O ano de 2022 começou de uma maneira muito especial para Vanessa de Oliveira Silva e Lucas Amorim: o primeiro filho do casal, João Lucas Oliveira da Silva Amorim, foi o primeiro bebê nascido neste ano no Hospital Alcides Carneiro. O menino veio ao mundo à 00h54, com 3,1 quilos e medindo 48,5 cm.

"A ficha não cai até o nascimento. Quando a gente vê o nosso filho, tudo muda, é uma sensação totalmente diferente", disse a agora mãe orgulhosa Vanessa. "Foi um sonho realizado. O parto durou 24 minutos, mas graças a Deus correu tudo bem. Agradeço a equipe, que foi muito prestativa", disse o pai Lucas.

O primeiro bebê nascido no Hospital Alcides Carneiro passa bem. A maternidade do HAC é referência regional, com estrutura que inclui a UTI neonatal.

Está marcada para esta quarta-feira (15), a live que vai discutir o tema “A Construção da Rede de Atendimento à Mulher Vítima de Violência Doméstica”. O evento é realizado pela Prefeitura, por meio da Coordenadoria Especial de Articulação Institucional, junto com a 2ª Promotoria de Tutela Coletiva do Ministério Público, com o apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim) e da Comissão dos Direitos da Mulher da Câmara Municipal.

A reunião acontece de forma online e as inscrições podem ser feitas até o horário do evento, marcado para às 18h, por meio do link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdCAr3XQRiZSN85RmdjrhsBVxbF_x7nGJnmtFYCGFVoF_4hNA/viewform?usp=sf_link. Ele será transmitido pelas redes oficiais da Prefeitura, como facebook e Youtube. A ideia é fortalecer a rede de assistência às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar.

A promotora de justiça Vanessa Katz, vai abordar a “Intersetorialidade e a construção de Protocolo Integrado de Atendimento à Mulher Vítima de Violência”. A advogada Ana Luiza Franco e a assistente social Olívia Leal David, ambas do Centro de Referência em Atendimento à Mulher (CRAM), farão as apresentações do “CRAM vai à Escola - Planejamento 2022” e do “Fluxograma para atendimento à Mulher Vítima de Violência”. Já a enfermeira Cláudia Respeita, superintendente de Atenção em Saúde, vai falar sobre “Níveis de Atenção à Saúde do Enfrentamento à Violência contra a Mulher”.

Compre uma cesta básica e ganhe dois pares de chinelos Havaianas

Com o apoio da Prefeitura de Petrópolis, a Associação SOS Serra promove neste fim de semana (11 e 12), a primeira fase da campanha “O Natal do Futuro - Começa no Presente”. Três mil pares de chinelos Havaianas, doados pela Alpargatas, serão trocados por cestas básicas que serão distribuídas a entidades e famílias que vivem em vulnerabilidade social na cidade.

Para ganhar dois pares de chinelos é preciso comprar uma cesta básica, no valor de R$ 50. Nesta primeira fase da campanha, dois postos de venda serão montados: um no Hortomercado Municipal, em Itaipava e outro no Palácio Sérgio Fadel, na Avenida Koeler, no Centro Histórico. As cestas ficarão guardadas com o projeto SOS Serra e distribuídas no próximo fim de semana, antes do Natal.

“Comprando uma cesta, além de ganhar dois pares de chinelos, a pessoa vai ajudar a fazer o Natal de 500 famílias. Nosso objetivo é mostrar as pessoas que vivem nas comunidades que todos precisam pensar no amanhã”, explica a designer Gisela Simas, idealizadora do projeto SOS Serra.

A segunda fase do projeto é a entrega das cestas e está marcada para os dias 18 e 19 de dezembro. Nestes dias, dois mil pares de sandálias serão levadas as comunidades pela SOS Serra para serem trocados por chinelos usados. “A intenção é conscientizar famílias que moram em áreas de vulnerabilidade social sobre a importância de cada um de nós agir pensando na sustentabilidade de nosso entorno. Atitudes como a reciclagem, o cuidado com o lixo e a importância da troca serão levadas para essas comunidades”, complementa Gisela.

A Prefeitura, por meio da Coordenadoria Especial de Articulação Institucional, em parceria com o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher – Comdim encerrou, na tarde desta sexta-feira (10), a programação dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, com uma ação da Praça da Liberdade. As equipes realizaram panfletagem de cartilhas e abordagens de adolescentes, jovens e adultos para orientação e conscientização sobre o tema.

Palestras em escolas do município, para policiais militares do 26º BPM e funcionários da Comdep sobre o enfrentamento a violência contra a mulher fizeram parte da programação, assim como ações sociais em diferentes pontos da cidade.

“Entendemos a importância desse tema e, através da campanha, o nosso objetivo foi o de sensibilizar toda a população, homens e mulheres, vítimas e agressores, uma grande oportunidade de atuarmos, principalmente, na conscientização dos homens”, diz o governo interino.

A campanha é realizada anualmente em mais de 150 países e, para coordenadora Especial de Articulação Institucional e vice presidente do Comdim, a participação de Petrópolis é essencial. “A violência contra a mulher sempre existiu, porém, muitas vezes por falta de orientação às vítimas, os casos ficavam escondidos. Agora, através do trabalho que vem sendo realizado através do CRAM, que aumentou os canais de atendimento, o número de denúncias de violência doméstica e familiar tem aumentado de forma considerável. Isso é uma grande vitória para todos nós”, frisa.

No Brasil, a mobilização abrange o período de 20 de novembro a 10 de dezembro. O movimento é uma estratégia de mobilização de indivíduos e organizações, em todo o mundo, para engajamento na prevenção e na eliminação da violência contra as mulheres e meninas.

“Sou um grande entusiasta de ações como essa dos 16 Dias de Ativismo. Durante 14 anos assisti a minha mãe sendo agredida pelo meu pai e, até hoje, ela carrega as marcas no corpo. Hoje, são as lembranças daquela época que me motivam a intervir e a denunciar quando presencio alguma situação de violência doméstica”, disse o jovem de 19 anos, que se identificou apenas como Luan.

A Construção da Rede de Atendimento à Mulher Vítima de Violência será o tema de uma live, realizada pela Prefeitura, por meio da Coordenadoria Especial de Articulação Institucional, junto com a 2ª Promotoria de Tutela Coletiva do Ministério Público, com o apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher – Comdim e da Comissão dos Direitos da Mulher da Câmara Municipal. A reunião online acontece no próximo dia 15 de dezembro. As inscrições estão abertas e devem ser feitas através do link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdCAr3XQRiZSN85RmdjrhsBVxbF_x7nGJnmtFYCGFVoF_4hNA/viewform?usp=sf_link.O evento, que será transmitido pelas redes oficiais da Prefeitura, como facebook e Youtube, está marcado para às 18h.

“Além da ampliação dos canais de atendimento, estamos conseguido conscientizar as mulheres de que a violência não é apenas a agressão física. Também são as psicológicas”, frisa o governo interino.

A promotora de justiça Vanessa Katz, vai abordar a “Intersetorialidade e a construção de Protocolo Integrado de Atendimento à Mulher Vítima de Violência”. A advogada Ana Luiza Franco e a assistente social Olívia Leal David, ambas do Centro de Referência em Atendimento à Mulher – CRAM, respectivamente, farão as apresentações do “CRAM vai à Escola - Planejamento 2022” e do “Fluxograma para atendimento à Mulher Vítima de Violência”. Já a enfermeira Cláudia Respeita, superintendente de Atenção em Saúde, vai falar sobre “Níveis de Atenção à Saúde do Enfrentamento à Violência contra a Mulher”.

“Ao longo de 2021, foram várias reuniões com diversos órgãos e secretarias, no intuito de construir um protocolo integrado de atendimento à mulher vítima de violência. Conseguimos avançar muito quanto à atuação intersetorial e é fundamental prestar contas desse trabalho à sociedade”, disse a promotora Vanessa Katz.

Para a coordenadora do CRAM, é preciso falar e elaborar o conceito de rede de enfrentamento à violência contra as mulheres e criar um padrão de atuação articulada entre as instituições. “Passamos parte do ano montando esse fluxo e organizando esse rede, juntando CRAM, saúde, Assistência social e educação, para fazer o melhor atendimento possível”, frisa.

A Praça da Inconfidência, no Centro da Cidade, foi o local escolhido para uma grande ação social, que marcou a abertura da programação dos “16 Dias de Ativismo pelo fim da Violência Contra as Mulheres”. O governo interino e a coordenadora Especial de Articulação Institucional estiveram no local onde foram realizados uma série de atendimentos, como do Centro de Referência em Atendimento à Mulher (CRAM), por meio do Ônibus Lilás e exames de ISTs.

A ação envolveu ainda o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher – Comdim, Gabinete da Cidadania, o Programa Petrópolis da Paz; as coordenadorias municipais de Promoção da Igualdade Racial, de Políticas Públicas para a Juventude, de Bem Estar Animal; o Procon Petrópolis e o Salão Espaço da Beleza. “Com esse evento temos a intenção de garantir que a conscientização seja cada vez mais difundida na cidade e chegue a todas as mulheres. Além disso, é uma oportunidade de divulgar todos os programas e projetos da Prefeitura voltados para a proteção da mulher e todos os meios de denúncias’, disse o governo interino.

A vereadora Gilda Beatriz acompanhou a abertura da programação e destacou a importância de levar informação as mulheres petropolitanas. “É um momento ímpar onde temos a oportunidade de mostrar que elas não estão sozinhas. Só nós podemos mudar a realidade, caminhando juntas e não permitir que sofram caladas”, disse a vereadora.

Para a coordenadora Especial de Articulação Institucional são muitas mãos unidas na luta contra a violência contra a mulher. “Isso contribui para que possamos vencer cada dia mais esse problema que está bem próximo de nós. Para ajudar nesse trabalho, estamos distribuindo uma cartilha direcionada aos homens para que eles conheçam os diversos tipos de violência, que não é só a física”, frisa.

Ações sociais e palestras em escolas do município, assim como na Comdep e para policiais militares do 26º BPM sobre o enfrentamento a violência contra a mulher estão incluídas na programação, que se estende até o dia 12 de dezembro.

Os 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres é uma campanha anual e internacional, que começa em 25 de novembro - Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres - e segue até 10 de dezembro. No Brasil, a mobilização abrange o período de 20 de novembro a 10 de dezembro. O movimento é uma estratégia de mobilização de indivíduos e organizações, em todo o mundo, para engajamento na prevenção e na eliminação da violência contra as mulheres e meninas.

Duas escolas – Maria Campos e Abelardo de Lamare – já começaram a distribuição

Duas escolas da rede municipal de Petrópolis – Maria Campos, no Centro e Abelardo de Lamare, no Caxambu – já começaram a distribuição, gratuitamente, dos absorventes dentro do programa de combate à pobreza menstrual. O projeto vai atender cerca de 11 mil alunas do município e é desenvolvido pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Educação.

A lei que instituiu o programa de distribuição de absorventes foi sancionada pelo governo interino, depois da aprovação do texto pela Câmara Municipal. “Todos os profissionais da escola, a família e alunos vão formar uma rede de apoio e acolhimento a essas meninas que não tem condições de adquirir os absorventes. A ONU estima que uma em cada quatro brasileiras já faltou à escola por não ter condições financeiras de comprar absorventes íntimos. Isso é uma realidade que queremos mudar em Petrópolis”, disse o governo interino. O projeto é de autoria dos vereadores Yuri Moura e Maurinho Branco.

Cerca de 106 unidades da rede municipal de ensino estarão distribuindo os absorventes para alunas acima de nove anos de idade. Cada escola recebeu um repasse da Secretaria de Educação para a compra dos itens. As unidades também receberam cartilhas com os protocolos e regras que devem ser seguidos. “É um projeto que vai além da distribuição dos absorventes. É uma iniciativa de escuta e acolhimento dessas alunas”, ressaltou o secretário de Educação.

Além da distribuição dos itens higiênicos, o programa também prevê a realização de palestras e ações de orientação para as alunas, alunos e toda a comunidade escolar. O objetivo é desmistificar o período menstrual (considerado um tabu) e mostrar para as meninas que esse momento é natural e normal, e não pode ser motivo de vergonha.

“Escolhemos a orientadora da escola para falar e atender essas alunas. É um programa que as meninas estão antenadas e querem participar, falar e construir juntas”, comentou a diretora da Escola Municipal Maria Campos. De acordo com o programa, cada unidade destina um profissional para fazer o atendimento das alunas, com o trabalho de escuta e sensibilização.

Para a estudante Letícia Gomes Monteiro, de 15 anos, projetos como este deveriam acontecer em todas as cidades. “Seria ótimo se todas as cidades distribuíssem os absorventes para as meninas, sabemos que muitas faltam aula por não terem dinheiro para comprar”, disse. Para outra aluna, Izabelle de Oliveira Guimarães, também com 15 anos, é importante essa participação da escola. “A gente não escolhe e fala: hoje vou menstruar. Não temos escolha sobre isso, é algo natural de toda mulher”, comentou.

Pesquisas revelam que meninas e mulheres chegam a usar pedaços de pano usados, roupas velhas, jornal e até miolo de pão em substituição ao absorvente. Ainda existem casos daquelas que não conseguem realizar de três a seis trocas diárias de absorventes, conforme a indicação de ginecologistas, permanecendo com o mesmo absorvente por muitas horas. Como consequência desse insuficiente ou inadequado manejo da menstruação podem ocorrer diversos problemas à saúde como infecções, por exemplo, além do constrangimento e outras situações.


A Prefeitura está engajada na campanha pelos “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres”. A programação, elaborada pela Coordenadoria Especial de Articulação Institucional, por meio do Centro de Referência em Atendimento à Mulher e Gabinete da Cidadania, junto com o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), será aberta na próxima quinta-feira (25), com uma grande ação social, a partir das 9h, na Praça da Inconfidência, no Centro.

Palestras em escolas do município e para policiais militares do 26º BPM sobre o enfrentamento a violência contra a mulher estão incluídas na programação, que se estende até o dia 12 de dezembro. “Entendemos a importância desse tema e o nosso objetivo é conscientizar cada vez mais toda a população, homens e mulheres, vítimas e agressores”, frisa o governo interino. Em 25 de novembro também é celebrado o Dia pela Eliminação da Violência contra as Mulheres e as Meninas.
A campanha é realizada anualmente em mais de 150 países e a participação de Petrópolis é essencial. Equipes do Ônibus Lilás, Programa Petrópolis da Paz, Coordenadoria de Políticas para a Juventude, IST da Saúde, Procon, Compir, Comdim, Gabinete da Cidadania e Espaço da Beleza integram a programação da campanha. O movimento também conta com os homens que se mobilizam na campanha do Dia do Laço Branco, pelo fim da violência doméstica.
A programação também terá uma palestra para os homens da Comdep e na Escola Santa Terezinha, no Vila Rica, em Pedro do Rio, as equipes vão falar sobre Violência Doméstica. No dia seis de dezembro, quando será celebrado o “Dia do Laço Branco: homens pelo fim da violência contra as mulheres”, ocorrerá o curso de capacitação para o efetivo 26º BPM no enfrentamento a violência contra a mulher. Já a Escola São João Batista, no Duarte da Silveira, vai receber o projeto “Maria da Penha vai à Escola”. A programação será encerrada com outro grande evento que vai ocupar a Praça da Liberdade, no Centro Histórico.
Os 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres é uma campanha anual e internacional, que começa em 25 de novembro - Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres - e segue até 10 de dezembro. No Brasil, a mobilização abrange o período de 20 de novembro a 10 de dezembro. O movimento é uma estratégia de mobilização de indivíduos e organizações, em todo o mundo, para engajamento na prevenção e na eliminação da violência contra as mulheres e meninas.

Alunos das Escola Municipal Marieta Gonçalves, no Bairro da Glória, em Corrêas, vão desenvolver projetos na horta comunitária que está sendo implantada na localidade. O terreno já passou por limpeza e adequações e os primeiros plantios já aconteceram. A horta comunitária é uma iniciativa dos moradores da região – o movimento Corrêas Sustentável – e recebe o apoio da Prefeitura de Petrópolis.

"A iniciativa é dos moradores e a Prefeitura entra com o apoio necessário. A horta comunitária beneficiará a comunidade, além de oferecer melhor aproveitamento do espaço e agora também vai beneficiar a escola, envolvendo os alunos nesse projeto", disse o governo interino. Além da Secretaria de Meio Ambiente, a Comdep, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico – por meio do Departamento de Agricultura - e da Coordenadoria Especial de Articulação Institucional também dão apoio ao projeto, que agora também ganha a participação da Secretaria de Educação.

Esta semana, o secretário de Educação e a coordenadora da Coordenadoria Especial de Articulação Institucional estiveram na escola. “É um projeto que podemos iniciar agora, mas que vamos intensificar em 2022. Envolver as crianças nesse plantio de mudas, no cuidado da horta vai trazer benefícios para toda a comunidade escolar”, ressaltou o secretário.

Para a coordenadora da Coordenadoria Especial de Articulação Institucional projetos com a horta comunitária envolvendo as crianças fortalecem a ideia do pertencimento. “Essas hortas comunitárias também são importantes para a segurança alimentar e nutricional das crianças”, comentou a coordenadora.

A Escola Municipal Marieta Gonçalves atende alunos do quarto período da Educação Infantil e do quinto ano do Ensino Fundamental. Ao todo são 220 estudantes matriculados na unidade.

Quarta, 17 Novembro 2021 - 10:10

Campanha: Cobea já viabilizou 107 adoções

Cinco animais são adotados na 2ª etapa distrital

A 2ª etapa distrital da Campanha de Adoção de Animais realizada pela Prefeitura de Petrópolis, por meio da Coordenadoria de Bem-estar Animal (Cobea), ocorreu no último sábado (13) no Parque Municipal Prefeito Paulo Rattes, em Itaipava. Nessa edição, cinco animais ganharam um novo lar e as instituições GAPA Itaipava e Dog’s Heaven foram as responsáveis por disponibilizar os cães e gatos castrados, vacinados e vermifugados. Desde fevereiro, as campanhas realizadas pela Cobea já viabilizaram 107 adoções.

O governo interino destacou a importância de institucionalizar o ato também nos distritos. “Queremos criar um hábito nos moradores de outras localidades para os nossos eventos. Com isso, vamos conseguir ampliar, cada vez mais, as adoções através da regularidade das ações nas regiões mais afastadas do Centro”, disse.

A campanha contou, ainda com a presença do Grupamento de Operações com cães, do canil Rufus Von Kru Gdorf, da Guarda Civil Municipal, e o apoio da Rospauth, que presenteou os novos tutores com um cupom de 10% de desconto em produtos da sua loja.

“Foi muito produtivo a etapa do fim de semana. Chegamos às 107 adoções ao todo neste ano. Um resultado excelente visto que fizemos edições em diferentes endereços, com direcionamento específico para animais idosos e especiais, e também aos filhotes que comumente são os mais preteridos. Até dezembro, temos a certeza que vamos obter números mais expressivos em todo o município”, afirmou a coordenadora de Bem-estar Animal.

Pagina 2 de 30