Petrópolis recebe nos dias 3, 4 e 5 de fevereiro o Primeiro Festival de Cultura LGBTQIA+ da cidade. O evento acontece no Centro de Cultura Raul de Leoni e tem como objetivo celebrar, difundir e divulgar a cultura da comunidade LGBTQIA+ no município. O Festival é um dos projetos aprovados no edital Nelson Ricardo de Cultura, realizado pela Prefeitura, por meio do Instituto Municipal de Cultura (IMC) e custeado com verbas do Fundo Municipal de Cultura.

Durante os três dias do festival, serão apresentados seminários de moda e inclusão, políticas públicas de acessibilidade, Slam, Mostra Ball, performances artísticas multilinguagens, de teatro, performance literária, oficina de dança, oficina-acolhimento de artes plásticas, mostra de cinema e apresentações musicais. O evento também recebe o apoio da Editora Bem Cultural e Produtora Salada de Frutas. A realização e produção é de Dafne Souza Equipe de Organização/Assistentes de Produção: The Nasu e Bia Sutter.

“Nossa intenção é realizar um festival multicultural acessível, gratuito e público, abrindo espaço para celebração, encontro, troca de conhecimentos não só para a comunidade LGBTQIA+, mas também para a população em geral. Queremos que o Festival faça o encontro da arte com a reflexão social, misturando debates, palestras e vivências com apresentações culturais diversificadas, sempre colocando a comunidade LGBTQIA+ no lugar de protagonismo”, ressalta Dafne Souza.

A programação completa está no Instagram: @festivallgbtqiadepetrópolis.

Serviço:
Primeiro Festival de Cultura LGBTQIA+ de Petrópolis
Centro de Cultura Raul de Leoni
Dias 3, 4 e 5 de fevereiro
Programação gratuita
@festivallgbtqiadepetrópolis



O complexo cultural mais importante de Petrópolis: o Centro de Cultura Raul de Leoni, completa na segunda-feira (30), 46 anos de criação. Para comemorar a data, a Prefeitura está promovendo uma série de melhorias no espaço, entre elas a limpeza da fachada e a obra nos banheiros, que estão em fase final de conclusão.

“O Centro de Cultura é um espaço de valorização dos artistas, principalmente os petropolitanos; além de ser um local de entretenimento, cultura e arte para os nossos jovens”, ressaltou o prefeito Rubens Bomtempo, lembrando que quando assumiu a Prefeitura, em dezembro de 2021, o local estava abandonado e com várias áreas culturais importantes fechadas.

Além das obras, o governo municipal reabriu em outubro do ano passado, após passar por reformas, o Cine Humberto Mauro. Com capacidade para 50 lugares, o espaço estava fechado há pelo menos cinco anos.

A parte interna do Centro de Cultura também vai passar por uma grande reforma. O primeiro andar, afetado pelas chuvas de fevereiro e março, será todo reformado. O segundo e terceiro pavimentos também vão receber intervenções, que vão garantir acessibilidade e conforto para os frequentadores. A Biblioteca Gabriela Mistral e o Teatro Afonso Arinos também vão receber melhorias.

“Estamos finalizando os projetos de obra para lançar as licitações. Esses investimentos são importantes porque fortalecem a cena cultural da nossa cidade”, ressaltou a presidente do Instituto Municipal de Cultura (IMC), Diana Iliescu.

O Centro de Cultura também abriga a Sala de Música Guiomar Novaes, duas salas multiuso e quatro galerias destinadas às artes visuais – Van Dijk, Aloysio Magalhães, Djanira e Galeria Aberta. “Para nós é uma honra comemorar esses 46 anos com o Centro de Cultura aberto e cheio de atividades”, concluiu a gerente do CDC, Aline Castella.

A rede de proteção e atendimento à mulher vai ganhar um importante reforço em Petrópolis. Um projeto de lei para a criação da Secretaria Municipal das Mulheres, está sendo elaborado pela Prefeitura e será encaminhado nos próximos dias para aprovação na Câmara Municipal. O anúncio foi feito pelo prefeito Rubens Bomtempo, durante a última reunião do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), na noite de quinta-feira (12).

Com a nova estrutura, a intenção da Prefeitura é otimizar, intensificar e criar políticas públicas em defesa das mulheres, principalmente nos temas relacionados a violência. Dos 92 municípios do Estado do Rio de Janeiro, apenas 10 cidades contam com secretarias voltadas para as mulheres. Dos 295.917 habitantes contabilizados no último Censo do IBGE, realizado em 2010, um total de 154.901 eram mulheres. Em 2021, a população total estimada, em Petrópolis, era de 307.144 habitantes. A perspectiva é de a população feminina continue sendo majoritária.

“Esse passo que estamos dando agora é uma conquista das mulheres. Já temos equipamentos importantes no município, porém, chegou o momento de construir instrumentos para defender esse legado e acumular forças para garantir que todos os frutos sejam entregues a gerações futuras”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

“Começamos a trilhar esse caminho há mais de 20 anos com a criação do Comdim e o nascimento do CRAM, por exemplo. Só conseguimos chegar até aqui, porque tivemos a sociedade civil do lado, como as associações de moradores, que se dispõem a conversar e avançar na pauta em defesa das mulheres e contra qualquer tipo de violência. Com essa nova secretaria será possível estruturar e elaborar políticas públicas que são fundamentais para o fortalecimento dessa rede de proteção”, disse a secretária Chefe de Gabinete e presidente do Comdim, Luciane Bomtempo.

Emocionada, a vice-presidente do Comdim, Viviane Marques, destacou a importância da nova secretaria. “As portas para que as mulheres que vivem em situação de risco recebam um atendimento ainda mais digno estão sendo abertas com a criação dessa secretaria. Neste momento, não tenho dúvidas de que a luta por políticas públicas que, de fato, façam a diferença na vida de todas nós, está valendo a pena. Queremos fazer com que as mulheres da nossa cidade se sintam mais fortalecidas e, dessa forma, vislumbrem e galguem um futuro com menos preconceito e mais dignidade”.

“Essa era uma notícia esperada por muitos anos. Um grande sonho de todas as conselheiras da sociedade civil e que hoje está sendo concretizado. Tínhamos a certeza que conseguiríamos esse espaço tão necessitado e que, sem dúvida, fará toda a diferença na vida de todas as mulheres petropolitanas”, frisa a conselheira Ângela Alcântara.

Rodas de conversa, oficinas de pintura, exposições, entre outras ações aconteceram na Praça de Nogueira, em uma grande mobilização realizada pela Prefeitura dentro da programação dos 16 Dias de Ativismo pelo fim da Violência contra as Mulheres. O evento reuniu o Centro de Referência em Atendimento à Mulher (Cram), Secretaria de Saúde e Secretaria de Assistência Social, entre outros órgãos do governo municipal, assim como o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim).

"Toda a Prefeitura está engajada nesta mobilização, cujo objetivo maior é promover a conscientização e sensibilizar não só os homens, mas de toda a sociedade sobre a violência contra as mulheres, sejam elas crianças, adolescentes ou adultas. Só assim, garantindo a intersetorialidade e trazendo a sociedade para o debate é possível contribuir no combate a violência doméstica", disse o prefeito Rubens Bomtempo.

Elaboramos uma programação extensa. Até o dia 16 de dezembro, junto com todo o governo, estaremos atuando de forma ainda mais intensa com o objetivo de garantir que a conscientização se alastre por toda a cidade e alcance, principalmente, as mulheres que estejam passando por algum tipo de violência. Dessa forma, elas irão perceber que não estão sozinhas, pois contam com uma rede de proteção ativa no município", frisa a secretária Chefe de Gabinete, Luciane Bomtempo.

O Dia D da programação dos 16 Dias de Ativismo está marcado para 8 de outubro. Na ocasião, uma grande mobilização será realizada na Praça Dom Pedro e além de instituições que integram a rede de proteção à mulher, outros órgãos do município, também estarão no local realizando atividades de conscientização. Neste mesmo dia, postos de saúde estarão abertos, promovendo palestras com o tema "Violência nas Unidades de Saúde", lembra Luciane Bomtempo.

"Conheci o Cram quando vivia um momento complicado da minha vida. Fui acolhida com carinho e continuo sendo atendida pelo órgão. Ações como essa precisam ser cada vez mais difundidas na nossa cidade para que mais mulheres tenham a oportunidade de saber onde está a ajuda", disse a artista de 24 anos, Victoria Gabriele.

Os 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres é uma campanha anual e internacional, que começou em 25 de novembro - Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres - e segue até 16 de dezembro. O movimento é uma estratégia de mobilização de indivíduos e organizações, em todo o mundo, para engajamento na prevenção e na eliminação da violência contra as mulheres e meninas.

O Seminário Violência contra as Mulheres – 16 Dias de Ativismos pelo fim da Violência Contra as Mulheres, reuniu palestrantes renomados em um grande evento promovido pela Prefeitura, na terça-feira (30), por meio da Secretaria de Saúde, junto com o Centro de Referência em Atendimento a Mulher (CRAM) e Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (COMDIM).

Voltado, principalmente, para profissionais de saúde, no seminário – realizado no auditório da Unifase, na Avenida Barão do Rio Branco - foram debatidos temas importantes relacionados os diferentes tipos de violência contra mulher, incluindo formas de acolhimento e notificação dos casos. A expectativa de acordo com a secretária chefe de gabinete e presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), Luciane Bomtempo, é a de que as mulheres tenham saído do evento ainda mais sensibilizadas e contribuindo, de fato, para a conscientização de todos.

“Buscamos a eliminação da violência contra a mulher, pois é pelo fim dela que precisamos trabalhar. Iniciamos essa luta no ano de 2001 e, desde então, garantimos importantes avanços para as mulheres da nossa cidade. Petrópolis, por exemplo, foi um dos primeiros municípios a ganhar um Centro de Referência em Atendimento à Mulher – CRAM, assim como o Ônibus Lilás, o que demonstra o nosso comprometimento com esta causa”, disse Luciane Bomtempo.

Os secretários de Saúde, Marcus Curvelo, de Administração e Recursos Humanos, Ramon Melo, Coordenador Especial de Articulação Institucional, Rafael Simão, assim como a coordenadora do CRAM, Thaís Gomes, a representante da equipe técnica da Sala Lilás, Desirré Mathias e o professor Abílio Aranha, coordenador de Ensino da Unifase, também participaram do seminário. “Com profissionais mais conscientes e preparados, será mais fácil identificar e auxiliar mulheres que chegam as unidades de saúde e precisam ser melhor acolhidas. Mas, além disso, este seminário reforça que são diversos tipos de violência, até mesmo as institucionais, tanto no campo público como no privado. A principal delas, inclusive, é o assédio moral. Todas precisam ser combatidas”, disse Curvelo.

No Seminário Violência contra as Mulheres foram apresentados os temas “Marcos Legais Protetivos e a Rede de Enfrentamento à Violência Contra Mulheres”, ministrada pela assistente social e especialista em políticas públicas, Marisa Chaves; “Metodologia de Atendimento às Mulheres: Escuta Ativa e Sensível”, pela assistente social, funcionária pública da Polícia Civil, e especialista em Gênero e Direito pela Emerj, Lúcia Torres e “Notificação Compulsória e seus Impactos para o Enfrentamento à Violência Contra Mulheres”, com a enfermeira Mayara Alves Luis, Consultora Técnica da Organização Pan-Americana da Saúde.

Anúncio foi feito pelo prefeito Rubens Bomtempo durante conferência do CMDCA


Petrópolis vai ganhar mais um Conselho Tutelar e outra unidade do Núcleo de Atendimento Psicológico Especializado – Infantojuvenil (NAPE) - para vítimas de violência. O anúncio foi feito pelo prefeito Rubens Bomtempo durante a 10ª Conferência da Criança e do Adolescente, realizada no dia 18, no Colégio Santa Catarina. O evento foi promovido pela Prefeitura e pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA).

“Petrópolis terá um terceiro Conselho Tutelar e também uma unidade do NAPE. Que essa discussão avance dentro do CMDCA para que possamos juntos fortalecer essa rede proteção”, disse o prefeito Rubens Bomtempo. “Estamos falando hoje aqui de articulação e união. Todos juntos por uma causa que é a proteção das nossas crianças e adolescentes”, ressaltou o prefeito.

Para a presidente do CMDCA, Luciane Bomtempo, a criação de novas unidades é uma garantia ainda maior dos direitos das crianças e dos adolescentes. “Nenhuma política pública avança sem a participação popular. A realização dessa conferência é uma mensagem de que juntos vamos conseguir avançar na política de proteção das crianças e dos jovens”, frisou.

O vice-presidente do CMDCA, Claudio de Souza (Projeto C3) falou sobre a importância de estar realizando uma conferência após as chuvas de fevereiro e março. “É um momento importante, de reflexão e fortalecimento de políticas públicas, depois de tudo que a cidade passou”, ressaltou. Cláudio também recebeu o selo Cidadão Voluntário, concedido durante a conferência para entidades e pessoas que se destacaram com ações voluntárias durante as chuvas.

A secretária de Educação, Adriana de Paula ministrou a palestra de abertura da conferência, com o tema: “Situação dos direitos humanos de crianças e adolescentes em tempos de pandemia pela Covid-19, violações e vulnerabilidades, ações necessárias para reparação e garantia de políticas de proteção integral, com respeito à diversidade”. Adriana apresentou as ações realizadas pela Prefeitura no retorno às aulas pós pandemia e durante as chuvas, quando algumas unidades da rede municipal estavam sendo usadas como pontos de apoio.

A implantação do projeto Espaços Seguros e Amigáveis (que aconteceu no horário referente ao período escolar, quando as crianças e jovens participaram de atividades culturais e pedagógicas realizadas por grupos de voluntários cadastrados pelo município, além de receberem alimentação) e os atendimentos da Psicologia de Emergência estavam entre as ações apresentadas. “Foi um projeto importante para as crianças e adolescentes que estavam abrigadas”, elogiou o promotor de Justiça da Infância e da Juventude de Petrópolis, Odilon Lisboa Medeiros.

A 10ª Conferência da Criança e do Adolescente também contou com apresentação do coral da Creche São Charbel do maestro Marco Aurê. As crianças do coral também ganharam livros do projeto de Educação Antirracista, desenvolvido nas escolas da rede municipal. Durante a conferência também foram aprovadas 25 propostas em cinco eixos, que farão parte do relatório final, e foram eleitos os delegados da sociedade civil e do governo, que irão representar o CMDCA na conferência estadual. “Essa conferência reuniu pessoas que efetivam a rede de proteção da criança e do adolescente”, pontuou o promotor de Justiça da Infância e da Juventude de Petrópolis, Vicente de Paula Mauro Junior.

A 10ª Festa Afro Ubuntu, promovida pela Prefeitura e pelo Conselho Municipal de Proteção à Igualdade Racial (Compir), terminou no domingo (20) – Dia da Consciência Negra – com a Marcha do Povo de Santos, apresentação dos Filhos de Gandhi, oficinas e muita música. No sábado (19), a sambista Leci Brandão e o Baile Charme de Madureira encantaram o público, que prestigiou os shows na Praça da Liberdade, palco principal do evento.

“A Festa Afro Ubuntu foi um sucesso, com os petropolitanos prestigiando os eventos na Praça da Liberdade e também a programação cultural que aconteceu nas comunidades. Lançamos o Disque Antirracista e o Núcleo de Atendimento, criando uma rede de proteção e assistência para o povo preto da nossa cidade”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

Para o presidente do Compir, Filipe Graciano, Petrópolis fez história. “Toda a festa foi um sucesso. Agradeço ao prefeito Rubens Bomtempo e todas as secretarias que ajudaram na realização do evento. A Ubuntu foi um momento de celebração e também de valorização da cultura do povo preto. Lutamos por um Petrópolis Antirracista”, destacou Filipe.

Além de parte cultural e gastronômica, a Festa Afro Ubuntu também contou com a revitalização e ampliação dos grafittis na fachada do Centro de Informações Turísticas (CIT), na Praça da Liberdade. “O Ubuntu foi um sucesso na valorização da cultura do povo negro da nossa cidade e reforçando nossa luta por uma Petrópolis Antirracista”, concluiu a secretária de Cultura, Diana Iliescu.

Companhia recebe iluminação especial e chama atenção para a campanha

Novembro é o mês de conscientização com a tradicional campanha “Novembro Azul”, que reforça o alerta para a prevenção do câncer de próstata. Nesta segunda-feira (21), a Companhia de Desenvolvimento de Petrópolis (COMDEP) vai promover o “Dia D” do Novembro Azul, que faz parte do cronograma de eventos e atividades da Prefeitura de Petrópolis, por meio da Área Técnica de Saúde do Homem da Secretaria de Saúde.

Durante o evento, a força de trabalho da Companhia terá acesso a ações voltadas a prevenção e ao diagnóstico precoce da doença, além de palestras, sorteios e diversas atividades, com o intuito de informar e promover a discussão sobre o tema.

Além disso, para chamar atenção para a campanha, a fachada da Comdep recebeu uma iluminação especial cor de azul.

“É uma campanha fundamental que repercute muito positivamente na procura pelo atendimento médico preventivo. Nossa intenção é que no próximo ano a campanha seja ainda maior, pois, só assim conseguiremos alcançar o maior número de homens”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

O presidente da Comdep, Cedenyr Vieira, falou sobre a importância da data. “Esse momento é muito importante, pois é quando juntamos forças para poder informar e conscientizar nossos profissionais em relação ao câncer de próstata”, enfatizou.

Prefeitura lança Disque Antirracista durante Festa Afro Ubuntu

Petrópolis passa a contar agora com o serviço de Disque Antirracista, um número direto para denúncias da população. O telefone 0800-024-1000 foi lançado durante a abertura da Festa Afro Ubuntu, promovida pela Prefeitura e pelo Conselho Municipal de Proteção à Igualdade Racial (Compir), na noite de quinta-feira (17), na Praça da Liberdade. Além desse serviço, a cidade também ganha um Núcleo de Atendimento Antirracista, que vai prestar serviço psicológica, assistencial e jurídica.

“Toda vez que o país precisou do povo preto, das mulheres, dos mais pobres, eles sempre estiveram do lado certo. Essa celebração de hoje veio para ficar, com o compromisso de ser ainda maior e mais representativa”, disse o prefeito Rubens Bomtempo, acrescentando que a luta pela democracia também passa pelo aumento da consciência de cada um. “Cada um de nós precisa saber qual o seu papel e o que representa para a construção de Brasil melhor”.

O Núcleo de Atendimento Antirracismo vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, na sede da Coordenadoria da Promoção da Igualdade Racial (Copir), na Avenida Koeler, no Centro da Cidade – prédio anexo a Prefeitura. “A nossa luta antirracista tem que ser diária e constante, e ela não vai parar por aqui”, disse o presidente do Compir e coordenador de Igualdade Racial, Filipe Graciano. “Agradeço ao prefeito Rubens Bomtempo pelo apoio e pelo suporte na realização das nossas ações”.

Durante o lançamento, o vice-prefeito Paulo Mustrangi lembrou que Petrópolis foi uma das três primeiras cidades do Estado a aderirem ao feriado da Consciência Negra. Ele lembrou também da instalação do busto de Zumbi, na Praça da Liberdade. “Ninguém vai calar o povo preto”, ressaltou Mustrangi.

A solenidade contou ainda com a presença do vice-presidente do Compir, professor José Luiz; da secretária de Turismo, Silvia Guedon; do presidente do Conselho Municipal de Cultura e presidente do Segmento de Culturas Afro-brasileiras, quilombolas e matrizes africanas, Felipe Laureano; secretários municipais e o vereador Yuri Moura. A programação contou ainda com o cortejo dos Guerreiros da Vinte e os shows de Janaina Bessa (Samba de Mulher) e Felipe Monteiro e Jahir Soares (reggae).

O Núcleo de Atendimento Antirracismo e o Disque Antirracismo começam a funcionar na segunda-feira, dia 21.

Personalidades Negras 2022

A abertura da Festa Afro Ubuntu, promovida pela Prefeitura e pelo Conselho Municipal de Proteção à Igualdade Racial (Compir), também contou com a premiação das Personalidades Negras 2022. O prêmio é entregue aqueles que se destacaram no enfrentamento ao racismo, na promoção da igualdade racial e na preservação e disseminação da cultura Afro-brasileira.

A curadoria dos indicados para o prêmio foi realizada por meio do Compir e da comissão organizadora da Festa Afro Ubuntu. São ao todo oito categorias.

Conheça os premiados:

Enfrentamento ao Racismo
- Silvana Silva, procuradora do Ministério Público do Trabalho

Educadores e professores
- Marcelo Ferreira, professor de geografia da rede municipal de ensino

Gastronomia
- Flávio Silva, chef de cozinha

Protagonismo Preto
- Pamela Mércia, ativista social

Performance Artística
- Vinicius Francisco (Tropei), dançarino, ator, poeta e raper

Profissional
- Paulo Afonso, maestro

Comunicadora e influenciadora digital
- Priscila Torquato

- Categoria Especial Homenagem Ubuntu
- Deoclécio Damasceno de Freitas (in memorian), maestro, multi-instrumentista e educador
o prêmio foi recebido pela neta Lilian Regina Marcilio Nogueira.

Festa Afro Ubuntu vai até domingo

A programação da 10ª Festa Afro Ubuntu, promovida pela Prefeitura e pelo Conselho Municipal de Proteção à Igualdade Racial (Compir), vai até domingo (20) – Dia da Consciência Negra, com atrações nas praças da Liberdade e Inconfidência; no Centro de Cultura Raul de Leoni e no Clube Petropolitano.

“É uma honra e uma grande alegria realizar uma festa tão bonita de exaltação da colonização africana. Durante muitos anos brigamos para que esta festa tivesse a importância que merece, e somente com o prefeito Rubens Bomtempo conseguimos garantir que a Ubuntu tenha o tamanho que merece, valorizando nossos artistas e o povo preto da nossa cidade”, ressaltou a secretária de Cultura, Diana Iliescu.

O rapper MVBill, a sambista Leci Brandão e o Baile Charme de Madureira fazem parte da programação, que também conta oficinas; concursos; premiações; Marcha do Povo do Santo; revitalização e ampliação dos painéis de Zumbi, Dandara e Tereza de Benguela; exposição; teatro e mostra de cinema. A programação completa está disponível no site: https://web2.petropolis.rj.gov.br/festaubuntu/a-festa/.

Disque Antirracista será divulgado também nas comunidades e lançamento acontece na abertura da Festa Afro Ubuntu

A programação do mês da Consciência Negra começa nesta sexta-feira (11) em Petrópolis, com o espetáculo “Nem todo filho vinga”, no Centro de Cultura Raul de Leoni. O evento, gratuito, começa, às 20h. No fim de semana, as atrações acontecem nas comunidades, onde também será divulgado o Disque Antirracista - um número direto onde as pessoas poderão denunciar crimes e violência contra o povo preto.

"É uma ação prática que visa criar uma rede de proteção. Ninguém deve se sentir inseguro ou intimidado por conta da cor da pele. Portanto, o Disque Antirracista será um instrumento muito importante para que o preconceito seja cada vez mais combatido na nossa cidade", disse o prefeito Rubens Bomtempo. O lançamento oficial do Disque Antirracista será no dia 17, na Praça da Liberdade, quando acontece a abertura da Festa Afro Ubuntu.

A programação do mês da Consciência Negra é promovida pela Prefeitura e pelo Conselho Municipal de Proteção à Igualdade Racial (Compir), e tem uma programação cultural extensa e gratuita nas comunidades e também na Praça da Liberdade.

No sábado (12), a programação tem início nas comunidades com contações de história, oficinas de turbante e jongo a partir das 16h. As atividades seguem até terça-feira (15), no Alto Independência, Duarte da Silveira, Madame Machado e Cascatinha. Na segunda (14), o Centro de Cultura Raul de Leoni, recebe o espetáculo “Deixa a Gira Girar”.

Pagina 1 de 31