339 produtores impactados diretamente pela chuva no Caxambu

Um levantamento preliminar feito pelo Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico constatou que 339 pessoas que trabalham na produção rural foram atingidas diretamente pela forte chuva que causou estragos na região do Caxambu no último sábado (03.03). O prejuízo estimado dos produtores da região, com relação ao que foi perdido da produção já chega aos R$ 3 milhões. Somando-se as perdas materiais, como carros, motos e máquinas para o plantio, o prejuízo pode chegar aos R$ 5 milhões.

O resultado é preliminar. No Caxambu, cerca de 150 famílias vivem da produção rural. A equipe do Departamento de Agricultura continua visitando a região, já que a estimativa é de que 30% dos produtores ainda não foram cadastrados. Os dados, consolidados, vão permitir apresentação de projetos para a recomposição, além das ruas e acessos, das plantações. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico está recebendo auxilio da Emater-Rio, Sindicato Rural e Associação dos Produtores do Caxambu, na realização desse levantamento.

“Estamos em contato permanente com a associação dos produtores do local. O resultado será enviado para a Defesa Civil, que está coordenando as ações junto ao Ministério da Integração Nacional. Esperamos que a ajuda federal chegue o mais rápido possível para que os produtores possam recomeçar as suas atividades”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini.

“Continuamos visitando os produtores e fazendo um relatório com as perdas de cada um deles. Há pessoas que perderam carros, motos, a plantação e até mesmo as máquinas utilizadas para o plantio dos produtos”, explicou o diretor do Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, José Maurício Soares.

A  Secretaria Nacional de Defesa Civil reconheceu o decreto de situação de emergência assinado pela prefeitura para as localidades de Caxambu e Bela Vista e a prefeitura já está trabalhando para apresentar ao Ministério da Integração Nacional projetos de intervenções para recuperação destes locais. A Posse, também atingida por chuvas na quarta-feira, será incluída. A prefeitura já garantiu o apoio do governo federal em contato com o ministro Helder Barbalho para a resposta rápida a estes locais e um técnico do ministério, baseado no Rio, já fez visita em campo.

Levantamento também será feito na região da Posse

A forte chuva que caiu sobre a região da Posse na quinta-feira (08.03) também causou estragos nas estradas vicinais da região do Brejal. A equipe do Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico também vai percorrer a região e fazer o levantamento sobre as perdas dos produtores rurais. “Vamos fazer o mesmo trabalho realizado no Caxambu. Conversar com os produtores e fazer o levantamento das perdas financeiras desse público. Ainda não temos números computados, mas sabemos que as estradas da região foram bastante prejudicadas”, contou José Mauricio Soares.

Aplicativos do banco serão disponibilizados no site da PMP

Mais de 60 produtores rurais puderam conhecer nessa quarta-feira (21.02) as linhas de crédito que o BNDES – Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico – disponibiliza para os empresários do setor. O encontro com técnicos do BNDES ocorreu na Casa da Educação Visconde de Mauá e foi realizado após um pedido do prefeito Bernardo Rossi. Para aproximar ainda mais os produtores e fomentar o crescimento do setor – Petrópolis conta com cerca de 800 produtores, cinco mil pessoas que vivem da produção rural – o banco vai disponibilizar no site da prefeitura dois aplicativos do banco: o canal ‘Desenvolvedor’ e um especifico que explica todas as linhas de crédito da instituição financeira. Essa será a primeira vez que os aplicativos do banco serão disponibilizados em um site governamental.

Segundo o assessor da presidência do BNDES, José Talarico, a meta do banco é a de se aproximar dos empresários e produtores rurais, fomentando o desenvolvimento econômico. “Ressalto que nada disso estaria acontecendo sem o empenho pessoal do prefeito Bernardo Rossi. A obrigação do BNDES é fomentar o desenvolvimento do Brasil e essa aproximação é muito importante. Através do apoio do prefeito Bernardo Rossi vamos inovar, disponibilizando na página da prefeitura os aplicativos que falam das linhas de créditos disponibilizadas pelo banco e o canal do desenvolvedor, que apoia o crescimento das empresas brasileiras”, afirmou José Talarico.

As linhas de crédito direcionadas para os produtores rurais, bem como os juros, prazos e carências de cada uma delas foi demonstrada pelo gerente de capacitação e Parcerias Institucionais do BNDES, Claudio Rabelo. Segundo ele, para esse ano, o BNDES tem um recurso de R$ 22,4 bilhões voltados para o financiamento. “Hoje, cerca de 50% dos investimentos do setor rural são feitos pelo BNDES. O encontro também foi importante para explicar que o BNDES não financia diretamente esse público. As linhas são disponibilizadas através de bancos parceiros”, contou Claudio Rabelo.

De acordo com a política do BNDES, podem solicitar financiamentos pessoas físicas (empreendedores com CNPJ) e jurídicas, cooperativas e associações, segundo uma classificação de porte de cada micro, pequena ou média empresa, ou ainda, produtor rural.

Entre as linhas disponíveis há, por exemplo, uma especifica para a compra de máquinas agrícolas novas e usadas (Moderfrota), uma para ações de preservação do meio ambiente (Programa ABC), financiamentos para irrigação (Moderinfa), armazenamento de grãos (PCA) e investimento de inovação tecnológica no setor (Inovagro).

Os produtores que quiserem uma linha de financiamento devem procurar um dos bancos parceiros, como Banco do Brasil, Caixa Econômica e Cresol. O banco fará a análise do crédito, vai negociar as garantias e visualizar as taxas. Só após esse trâmite será feita a liberação dos recursos para o agente financeiro.

Vale destacar que, no site do BNDES, os produtores rurais podem acessar o Canal do Desenvolvedor. Lá eles podem preencher os dados cadastrais e através da consulta, o portal avisa quais linhas de crédito estão disponíveis para atender a cada pedido. A solicitação pode, ainda, ser enviada diretamente para os bancos parceiros. Há também o BNDES online, onde algumas operações são aprovadas on-line.

Marco Ávila integrante da APHERJ – Associação dos Produtores Hortifrutigranjeiros do Estado do Rio de Janeiro – afirmou que a aproximação com o banco foi importante para os agricultores. “Foi bom para conhecermos as linhas. Tiramos dúvidas e agora sabemos de que forma podemos conseguir o financiamento”, disse.

Segundo Henrique Mesquita, do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrópolis, o encontro serviu para os produtores pudessem comparar as linhas de crédito. “Quando se fala em crédito, sempre há dúvidas sobre prazos e juros e nada melhor do que poder conhecer de fato todas as linhas e para que cada uma serve. O encontro foi muito positivo”.

Também participaram do encontro o vice-prefeito Baninho; o presidente da Câmara Municipal, Paulo Igor; o subsecretário de Desenvolvimento Econômico, Fernando Pessoa e o diretor do Departamento de agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, José Maurício, além dos vereadores Jorge Relojão, Wanderley Taboada e Jamil Sabrá.

2º encontro do BNDES em Petrópolis

Esse foi o segundo encontro realizado entre a equipe técnica do BNDES e empresários petropolitanos. No dia 18 de janeiro de 2018, os técnicos participaram de uma reunião com 80 empresários no auditório do Centro de Modas e Serviços da Rua Teresa. Na ocasião, representantes dos bancos parceiros, como Caixa Econômica e Banco do Brasil estiveram no evento para tirar dúvidas sobre os pedidos de linhas de crédito. Foram, ainda, montadas baias para atendimento e muitos empresários, na hora, já puderam conferir os financiamentos, vindos do BNDES, e que são feitos por instituições bancárias.

Segunda, 05 Fevereiro 2018 - 18:58

Prefeitura participa de encontro com agricultores

Plano de Ação foi estabelecido para atender as demandas da área rural

A garantia do uso de R$ 1,6 milhões nesse ano de 2018 para a compra de produtos da agricultura familiar, aumentando para 40% o uso dos recursos do Plano Nacional de Alimentação Escolar – PNAE foi um dos assuntos abordados pela prefeitura em um encontro com representantes dos produtores rurais realizado nessa segunda-feira (05.02) na Casa dos Conselhos Augusto Ângelo Zanatta.

Segundo a Emater, atualmente 800 famílias, cerca de 2.800 mil pessoas, vivem da produção rural do primeiro ao quinto distrito, movimentando R$ 16 milhões por ano na cidade. Participaram do encontro representantes das associações produtoras do Caxambu, Secretário, Brejal, Vale das Videiras e Taquaril, além da APHERJ (Associação dos Produtores Hortifrutigranjeiros do Estado do Rio de Janeiro) e do Sindicato Rural de Petrópolis.

A cidade teve um ano difícil em 2017, mas conseguiu avançar em muitas áreas. Agricultura é uma delas. O município realizou um registro de preço para a compra de diversos tipos de maquinários. O processo já foi homologado e assim que essas máquinas estiverem na cidade, elas ajudarão na manutenção das estradas vicinais. Essas estradas são importantes para o escoamento da produção rural e essa é uma das reivindicações da categoria. Para dar essa e outras boas noticias, a prefeitura solicitou esse primeiro encontro com os agricultores. A prefeitura vai elaborar um plano de ação e estabelecer metas com prazos para atender as necessidades da categoria.

A prefeitura recebeu as reivindicações dos agricultores para esse ano. O documento foi entregue por Henrique Mesquita, do Sindicato Rural de Petrópolis. “Queremos aproveitar esse encontro para falar da nossa realidade, buscando o auxilio do governo para que possamos investir cada vez mais na agricultura e dar um retorno para o município”, disse Henrique.

Além da manutenção das estradas vicinais, os produtores solicitaram caminhões para facilitar o escoamento da produção rural, a compra de flores dos produtores da cidade para os eventos oficiais da prefeitura e a disponibilização de pontos de venda no Centro da cidade para esse tipo de atividade, a criação de uma empresa de processamento de alimentos e ponto de atacado, disponibilização de pontos de vendas direta em pontos diferenciados e a compra da produção rural para instituições da Secretaria de Saúde e Assistência Social e a implantação de um programa de reciclagem de resíduos.

O maquinário já está sendo providenciado. Uma equipe da prefeitura vai elaborar uma planta com os pontos onde a venda de produtos poderá ocorrer na cidade, como as flores, por exemplo. A compra dos produtos da agricultura para uso nos demais setores da administração pública, como os hospitais, é um assunto que já está sendo discutido para que a viabilização técnica seja feita da melhor forma possível.

“Estamos alinhados com a agricultura e vários projetos que estão em andamento poderão ajudá-los no futuro. Um exemplo disso é a Copape, Cooperativa de Processamento Alimentar de Petrópolis. Um grupo de trabalho está atuando diretamente nesse projeto, incluindo a disponibilidade de lugar para venda em atacado. Outra novidade conquistada com a associação de produtores é a instalação de uma escola técnica do Senai na cidade, com oferta de cursos para esse público”, explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini.

Um segundo encontro foi marcado para o dia 5 de março. Nesse dia, a equipe da prefeitura vai mostrar para os agricultores o andamento dos trabalhos, já com as possibilidades de novos locais para venda direta.

Compra de alimentos orgânicos para merenda

Outro ponto abordado durante o encontro foi o projeto piloto da Secretaria de Educação que pretende, a partir do segundo semestre, comprar alimentos da produção orgânica para a merenda nos Centros de Educação Infantil. “Fico feliz com esse encontro informal quando o prefeito se colocou à disposição para ouvir as nossas reivindicações. Queremos fornecer para merenda porque acreditamos nos benefícios dos orgânicos. Agradeço à prefeitura por ouvir os agricultores de forma tão democrática”, disse Paulo Cesar Matos da APOP – Associação dos Produtores Orgânicos de Petrópolis.

“Quero aproveitar para parabenizar o governo pelo aumento no investimento na compra dos produtos agrícolas da nossa cidade. Ultrapassar a meta do PNAE é um motivo para comemoração e estamos muito felizes com isso”, disse Marco Ávila da APHERJ.

Cartão postal da cidade, o Palácio de Cristal abrigará durante o feriado prolongado de Nossa Senhora da Aparecida – 12 de outubro -  mais uma edição da Feira do Produtor Artesanal, uma opção de lazer para turistas e visitantes que escolheram a serra para aproveitar o período de folga. Nos dias 12, 13, 14 e 15, o espaço no coração do Centro Histórico receberá uma das tradições da cidade, o artesanato, além de comidas artesanais, como strudell, brownie, pães, sorvetes, licores, chocolates, cafés e as famosas cervejas artesanais, que já se tornaram uma marca da cidade.

A Feira do produtor artesanal agrega ao turismo, pois oferece ao visitante que chega ao Palácio de Cristal, a possibilidade de conhecer mais a tradição da cidade, os sabores  e produtos diferenciados produzidos pelos  nossos artesãos. “O Palácio de Cristal retorna também às suas origens como palco de exposição de produtos da cidade”, completa o presidente da TurisPetro, Marcelo Valente.

O evento tem entrada gratuita e acontece de quinta-feira (12.10) a sábado das 10h às 21h e, no domingo (15.10) entre 10h e 17h.

O público vai conferir o trabalho de 16 artesãos locais expondo seus produtos diversos com madeira, quadros, entre diversos objetos, além de nove expositores de delícias doces e salgadas, além da cerveja artesanal.

“A Feira do Produtor Artesanal é uma oportunidade para o turista e visitante e experimentar os nossos produtos, apreciando as delícias produzidas aqui no município. E ainda levando para casa a lembrança da Cidade Imperial, com o nosso artesanato”, pontua o secretário de Turismo, Marcelo Valente.

“Petrópolis é uma cidade incrível e eventos como este valorizam ainda mais atrativos, agradando os nossos visitantes e também o morador, com uma programação diferenciada e para toda a família. A feira valoriza o trabalho do artesão local, que também é uma tradição da nossa cidade”, avalia a diretora de Turismo e Eventos da TurisPetro, Camila Thees.

Mais de 14 mil pessoas prestigiaram os dois eventos.

O final de semana foi agitado com eventos voltados para a divulgação de produtos agrícolas e artesanais locais: Agroserra Imperial no Palácio de Cristal e Biofeira Cultural, em Nogueira, apoiadas pela prefeitura por meio da Turispetro da Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Os eventos valorizaram a produção rural da região, movimentaram a economia e setor turístico da cidade.

Essa foi a primeira edição do Agroserra Imperial no Palácio de Cristal, que reuniu cerca de 12 mil pessoas, uma iniciativa da Print Comunicação. O evento já é um sucesso há três anos em Secretário. A edição no Centro Histórico contou com programação gratuita e 60 expositores com o melhor da produção local: conservas, doces, produtos orgânicos e artesanato, além das famosas cervejas e cachaças artesanais.

O secretário da TurisPetro, Marcelo Valente destaca o papel desses eventos no fomento ao Turismo. "São eventos que agregam valor a um setor já forte na nossa cidade, que é o Turismo, garantindo mais opções de lazer ao visitante e tornando a visita dele a Petrópolis ainda mais enriquecedora com a experiência do que a cidade tem de melhor, com seus produtos artesanais de alta qualidade. Eles vivenciam e ainda podem levar para casa um pouco dessa experiência degustativa que tiveram na Cidade Imperial", comenta.

Visitando a Cidade Imperial pela primeira vez, a turista australiana Monica Ridly desfrutou do evento que agitou o fim de semana em um dos cartões postais de Petrópolis. “Estou gostando muito do evento. Estou apreciando bastante”, afirma.

Mas os petropolitanos também aprovaram a edição do AgroSerra Imperial no Palácio de Cristal. “Nós já conhecíamos a edição de Secretário. Fomos lá. Mas essa aqui também ficou bem legal, com muita variedade. Isso é bom para a cidade e para o turista”, comentaram a autônoma Priscila Carneiro e a aposentada Edileuza de Castro.

Para os expositores, eventos como esse, com a parceria entre o poder público e privado, contribuem para o fomento na economia da cidade e geração de renda. “Acho essas iniciativas maravilhosas. A cidade precisa disso, de movimento para gerar renda, principalmente aqui, em um importante ponto turístico da cidade. Tenho feito eventos aqui e está sendo ótimo”, disse Sônia Regina Moreira, artesã há mais de 30 anos.

“Para nós foi um prazer realizar o AgroSerra Imperial no Palácio de Cristal. O retorno que recebemos durante os três dias de evento foi muito positivo, tanto dos expositores, que fizeram ótimas vendas, quanto do público, que por várias vezes nos parava para dizer que nunca havia visto o espaço tão bonito e bem decorado”, comemorou uma das organizadoras, Janice Caetano.

Biofeira Cultural de Nogueira reuniu mais de 2 mil visitantes

Já em Nogueira, artesanato, culinária e a produção orgânica ganharam ainda mais destaque com uma programação musical diversificada, na primeira edição da Biofeira Cultural de Nogueira, que ocorreu na Praça de Nogueira. A iniciativa foi da Associação Pró-turismo de Nogueira (PROTURNO). A feira contou com a venda de produtos como geleias, biscoitos, doces e sorvetes artesanais. A intenção dos organizadores é de que a feira tenha três edições. As seguintes ocorrerão no segundo fim de semana do mês - dias 10, 11 e 12 de novembro e 8, 9 e 10 de dezembro de 2017.

“A Prefeitura apoia esses eventos nas comunidades porque são importantes para fomentar os produtores e artesãos locais. Todos os setores são contemplados. Esse movimento vai ao encontro da nossa política que é a de promover o desenvolvimento da economia do município com todas as vertentes econômicas envolvidas, agrícolas e artesanais”, diz o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini.

Carolina Xavier, da comissão organizadora, confirma o sucesso da feira. “Todos ficaram felizes, tanto os expositores quanto os comerciantes locais e moradores”, disse.

Shows, oficinas e sorteio de cestas com produtos da agricultura familiar

Inaugurado em 1989, o Hortomercado Jornalista José Carneiro Dias, em Itaipava, é referência como ponto de venda de produtos de qualidade, cultivados nas propriedades rurais de Petrópolis. Nessa quinta-feira (17.08), o “Horto”, como é carinhosamente chamada por petropolitanos e turistas, completa 28 anos e para celebrar a data, no próximo fim de semana (19 e 20 de agosto), os frequentadores e visitantes do espaço poderão prestigiar uma programação especial com oficinas, shows musicais e sorteio de cestas. A ação foi organizada pelo Departamento de Agricultura, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico com o apoio dos agricultores que atuam no lugar.Na cidade, há 800 famílias, cerca de 5 mil pessoas vivem da produção rural em áreas do distrito da Posse, Jacó, Caititu, Vale das Videiras, Brejal, Taquaril, Secretário, Bonfim e Caxambu, movimentando R$ 16 milhões por ano na cidade e o horto é o lugar onde boa parte dos produtores coloca os produtos à venda.

A programação vai contar com show com a dupla Kay Lyra e Mauricio Maestro, no sábado e no domingo, a partir das 11h. Sorteio de cestas com produtos da agricultura familiar também serão feitos durante os dois dias de evento. Além disso, chefs petropolitanos foram convidados a participar de oficinas culinárias com a interação do público. As oficinas começarão as 11h no sábado e no domingo.

“A programação culinária ocorrerá durante o sábado e domingo, a partir das 11h. A cozinha ficará aberta para a participação dos chefs. Eu atuarei no sábado. A ideia é a de utilizar os produtos que são vendidos no horto para a confecção de todos os tipos de pratos, desde refeições até aperitivos. Serão preparads várias receitas e, dessa forma, daremos oportunidade para que os produtores apresentem os seus produtos, exaltando a qualidade da agricultura local”, explicou a arte-culinarista, Adriana Marchese.

O chef Antônio LoPresti vai ensinar, no domingo, o preparo de uma tilápia assada com molho de maracujá em redução de cachaça. “Vamos preparar uma pequena degustação. O Horto é centro cultural da boa alimentação”, explicou o chef.

Os produtores que ficam no horto estão animados com a programação. Henrique Mesquita da Costa, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrópolis, têm um box no Hortomercado desde a sua fundação, em 1989. “Essa é uma data importante que deve ser comemorada, não podemos deixar passar em branco. Nesses 28 anos, o horto passou a ser um polo turístico e recebe a visita de muitos turistas que gostam de apreciar os produtos da serra”, explicou Henrique.

Horto: ponto de encontro, boa comida e produtos de qualidade

O Hortomercado Municipal Jornalista José Carneiro Dias fica na Estrada União e Indústria, nº 9726, em Itaipava – bem ao lado do Parque Municipal. O local abriga 36 boxes, além das bancas que vendem flores. No local, os visitantes adquirem produtos orgânicos e convencionais hortifrutigranjeiros, sendo referência na venda de produtos de qualidade, cultivados nas propriedades rurais de Petrópolis. Em 36 boxes, são acomodados os frutos do trabalho de produtores de hortifrutigranjeiros, organizados em nove associações, situadas em localidades como Brejal, Bonfim, Caetitu, Caxambu, Itaipava, Jacó, Santa Catarina, Secretário e Taquaril. No espaço são comercializados legumes, verduras, ervas finas, frutas, mel, flores, trutas, ovos, doces, geleias em conservas e cogumelos dos mais diversos tipos, cultivados nas propriedades rurais.

O horto abre às sextas, sábados, domingo e feriados. O horário de funcionamento é das 9 às 18h, nas sextas e sábados e, no domingo, das 8 às 13h.

“Em um fim de semana normal, cerca 1.500 pessoas frequentam o horto. Por isso essa data é tão importante. São 28 anos de muita satisfação. Vamos ter uma programação especial com degustação de pratos preparados pelos chefs. Eles mostrarão as melhores formas de aproveitamento dos alimentos, evitando desperdícios. Vale destacar ainda a programação musical, com clássicos da Bossa Nova, Jazz e Blues no sábado e no domingo, a partir das 11h”, contou Celso Albuquerque, diretor do Departamento de Agricultura.

Votação ocorreu durante a 1ª Conferência Municipal de Política Agrícola e Fundiária - CMPAF – Petrópolis

 

Seis associações foram eleitas para representar os produtores agrícolas no Compaf – Conselho Municipal de Políticas Agrícolas e Fundiárias: Sindicato Rural, Emater, Associação dos Produtores do Brejal, Associação dos Produtores do Bonfim, Apherj (Associação dos Produtores de Hortifrutigranjeiros do Rio de Janeiro) e Associação dos Produtores do Caxambu. A eleição ocorreu durante a 1ª Conferência Municipal de Política Agrícola e Fundiária - CMPAF – Petrópolis, realizada nessa sexta-feira (14.07), na sede da Emater – Rio, em Itaipava. O evento foi coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, por meio do Departamento de Agricultura.

 

O tema da conferência foi o Fortalecimento do Associativismo. Cerca de 40 produtores agrícolas participaram do encontro. Segundo a Emater, 800 famílias, 5 mil pessoas, sobrevivem da produção rural em áreas do distrito da Posse, Jacó, Caititu, Vale das Videiras, Brejal, Taquaril, Secretário, Bonfim e Caxambu, movimentando R$ 16 milhões por ano na cidade.

 

“A realização dessa conferência é uma conquista para o setor agrícola do nosso município. O prefeito tem uma atenção especial para esse público e, por isso, as ações para melhor desenvolvimento do setor estão sendo cumpridas, como por exemplo, o aumento na compra de produtos da agricultura familiar para a composição da merenda escolar. Esse é um setor que injeta R$ 16 milhões por ano na economia da cidade. Agradecemos o empenho na escolha dos conselheiros e reafirmo que os pontos destacados no plano de governo para o setor agrícola serão cumpridos, como a licitação para o conserto do maquinário que atende aos produtores rurais”, disse o secretário chefe de Gabinete.

 

O evento também contou com uma palestra sobre o Fortalecimento do Associativismo, ministrada pelo técnico da Emater-Rio, André Luis da Costa Azevedo e por Paulo Aguinaga, produtor.

 

“Quase todas as comunidades rurais de Petrópolis têm associação e quase todas estão bem estruturadas. O nosso intuito é mostrar a força que as associações possuem na busca por alternativas que viabilizam as atividades econômicas, garantindo ao produtor, melhor desempenho para competir no mercado. Além disso, através da união dos produtores, a comunidade é beneficiada. Temos uma associação que conseguiu comprar de forma coletiva calcário com um custo 70% menor. Isso só foi possível através da associação”, explicou André.

 

As vantagens do associativismo também foram destacadas como a força para reivindicar melhorias junto ao poder público, poder usufruir de programas governamentais e uma facilidade maior de acesso à credito e a programas de ajuda ou desenvolvimento rural sustentável.

 

“Vivemos em uma sociedade individualista. A agricultura familiar tem que inverter essa lógica, afinal, juntos, somos mais fortes”, disse Paulo.

 

As seis associações eleitas têm até 30 dias para indicar os nomes dos titulares e suplentes que representarão cada associação no Compaf.

 

“É uma alegria participar da eleição dos novos integrantes. Agora, acredito que o conselho vai, de fato, representar os produtores, discutindo políticas públicas para o setor. Os produtores devem ser beneficiados, afinal, os alimentos que compõem o almoço e jantar dos petropolitanos são produzidos na cidade. Queremos uma representação ativa que lute por nossos direitos e faça nascer na geração mais nova, a vontade de dar continuidade à agricultura familiar no nosso município”, exclamou Henrique Mesquita, produtor rural e presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrópolis.

 

Na próxima reunião do Compaf, que será realizada na segunda sexta-feira de agosto, serão escolhidos cinco eixos da política agrícola e fundiária do município de Petrópolis.

 

“Agradeço a participação dos produtores na escolha dos novos integrantes na conferência. Vale destacar que o conselho é deliberativo e influi diretamente nas políticas públicas para o setor agrícola”, disse Celso Albuquerque, diretor do Departamento de Agricultura.

 
A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, por intermédio do Departamento de Agricultura, promoverá na sexta-feira (14.07), às 14h, a 1ª Conferência Municipal de Política Agrícola e Fundiária (CMPAF), no auditório da Emater-Rio, em Itaipava. Petrópolis tem hoje 800 famílias de produtores rurais e o trabalho no campo envolve mais de cinco mil pessoas em áreas na Posse, Jacob, Caititu, Vale das Videiras, Brejal, Taquaril, Secretário, Bonfim e Caxambu, movimentando R$ 16 milhões por ano na cidade.

 

“É uma oportunidade dos agricultores debaterem as questões relativas à produção agrícola. Pedimos para que todos compareçam à conferência que vai contar com uma palestra sobre o fortalecimento do associativismo”, explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico.

 

Na ocasião, serão eleitos os novos membros do Compaf – Conselho Municipal de Políticas Agrícolas e Fundiárias.

 

“Os agricultores terão a oportunidade de votar nas associações de produtores, escolhendo quem os representará no Compaf, ou seja, quem defenderá o posicionamento deles no conselho que é deliberativo e influi diretamente nas políticas públicas para o setor agrícola”, disse o diretor do departamento de Agricultura, Celso Albuquerque.

 

O evento será promovido com apoio da Emater-Rio e Sindicato Rural de Petrópolis. Além da eleição dos novos conselheiros, será ministrada a palestra “Fortalecimento do associativismo nas comunidades rurais”, pelo técnico da Emater-Rio, André Luis da Costa Azevedo. Em seguida, serão definidos os eixos da política agrícola e fundiária do município de Petrópolis.

 

“Vamos conversar sobre os conceitos do associativismo, as vantagens e desvantagens e fazer um panorama do município, observando o que as associações já obtiveram de conquistas, como devem ser organizadas e como deve ser feita a gestão da associação”, explicou André.

 

A Emater-Rio fica na Estrada União & Indústria, nº 9700, ao lado do Hortomercado Municipal. As inscrições poderão ser feitas até o dia do evento no escritório local da Emater, das 8h às 17h30. Os participantes devem chegar com meia hora de antecedência.

 
 

 

Evento vai reunir 300 cavalos e 200 expositores 

Entre os dias 14 e 17 de junho, o Parque Municipal de Itaipava sediará a Exposição Estadual do Rio de Janeiro de cavalos Mangalarga Marchador, promovida pela Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM). A expectativa é de que mais de cinco mil pessoas visitem o parque nos quatro dias de evento. A etapa estadual é o segundo maior evento do setor. 

No ano passado, a exposição contou com 51 expositores, leilão, 294 animais julgados e recebeu cerca de cinco mil visitantes. Nesse ano, o leilão vai ocorrer na sexta-feira (16.06) às 18h. 

“A expectativa é a melhor possível. O evento desperta o interesse de outros criadores e recebe muitos visitantes que são apaixonados pela raça. O Parque está muito bem cuidado e agradecemos o apoio da prefeitura”, afirmou Flávio Tavares Fernandes, presidente da Associação dos criadores do cavalo Mangalarga Marchador do Estado do Rio de Janeiro. 

Artesanato e produção agrícola 

Durante o evento, os visitantes poderão, ainda, visitar 15 barracas com produtos da agricultura familiar da região e com artesanato, disponibilizadas pelo Departamento de Agricultura. Um ponto de coleta de alimentos não perecíveis também será colocado no parque. A intenção, segundo o departamento é de que posteriormente, os alimentos sejam distribuídos para instituições beneficentes. 

“A exposição confirma a importância de Petrópolis no calendário de eventos equestres. Nesse ano já tivemos as exposições de cavalos das raças pampa e campolina, com enorme sucesso de público”, disse o diretor do Departamento de Agricultura, Celso Albuquerque.

“Esse é um evento que traz turistas para Itaipava. Os hotéis estarão cheios e o parque receberá muitos visitantes. Deixar os produtos agrícolas a mostra para os visitantes será mais uma oportunidade de mostrar o potencial produtor da cidade e confirmar a vocação turística da região e também para receber eventos como esse”, apontou Marcelo Florêncio, assessor de marketing da Turispetro. 

O esterco gerado durante o evento será distribuído para os agricultores familiares locais através das associações de produtores. “Um caminhão com esterco custa aproximadamente quinhentos reais. Em um evento como esse a expectativa é de conseguirmos cinco caminhões, ou seja, uma ajuda significativa para os produtores locais”, explicou Jarbas Braga, assessor técnico do departamento de Agricultura.

Segurança alimentar e nutricional, segurança hídrica e segurança social foram os temas abordados para a política pública da Agricultura.

Iniciativas do setor agrícola que podem ser desenvolvidas em conjunto pela Emater e Prefeitura começaram a ser debatidas pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, responsável pela área. Gargalos ao desenvolvimento da agropecuária e as barreiras institucionais, além do detalhamento sobre as políticas públicas para a agricultura já começaram a ser elencadas. A partir daí são direcionadas as ações que podem ser seguidas para se garantir as seguranças alimentar e nutricional, social e hídrica para um melhor desenvolvimento do setor agrícola no município. O primeiro encontro foi realizado quinta-feira (25.01) na sede da Emater, em Itaipava, com a participação da Associação dos Produtores Hortifrutigranjeiros do Estado do Rio de Janeiro (APHERJ).

Segundo Celso Albuquerque, Diretor do Departamento de Agricultura, Abastecimento e Produção, durante a reunião foram apresentados os pontos que são classificados como gargalo ao desenvolvimento da agropecuária e as barreiras institucionais, além do detalhamento sobre as políticas públicas para a agricultura e as ações que podem ser seguidas para se garantir as seguranças alimentar e nutricional, social e hídrica para um melhor desenvolvimento do setor agrícola no município.

“É fundamental que haja um maior desenvolvimento da cooperação e da integração como uma das alternativas para superar as deficiências. Criar eficiências coletivas, desenvolver os níveis de confiança, cooperação, reciprocidade, organização social e participação política da sociedade civil local. O departamento de agricultura está alinhado com a Emater e vamos convergir as ações para otimizar os recursos necessários para o pleno desenvolvimento do setor”, afirma Celso Albuquerque, Diretor do Departamento de Agricultura, Abastecimento e Produção da Secretaria.

Com relação à segurança hídrica, o departamento de agricultura pretende fortalecer o programa Pagamento por Serviços Ambientais (PSA), com foco em proteção de nascentes. Para se promover a segurança alimentar serão incentivadas as compras institucionais da agricultura familiar para os hospitais, restaurante popular e pelas outras secretarias.

“Com relação à segurança social, está previsto um programa de incentivo à formalização dos produtores familiares”, explicou Celso.

No encontro também foi abordada a necessidade de se implantar projetos e programas para acesso a alimentação adequada e saudável. A elaboração de um cardápio saudável com produtos da agricultura familiar e capacitação das merendeiras foram colocadas como prioridade pelo Departamento de Agricultura. Também estão previstas capacitações para os agricultores, incentivo a agricultura urbana, com a distribuição de mudas, a criação de jardins comestíveis, um maior apoio administrativo para os pequenos produtores e a elaboração de palestras e oficinas.

Além do departamento de Agricultura e do representante dos agricultores, participaram da reunião os representantes da Emater-RJ, Leonardo Faver e José Kleber Rayol.

 

 

Pagina 7 de 13