O governo interino visitou na manhã deste sábado (13) o Centro de Referência da Juventude (CRJ), no Alto da Serra. A unidade está passando pelos últimos ajustes e será reaberta na próxima semana. O CRJ vai atender cerca de 200 pessoas com aulas de ginástica, jiu-jitsu, capoeira, reforço escolar, capacitação profissional, além de atendimentos do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e do programas Agita Petrópolis e do projeto Empoderadas.
 
“Com os reparos que estamos fazendo no prédio vamos poder reabrir o Centro de Referência da Juventude com maior capacidade de atendimento e com uma estrutura melhor. Nosso objetivo é que os jovens que possam encontrar no CRJ orientação sobre as nossas ações e que seja um local de capacitação”, disse o prefeito, lembrando que Petrópolis é a única cidade fora da Região Metropolitana do Rio de Janeiro a contar com o equipamento. A atuação do CRJ é fruto de uma parceria entre o governo municipal, o Instituto Municipal de Cultura (IMC) e a Secretaria Estadual de Esporte, Lazer e Juventude.
 
"A pandemia trouxe uma nova perspectiva para a cultura. Muitos artistas se reinventaram, além disso, muitas pessoas procuraram na arte uma forma de hobbie e de distração em meio ao isolamento social. Nossa proposta é facilitar que o jovem petropolitano tenho acesso à cultura, através de aulas gratuitas, com professores gabaritados, abrindo um espaço para que demonstrem seus talentos", diz o presidente do IMC.
 
A coordenadora de políticas públicas para a juventude e do CRJ explica que o Centro de Referência atende muitos jovens em vulnerabilidade social e por isso a intenção é que a unidade possa transformar a realidade desse público. “Por meio dos cursos e das atividades queremos mudar a realidade desses jovens e apresentar para eles um futuro”, comentou.
 
O espaço está recebendo pintura interna e externa, além de melhoras nas salas e banheiros. Os interessados em participar das atividades e projetos que serão desenvolvidos no local já podem fazer as pré-inscrições de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. O Centro de Referência da Juventude funciona na Rua Santo Antônio, número 248.

Para fortalecer as políticas públicas em defesa da causa animal, a prefeitura de Petrópolis e a Universidade Estácio de Sá estudam uma parceria com objetivo de promover conteúdos sobre o cuidado e defesa dos animais, através de ações intersetoriais nas Secretarias Municipais. A ação prevê, ainda, a elaboração de um termo de cooperação técnica apontando as possibilidades de atuação dos estudantes de veterinária em ações da causa na cidade. A iniciativa colaborará com um reforço importante para a rede de proteção e resgate de animais: a universidade vai abrir uma clínica/escola de veterinária em Petrópolis no segundo semestre do próximo ano.

Os assuntos foram abordados em uma reunião realizada na quinta-feira (11/11) com o secretário-Chefe de Gabinete, o coordenador de Planejamento e Gestão Estratégica, o vereador Domingos Protetor, a gestora da universidade em Petrópolis, Patrícia Bach, a coordenadora do curso de veterinária, Julianna Ferreira de Azevedo e o supervisor financeiro da instituição de ensino, Rômulo Bastos.

“Essa foi a primeira reunião e o pontapé inicial para elaboração de um termo de cooperação técnica que vai fortalecer as políticas públicas municipais, a elaboração de ações em conjunto com as secretarias de Educação e Meio Ambiente, além da Cobea, sempre com a intenção de promover a conscientização da população com relação à causa animal e também para o auxílio da rede de proteção e resgate. Atendendo a um pedido do governo interino, vamos continuar estreitando os laços com a universidade para avançar ainda mais nessa questão”, disse o secretário-Chefe de Gabinete.

Os primeiros alunos do curso de veterinária da Estácio de Sá já estão cursando o 4º período. “O curso já é referência, a universidade vai ter uma clínica/escola para atuação dos estudantes em conjunto com os professores e acreditamos que isso pode ser um ganho importante para o município. A intenção é colaborar com nas demandas no que envolve a causa animal”, conformou Patrícia Bach.

Parque Municipal Prefeito Paulo Rattes foi o local escolhido para receber a edição

No sábado (13), das 10h às 15h, Itaipava vai sediar a 2ª etapa distrital da Campanha de adoção de animais realizada pela Prefeitura de Petrópolis, por meio da Coordenadoria de Bem-estar Animal (Cobea). Após o sucesso de realizações quinzenais no Centro Histórico, o município ampliou a iniciativa também para os distritos com o objetivo de buscar mais acolhimentos. O Parque Municipal Prefeito Paulo Rattes foi o local escolhido para receber a 14ª edição geral do evento, que ocorre desde fevereiro. As instituições GAPA Itaipava, Dog’s Heaven e Irmão Animal serão as responsáveis por disponibilizar os cães e gatos castrados, vacinados e vermifugados, no espaço. Para ganhar um novo amigo os interessados precisam apresentar carteira de identidade, CPF, comprovante de residência fixa, ser maior de 18 anos, além de atender os pré-requisitos exigidos pela Coordenadoria para garantir que os animais estarão seguros de seus direitos básicos.

O governo interino ressalta que a ideia de trazer as etapas para os distritos surgiu com a intenção de atingir um novo público. “Nem todas as pessoas passam pelo Centro nos finais de semana. Por isso, estudamos a possibilidade de levar a campanha para outros bairros, conquistando mais chances de alcançar novos tutores”, assegura.

A ação deste sábado terá apoio da Rospauth, que vai presentear os novos tutores com um cupom de 10% de desconto em produtos nas lojas da marca. Além disso, o Grupamento de Operações com cães, do canil Rufus Von Kru Gdorf, da Guarda Civil Municipal, estará presente no local.

A coordenadora de Bem-estar Animal, o Parque Municipal de Itaipava foi escolhido por ser uma área que possui um grande fluxo de pessoas. “É um local de fácil acesso, no coração de Itaipava e que reúne uma boa parcela de movimentação. Muitas famílias escolhem o lugar para um passeio e para a prática de exercício, o que nos ajuda a aproximar essas pessoas das nossas barracas para que possam realizar esse ato de amor, que é a adoção”, afirma a coordenadora, que completou afirmando que a Cobea já possibilitou 102 acolhimentos neste ano.

Vale destacar que a campanha pode ganhar uma nova data em caso de novas chuvas. A Coordenadoria disponibiliza o e-mail, Whatsapp e telefone para atendimento da população em caso de dúvidas. E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ; telefone: (24) 2291-1505; whatsapp (24) 98839-7243.

11 mil meninas serão beneficiadas com o programa, que tem como objetivo combater a pobreza menstrual

Cerca de 11 mil meninas da rede municipal de ensino serão beneficiadas com o projeto que está sendo desenvolvido pela Prefeitura de Petrópolis para combater a pobreza menstrual. As escolas irão distribuir, gratuitamente, os absorventes higiênicos. O projeto de lei, que instituiu o programa na cidade, foi aprovado pela Câmara Municipal nesta quarta-feira (10) e agora vai para sanção do governo interino. 

“Essa é uma iniciativa que vai beneficiar não apenas as nossas alunas, mas toda a comunidade escolar. Todos os profissionais da escola, a família e alunos vão formar uma rede de apoio e acolhimento a essas meninas que não tem condições de adquirir os absorventes. A ONU estima que uma em cada quatro brasileiras já faltou à escola por não ter condições financeiras de comprar absorventes íntimos. Isso é uma realidade que queremos mudar em Petrópolis”, disse o governo interino.

Para o secretário de Educação, o programa dá voz às mulheres e meninas e vai além da distribuição do item higiênico. “Tem a ver com a escuta dentro da escola e na comunidade. Não vamos apenas distribuir os absorventes, mas também promover ações dentro das escolas para que as meninas sejam ouvidas. Esse programa é uma garantia dos direitos dessas meninas”, comentou o secretário.

Além da distribuição dos absorventes higiênicos, o programa também irá realizar palestras e ações de orientação para as alunas, alunos e toda a comunidade escolar. O objetivo é desmistificar o período menstrual (considerado um tabu) e mostrar para as meninas que esse momento é natural e normal, e não pode ser motivo de vergonha.

Pesquisas também revelam que meninas e mulheres chegam a usar pedaços de pano usados, roupas velhas, jornal e até miolo de pão em substituição ao absorvente. Ainda existem casos daquelas que não conseguem realizar de três a seis trocas diárias de absorventes, conforme a indicação de ginecologistas, permanecendo com o mesmo absorvente por muitas horas. Como consequência desse insuficiente ou inadequado manejo da menstruação podem ocorrer diversos problemas à saúde como infecções, por exemplo, além do constrangimento e outras situações.

Esta semana estão sendo realizadas reuniões com as diretoras das escolas da rede sobre a implantação do programa. Cada escola irá receber um repasse para a compra dos absorventes e uma cartilha explicando os protocolos e regras que devem ser seguidos. A previsão é que os absorventes comecem a ser distribuídos para as alunas ainda dentro do mês de novembro.

O intuito da ampliação das datas é possibilitar um maior número de inscritos

O Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais (COMUPA) ampliou, até o próximo dia 18 de novembro, as inscrições para a 1ª Conferência Municipal de Proteção e Defesa dos Animais. O evento, que será realizado de forma online, é gratuito e, para participar, é necessário a efetuação do cadastro através do site oficial da Prefeitura (https://www.petropolis.rj.gov.br/e-gov/sma/conferencia-comupa/). Serão três dias de palestras temáticas - 25, 26 e 27 de novembro - com mesas redondas para discussão com intuito de formular propostas direcionadas a criação de um Plano Municipal com políticas públicas voltadas à causa animal.

A iniciativa é realizada pela sociedade civil organizada, em parceria com a Prefeitura de Petrópolis, por meio Coordenadoria de Bem-Estar Animal (Cobea). O governo interino assegurou que a execução desse projeto é fundamental para o avanço de políticas públicas no município. “A realização desse debate é muito importante para fomentar as discussões com objetivo de garantirmos propostas concretas que possam contribuir para o bem-estar e proteção dos animais”, disse.

A coordenadora de Bem-estar Animal afirmou que a conferência será feita de forma virtual, o que vai possibilitar uma maior presença de interessados. "Decidimos fazer online esta primeira edição, pois achamos que seria mais cabível neste momento e porque percebemos que poderia ser uma alternativa para gerarmos mais inscrições. A participação popular é fundamental para alcançarmos políticas públicas eficientes no município", explicou a coordenadora.

O evento será presidido pelo presidente do COMUPA e está dividido em quatro eixos temáticos. Serão realizadas duas palestras simultâneas em cada horário, onde o cadastrado poderá escolher o conferencista de sua preferência. “A conferência tem uma relevância muito grande para o município. Vamos debater temas expressivos que irão influenciar positivamente o desenvolvimento de ações efetivas para a cidade. Estamos prontos para receber a população nesse debate”, garantiu.

Horários, temas e palestrantes

-> Abertura - 25/11/21 - Horário: 18h - Dra. Vânia Plaza, Presidente do Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais e Governo Interino.

-> Eixo 1 - 26/11/21 - 14h - Bem-estar animal e política de controle de natalidade -Mariangela Freitas de Almeida e Sousa e Alba Valeria De Almeida Barcelos Dias

-> Eixo 2 - 26/11/21 - 18h - Política Pública de Repressão aos maus tratos e a interface entre os órgãos de Segurança e de fiscalização - Maria Letícia Benassi Filpi e secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias

-> Eixo 3 - 26/11/21 -14h - Política Pública de proteção e inserção social dos animais - Frank Jefferson Alarcón de Barrientos e Marcelo José Mattos Marques

-> Eixo 4 - 26/11/21 - 18h - Política Pública de educação em Direitos dos Animais e Guarda Responsável - Luisa Mell e Elizabeth MacGregor

-> Sessão Plenária e Encerramento - 27/11/21 - 9h - Apresentação dos trabalhos em grupo e votação das propostas

Petrópolis sediou nesta segunda-feira (8), o 1º Fórum de Lideranças Femininas da Região Serrana. O evento, que debateu o papel do desenvolvimento social e econômico no enfrentamento à violência contra à Mulher, foi promovido pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos e da Subsecretaria de Políticas para Mulheres, em parceria com a Prefeitura.

O governo interino, representantes dos municípios que compõem a Região Serrana, o secretário estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, a subsecretária de Políticas para Mulheres e a auditora Fiscal da Superintendência Regional do Trabalho do Rio de Janeiro marcaram presença no evento, que aconteceu no Palácio Quitandinha. A desembargadora Ivone Caetano, primeira juíza e desembargadora negra do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), também participou do fórum.

“Sediar um evento dessa magnitude é de grande relevância para a nossa cidade. Petrópolis conta com uma série de políticas públicas voltada para as mulheres, demonstrando a nossa preocupação com a população feminina. O objetivo é fortalecer cada vez mais a nossa rede de proteção. Petrópolis é o único município do Estado que possui o ônibus de atendimento e rede integrada que hoje está debruçada sobre a criação de um fluxograma de atendimento à mulher vítima de violência”, frisa o governo interino.

O secretário estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, adiantou que, para 2022, está sendo programado um grande curso de valorização e capacitação da mulher. “Queremos garantir que as mulheres vítimas de violência doméstica tenham a oportunidade de buscar sua liberdade. Isso porque, muitas vezes elas permanecem nessas situações porque não têm condições de se manterem e não tem a qualificação que o mercado exige. Hoje estamos reunindo poder público, instituições e sociedade civil que querem, de fato, contribuir para que o Estado implemente políticas públicas efetivamente voltadas a esse público”, disse o secretário.

A coordenadora Especial de Articulação Institucional também participou do Fórum. “Esse é um momento ímpar de integração de políticas públicas voltadas as mulheres. Normalmente focamos sempre no combate a violência e hoje estamos discutindo desenvolvimento social, profissional e desenvolvimento econômico das mulheres de toda a Região Serrana”, disse a coordenadora, citando ainda os atendimentos realizados pelo Centro de Referência em Atendimento à Mulher (CRAM) na Rua Santos Dumont; pelo Ônibus Lilás, que percorre as comunidades mais distantes da cidade; pela Sala Lilás, instalada no IML, em Corrêas, assim como os realizados na Sala Violeta, instalada no Fórum de Petrópolis, além do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim).

Portadores da doença receberão carteirinha gratuita

Decreto da Prefeitura de Petrópolis publicado na última semana no Diário Oficial definiu a regulamentação para atendimento preferencial a pacientes com fibromialgia. As regras asseguram a prioridade aos pacientes em órgãos públicos, empresas privadas e estacionamentos em Petrópolis. O governo municipal, por meio da Secretaria de Saúde, já está disponibilizando gratuitamente carteirinhas ao portador da doença.

“O atendimento preferencial aos pacientes com fibromialgia já era esperado há algum tempo pelos portadores da doença. Eles têm esse direito garantido por lei. A preferência se aplica, por exemplo, em filas e vagas de estacionamento. O nosso objetivo também é conscientizar a sociedade sobre o aspecto de incapacidade da doença”, declarou o governo interino.

A Secretaria de Saúde irá disponibilizar gratuitamente uma carteirinha para identificação dos beneficiários. Os portadores da doença devem comparecer ao setor de Protocolo da Secretaria de Saúde, no Centro Administrativo da Prefeitura, na Avenida Barão do Rio Branco. É necessário o preenchimento de um formulário e apresentação do documento de identidade com foto, comprovante de residência, duas fotos 3x4 e laudo médico comprovando a fibromialgia. A carteira de identificação será entregue aos pacientes após cinco dias úteis, e terá validade de um ano, a contar da data de emissão, podendo ser prorrogada por igual período sucessivamente.

Simone Araújo foi diagnosticada com a doença há 6 anos. Ela também faz parte do Grupo de Fibromialgia de Petrópolis, que conta com mais de 120 pessoas. "Com a regulamentação da lei e com a carteirinha vamos ter a segurança de conseguirmos o atendimento preferencial em estabelecimentos. A carteirinha dá uma visualização de quem somos nós. É o passo inicial para conseguirmos o reconhecimento da doença e começar a realizar a inserção do grupo em projetos de atividades físicas e da divulgação".

Por lei, os órgãos públicos, empresas concessionárias de serviços públicos e empresas privadas em toda cidade são obrigadas a oferecer atendimento preferencial às pessoas com fibromialgia. No caso das empresas comerciais que recebem pagamentos de contas, a lei determina que estas devem incluir as pessoas com fibromialgia nas filas de atendimento preferencial já destinadas aos idosos, gestantes e pessoas com deficiência.

A fibromialgia é uma doença que não tem cura e que causa dores no corpo. Por ser uma síndrome, essa dor está associada a outros sintomas, como fadiga, alterações do sono, distúrbios intestinais, depressão e ansiedade. Acomete 2% da população mundial e é mais frequente em mulheres.

Em um ano, aumento no número de registros no Centro de Referência em Atendimento à Mulher foi de 137%

Pela primeira vez em 10 meses, o número de registros de violência psicológica recebidos pelo Centro de Referência em Atendimento à Mulher (CRAM), superou os casos de violência física comunicados à instituição este ano. Enquanto em outubro de 2020 foram contabilizados 69 atendimentos, no mesmo período de 2021, as equipes fizeram 164 acolhimentos, o que representa um aumento de 137%.

O número é resultado, principalmente, da ampliação do acesso aos serviços do CRAM, que criou novos meios para a comunicação das vítimas de violência doméstica. Atualmente, além do espaço físico no prédio anexo ao Centro de Saúde, na Rua Santos Dumont, as mulheres contam com o Ônibus Lilás, que percorre as comunidades e com o atendimento remoto pelo telefone e whatsapp.

A violência psicológica, segundo a coordenadora do CRAM, está sendo identificada em mais de 60% dos atendimentos realizados pelas equipes. “A maioria das mulheres que passa ou já passou por uma situação de abuso psicológico não consegue identificar tão facilmente. É uma violência de difícil detecção, mas é capaz de causar danos muitas vezes irreversíveis a vítima”, explica.

Como forma de levar ainda mais informação para as mulheres, o CRAM estará retomando os ciclos de palestras sobre os tipos de violência doméstica a partir de novembro. “O conhecimento liberta uma mulher”, ressalta. Ela destaca ainda a importância do Ônibus Lilás que, somente este ano, já percorreu mais de 40 comunidades. “Estando dentro das comunidades, conseguimos explicar os tipos de violência e disponibilizar atendimento com nossa psicóloga. O que não podemos é deixar que as mulheres normalizem a violência psicológica simplesmente porque não deixa marcas físicas”.

Os atendimentos no Centro de Referência em Atendimento à Mulher podem ser realizados ainda pelo telefone (24) 98839-7387, que também funciona como whatsapp. Nesta sexta-feira, o Ônibus Lilás estará no Castelo São Manoel, em Corrêas. Entre 9h e 13h, os atendimentos vão acontecer na Academia da Saúde e de 13h30 as 16h, serão realizados ao lado da Escola Municipal Magdalena Tagliaferro. Haverá ainda a participação do Gabinete da Cidadania, Programa Petrópolis da Paz e Coordenadoria da Juventude.

A Prefeitura está dando mais um passo na ampliação dos serviços de coleta seletiva, realizada pela Comdep, no município. A Escola Municipalizada Santa Terezinha, no Vila Rica, está recebendo um projeto piloto para a coleta de óleo saturado de cozinha. Bombonas de 50 litros para captação do material já foram instalados na unidade para atender, inclusive, a comunidade.

“Queremos levar essa conscientização para as crianças. Mostrar a importância, para o meio ambiente, da separação, descarte correto e reciclagem do óleo usado. Desta forma os impactos são mitigados e o óleo é transformado em resíduo de alto valor”, destaca o governo interino.

O material coletado será encaminhado para as cooperativas de catadores e empresas de recicladoras que reaproveitam o óleo na produção de outros produtos, como sabão, por exemplo. Além do recolhimento do produto, a Comdep vai promover palestras sobre educação ambiental, coleta seletiva e reciclagem do material.

A próxima etapa será a implantação da coleta seletiva de lixo de porta a porta na região. “Garantindo a destinação correta desse tipo de material estamos dando a nossa contribuição para diminuir a poluição do meio ambiente. Buscamos políticas públicas de preservação ambiental, pois, entendemos que elas são essenciais para o futuro da nossa população. Por isso estamos levando essa discussão para dentro das escolas”, diz o presidente da Comdep.

Recolhimento também em 18 regiões e nos Ecopontos

Petropolitanos que queiram fazer o descarte correto de óleo de cozinha podem armazená-lo em garrafas pet e fazer entrega em um dos quatro ecopontos do município. O produto também é recolhido pelas equipes de coleta seletiva que realizam o serviço de porta a porta em 18 regiões da cidade.

A ampliação de coleta seletiva na cidade tem acontecido de forma gradual. Depois da Posse, Araras e Vale das Videiras, o serviço foi implantado no Centro da cidade. Além de um caminhão estacionado de segunda a sexta-feira, na Rua Irmãos D’ângelo, de 18h às 19h30, para receber os materiais, os coletores fazem o recolhimento de porta a porta nos estabelecimentos comerciais e condomínios.

Os ecopontos estão localizados na Rua General Rondon, em frente a Comdep; na Rua Mosela; Parque Municipal de Petrópolis, em Itaipava e em Araras, na Estrada Bernardo Coutinho, 30 e 35. Moradores de comunidades ainda não incluídas nas rotas podem solicitar a coleta através do telefone (24) 2235-8437, para agendamento.

Cronograma de coleta seletiva:

Segunda-feira – Bingen, Vila Militar e Brejal.
Terça-feira – Mosela, Bataillard, Moinho Preto, Pedras Brancas e Campo do Serrano.
Quarta-feira – Valparaíso (todas as ruas e servidões)
Quinta-feira – Morin (todas as ruas e servidões), Araras e Vale das Videiras
Sexta-feira – Alto da Serra, Sargento Boening, Vila Felipe, Chácara Flora, Alto Tamancoldi e Dom João Braga.

O governo interino participou, na manhã do último domingo (31), de uma ação do projeto Reage Mãe, que ajuda mulheres grávidas e puérperas em situação de vulnerabilidade social. Trinta mulheres participaram do ato, com palestras de profissionais da Secretaria de Assistência Social, que apresentaram os serviços disponibilizados nos CRAS da cidade, entrega de kit materno, roupas para os bebês provenientes de doações, além de um sorteio para serviço de corte de cabelo, manicure e pedicure, além de um café da manhã para as participantes.

O evento, que foi organizado na Casa dos Conselhos, teve apoio da Coordenadoria Especial de Articulação Institucional, do Gabinete da Cidadania e da Secretaria de Assistência Social. Para o governo municipal, essa ação vai ajudar diversas mulheres que necessitam de apoio em um momento muito importante de suas vidas.

“Gostaria de parabenizar o trabalho que é realizado pelo projeto. Ações como esta, muitas vezes, vão além da atuação do poder público. A prefeitura está de portas abertas e sempre estará ao lado de ações como essa, de muita importância e significado para essas mulheres que precisam de todo apoio e carinho”, destaca.

O secretário de Assistência Social também falou sobre o projeto, enfatizando que o governo está ao lado dessas mulheres que precisam de ajuda durante a gestação e após o parto. “Colocamos toda a infraestrutura da secretaria à disposição. As assistentes sociais puderam esclarecer todas as dúvidas sobre os mecanismos de auxílio para elas em todas esferas do poder público e tenho certeza que contribuímos para que essas mulheres grávidas possam ter uma gestação tranquila e as que já tiveram seus filhos tenham todo o suporte necessário”, aponta.

A organizadora do projeto Reage Mãe disse que a mulher sempre é julgada dentro da sociedade, e que precisa dessa rede de apoio. “A maternidade é algo muito bonito, mas muitas mulheres precisam de ajuda. O objetivo aqui é dar empoderamento a elas, é gerar uma corrente positiva em prol dessas mamães”.

A coordenadora do Gabinete da Cidadania afirma que o projeto tem uma importância muito grande para as mulheres que são atendidas e que, como mulher e mãe, estará sempre que puder disponibilizando o apoio necessário ao trabalho que é realizado. “O Gabinete da Cidadania está de portas abertas e sempre ao lado de ações e projetos que venham de encontro ao bem-estar da população”.

Pagina 3 de 30