Programa está levando ações integradas da Prefeitura para a região do Independência

A Defesa Civil também está participando do programa Nosso Bairro, que está levando uma série de ações integradas da Prefeitura à região do Independência. Oficinas de pluviômetros, cadastramento de voluntários na Rede Salvar e de moradores no sistema de alertas por SMS são algumas das ações desenvolvidas.

"O Nosso Bairro envolve todas as secretarias e é uma ação intersetorial. No caso da Defesa Civil, o contato com a comunidade é o passo mais importante para construir e fortalecer em cada morador a cultura da resiliência. A proteção está em cada atitude e é isso que estamos mostrando", disse o prefeito Rubens Bomtempo.

A Secretaria de Proteção e Defesa Civil também está atendendo aos moradores de regiões como Alto Independência, Independência, Taquara, Bairro Mauá, Quarteirão Italiano e Cremerie sobre abertura e retirada de Registros de Ocorrências, além de estar alinhada com o Posto da Saúde da Família e os Agentes Comunitários de Saúde, que acabam sendo multiplicadores das noções de Defesa Civil.

Integrante do Nudec do Taquara, a moradora Simone Izídio já está percebendo os resultados das ações do Nosso Bairro. “Parabenizo o prefeito e à Defesa Civil pelos resultados que estão sendo alcançados. A audiência pública aconteceu no dia 18 e o resultado na nossa comunidade já surgiu”, disse.

Também está sendo realizado o cadastramento de voluntários para a Rede Salvar, para atuação em situação de desastres; além do cadastramento para recebimento de alertas e informes da Defesa Civil por SMS através do número 40199.

“Integrar a Defesa Civil e as comunidades de forma geral, mais especificamente a comunidade do Alto Independência pela abrangência local, é de suma importância, porque é desta forma que podemos fomentar, dia após dia, a importância de pensar no senso de coletividade e prevenção de riscos. Além disso, eventos como este mostram na prática como é feita a integração das secretarias. Trabalhamos juntos em prol de objetivos em comum.”, disse o Secretário de Proteção e Defesa Civil, Gil Kempers.


Outros dois equipamentos estão sendo instalados no corredor do Rio Quitandinha, assim como sirene

A Prefeitura de Petrópolis, por meio da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, finalizou a instalação da primeira cancela automática das três que serão instaladas no corredor entre as ruas Coronel Veiga e Washington Luiz, nesta quinta-feira (19/01). A cancela já está pronta para operação em caso de risco de transbordamento do Rio Quitandinha. A ação é uma das medidas previstas do Protocolo de Inundação, que faz parte do Plano de Contingência para o verão.

“Seguimos trabalhando para fazer de Petrópolis uma cidade cada vez mais resiliente. A instalação do sistema de alarme e alerta garante uma nova camada de proteção, bem como outras ações, como as ilhas de segurança, a comunicação direta com os comerciantes e o treinamento que a Defesa Civil realizou junto aos motoristas de ônibus”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

As cancelas serão acionadas automaticamente pelos agentes da Defesa Civil por meio do Centro Integrado de Monitoramento e Operações de Petrópolis (Cimop), de acordo com as análises do tempo e do volume dos rios. As outras duas cancelas serão posicionadas nas Duas Pontes e a outra na altura da UPA Centro, entre as ruas Rocha Cardoso e Washington Luiz.

Ilhas de segurança já têm sinalização horizontal

Com o tempo firme nos últimos dias, a Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans) está realizando a sinalização horizontal das ilhas de segurança. Além da pintura sobre o asfalto, a sinalização vertical já havia sido instalada em dezembro, com placas que apontam os locais seguros, orientando os motoristas.

A Defesa Civil também está instalando duas sirenes para alertar sobre a possibilidade de inundações. Uma delas já está instalada na subida da Rua Nelson de Sá Earp, no Centro. Uma outra será colocada na Rua Coronel Veiga, nas imediações da Escola Municipal Jamil Sabrá.

As sirenes para inundação serão acionadas em caso de risco iminente de transbordamento do rio, e a localização foi definida de acordo com estudos elaborados pela Defesa Civil em conjunto com a empresa responsável pela instalação do sistema.

“É importante a população entender que quando falamos de sirenes há uma diferença. Temos as sirenes de deslizamento e temos as sirenes de inundação. A partir de agora, o primeiro distrito será contemplado com este sistema, com o objetivo de alertar a população sobre casos de alagamentos e preservar vidas”, disse o secretário de Proteção e Defesa Civil, Gil Kempers.


Secretaria já acionou operadora responsável para fazer reparo no sistema

A Secretaria de Proteção e Defesa Civil disponibilizou, nesta segunda-feira (2), dois canais alternativos para alertas de emergência: (24) 9-7400-0760, para chamadas de voz; e (24) 9-8819-1620, para mensagens de texto via WhatsApp.

A medida se deu por conta de problemas com a linha oficial de contato, o canal 199. A Defesa Civil já acionou a Oi, empresa responsável pela linha, para efetuar o reparo.

Para receber alertas de chuvas, cadastre seu CEP através do envio de uma mensagem de texto para o número 40199 e acompanhe o portal da Prefeitura de Petrópolis.


Duas sirenes também fazem parte do Sistema de Alerta e Alarme, parte do Protocolo de Inundação

A Prefeitura de Petrópolis, por meio da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, começou a instalar as cancelas automáticas no corredor entre a Ponte Fones e a Rua do Imperador. A ação é parte do Plano de Contingência para o verão, que inclui outras medidas, como a instalação de ilhas de segurança e sirenes.

“É importante destacar que o Centro Histórico de Petrópolis está recebendo pela primeira vez um sistema de alerta e alarme, bem como a instalação das cancelas automáticas. Este é parte de um amplo conjunto de medidas para fazer de Petrópolis uma cidade cada vez mais resiliente”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

O protocolo de inundação do Plano de Contingência prevê a instalação de cancelas que serão acionadas automaticamente, pelo Cimop, de acordo com as análises do tempo e do volume dos rios. Elas serão instaladas em três pontos: na Ponte Fones, nas Duas Pontes e na altura da UPA Centro, entre as ruas Rocha Cardoso e Washington Luiz.

Outras medidas se somam a essa, como a instalação de duas sirenes, que serão ligadas em caso de previsão de chuvas intensas. A localização foi feita de acordo com estudo da Defesa Civil em conjunto com a empresa responsável pela instalação do sistema. Outra medida é a criação de ilhas de segurança. Os locais já foram definidos e a sinalização vertical, pronta – placas informam os locais seguros em caso da possibilidade de inundações.

“É importante a população entender que quando falamos de sirenes há uma diferença. Temos as sirenes de deslizamento e temos as sirenes de inundação. A partir de agora, o primeiro distrito será contemplado com este sistema, com o objetivo de alertar a população sobre casos de alagamentos e preservar vidas”, disse o secretário de Proteção e Defesa Civil, Gil Kempers.


Palestras e oficinas práticas reforçam a cultura da resiliência, em ação de preparação para período de chuvas

Palestras, oficinas práticas e uma série de orientações sobre as ações que as comunidades podem tomar para estarem mais preparadas para as chuvas de verão: com este foco, a Prefeitura realizou o evento “Petrópolis Resiliente: preparAÇÃO para o verão 2023”. Durante o evento, as equipes técnicas da Defesa Civil e o grupo SOS Serra dialogaram com representantes dos Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs) e esclareceram dúvidas.

O prefeito Rubens Bomtempo participou do encontro, e destacou que o diálogo direto com as comunidades é um dos eixos do Plano de Contingência para o verão 2022/2023. “Para a Prefeitura, isso tem um significado muito importante. Os moradores precisam estar orientados, pois há uma série de medidas que podem ser tomadas por eles próprios, na ponta”, disse.

Durante o evento foram realizadas palestras pela equipe técnica da Defesa Civil, tratando sobre os temas “Sistema de alerta e alarme”, “Protocolo de inundações”, “Sensores caseiros”, “Noções de meteorologia”, "Percepção de risco geológico", além da participação do capitão do Bombeiro Militar de Minas Gerais, Leonardo Farah, integrante do Grupo Humus – que, por meio da SOS Serra, parceira da Defesa Civil, levou aos convidados o tema: “Quanto vale uma vida- ações simples que salvam vidas”.

“Ações para atuação no momento do desastre são atitudes que a própria comunidade consegue fazer sem depender do auxílio de equipes de resgate como o Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil ou a Polícia Militar. A comunidade desenvolve este trabalho a partir de ações previamente simuladas, como a construção de pluviômetros, a sinalização de rota de fuga, a sinalização de área segura para ficar, todos esses tipos de ações voltadas para prevenção e resposta que não envolva a necessidade de equipes de resgate especializada.”, disse o Capitão do Bombeiro Militar, Leonardo Farah.

As oficinas práticas foram sobre a confecção de pluviômetros. Também houve um espaço para facilitar o cadastramento da população para receber mensagens de alerta por SMS e para apresentar as redes colaborativas de voluntariado, a fim de apoiar a cidade em uma situação de emergência ou desastre. O evento contou ainda com a exposição dos mapas com as rotas de fuga nos cinco distritos – ação desenvolvida pelos técnicos da Defesa Civil em conjunto com integrantes dos Nudecs.

“Este é um evento muito importante porque trabalha o consciente de cada um. Através das ações de preparação para o enfrentamento às chuvas do próximo verão, construímos o consciente coletivo, tão importante no momento de emergência na cidade. É muito importante que todos saibam o que fazer no momento de necessidade e assim, juntos, consigamos salvar vidas e tornar Petrópolis uma cidade com senso comum de resiliência”, disse o secretário de Proteção e Defesa Civil, Gil Kempers.

 

Ronda aconteceu na tarde desta terça-feira (20) e visa identificar possíveis pontos de risco devido às chuvas

A Prefeitura de Petrópolis por meio da Secretaria de Proteção e Defesa Civil realizou, na tarde desta terça-feira (20), uma ronda preventiva em comunidades do primeiro distrito do município para identificar pontos de risco ou eventos que possam ter ocorrido devido às chuvas em vigência desde a manhã da última segunda-feira (19). Os bairros com maiores acumulados pluviométricos registrados desta terça-feira (20) foram: Independência e Quitandinha, com ronda preventiva nas seguintes localidades: Morro da Oficina, Vila Felipe, Chácara Flora, Sargento Boening, Siméria, Independência, São Sebastião, Taquara, Espírito Santo e Rio de Janeiro. Durante a ronda preventiva não houve registros de ocorrências.
A Defesa Civil segue monitorando as condições do tempo e poderá emitir alertas a qualquer momento.
Cadastre seu CEP através do envio de uma mensagem de texto para o número 40199 para receber os alertas, acompanhe também o portal da Prefeitura de Petrópolis.


Com chegada do verão e previsão de chuva para a semana, comunidades são mobilizadas

Novo fórum de discussão de políticas públicas e para a tomada de ação coordenada entre o governo e a sociedade civil organizada, o Conselho Municipal de Proteção e Defesa Civil realizou, na segunda-feira (19/12), uma reunião extraordinária. O encontro, convocado pelo prefeito Rubens Bomtempo, teve o objetivo de mobilizar todos os atores envolvidos na prevenção aos desastres, tendo em vista o início do verão e a previsão de chuvas para a semana, no período que abrange a terça-feira (20) até a quinta (22/12).

“O Conselho Municipal de Proteção e Defesa Civil foi criado justamente para que pudéssemos ter, em um só local, o governo; todas as entidades envolvidas na prevenção e resposta aos desastres, como as concessionárias; e a comunidade, que voltou a ser organizada através dos Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs). Sempre tivemos uma preocupação especial com a Defesa Civil desde quando criamos a secretaria, em 2013, e as catástrofes climáticas de fevereiro e março mostraram que é preciso ainda mais avanços e organização”, lembrou o prefeito Rubens Bomtempo.

Na reunião, o secretário de Proteção e Defesa Civil, Gil Kempers, apresentou o panorama meteorológico previsto para a semana. Também foi apresentada a nova identidade visual da comunicação de alertas da Defesa Civil. O material foi criado para tornar a linguagem mais clara e simples. “A comunicação deve ser sempre facilitada em casos de chuva. Por isso, estamos procurando efetivar a relação com a população, principalmente estreitando os laços com a comunidade”, disse Kempers.

Conselho e Fundo já têm regimento interno aprovado

Os regimentos internos do Conselho Municipal de Proteção e Defesa Civil e do Fundo Municipal de Proteção e Defesa Civil foram aprovados na reunião ordinária do Conselho, na última quarta-feira (14), por unanimidade. Durante a reunião, também foram apresentadas sugestões para aperfeiçoar o Plano de Contingência para o verão 2022/2023. Além disso, foi destacada a importância do mapeamento participativo, trabalho feito pela Defesa Civil junto às comunidades.

“É muito importante que a população participe do Conselho, em especial as pessoas que compõem os Nudecs. Desta forma, vamos conseguir sensibilizar a todos sobre a necessidade de prevenção. Promovemos oficinas para explicar o funcionamento dos pluviômetros, capacitação de motoristas em caso de inundações e simulados de evacuação em áreas de risco. Mas a participação ativa da população é fundamental para que todos saibam como proceder”, disse Gil Kempers.

A reunião ordinária do Conselho também decidiu os eixos temáticos das Câmaras Técnicas, que vão nortear as ações do Conselho: Constituição e Justiça; Educação para o Risco; Pesquisa e Tecnologia em Defesa Civil; Ações Sociais para Fortalecimento Comunitário; Orçamento, Finanças e Fiscalização; e Comunicação de Emergência.

 

Durante o evento haverá palestras da equipe técnica da Defesa Civil, além de oficinas práticas de preparação para o verão 2023

A Prefeitura de Petrópolis por meio da Secretaria de Proteção e Defesa Civil convida a todos para o evento “Petrópolis Resiliente: PreparAÇÃO para o verão 2023". Durante o evento teremos palestras da equipe técnica da Defesa Civil tratando sobre os temas “Sistema de alerta e alarme”, “Protocolo de inundações”, “Sensores caseiros”, “Noções de meteorologia”, "Percepção de risco geológico", além de oficinas práticas de preparação para o verão 2023 com o tema “ações para atuação no momento do desastre", que será feita pelo Capitão do Bombeiro Militar, Léo Farah.

“Ações para atuação no momento do desastre são atitudes que a própria comunidade consegue fazer sem depender do auxílio de equipes de resgate como o Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil ou a Polícia Militar. A comunidade desenvolve este trabalho a partir de ações previamente simuladas, como a construção de pluviômetros, a sinalização de rota de fuga, a sinalização de área segura para ficar, todos esses tipos de ações voltadas para prevenção e resposta que não envolva a necessidade de equipes de resgate especializada.”, disse o Capitão do Bombeiro Militar, Léo Farah, que fará as oficinas práticas de preparação para o verão 2023.


Data: 22 de dezembro de 2022
Horário: às 8 horas
Local: Instituto Teológico Franciscano
Endereço:Rua Coronel Veiga, número 550

Ainda no evento, teremos um espaço para facilitar o cadastramento da população para receber mensagens de alerta por SMS e um espaço para apresentar as redes colaborativas de voluntariado a fim de apoiar a cidade em uma situação de emergência ou desastre. Teremos ainda a exposição dos mapas com as rotas de fuga nos cinco distritos, ação desenvolvida com técnicos da Defesa Civil e membros dos Nudecs. E tem mais, todos os presentes receberão um certificado de participação.

Será uma manhã de conscientização e preparação para toda população que vive em áreas de risco, e a participação de toda população e imprensa é fundamental para fortalecermos a resiliência em toda Petrópolis.

A Prefeitura de Petrópolis por meio da Defesa Civil, em parceria com o SOS Serra e Grupo Humus espera por você para juntos construirmos uma cidade cada vez mais resiliente.


Motoristas são informados sobre pontos seguros em caso de possibilidade de inundação

A Prefeitura iniciou, nesta quinta-feira (8), a instalação das placas de sinalização das ilhas de segurança no corredor da Rua Coronel Veiga. Com isso, os motoristas serão orientados sobre quais são as áreas seguras em caso de inundações, e sobre a necessidade de permanecer nestes locais até a água baixar.

O prefeito Rubens Bomtempo destacou que o Plano de Contingência prevê uma série de medidas para ampliar a prevenção aos desastres. “A instalação de ilhas de segurança, cancelas eletrônicas e sirenes têm o objetivo de criar uma nova camada de proteção. Isso se soma à maior dragagem da história da cidade, que é realizada em sete pontos simultâneos hoje; à limpeza e instalação de retentores nos bueiros; e a comunicação direta entre a Defesa Civil e as comunidades, com o fortalecimento dos Nudecs”, disse.

O secretário de Proteção e Defesa Civil, Gil Kempers, lembrou que as equipes técnicas estiveram em campo para fazer as últimas adequações do projeto, que inclui outras medidas. “Além da sinalização vertical, o asfalto está sendo revisado nos locais mapeados para a sinalização horizontal, que está prevista para os próximos dias”, disse.

O protocolo de inundações

A medida é parte do Protocolo de Inundações, criado pela Defesa Civil e contido no Plano de Contingência para o verão 2022/2023. O documento também prevê sinalização horizontal sobre as ilhas e instalação de cancelas eletrônicas em três pontos: Ponte Fones, Duas Pontes e o entroncamento entre as ruas Washington Luiz e Rocha Cardoso, na altura da UPA. As cancelas - que serão instaladas nos próximos dias - e um sistema de sirenes - já instalado - serão acionados no caso de previsão de inundação no corredor do Rio Quitandinha.

O acionamento das sirenes e das cancelas é feito a partir do monitoramento das câmeras do Cimop e de análise sobre os acumulados pluviométricos na cabeceira do Rio Quitandinha, a partir de estudo feito pela equipe técnica da Defesa Civil.

Outras ações

Com o objetivo de fortalecer as políticas públicas para o setor, a Prefeitura criou o Conselho Municipal de Defesa Civil neste ano. Entre as atribuições do conselho será decidir o uso dos recursos do Fundo Municipal de Defesa Civil – regulamentado pela Prefeitura também neste ano.

Para todo o ano de 2022, a gestão anterior do município definiu um orçamento de cerca de R$ 200 mil para a Secretaria de Defesa Civil. Já para 2023, a atual gestão está orçando, somente para o Fundo de Defesa Civil, R$ 1,5 milhão – recursos que terão uso decidido pelo Conselho Municipal de Defesa Civil.

O fortalecimento dos Nudecs também é prioritário para o município. Treze Núcleos Comunitários de Defesa Civil foram ativados – agora, são 21 em funcionamento, atendendo a 72 regiões.

Obras

Além destas medidas, a Prefeitura chegou à marca de 100 obras de resposta às chuvas de fevereiro e março. Desse total, são 43 já concluídas, 10 em andamento, 19 já contratadas e 28 já autorizadas. As 43 já concluídas tiveram como foco o restabelecimento da cidade, devolvendo a mobilidade nos principais corredores e vias de Petrópolis. Com a liberação dos recursos da linha de crédito obtida junto à Caixa Econômica Federal, o foco agora está nos principais pontos dos desastres do início do ano: Morro da Oficina e Vila Felipe. Para lá, as intervenções serão complexas e de grande porte.

Defesa Civil reuniu representantes de Nudecs, que receberam certificados e kits

Fortalecer a cultura da prevenção e ampliar ainda mais as ações para tornar Petrópolis mais resiliente: com este foco, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, realizou uma série de atividades nesta terça-feira (29/11). Durante o evento, realizado no Instituto Teológico Franciscano, o fortalecimento dos Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs) foi uma das principais pautas.

Os representantes dos Nudecs receberam, além de certificados de formação, kits para ampliarem a capacidade de trabalho. Os representantes dos núcleos terão novos coletes, capacetes, lanternas, camisas e megafones. “Hoje é o Dia Municipal de Redução de Risco de Desastre. O Plano de Contingência para o verão 2022/2023 foi planejado para fazer com que Petrópolis seja uma cidade cada vez mais resiliente e preparada”, destacou o prefeito Rubens Bomtempo.

O evento contou com a presença do diretor-geral da Defesa Civil estadual, coronel Albino Lourenço, que ressaltou: uma cidade resiliente começa com a ação de cada cidadão. “Na presente data, devemos pensar nas ações que cada pessoa pode e deve fazer em situação de emergência, onde a população tem que ter em mente a premissa: como posso auxiliar a tomada de decisão para prevenção de desastres no município em que resido? Encontrando assim, como resposta, ações de prevenção de risco”, disse.

O secretário de Proteção e Defesa Civil, Gil Kempers, destacou a importância de estimular a cultura de prevenção e redução de desastres no município. “Esta data é para fomentar a cultura de prevenção e redução de desastres no município. Iniciativas como este evento, contribuem para incentivar isso em cada pessoa”, disse.

Também foram homenageados os parceiros e apoiadores do processo de fortalecimento dos Nudecs: o Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH); Cáritas do Brasil; Cáritas Alemanha; Plataforma Abrace uma Causa.

Pagina 1 de 142