já capitalizados. É o melhor e mais inteligente cenário para Petrópolis”, explicou.

A Vacinação na Terceira Idade é o tema da palestra que será ministrada aos servidores aposentados e inativos do Instituto de Previdência e Assistência Social do Servidores Público do Município de Petrópolis (INPAS). Ministrada por Denise de Freitas Marcelo, enfermeira do setor de Epidemiologia da Secretaria de Saúde, o encontro será no auditório do INPAS, às 10h, de sexta-feira (31.03).  A palestra vai destacar a importância de se manter imunizado nessa faixa etária e destacar quais vacinas devem ser tomadas a partir dos 60 anos.

A vacinação, além de melhorar a qualidade de vida, contribui para a prevenção de doenças infecciosas e de possíveis “descompensações” resultantes de doenças como a diabetes e hipertensão, entre outras. No encontro com os idosos, a enfermeira vai falar sobre o calendário de vacinas,  explicar a função de cada uma delas, preconizadas pelo Ministério da Saúde, além de destacar os casos em que cada uma deve ser utilizada.

“São aspectos que os idosos costumam ter dúvidas. A febre amarela, por exemplo, assunto em voga no momento, também será tratado no encontro. É importante explicar a vacinação nessa faixa etária requer avaliação médica, por exemplo. Espero tornar essa palestra esclarecedora para os participantes, deixando mais claro os aspectos que hoje são motivos de curiosidade nesse faixa etária”, destaca Denise.

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil possui a quinta maior população idosa do mundo, com cerca de 28 milhões de pessoas com 60 anos ou mais. Atualmente, a proporção de pessoas idosas no país alcançou 13,7% da população geral, ou seja, 27,8 milhões de pessoas. Em Petrópolis, dados do último senso apontam que cerca de 15% da população tem mais de 60 anos. De acordo com as estimativas, em 2030, o número de brasileiros com 60 anos ou mais ultrapassará o de crianças de 0 a 14 anos de idade.

O Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), oferece pelo calendário nacional de vacinação cinco tipos de vacinas para a população idosa: Hepatite B, Febre Amarela, dT (difteria e tétano), Influenza e Pneumocócica 23. A pneumocócica 23, que protege contra pneumonia, é ofertada para pessoas de 60 anos e mais que vivem em instituições fechadas, como casas geriátricas, hospitais, asilos e casas de repouso.

Já a influenza, é ofertada por campanhas anuais para grupos prioritários no qual se enquadram pessoas com 60 anos ou mais de idade. Em 2016, o percentual de cobertura de vacinação de idosos estava em 97% quando foram aplicadas 20 milhões de doses. Em 2011, o percentual de cobertura era de 84%. As outras três vacinas são ofertadas no Calendário Nacional de Vacinação do SUS para toda a população idosa e estão disponíveis durante todo o ano em mais de 36 mil salas de vacinação.

 

            A coordenadora do Gabinete de Cidadania, Ana Maria Rattes, se reuniu com 22 aposentados e pensionistas do Instituto de Previdência e Assistência Social dos Servidores do Município de Petrópolis (INPAS) para falar sobre a violação dos direitos dos idosos. O encontro foi realizado nesta quarta-feira (28.06), no auditório da instituição e faz parte do projeto Café com Sabedoria, que reúne uma série de ações voltadas ao servidor inativo.


            No encontro, Ana Maria falou da violação do direito do idosos em diversos aspectos, seja no descaso pela família, financeiro, entre outros. “Há uma inversão de valores na nossa cultura. Os idosos deveriam ser respeitados pelo conhecimento e sabedoria cultural e intelectual que têm. Nas culturas indígenas, por exemplo, os idosos são vistos com respeito e admiração, como referência aos meus jovens. É preciso tomar para nós essa prática”, explica.


            Dados apresentados por Ana Maria, com base no Instituto Brasileiros de Geografia Estatística (IBGE) mostram que em 15 anos os idosos em Petrópolis estarão em maior número do que as pessoas de zero a 19 anos. O município tem 42.865 idosos, ou seja, 14.42% da população.


            “Os temas são sempre esclarecedores, trazem à luz reflexões importantes de aspectos muito presentes no dia a dia dos idosos. Ficamos felizes em dar a oportunidade deles tirarem dúvidas e ter um ambiente tranquilo e apropriado onde se sintam à vontade em trocarem informações”, destaca o diretor-presidente do INPAS, Fernando Fortes.


            As palestras ministradas mensalmente acontecem dentro das atividades do Conviver. Além dessa ação há dança de salão, oficina da memória, terapia floral, aula de biscuit, de tricot, massoterapia, drenagem linfática, alongamento, massagem e hidroginástica.

 

           

Tema será tratado pelo advogado Sergio Simões, presidente da Comissão do Idoso da 3º subseção da OAB Petrópolis

O tema “Violências Contra a Pessoa Idosa” será abordado nesta quinta-feira (28.06) para aposentados e pensionistas do Instituto de Previdência e Assistência Social do Servidor Público do Município de Petrópolis (Inpas). O encontro está marcado para às 10h, na Casa Cláudio de Souza, e será com o advogado Sérgio Simões, presidente da Comissão do Idoso da 3ª subseção da OAB Petrópolis.

A intenção do encontro é mostrar e esclarecer os diferentes tipos de violências a que os idosos são submetidos. Além disso, também será tratado sobre as formas de denúncias e meios de auxílio para a terceira idade.

“Estamos sempre buscando formas de trazer aos aposentados e pensionistas temas importantes e de interesse deles. A ação, ocorre dentro do Projeto Café com Sabedoria e já realizamos diversas palestras no ano passado e este ano”, destaca o diretor-presidente do Inpas, Fernando Fortes.

Serviço

Evento: Palestra “Violências Contra a Pessoa Idosa”

Data: Quitna-feira, 28.08

Hora: 10h

Local: Casa Cláudio de Souza -  Praça Rui Barbosa nº 5 (Praça da Liberdade)

Pagina 8 de 8