A mediação de conflitos na vida urbana é tema de semana de palestras on-line que a Prefeitura promove até quinta-feira (29), organizada pelo programa Petrópolis da Paz.

Alunos de 13 escolas da Prefeitura foram vereadores por um dia, propuseram e votaram indicações legislativas. Projeto da Cãmara, aula de cidadania tem parceria da Secretaria de Educação.

Conferência Municipal da Cidade, promovida pela Prefeitura, debateu futuro de Petrópolis e elegeu novos integrantes do conselho dedicado ao tema.

A Prefeitura dá exemplo de apoio aos conselhos populares: gestores municipais de Volta Redonda visitaram a Casa dos Conselhos Municipais Augusto Ângelo Zanatta.

Conselheiros retomam reuniões presenciais e programam encontro para 3 de setembro. Conferência vai debater participação na gestão da cidade e eleger novos integrantes do conselho.

Roda de conversa faz parte do programa Família Acolhedora, da Prefeitura

Um casal do Rio de Janeiro que já acolheu cerca de 30 crianças e adolescentes vítimas de violência contará a experiência deles em Petrópolis nesta quinta-feira (26). O evento, promovido pela Prefeitura, será uma roda de conversa, aberta ao público e será realizada na Casa Cláudio de Souza, na Praça da Liberdade, 247, Centro, a partir das 10h.

A proposta da roda de conversa é divulgar o programa Família Acolhedora, desenvolvido pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência Social, desde 2016.

O programa é uma modalidade de acolhimento para crianças e adolescentes, vítimas de violência, que precisaram ser afastadas do seu núcleo familiar por estarem numa situação de risco. Ao invés de serem colocadas em abrigos institucionais, são direcionadas, temporariamente, para a residência de famílias voluntárias, cadastradas e capacitadas para isso.

"O programa Família Acolhedora é fundamental para Petrópolis e para a rede de assistência social da Prefeitura. É uma forma de garantir assistência às crianças e adolescentes que foram vítimas de violência. Para isso, nossas equipes trabalham na capacitação e no acompanhamento dessas famílias que querem acolher essas crianças e adolescentes. Neste momento, estamos trabalhando para aumentar o número de famílias participantes, e o evento de quinta-feira (26) será importante para isso", disse o secretário de Assistência Social, Fernando Araújo.

Programa Família Acolhedora

Quem pode acolher?

É preciso ser maior de 18 anos, morador de Petrópolis e não estar inscrito no sistema nacional de adoção

Como a família interessada deve fazer para participar?

Ela deve fazer um pré-cadastro no site da Prefeitura (https://www.petropolis.rj.gov.br/pmp/index.php/familia-acolhedora.html).

Depois disso, a equipe da Secretaria de Assistência Social entrará em contato com a família, conversará com ela, e a família será encaminhada para turmas de capacitação. Dali, são oito encontros da turma. Ao fim desse processo, a família é habilitada para acolher crianças e adolescentes.

Quem são as crianças e adolescentes acolhidas no programa?

São crianças e adolescentes encaminhadas pela Vara da Infância e Juventude. Elas foram afastadas da família de origem por medida judicial, após terem sofrido violência e abuso. Por isso, precisaram ser retiradas de casa.

O que acontece com as crianças e adolescentes depois do acolhimento temporário?

A primeira opção é retorná-las para a família de origem. No entanto, para isso, a equipe da Secretaria de Assistência Social visitará antes essa família, verá o que aconteceu, para avaliar a situação e apurar se esse retorno é uma opção viável e segura para aquela criança ou adolescente.

Caso essa opção não seja adequada, há a segunda opção: a criança ou adolescente ser encaminhada para a família extensa (avós, tios etc.).

Já a terceira e última opção é colocar essa criança ou adolescente para adoção.

Como está hoje o programa na cidade?

Hoje, são seis famílias habilitadas no programa, sendo duas já em processo para acolhimento. Desde 2016, foram três acolhimentos na cidade.

Imóvel será utilizado na assistência às vítimas das chuvas

O governo municipal anunciou, na manhã desta terça-feira (17), que o prédio da Rua Floriano Peixoto, no Centro, terá o nome de Gabriel Vila Real. O adolescente, de 17 anos, foi uma das 234 vítimas das chuvas de 15 de fevereiro. Já o prédio, comprado definitivamente pela Prefeitura na segunda-feira (16), será utilizado justamente para dar assistência às vítimas das chuvas.

A compra do prédio é um marco da assistência social em Petrópolis e será um equipamento importante para a área. Por isso, a ideia em homenagear aquele jovem cuja imagem percorreu o mundo após o desastre de 15 de fevereiro: Gabriel estava em um dos ônibus que foram arrastados pelas chuvas na Rua Washington Luiz. Em imagens de celular, ele aparece tentando salvar a si e às demais pessoas que estavam nos ônibus.

"Gabriel Vila Real é o nosso grande herói. Deixou sua vida salvando outros, mas precisa estar eternizado na memória do povo petropolitano. Então eu queria sugerir que esse espaço aqui ganhasse o nome do Gabriel", disse o prefeito Rubens Bomtempo.

O anúncio foi feito durante visita ao prédio, acompanho por secretários de governo e vereadores. Na ocasião, o prefeito entregou as chaves do prédio ao secretário de Assistência Social.

São 32 unidades habitacionais (20 kitnets e 12 apartamentos) adquiridas pelo município. O valor da compra foi de R$ 3,5 milhões. Para esse pagamento, a Prefeitura utilizou parte do recurso enviado pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) a Petrópolis para a resposta às chuvas de 15 de fevereiro (R$ 30 milhões no total).

"É um dia importante para todos nós. Um equipamento que estamos colocando à disposição da Secretaria de Assistência Social, para um grande plano municipal de contingência. Vamos fazer uma ampla discussão do seu uso para poder democratizar cada vez mais essa questão da habitação popular na nossa cidade", disse Bomtempo.

O governo municipal agradeceu: à Alerj, pelos R$ 30 milhões destinados a Petrópolis; à Câmara Municipal, pela autorização da compra do imóvel; ao povo petropolitano, que tanto sofreu com as chuvas; aos secretários de governo, que trabalharam na viabilização da compra do prédio; e aos funcionários da Comdep, que atuaram na limpeza do espaço.

A moeda social de Petrópolis está mais perto de se tornar realidade: a Prefeitura criou, na última semana, um grupo de trabalho (GT) para estudar formas de viabilizar a política na cidade. Além disso, está prevista para os próximos dias uma visita de representantes do grupo a Maricá (RJ). Referência no assunto em todo o país, o município da Região Metropolitana do Rio conta com uma moeda social (a "Mumbuca") desde 2013.

O objetivo da Prefeitura com da moeda social em Petrópolis é fazer política social de transferência de renda e, ao mesmo tempo, fortalecer a economia local. Na prática, o beneficiário por determinada política social do município receberá recursos por essa moeda, que somente poderá ser gasta em estabelecimentos credenciados no município. Ou seja, são beneficiadas as famílias em condição de vulnerabilidade e o comércio local.

A criação da moeda social foi anunciada pelo prefeito Rubens Bomtempo em março.

"A moeda social será um marco para Petrópolis. Ainda mais neste período tão difícil para a cidade, após os desastres das chuvas que sofremos nos primeiros meses do ano. Será uma forma de assistir aqueles que mais precisam e, com a mesma política, valorizar e fortalecer o nosso comércio local", disse Bomtempo.

O GT será constituído por oito membros: dois do gabinete do prefeito, um da Coordenadoria de Planejamento e Gestão Estratégica, um da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, um da Secretaria de Fazenda, um da Secretaria de Assistência Social, um da Secretaria de Administração e de Recursos Humanos e um da Procuradoria Geral do município.

A coordenação do GT será exercida pelo representante da Secretaria de Assistência Social.

Prefeitura inicia ciclo de diálogos para formular campanha antirracista

A Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura lança neste sábado (14) um ciclo de três debates para a elaboração coletiva de uma campanha antirracista em Petrópolis. “Racismo Ambiental: desafios e caminhos por uma justiça ambiental” é o tema do primeiro desses eventos, a partir das 14h30, no Centro de Cultura Raul de Leoni.

O debate tem como participantes a gestora ambiental Pamela Mércia, a mestre em geografia, urbanização e meio Ambiente Roberta Gregório e a professora de geografia Dayana Leopoldo. Os outros dois diálogos, nos dias 21 e 28, no mesmo lugar e à mesma hora, vão abordar temas como a presença negra em Petrópolis e a luta contra o racismo.

No caso do racismo ambiental, o coordenador de Promoção da Igualdade Racial, Filipe Graciano Neves, explica que a expressão remete ao histórico de desigualdades econômica, social e racial que se refletem na ocupação do solo. “O termo se refere a carga desproporcional dos riscos, danos e impactos sociais e ambientais que recaem sobre os grupos étnicos mais vulneráveis”, assinala.

Filipe Graciano Neves afirma que a coordenadoria, vinculada à Coordenadoria Especial de Articulação Institucional da Prefeitura, objetiva ressaltar o cotidiano do racismo ao iniciar o ciclo de debates um dia depois dos 132 anos da Lei Áurea.

“Nosso objetivo é trabalhar para superarmos o fosso do racismo, mostrando, na passagem deste 13 de maio, que o dia seguinte é tão importante quanto todos os que o sucederam, já que o racismo ocorre todos os dias", assinala. “É por isso que propomos que 13 de maio seja o Dia Nacional de Denúncia Contra o Racismo, que, estrutural e institucional, está na base das mazelas da sociedade brasileira”.

O Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) da Posse está oferecendo atendimento para os moradores que precisam realizar serviços pela internet. Solicitações para CPF, Carteira de Identidade, Título de Eleitor, Alistamento Militar; além de consultas sobre o IPTU e SPC fazem parte dos serviços oferecidos.

O atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. O atendimento é gratuito e aberto para todos os moradores. O CEU da Posse – Praça CEU Corta Rio - fica localizado na Estrada União e Indústria, números 32.877.

Pagina 1 de 30