Especializada no serviço de atendimento a mulheres e do enfrentamento à violência, a Sala Lilás completou um ano do início das atividades em junho de 2021. Nesse período, mais de 600 pessoas foram atendidas, vítimas de algum tipo de violência. A equipe da unidade recebe mulheres, crianças e população LGBTQIA+ que estão em alguma situação de violência. No local, as denúncias mais recorrentes são as que têm relação com agressão física, em próprio domicílio e de forma repetida.

A Sala Lilás funciona todos os dias da semana, 24 horas por dia. A equipe conta com enfermeiras, assistente social, psicóloga e técnicas de enfermagem. No Rio de Janeiro, a de Petrópolis foi a terceira do Estado a ser criada. Ela é um espaço criado para prestar atendimento especializado e humanizado por uma equipe multidisciplinar capacitada. Ela funciona em parceria com o Posto Regional de Polícia Técnica e Científica (PRPTC), na entrada do Hospital Alcides Carneiro (HAC), no bairro Corrêas.

“O objetivo do atendimento na Sala Lilás é acolher esses pacientes que passaram por uma situação delicada. Queremos que essas pessoas entrem em nossa rede de saúde e tenham o acompanhamento contínuo em nosso sistema de saúde. Junto com a Secretaria de Saúde e de Assistência Social, estão o Gabinete da Cidadania, CRAM, Ministério público, Tribunal de Justiça, Conselho Tutelar. São muitas forças unidas”, diz o governo interino.

O público que chega até o local sofreu algum tipo de violência e realizou o Boletim de Ocorrência na delegacia de polícia. Em seguida as pessoas são encaminhadas para o exame de corpo de delito, que é realizado na Sala Lilás. A equipe da unidade ajuda no procedimento de perícia com mulheres, crianças e população LGBTQIA+, fazendo o atendimento deforma acolhedora e humanizada. A partir daí, os pacientes são encaminhados de acordo com a necessidade de atendimento. É o que explica o secretário de Saúde.

“Quem sofre violência física é encaminhada para urgência no Hospital Alcides Carneiro e nas UPAs. As pessoas que sofrem violência doméstica são direcionadas para o Centro de Referência em Atendimento a Mulher – o CRAM. Queremos que os pacientes sejam atendidos e sejam acompanhados e amparados de todas as formas”.
A enfermeira da Sala Lilás, Jessica Paim, alerta para os sinais e tipos de violência: “Existem diferentes tipos de violência. Física, psicológica, patrimonial e sexual são as principais formas. Existem diversos sinais que podem ser notados, ainda mais se acontecem de forma repetida. A pessoa ser impedida de gastar o próprio dinheiro é uma violência. Muitas vezes começa com essa violência psicológica e pode acabar com feminicídio”.

A assistente social, Camila Vecchi, também atende na unidade. Ela alerta para os cuidados com o público que a Sala recebe: “Muitas das pessoas que chegam até aqui, se sentem culpadas. Isso é uma coisa estrutural que advém uma história da sociedade que se construiu dessa forma. Buscamos colaborar com o apoio para que esse paciente se sinta acolhida, se sinta bem e tenha os meios para que ela consiga romper com esse ciclo. Nossa missão também é deixar claro que as pessoas podem buscar ajudar, mantendo o sigilo”.

Números de atendimentos

No total foram 607 atendimentos em um ano de atuação da Sala Lilás. O ciclo de vida mais atendido foi o de pessoas adultas, entre 25 e 59 anos, com 335 pessoas ajudadas. Adolescentes, dos 10 aos 19 anos, foram atendidas 110 vezes. Jovens com idade entre 20 e 24 anos, somam 82 atendimentos. Cerca de 58 crianças, de 0 a 9 anos, foram recebidas e pessoas idosas com 60 anos, somam 15 acolhimentos.

Os cinco tipos de violência mais encontrados foram: Física (437), psicológica/moral (381), patrimonial (68), sexual (66) e negligência/abandono (16). A residência foi o local onde mais foram perpetradas situações de violência, com 441 casos ao todo. Também foram identificados violência em via pública, somando 106 casos, e em comércios, em 18 vezes.

Ao todo, em 318 ocasiões a coação não aconteceu pela primeira vez, sendo caracterizados como violências de repetição. Alocados entre os cinco distritos de Petrópolis, a maioria das pessoas atendidas eram da região do Centro da cidade, com 329 acolhimentos. Cascatinha vem em seguida com 147 atendimentos.

Aumento do número de atendimentos do CRAM

O Centro de Referência em Atendimento a Mulher (CRAM) registrou um aumento de mais de 700% no número de atendimentos realizados no primeiro semestre deste ano em comparação ao mesmo período de 2020. A alta no número de pessoas atendidas também está atrelada à chegada da Sala Lilás, já que as mulheres em situação de violência doméstica foram encaminhadas para o CRAM.

A enfermeira da Sala Lilás, Jessica Paem, explica que faz questão de explicar para todas as mulheres como é o atendimento do CRAM: “Fazemos questão de explicar e incentivar a ida das mulheres para o CRAM. Não é só entregar um papel. Tem que fazer sentido para elas. O CRAM conta com serviços de psicólogos, assistente social e advogados, que são muito úteis para essas mulheres”.

Até junho de 2020, o Centro de Referência realizou 81 atendimentos, enquanto entre os meses de janeiro e junho deste ano, 711 mulheres procuraram o órgão por meio de alguma das modalidades oferecidas. O CRAM também conta com o Ônibus Lilás que consegue chegar às comunidades mais distantes.

No CRAM, as mulheres vítimas de violência obtêm atendimento e acompanhamento psicológico, social e jurídico realizado por uma equipe multidisciplinar, auxilio na obtenção do apoio jurídico necessário a cada caso específico, orientação sobre os diferentes serviços disponíveis relacionados à prevenção, apoio e assistência às mulheres em situação de violência.

O Centro de Referência em Atendimento a Mulher fica localizado na Rua Santos Dumont, no prédio anexo ao Centro de Saúde. Os atendimentos podem ser realizados ainda através do telefone (24) 98839-7387, que também funciona como whatsapp.

Denúncias

A assistente social Camila, fala da necessidade de denúncias serem feitas: “Denúncias de algum tipo de violência podem ser feitas de forma anônima. Não precisa ser comprovada. A simples suspeita já é suficiente para abertura de uma investigação. Quando a pessoa for buscar ajuda, há pode ser tarde e pode não dar tempo”. Ela conclui com o apelo: “Vizinhos, professores ou amigos que constatarem alguma situação de violência, denunciem”.

Denúncias e atendimentos de situações de violência podem ser feitas pelos contatos:

Central de Atendimento à Mulher: 180
Polícia Militar: 190
Núcleo de Atendimento à Mulher (Nuam) da 105ª Delegacia de Polícia: (24) 2248-7808
Núcleo de Atendimento à Mulher (Nuam) da 106ª Delegacia de Polícia: (24) 2222-7094
Patrulha da Maria da Penha: (24) 99229-2439 (WhatsApp)
Sala Lilás: (24) 2246-8452
CRAM: (24) 2243-6152
CRAM Emergência: (24) 98839-7387

Segunda, 09 Agosto 2021 - 10:53

CRAM lembra os 15 anos da Lei Maria da Penha

A Lei de Violência Doméstica e Familiar, conhecida como Lei Maria da Penha, completa, neste sábado (07), 15 anos e Petrópolis vem se destacando com o avanço na conscientização, principalmente, das mulheres vítimas de agressões. Cada vez mais elas têm procurados os órgãos de proteção, como delegacias e o Centro de Referência em Atendimento a Mulher – CRAM, como aponta o último levantamento realizado pela instituição.

Apenas entre os meses de janeiro e junho de 2021, houve um aumento de 700% no número de atendimentos realizados pelo CRAM, em comparação ao mesmo período do ano passado. Isso, no entanto, não quer dizer que o número de vítimas aumentou nesta proporção, mas sim que há cada vez mais consciência das pessoas sobre a importância de denunciar o crime.
"Os números nos mostram que mais mulheres estão se conscientizando e entendendo que precisam denunciar. Temos facilitado esse acesso levando o ônibus lilás nas comunidades e criando novos meios para a comunicação das vítimas de violência doméstica. O objetivo é levar cada vez mais políticas públicas para essas mulheres”, frisa o governo interino.

De acordo com a coordenadora do CRAM, dos registros que chegaram ao Centro de Referência, encaminhados pelas duas delegacias da cidade, as vítimas de apenas 5,8% deles, não compareceram a instituição. “Mesmo assim, fizemos a busca ativa desse percentual, mas, infelizmente, ainda encontramos recusa de atendimento. A lei vem evoluindo nos últimos quinze anos, mas ela deve vir acompanhada de ações para se tornar efetiva. Com isso o CRAM se tornou um instrumento de extrema necessidade, para garantir o atendimento das mulheres em Petrópolis”, diz.

Este ano, o CRAM ampliou a rede. Além dos atendimentos presenciais, passou a oferecer contatos on-line e por telefone. “A Lei Maria da Penha prevê que é obrigação de todos a missão de erradicar a violência contra a mulher. Além de agressões físicas, entraram na lei as violências psicológicas, moral, sexual e patrimonial. Ela também ofereceu dispositivos para auxiliar as vítimas, como as medidas protetivas, que proíbem o agressor de se aproximar delas, sob risco de prisão. Isso é uma vitória”, garante.

No CRAM, as mulheres vítimas de violência obtêm atendimento e acompanhamento psicológico, social e jurídico realizado por uma equipe multidisciplinar, auxilio na obtenção do apoio jurídico necessário a cada caso específico, orientação sobre os diferentes serviços disponíveis relacionados à prevenção, apoio e assistência às mulheres em situação de violência.

O Centro de Referência em Atendimento a Mulher fica localizado na Rua Santos Dumont, no prédio anexo ao Centro de Saúde. Os atendimentos podem ser realizados ainda através do telefone (24) 98839-7387, que também funciona como whatsapp.

Com ações de orientação e incentivo ao aleitamento materno, a equipe de Áreas Técnicas da Secretaria de Saúde realizou nesta sexta-feira (06) o Pit Stop de atendimentos na Praça da Inconfidência, no Centro de Petrópolis. A atividade faz parte da campanha da Prefeitura de Petrópolis em alusão ao Agosto Dourado, mês que simboliza a luta pelo incentivo à amamentação. No local estiverem presentes dentistas, nutricionistas, enfermeiras e técnicas de enfermagem. Além disso, também foram realizadas instruções sobre o papel do pai no ato de amamentar.

Daniela Brum, de 26 anos, tem 2 filhos. Ela esteve no local e contou como é a amamentação deles: “É um processo tranquilo. O meu filho de quatro anos mama até hoje. Tive muito acesso à informação sobre a importância do leite materno e adquiri uma experiência no assunto. Ações como essa na praça são necessárias para que mais mulheres possam receber as informações sobre o tema. É importante não só a conscientização, como também o apoio a mulher que deseja amamentar e nutrir o seu filho com esse alimento que vale ouro e é tão importante para as crianças”.

Na Praça da Inconfidência foram realizadas orientações nutricionais sobre o aleitamento materno, instruções de cuidados dentários, abordagem psicológica direcionada a amamentação, explicação sobre os benefícios e desafios relacionados à amamentação (pega correta, cuidado com as mamas, importância do parceiro para auxiliar a mãe), entre outros assuntos. A equipe das Áreas Técnicas da Saúde realizou a captação de pessoas na Praça e no Terminal Rodoviário do Centro, e entregou kits com álcool gel, máscara, sabonete e escova de dente para crianças. Além disso foram doados kits com lenço umedecido, cotonete, shampoo, condicionador, trocador e pasta para documentos do bebê para algumas mães que estiveram no local.

O secretário de Saúde, que esteve presente na Praça, destaca o trabalho da secretaria diretamente com o público. “O leite materno possui várias proteínas necessárias ao bebê e para a mãe também. Aqui também realizamos orientações sobre a saúde bucal das crianças. A conscientização da população sobre a data é o nosso objetivo”.

Na segunda-feira (03) a programação da campanha teve início com uma live no Facebook e no YouTube da prefeitura de Petrópolis com o tema, “Aleitamento materno e seus benefícios para ser compartilhado”, com a enfermeira Aline Furtado. Na terça-feira (10), a partir das 17h, a transmissão vai ser sobre Aleitamento Materno e a vivência da amamentação no contexto hospitalar. No dia 27 acontecerá o segundo Pit Stop de atendimentos, de 09 às 16h, novamente na Praça da Inconfidência.

Agosto Dourado

A campanha do Agosto Dourado tem como tema “Proteja a Amamentação: uma responsabilidade compartilhada”, e conta com a parceria da Câmara Municipal de Petrópolis. O principal intuito é orientar e estimular o aleitamento materno como ato natural. Outro objetivo da campanha é sensibilizar a sociedade quanto à naturalidade do ato de alimentar o bebê em público, sem o constrangimento que muitas mães relatam. A campanha destaca por fim, a importância dos bancos de leite. Ele é utilizado para que todos os bebês (especialmente os prematuros) possam ter acesso ao alimento, mesmo nos casos em que as mães não possam amamentar.

O leite é o alimento necessário e suficiente ao recém-nascido, pelo menos nos primeiros seis meses, e indicado até os dois primeiros anos de vida. Ele é benéfico de várias formas, tanto para as crianças, como para as mães. Ele reduz os níveis de mortalidade infantil, possui anticorpos que protegem contra infecções e desnutrição. Já para as mães, a amamentação ajuda na perda de peso após o parto, protege contra câncer de mama e ovário e aumenta o vínculo indissociável com a criança.

Valorização da Paternidade vinculada à Amamentação

Além disso, agosto também é o mês de valorização da paternidade. A participação do pai é capaz de promover confiança para ele e a mãe, diminuindo angústias relativas ao parto e nascimento, garantir melhor atendimento para a parceira, reduzir a depressão materna e paterna no pós-parto, gerar vínculos afetivos saudáveis e mais qualidade de vida para todos da família: homem, mulher e criança.

Outro ponto positivo da presença ativa do pai é o aumento dos índices de amamentação. Seu suporte é fundamental para a mãe que alimenta a criança e seu apoio é capaz de dar desfecho positivo frente à eventual escolha da mulher entre a continuação ou não da amamentação, que nem sempre é tarefa fácil.

Para marcar o mês de combate à violência contra à mulher e em homenagem aos 15 anos em vigor da Lei Maria da Penha, a equipe da Sala Lilás realizará nesta sexta-feira (06), uma live para abordar temas relacionados à garantia dos direitos e da cidadania dessas pessoas. A transmissão online será realizada a partir das 17 horas no Facebook e YouTube da Prefeitura de Petrópolis.

“Buscamos garantir a segurança e proteção das mulheres. O mês de combate a violência contra elas é importante para darmos mais visibilidade a causa. A Sala Lilás é um importante equipamento do município que contribui muito, não só no atendimento de mulheres, mas de pessoas em situação de violência”, explica o governo interino.

Participarão da transmissão o perito legista, Marcelo Kolblinger de Godoy, e o perito criminal, Marcelo Ribeiro. Além disso, a live contará com a atuação da equipe da Sala Lilás.

Sala Lilás

Especializada no serviço de atendimento especializado e humanizado a Sala Lilás recebe mulheres, crianças e população LGBTQIA+ que estão em alguma situação de violência. A equipe conta com enfermeiras, assistente social, psicóloga e técnicas de enfermagem.

A Sala Lilás funciona todos os dias da semana, 24 horas por dia. No Rio de Janeiro, a de Petrópolis é a terceira do Estado a ser criada. Caso constate sinais de algum tipo de violência contra este público, denuncie:

Central de Atendimento à Mulher: 180
Polícia Militar: 190
Núcleo de Atendimento à Mulher (Nuam) da 105ª Delegacia de Polícia: (24) 2248-7808
Núcleo de Atendimento à Mulher (Nuam) da 106ª Delegacia de Polícia: (24) 2222-7094
Patrulha Maria da Penha: (24) 99229-2439 (WhatsApp)
Sala Lilás: (24) 2246-8452
CRAM: (24) 2243-6152
CRAM Emergência: (24) 98839-7387

Campanha também terá ações de valorização a paternidade vinculada a amamentação

Com o objetivo de orientar e estimular o aleitamento materno como ato natural, a prefeitura de Petrópolis por meio das Áreas Técnicas de Saúde, organizou uma programação especial para o Agosto Dourado. O mês simboliza a luta pelo incentivo à amamentação. O cronograma de ações prevê ações presenciais na Praça da inconfidência e lives nas redes sociais. A campanha tem como tema “Proteja a Amamentação: uma responsabilidade compartilhada” e conta com a parceria da Câmara Municipal de Petrópolis.

“O leite é o alimento necessário e suficiente ao recém-nascido, pelo menos nos primeiros seis meses, e indicado até os dois primeiros anos de vida. Ele é benéfico de várias formas, tanto para as crianças, como para as mães. Ele reduz os níveis de mortalidade infantil, possui anticorpos que protegem contra infecções e desnutrição. Já para as mães, a amamentação ajuda na perda de peso após o parto, protege contra câncer de mama e ovário e aumenta o vínculo indissociável com a criança”, explica o secretario de Saúde.

No Facebook e YouTube da prefeitura de Petrópolis serão realizadas lives com discussões sobre a temática. Já nesta terça-feira (03), às 17h a enfermeira Aline Furtado falará sobre o Aleitamento Materno e seus benefícios para ser compartilhado/Paternidade. Na sexta-feira (06), será realizado na Praça da Inconfidência, de 09h às 16h, um Pit Stop com atividades relacionadas ao Agosto Dourado. Serão realizadas orientações nutricionais sobre o aleitamento materno, abordagem psicológica direcionada a amamentação, explicação sobre os benefícios e desafios relacionados à Amamentação. (Pega correta, cuidado com as mamas, importância do parceiro para auxiliar a mãe), entre outros assuntos.

Outro objetivo da campanha é sensibilizar a sociedade quanto à naturalidade do ato de alimentar o bebê em público, sem o constrangimento que muitas mães relatam. A campanha destaca por fim, a importância dos bancos de leite. Ele é utilizado para que todos os bebês (especialmente os prematuros) possam ter acesso ao alimento, mesmo nos casos em que as mães não possam amamentar.

A mamãe Ligia Vaz amamentou sua filha Liz por 7 meses. Ela fala da importância do leite materno: “Para amamentação funcionar é preciso profissionais que apoiam as mães, uma rede de apoio, cuidado materno e incentivo. Logo na primeira hora de vida da Liz, trouxe ela ao meu peito para mamar. Depois de vê-la nascer aquele momento foi o mais importante da minha vida, saber que a partir dali eu era fonte de alimento. Infelizmente por conta de um problema de saúde interrompemos a amamentação com 7 meses e 4 dias de vida. Me sinto com o dever cumprido de chegar ao sexto mês de aleitamento materno, que era minha primeira meta”.

Ela completa destacando sobre a necessidade do Agosto Dourado: “O Agosto Dourado não é sobre quem amamentou ou não seu filho, sobre quem ama mais, sobre quem não pode amamentar por algum motivo, não é sobre ser "menos mãe" porque escolheu dar mamadeira. Você não é menos por isso. Agosto dourado é informação, incentivo, apoio, acolhimento e saúde pública”.

Valorização da Paternidade vinculada à Amamentação

Além disso, agosto também é o mês de valorização da paternidade. Em alusão a data serão realizadas ações para o engajamento do pai vinculada a amamentação. A participação do pai é capaz de promover confiança para ele e a mãe, diminuindo angústias relativas ao parto e nascimento, garantir melhor atendimento para a parceira, reduzir a depressão materna e paterna no pós-parto, gerar vínculos afetivos saudáveis e mais qualidade de vida para todos da família: homem, mulher e criança.

Outro ponto positivo da presença ativa do pai é o aumento dos índices de amamentação. Seu suporte é fundamental para a mãe que alimenta a criança e seu apoio é capaz de dar desfecho positivo frente à eventual escolha da mulher entre a continuação ou não da amamentação, que nem sempre é tarefa fácil.

Programação

PIT STOP: Praça da Inconfidência - 6 e 27 de agosto – De 9h as 16h.
Ações:
- Orientações nutricionais sobre o Aleitamento Materno.
- Desmistificação relacionada ao Aleitamento Materno.
- Abordagem psicológica direcionada a Amamentação.
- Incentivo a praticas saudáveis na Amamentação.
- Benefícios da amamentação na saúde bucal do lactente.
- Benefícios e desafios relacionados à Amamentação. (Pega correta, cuidado com as mamas, importância do parceiro para auxiliar a mãe).

LIVES: Facebook e YouTube da Prefeitura
3 de agosto (terça-feira) - 17h.
Enfermeira Aline Furtado da Rosa (Tema: Aleitamento materno e seus benefícios para ser compartilhado)

10 de agosto ( terça-feira) - 17h
Dra. Claire Tesch – Gastropediatra (Tema: Aleitamento Materno)
Enfermeira Lorena Sabbadini - Obstetra Coordenadora da Maternidade do Hospital Alcides Carneiro (Tema: A vivência da amamentação no contexto hospitalar - Ações)

19 de agosto (quinta-feira) – 17h
Dra. Raquel Moreira Guimarães - Odontopediatria (Tema: Cuidados com a saúde bucal durante a amamentação).
Greicielly Zopelaro Braga - Psicóloga (Tema: Aspectos psicológicos na amamentação)

24 de Agosto terça -feira- 19h
Dra. Márcia Freitas - fonoaudióloga (Tema: Benefícios da amamentação para a fala)
Catarina Ricardo Guimarães - Nutricionista (Tema: O leite materno e seus benefícios)

77 animais já foram adotados desde o início da campanha, em fevereiro

A prefeitura de Petrópolis, por meio da Coordenadoria de Bem-estar Animal (Cobea), realizou no último sábado (31) a “AUlimpíadas de Adoção” de cães e gatos, na Praça Dom Pedro II. A etapa, que ganhou tema relacionado ao período olímpico, marcou a oitava edição deste ano. No evento, 11 animais foram adotados. Além de promover o acolhimento durante as ações, a Cobea também recolheu doações de agasalhos, cobertores, casinhas e camas para distribuição em locais estratégicos da cidade para o uso dos animais.

O prefeito interino destacou a importância da ação e celebrou o resultado do trabalho neste fim de semana. “A população vem abraçando o nosso evento. Mesmo com o tempo frio, tivemos um grande número de animais adotados. Só neste ano, já foram 77 acolhimentos. É fundamental termos quinzenalmente essa campanha para que possamos estimular novas tutelas e ampliarmos esse número”, garantiu o prefeito interino.

Nesta edição, as parcerias deram destaque à programação. A Universidade Estácio de Sá disponibilizou alunos do curso de Enfermagem para que fizessem a orientação e aferição da pressão arterial na população que passava pelo local e do curso de Direito, que orientou sobre as Leis de proteção aos animais. Já o Petique Pet Shop & Care forneceu gratuitamente uma avaliação veterinária aos cães e gatos que foram acolhidos pelos novos tutores. Representantes da loja de ração Rospauth também estiveram presentes e cederam um vale de 10% em produtos do seu estabelecimento aos que realizaram a posse responsável. A Escola de Tosa Cintia Lima ofereceu um banho e tosa grátis para os animais que foram adotados.

“Estamos muito felizes com o desfecho da oitava etapa. Recebemos um bom número de doações e também também tivemos 11 adoções. Vamos dar continuidade a esse trabalho para que possamos alavancar cada vez mais esses números”, pontuou o coordenador de Bem-estar Animal.

Além dos parceiros citados, o Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais (COMUPA), Defesa Civil, CPTRANS e Guarda Civil Municipal também atuam como apoiadores da campanha, assim como o vereador Domingos Galante. As instituições Dog’s Heaven, Amigo Vira-lata e as protetoras independentes Evana e Rosilene Ferreira também participaram, ficando responsáveis por preparar os pets para adoção.

A equipe da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itaipava recebeu um carinho especial na manhã desta quinta-feira (29/07): a visita da pequena Pérola Sofia de Moraes de 2 anos. Acompanhada pela mãe, Micaela dos Santos Moraes, a menina esteve na UPA para agradecer a dedicação e o carinho dos profissionais em seu socorro. Perola teve quatro paradas cardíacas revertidas na unidade e hoje, pouco mais de um mês depois, está recuperada.

“Fiquei muito agradecida, primeiro a Deus, que salvou a vida da minha filha e em segundo à equipe que estava lá e agiu rápido naquele momento. Eles lutaram muito. Sou grata pelo carinho e amor que tiveram por ela, por isso a levei lá para agradecer. Estou ainda mais feliz por sentir todo o afeto com que mais uma vez a receberam”, declarou Micaela, que tem 19 anos.

Para o prefeito interino Hingo Hammes, a iniciativa da mãe da menina motiva todos os profissionais de saúde, incluindo médicos, enfermeiros e técnicos das mais diferentes áreas. “O reconhecimento dessa mãe e o carinho da filhinha dela ao voltar à unidade para abraçar a equipe que a acolheu revigora a todos nós e certamente dará um novo ânimo para todos os trabalhadores da unidade”, diz.

Micaela conta que em 25 de junho voltava da casa da avó, quando a filha passou mal e foi socorrida. “Havia passado o dia brincando e quando voltávamos pra casa, ela estava no meu colo e dormiu. Só quando descemos do ônibus percebi que ela estava mole, mas, a princípio, achei que fosse sono. Porém, como não acordava, notei que havia algo errado e corri para a UPA, desesperada. Logo nos atenderam”, diz a mãe.

A mãe lembra que, na UPA, a equipe rapidamente avaliou o caso e conseguiu reverter quatro paradas cardíacas na pequena Pérola. A menina foi estabilizada e transferida para o Hospital Alcides Carneiro, onde passou 18 dias internada, sendo seis na UTI.

“Este gesto da Micaela de trazer a Pérola à UPA para que víssemos como ela está, nos dá forças pra continuar e seguir em frente. Fiquei muito feliz e emocionada por vê-la chegando alegre, brincando tão esperta e sem nenhuma sequela. Realizamos diversos procedimentos, o que exigiu muito de toda equipe durante mais de três horas, mas salvar uma vida não tem preço. Nos recompensa muito receber este carinho”, diz a médica pediatra Paula Rangel Fernandes, que trabalha na UPA Itaipava desde a abertura da unidade.

“É muito emocionante receber este retorno, principalmente no caso de uma criança. No dia do atendimento esta menina entrou na unidade quase parando. Toda a equipe trabalhou para salvá-la. Tenho duas filhas com idade próxima à da Pérola. Hoje vê-la chegar alegre e nos abraçar, é muito gratificante. É um gesto que nos motiva e revigora”, destaca a enfermeira Leila Garcia Thomaz, que há mais de 20 anos atua na área. “Como eu trabalho no HAC, pude continuar acompanhando o caso dela lá também. Estamos todos muito felizes por vê-la bem”, disse.

O secretário de Saúde agradeceu o carinho e o reconhecimento da equipe. “A pandemia tem evidenciado a importância e o valor do trabalho das equipes de Saúde, sobretudo aqueles profissionais que atuam nas emergências. Ver o carinho desta mãe com todo o grupo nos motiva e indica que estamos no caminho certo”, destaca o secretário.

Doações de agasalhos para os animais também serão aceitas durante a programação

Aproveitando o período olímpico, a prefeitura de Petrópolis, por meio da Coordenadoria de Bem-estar Animal, vai realizar a primeira etapa das “AUlimpíadas de Adoção” neste sábado (31). Com apoio das instituições Dog’s Heaven e Amigo Vira-lata, que serão responsáveis por disponibilizar os cães e gatos para acolhimento, a Cobea, desta vez, também vai estar aceitando doações de agasalhos, cobertores, casinhas e camas para serem distribuídos pela equipe da Coordenadoria em pontos estratégicos da cidade para o uso dos animais. O evento acontecerá na Praça Dom Pedro II, de 10h às 15h, e os interessados em adotar algum pet deverão apresentar CPF, identidade, comprovante de residência fixa, assim como, precisam ser maiores de 18 anos.

O governo interino afirma que a intenção da atual campanha é estimular não só o alcance de novos tutores, mas também o recebimento de vestimenta, cobertas e produtos destinado aos animais “Devido ao inverno, queremos aproveitar o sucesso que as campanhas de adoção estão tendo para incentivar doações de agasalhos ou itens que servirão para proteção dos bichinhos diante desse período de frio”, explica.

A ação desta semana faz parte da Campanha de Adoção de animais que a Cobea promove desde fevereiro deste ano, que já contou com 66 pets adotados em sete edições realizadas. Nesta etapa, o Conselho Municipal de Promoção e Defesa dos Animais (COMUPA), Defesa Civil, Secretaria de Saúde, Universidade Estácio de Sá e Petshop Petique estarão como apoiadores. A loja de ração Rospauth também é participante cedendo um cupom de 10% de desconto em produtos para os novos tutores. É importante salientar que todos os animais disponíveis já estão vacinados, castrados, vermifugados e o evento vai seguir todas as medidas de segurança necessárias.

“Estamos contando com o apoio da população para que abrace essa causa conosco. Se você não puder acolher um animalzinho, peço que colabore de alguma forma. Vai ser muito importante conseguirmos arrecadar o máximo de agasalhos suficientes para que possamos cuidar de forma justa da vida dos nossos bichinhos”, garante o coordenador de Bem-estar Animal.

Vale destacar que a edição deste sábado poderá ganhar uma nova data de realização em caso de chuvas. A Cobea disponibiliza os contatos por e-mail e telefone para esclarecimento de dúvidas da população.
Telefone: (24) 2291-1505
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

A Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias emitiu novo boletim nesta quinta-feira (29), que alerta para o estágio de atenção para a próxima madrugada. A medida leva em conta a previsão de declínio ainda mais acentuado da temperatura para esta sexta-feira (30). Desde o último domingo (25) o órgão destaca a passagem de frente fria que tem provocado fortes mudanças no tempo desde a última quarta-feira (28). Tendo em vista a queda na temperatura acentuada, a operação especial de acolhimento de pessoas em situação de rua, realizada pela Secretaria de Assistência Social, com o apoio da Defesa Civil, será mantida, alcançando todos os distritos. A população também pode ajudar, orientando essas pessoas para que busquem o Núcleo de Integração Social, no Alto da Serra, ou as tendas temporárias montadas ao lado do Hortomercado, em Itaipava, para pernoite. Durante o dia há, ainda, o Centro Pop.

Para a madrugada desta sexta-feira (30) há a previsão de temperatura mínima de 3°C e máxima de 13°C, com condições de ocorrência de geada. Para atender a população em situação de rua, foram ampliados os pontos de alojamentos na cidade com a instalação de abrigos para o pernoite temporário em Itaipava. A ação, que é realizada ainda com o apoio da Coordenadoria de Bem-Estar Animal (Cobea) também visa o cuidado para os animais que estiverem nas ruas da cidade.

“Nossas equipes estão empenhadas em garantir o alojamento para as pessoas que se encontram em situação de rua. Nossa maior preocupação é em garantir que a população não fique expostas a esse frio intenso. Vamos continuar a busca ativa dessas pessoas e oferecer os cuidados necessários”, destaca o governo interino.

Nas estruturas para acolhimento de pessoas em situação de rua, os público é recepcionado, recebe atendimento e encontra condições para a higiene pessoal, alimentação e dormitórios aquecidos.

Campanha de arrecadação de agasalhos e cobertores

Para fortalecer a operação, por meio da campanha de arrecadação de agasalhos e cobertores, a população pode contribuir com a iniciativa. Todos os itens doados são direcionados para os pontos de atendimento. Além do recolhimento de agasalhos e cobertores, também estão sendo aceitas casinhas e camas para os animais que estiverem pelas ruas.

Os pontos de recolhimento das doações estão instalados nas sedes da Defesa Civil, na rua Buarque de Macedo - 128; da Cobea, na avenida Koeler – 260; e quartel do Corpo de Bombeiros da Barão, na Avenida Rio Branco, 1957 – Retiro; e no destacamento de Itaipava, na Estrada União e Indústria, 9998. Os interessados em doar cobertores, agasalhos e estrutura para o abrigo de animais podem se dirigir aos locais no horário comercial. As secretarias de Segurança, Serviços e Ordem Pública (SSOP), de Obras e Comdep também atuam no suporte acolhimento.

Ação também contou com atendimentos no Ônibus Lilás

No Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais, a prefeitura de Petrópolis promoveu nesta quarta-feira (28), por meio da Área Técnica de IST/Aids da Secretaria de Saúde, a ação de testagem contra as hepatites B e C, sífilis e HIV. Com a disponibilização dos resultados dos testes em 15 minutos, a atividade contou com cerca de 90 atendimentos na Praça de Corrêas. Foram realizados ao todo 360 testes, na ação que também contou com atendimentos no Ônibus Lilás.

“Fiz os testes e vim para certificar que eu estou com saúde”. Esta foi a declaração de Ricardo Azevedo, de 54 anos, que realizou os quatro exames. A empresária Anezia Pavone, de 65 anos também fez os testes: “É a primeira vez que faço esses exames. Quero colocar a minha saúde em dia”. O aposentado Renato de Aquino, estava passando pelo local e foi conferir a testagem: “Aproveitei a oportunidade e vim aqui ver como está a minha saúde. Isso é muito importante. Sempre que posso estou realizando exames”, disse ele.

A ação faz parte da programação em alusão ao Julho Amarelo, no mês da conscientização das hepatites virais. Além disso, foram distribuídos materiais informativos e kits de prevenção com preservativos e álcool gel, alertando sobre a importância da conscientização sobre as doenças. A atividade contou com parceria do gabinete da Cidadania e do Centro de Referência em Atendimento à Mulher (CRAM).

O CRAM esteve no local realizando atendimentos com o Ônibus Lilás. Foram mulheres recebidas no veículo com orientação de psicóloga, assistente social e advogado. A coordenadora do CRAM fala sobre a utilização do Ônibus Lilás no local: “Nosso objetivo é levar o ônibus ao máximo de lugares possíveis, dando às pessoas que moram longe do centro as mesmas oportunidades de exercitarem seus direitos. Muitas pessoas passarem por aqui hoje e conseguimos fazer a captação para o atendimento da nossa equipe”.

Esta é a terceira atividade de estímulo ao diagnóstico oportuno e prevenção das hepatites virais no mês de julho, que se encerrará no próximo sábado (31). De 08h às 16h, a ação será finalizada em quatro postos de saúde do município: PSF Alto da Serra, UBS Quitandinha, UBS Retiro e USF Posse. No dia 13, a equipe da Área Técnica de IST/Aids esteve no Centro de Saúde do Itamarati oferecendo testes na unidade, e no dia 20 na Praça da Inconfidência.


Pagina 8 de 30