Stands com produtos na Marina da Glória, no Rio de Janeiro

Geleias, pimentas e mel. Esses são alguns dos produtos genuinamente petropolitanos que estão em exposição na 8ª edição do Green Rio 2019, na Marina da Glória, no Rio de Janeiro. A programação segue até este sábado (25.05), com rodada de negócios, palestras e oficinas com o foco em sustentabilidade, orgânicos e alimentação saudável.

Criado em 2012, o Green Rio vem se firmando como a plataforma de negócios. O público que visita o evento, além de conhecer produtores comprometidos com alimentação saudável e desenvolvimento sustentável, tem acesso a Conferência Green Rio com palestrantes do Brasil e de outros países.

Quatro stands com produtos de Petrópolis estão no evento, com a venda de compotas doces, geleias, atum solido, mel orgânico e pimentas. No stand da Escola do Senar também há produtos orgânicos de Petrópolis.

Luiz Henrique Fonseca, do Armazém Sustentável, no Brejal, é um dos expositores. “Fizemos questão de participar do evento e estamos destacando nossas conservas de geleias orgânicas, atum, proveniente da pesca sustentável e mel orgânico, resultado de uma parceria com uma empresa do Paraná. A experiência é muito positiva, ótima oportunidade de fazer contatos e mostrar a qualidade dos produtos do Brejal, da nossa cidade”, contou.

O Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico destaca que o fortalecimento da produção agrícola é um ponto essencial para o desenvolvimento econômico das cidades e a participação em feiras específicas faz parte desse processo.

Os primeiros dias do evento contou com paineis sobre agricultura sustentável, Investimentos em bioeconomia e discussão sobre o cenário da agricultura no Estado do Rio de Janeiro, além de palestras sobre fomento para desenvolvimento e Inovação, Fórum de energias renováveis, empreendedorismo tecnológico em sustentabilidade e rodada de negócios. Já no sábado (25.05), o evento apresentará discussões sobre saúde, gastronomia e gestão de resíduos; pratica de compostagem de resíduos da merenda escolar; Moda, sustentabilidade e formadores de opinião; qualificação do café no Estado do Rio de Janeiro e construções sustentáveis.

A programação completa pode ser conferida no site: www.greenrio.com.br

Segunda, 13 Maio 2019 - 18:52

Posse ganha feira livre aos sábados

Dez barracas fazem a venda de produtos da região

Banana, abacaxi, alface, tomate, brócolis e até produtos artesanais como doces, bolos, tapetes, panos de prato e laços são alguns dos destaques da Feira do Produtor, que está funcionando aos sábados na Posse, na avenida União e Indústria, em frente ao Ciep Gabriela Mistral. A feira foi inaugurada oficialmente nesse sábado (11.05).

Ao todo, dez barracas formam a feira, que funciona das 8h às 12h. Com mais esse local para venda direta, Petrópolis passou a contar com 14 feiras semanais. Sebastião Manoel Santana é um dos feirantes. Segundo ele, a venda no Centro da Posse vai facilitar o escoamento da produção. “Nós moramos longe do Centro e para a gente é interessante vender também na nossa região. Estamos felizes com essa novidade e já conquistando clientes fieis. Planto produtos orgânicos há trinta anos e estou feliz porque as pessoas estão se interessando na compra de orgânicos pensando em melhorar a saúde", disse.

Ana Lúcia de Oliveira, moradora da Posse, aprovou a iniciativa. “Os produtos são ótimos, os preços também. Muito importante essa feira, perto de casa e com tanta coisa boa".

Antônio Melo também é produtor rural. Na sua banca, os produtos mais procurados são os legumes. “Atuo com a venda direta há nove anos e estou feliz com a feira na Posse. Oportunidade de mostrar a riqueza da nossa região. Fiz muitas amizades vendendo para o povo e isso me deixa cada vez mais motivado. Amo plantar e vender saúde”, comentou Antonio.

14 feiras semanas

Além da feira na Posse, mais 13 feiras funcionam na cidade semanalmente. Segundo o Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, as maiores são as do Centro, Alto da Serra e Corrêas. Cerca de mil pessoas estão envolvidas na venda direta ao consumidor final.

As feiras ocorrem das 6h às 13h30. No domingo a venda ocorre no Alto da Serra, São Sebastião, Itamarati, Corrêas, Nogueira e Duarte da Silveira. Na terça-feira tem a feira do Centro. Já na quinta-feira tem venda direta no Henrique Raffard (Bingen) e Praça Pasteur. Nas sextas, a feira ocorre na Francisco Manoel e General Rondon (Quitandinha). No sábado, no Centro e Valparaíso.

O espaço exclusivo dentro do Parque Municipal em Itaipava para os produtores rurais da cidade, está fazendo sucesso entre os visitantes. O Galpão do Produtor Rural, tem cerca de 30 expositores com as mais diversas fabricações artesanais e naturais, além das informações sobre o turismo ecorural no município. O local reúne produções de cinco comunidades do município - Caxambú, Bonfim, Brejal, Taquaril e Jacó. O local fica aberto de 8h às 20h e funciona até domingo (05.05).

Quem visitar o espaço poderá experimentar iguarias como mel, geleias, compotas, hortaliças, antepastos, embutidos, doce de leite, caldo de cana, milho, biscoito artesanato, plantas todas produções frescas vindas das comunidades rurais da cidade. O espaço conta também locais de informações institucionais do Inea, Emater, GT Rural, Núcleo de Defesa Animal do Estado, além da presença do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), que produzem em pequena quantidade.

O objetivo do Galpão do Produtor Rural é levar uma pequena amostra do que é produzido em Petrópolis. O produtor de lúpulo, Bruno Marzulo, contou que o local é uma grande oportunidade. “Eu produzo lúpulo e isso é novo aqui na cidade, passei pelo processo experimental e hoje vejo que posso produzir aqui. O Galpão é uma oportunidade de divulgar meu produto que não serve só como ingrediente da cerveja, mas para gastronomia, cosméticos e medicamentos”, contou o produtor.

“Aqui na exposição conseguimos ganhar visibilidade do nosso trabalho, mostrando um pouquinho no Brejal, que é uma região bem rural e linda. Queremos fomentar a região para as pessoas saberem de onde vem os produtos que elas consomem. Nós somos retirantes urbanos”, contou o produtor Reinaldo Tenório que é arquiteto e veio morar com a esposa Sandra Loreiro no Brejal e se sentem realizados trabalhando na comunidade rural. O empreendimento do casal participa do Caminhos do Brejal, que faz parte do Turismo Rural que está sendo ampliado no município.

A 30ª Expo conta com exposições e campeonatos de cavalos de raça

Na área da agropecuária, a Expo conta com a exposição e campeonato de cavalos das raças Campolina e Pampa. São 108 animais vindos de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro, participando do evento, movimentando a festa, trazendo visitantes e aquecendo a economia local. Os cavalos são julgados pelos quesitos andamento - marchas, morfologia, harmonia e estilo.

“O nível da competição este ano está bem alto, estamos julgando as categorias e os melhores participarão da grande disputa. São cavalos de alto padrão e com qualidade”, contou o jurado João Augusto Varella, que veio de Cruzilhas no Sul de Minas Gerais para participar do evento com os cavalos. A grande final acontece neste sábado (04.05).

Evento vai contar com produtos da agricultura e do agronegócio familiar, além de um Café da Roça com as delícias da culinária típica

Com cerca de 800 produtores rurais no município, uma das vocações de Petrópolis também está na agricultura. E parte do que é produzido em cinco comunidades do município - Caxambú, Bonfim, Brejal, Taquaril e Jacó – poderá ser visto por quem passar pela 30ª Expo Agropecuária. O evento, que acontece a partir desta quarta-feira (1º.05) e vai até domingo (05), no Parque Municipal, em Itaipava, vai contar com o Galpão do Produtor Rural, com a participação de cerca de 30 produtores, além de um Café da Roça, com as delícias da culinária típica da roça, informações sobre o setor e sobre o turismo ecorural na cidade.

Serão cinco dias com exposições e venda de mudas e plantas, hortaliças, frutas, legumes, entre outros produtos frescos vindos das comunidades rurais da cidade. Além disso, o público também vai poder conhecer melhor o que é produzido no agronegócio familiar, como geléias e compotas, biscoitos, doces, entre outros, além do artesanato.

A ideia do Galpão do Produtor Rural é levar uma pequena amostra do que é produzido por cinco associações rurais de Petrópolis. Nos últimos anos, o setor vem sendo cada vez mais valorizado na cidade. Para a produtora Luciana Coelho resgatar essa tradição na Expo Agropecuária fortalece as comunidades rurais. “Estou bem animada para a festa. Eu faço doces artesanais com o que planto no Bonfim. As pessoas gostam muito”, frisa ela.

Este ano, uma novidade deverá deixar o público com água na boca: o Café da Roça. O estande terá o melhor da gastronomia rural, incluindo produtos que são vendidos nas festas rurais da cidade, como a Festa do Aipim, por exemplo.

Na parte agropecuária, a Expo Petrópolis vai contar com duas exposições de cavalos, de duas raças. A Expo Campolina Itaipava 2019 acontece entre os dias 02 e 04 de maio e terá julgamentos de morfologia (que verificam a beleza do animal) e andamento. E a Expo Pampa 2019, que está em sua quinta edição na Cidade Imperial, acontece entre os dias 03 e 05, e vai contar com julgamentos de marcha e provas de morfologia, além de provas esportivas, chamadas no meio de “funcionais”. Os eventos de cavalos movimentam a festa, trazem visitantes e aquecem a economia. Juntas, as duas exposições terão 220 animais. Atualmente, Petrópolis conta com 768 estabelecimentos agropecuários.

Hortomercado Municipal também funcionará na Semana Santa

Opção para quem prefere adquirir produtos frescos, as tradicionais feiras livres funcionarão durante a Semana Santa, até no próprio domingo de Páscoa (21.04). O Hortomercado Municipal também estará aberto durante o fim de semana.

De acordo com o Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, os produtos mais procurados nas feiras livres durante a Semana Santa são as frutas.

No sábado (20.04), mais uma feira será iniciada: na Posse. A feira vai funcionar das 8h às 13h no calçadão do CIEP 281, no Centro da Posse.

Feiras mantidas nos bairros e na Rua Visconde de Souza Franco

As feiras ocorrerão normalmente durante a Semana Santa. Tradicionalmente, a venda ocorre sempre das 6h às 13h30. No domingo a venda ocorre no Alto da Serra, São Sebastião, Itamarati, Corrêas, Nogueira e Duarte da Silveira. Na terça-feira tem a feira do Centro. Já na quinta-feira tem venda direta no Henrique Raffard (Bingen) e Praça Pasteur. Nas sextas, a feira ocorre na Francisco Manoel e General Rondon (Quitandinha). No sábado, no Centro e Valparaíso e, agora, na Posse.

Hortomercado Municipal

O Hortomercado Municipal também funcionará de quinta a domingo. Na quinta: das 8h às 18h; na sexta-feira - 8h às 14h; sábado - 8h às 18h e domingo de 8h às 13h. Já na segunda (22.04) o funcionamento será das 8h às 18h e na terça (23.04), das 8h às 13h.

Feira do Pescado: 30 barracas

Na Rua Souza Franco também funcionará a tradicional Feira do Pescado, nos dias 17, 18 e 19. Serão 30 barracas e a expectativa é de que seja disponibilizado para o público aproximadamente 25 toneladas de peixes. A feira vai funcionar no dia 17 (quarta-feira), das 10h às 22h, no dia 18 (quinta-feira), das 6h às 22h e no dia 19 de abril (sexta-feira), das 6h às 14h.

Dias 17, 18 e 19 de abril na Rua Souza Franco

Quem segue a tradição de priorizar a compra de peixes e frutos do mar na Semana Santa poderá aproveitar os produtos frescos que serão vendidos na tradicional Feira do Pescado. Nesse ano, a feira vai ocorrer nos dias 17, 18 e 19 de abril, na Rua Souza Franco. Serão 30 barracas e a expectativa é de que seja disponibilizado para o público aproximadamente 25 toneladas de peixes.

Os produtos mais procurados estarão à venda: corvina, tira-vira, cação, namorado, tilápia, filé de linguado, filé de merluza, sardinha, cavalinha, camarão e salmão.

A feira vai funcionar no dia 17 (quarta-feira), das 10h às 22h, no dia 18 (quinta-feira), das 6h às 22h e no dia 19 de abril (sexta-feira), das 6h às 14h.

De acordo com os feirantes os peixes mais procurados são: corvina, sardinha, cavalinha, camarão, merluza e cação em posta.

A feira ocorre por meio da parceria entre o Departamento de Agricultura, da secretaria de Desenvolvimento Econômico, Comdep, que realiza a limpeza do lugar e CPTrans, que organiza o trânsito. Além disso, a Enel realiza a ligação de energia para as barracas e a Guarda Civil reforça a segurança. Todos os feirantes usam uniformes.

 

Para fortalecer o aumento da produção agrícola no município, o poder público está estruturando projetos específicos para o setor - considerado uma vertente econômica importante que conta com 768 produtores rurais, segundo o Censo Agro 2018. Banco de Sementes e Banco de Alimentos são alguns deles e os projetos foram apresentados nessa segunda-feira (18.03) para o secretário Estadual de Abastecimento, Pecuária, Pesca e Agricultura, Eduardo Lopes pela equipe da Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

O objetivo foi mostrar que Petrópolis está atuando diretamente nesse setor, fomentando projetos que chamam a atenção para a vertente econômica e o impacto positivo da produção agrícola no município, como a implantação de um polo de ensino do Senar, que será consolidado nos próximos meses e a criação de bancos que incentivam a liberação de mudas e aproveitamento dos alimentos.

Um dos assuntos apresentados foi o do Banco de Alimentos que tem como objetivo adquirir equipamentos e utensílios para garantir o acesso à alimentação adequada em ações de educação alimentar e nutricional com famílias carentes. A ideia é que os alimentos que seriam descartados por falta de condições estéticas, sem restrições de caráter sanitários sejam separados, higienizados e processados, embalados, estocados em câmara fria e distribuídos através de agentes comunitárias a entidades filantrópicas como asilos, creches e centros comunitários. Já o Banco Comunitário de Sementes e Mudas visa fomentar o plantio das variedades e recuperar a tradição de plantio de produtos de subsistência para alimentação familiar. Um polo de ensino do Senar também será instalado no Hortomercado Municipal. O local oferecerá cursos para os agricultores.

Outro assunto que foi abordado na reunião e apresentado também para o diretor técnico da Emater-Rio, Benito Igreja Júnior, foi a questão da recuperação das estradas vicinais.O processo para aquisição de máquinas para a produção agrícola está aberto.O convênio com a instituição prevê assistência técnica e extensão rural com ênfase nas estradas de produção, ou seja, um reforço para o município no que diz respeito a manutenção das estradas.

Cidade conta com 800 produtores rurais e 768 estabelecimentos agropecuários

Muito além de receber grandes shows, a 30ª Exposição Agropecuária de Petrópolis vai movimentar também a produção rural do município e deverá atrair importantes haras e criadores de animais, principalmente de cavalos, de todo país. Assim como no ano passado, a expectativa para a festa em 2019 – que acontece de 1º a 05 de maio, no Parque Municipal, em Itaipava – é aquecer a economia no setor e continuar fazendo de Petrópolis uma referência. Em 2018, só o setor agropecuário movimentou R$ 1,1 milhão com os dois leilões de equinos.

Toda a organização e estrutura da parte rural e agropecuária da Expo, assim como dos shows e praça de alimentação, são de responsabilidade da empresa que será contrata através de licitação para realização da festa, com parâmetros estipulados pela Prefeitura. No local, deverá ser montado, por exemplo, um galpão do produtor rural com espaço para os produtores da cidade. Petrópolis é Capital Estadual dos Produtores Orgânicos e o tem o maior produtor de mudas do estado do Rio de Janeiro, por exemplo. São cerca de 800 produtores rurais em todo município, sendo 100 só de orgânicos. Além disso, conta com 768 estabelecimentos agropecuários.

“A Expo Agropecuária é um evento já tradicional na cidade e a parte agropecuária e da produção rural é muito importante para o município, é um dos principais motivos para a realização da festa, por ser também uma das vocações da cidade. Nossa expectativa é de receber importantes eventos no setor. O Parque Municipal é um espaço adequado para receber esse tipo de evento e já é referência para outras cidades. Temos uma produção rural diversificada e de qualidade na cidade e que só tem a crescer”, destaca o prefeito Bernardo Rossi.  

Na agropecuária, apesar da cidade receber muitos criadores de fora, os de Petrópolis também deverão estar inseridos. Na parte rural e artesanal, exposições de plantas, além de doces, compotas, comidas da roça e produtos orgânicos também deverão fazer parte da festa e ajudam a fortalecer as comunidades rurais da cidade.           De acordo com o diretor do Departamento de Agricultura, da Secretaria de Desenvolvimento, José Maurício Soares, Petrópolis é referência, principalmente na agricultura.

“Temos um polo produtor muito importante, como o de orgânicos, por exemplo. Estamos sempre em contato com os produtores e a participação deles nos eventos, como a Expo Agropecuária, ajuda a fomentar o setor”, explica.

Em relação aos animais, em 2018, as duas exposições realizadas no período da festa trouxeram quase 400 cavalos para o parque. Nos leilões, que fizeram parte da programação, o animal mais caro foi vendido por quase R$ 100 mil. Criadores e funcionários dos haras que participaram das duas exposições, vindos de diversos estados do país, como São Paulo e Minas Gerais, ficaram hospedados em hotéis da região e movimentaram o trade turístico.

“As exposições e leilões movimentam a economia de nossa cidade, principalmente em Itaipava e arredores. Os hotéis, restaurantes e comércio em geral aumentam seu movimento com o público envolvido nesses eventos. Além dos shows e atrações da feira serem mais um atrativo para os turistas que estão na cidade”, frisa o secretário da Turispetro, Marcelo Valente.

Petrópolis mantém 13 feiras semanais

Petrópolis tem 768 produtores rurais, de acordo com o Censo Agro 2018 e o setor mantém mil pessoas atuando nas 13 feiras que ocorrem semanalmente, no Centro e nos bairros. E, para facilitar a vida de quem trabalha com a venda direta de produtos agrícolas, a prefeitura vem estudando formas de fomentar o setor, como a disponibilização do microcrédito da AgeRio – Agencia de Fomento do Rio de Janeiro. Nessa terça-feira (12.03) uma outra ação foi realizada na feira da Rua Visconde de Souza Franco: técnicos bancários do Santander tiraram as dúvidas dos feirantes sobre as vantagens do uso das máquinas de crédito e débito.

A ação foi realizada com o apoio do Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico. A feira é uma tradição na cidade e a rotina não é fácil, por isso, tudo o que puder facilitar a vida desses trabalhadores será bem recebida. A intenção é a de mostrar que eles podem usar a tecnologia a favor das vendas porque hoje em dia muitas pessoas acabam dando preferência aos grandes supermercados justamente por conta da facilidade em se comprar com o cartão.

Durante dois dias os gerentes do banco Santander ficaram na Casa do Feirante – na Rua Souza Franco – tirando as dúvidas dos feirantes que poderão aderir a novidade. O banco está oferecendo a máquina de cartão SuperGet, que pode ser com chip e/ou com chip e Wi-Fi e/ou com bobina na modalidade aluguel ou compra com uma oferta diferenciada, para que o feirante tenha a opção de proporcionar o pagamento aos seus clientes no débito ou crédito. Segundo o banco, dependendo do volume de vendas na máquina de cartão, o feirante pode ficar isento da mensalidade durante um ano.

“Essa foi uma ação demonstrativa na feira porque muitos deles não conseguem tempo para ir no banco e tirar as dúvidas. Acredito que a aquisição de máquinas pode ser um facilitador para as vendas e que isso aumentará o movimento”, explicou José Maurício Soares, diretor do Departamento de Agricultura. Para o Santander, a iniciativa condiz com o propósito da instituição de contribuir para que as pessoas e os negócios prosperem e disseminar o empreendedorismo no País. 

José Adriano dos Santos trabalha na feira há 15 anos e explicou a necessidade de se adaptar as novas tendências. “Vamos estudar com certeza essa possibilidade porque pode mesmo nos ajudar a aumentar as vendas. Temos sempre que nos reinventar para não ficar para trás. A tecnologia pode ser usada a nosso favor e temos que aproveitar isso”, contou.

Lucimar Schmitt atua na feira há 32 anos e gostou da novidade. “A gente tem que se adaptar. As pessoas preferem comprar no cartão e acho que vale a pena pensar nisso”.

A dona de casa Lúcia Moreira, visita a feira do Centro semanalmente e acredita que o cartão pode facilitar a vida de quem faz questão de comprar na feira. “Eu gostaria muito de contar com essa novidade. Não gosto muito de andar com dinheiro na carteira e só tiro mesmo do banco para vir na feira. Tomara que essa ideia se torne realidade”, afirmou.

Microcrédito da AgeRio

Os feirantes também receberam informações sobre o microcrédito disponibilizado pela AgeRio através de uma parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Os valores dos empréstimos ofertados variam entre R$ 500 e R$ 3 mil, dependendo da necessidade do solicitante, com taxas a partir de 2,98% ao mês. O recurso pode ser investido em itens como capital de giro, reforma das barracas, compra de mercadorias, aumento de estoque e em melhorias no empreendimento. O interessado solicita o empréstimo e um técnico – que foi capacitado pela AgeRio – avalia a necessidade do valor.

Os interessados podem procurar atendimento sobre microcrédito no Espaço Empreendedor - que funciona no Centro Administrativo Frei Antônio Moser – de segunda a sexta, das 10h às 17h - na Avenida Barão do Rio Branco, n° 2846, telefone (24) 2233-8137, ou enviar e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Os documentos exigidos para a solicitação do credito são: identidade, CPF, comprovante de residência, comprovante de titularidade bancária, foto do empreendimento (tirada na visita) e certificado de MEI (se for o caso). Para o avalista é necessário identidade, CPF, comprovante de residência, comprovante de renda, identidade e CPF do cônjuge (se houver).

A prefeitura busca em Brasília recursos para o investimento na área de agricultura. Nesta terça (05.02) e quarta-feira (06), o secretário de Desenvolvimento Econômico esteve na capital federal para apresentar dois projetos: o Banco de Alimentos e o Banco de Sementes à deputados federais. O objetivo é garantir para Petrópolis recursos para sua implantação por meio de emendas dos parlamentares. O município conta 15 mil pessoas vivendo na área rural e se destaca na agricultura: são 768 produtores que se dedicam a oferecer alimentos de qualidade nas feiras livres, Hortomercado, redes gastronômica e hoteleira. Uma parte também atende a merenda escolar.

O projeto do Banco de Alimentos tem como objetivo adquirir equipamentos e utensílios para garantir o acesso à alimentação adequada em ações de educação alimentar e nutricional com famílias carentes – garantindo as refeições diárias com regularidade, qualidade e quantidade necessárias a sobrevivência digna. Já o Banco Comunitário de Sementes e Mudas visa fomentar o plantio das variedades e recuperar a tradição de plantio de produtos de subsistência para alimentação familiar.

Na incursão à Brasília, além dos projetos do Banco de Sementes e Banco de Alimentos, também foi apresentado o projeto de reforma do Horto e de compra de máquinas para a agricultura para três deputados federais.

A expectativa de crescimento na área agrícola é um dos incentivos para a buscar por investimentos para a cidade. O projeto Banco de Alimentos, vai criar uma central de arrecadação de excedentes da agricultura familiar e do que não for comercializado no Horto e feiras municipais – alimentos que seriam descartados por falta de condições estéticas, sem restrições de caráter sanitário. Esse material seria recolhido e separado, higienizado e processado, embalado, estocado em câmara fria e distribuídos através de agentes comunitárias a entidades filantrópicas como asilos, creches e centros comunitários.

O diretor do departamento de agricultura, que também esteve em Brasília, explicou como irá funcionar o Banco de Semente.  “Ao distribuirmos mudas nas comunidades, poderemos promover o intercâmbio entre os agricultores. A intenção é a de criar um núcleo para cuidar, receber e distribuir mudas, incentivando, assim, a continuidade da produção rural”, explicou.

Além desses projetos, a equipe apresentou aos deputados as ações que estão em andamento no município para o fomento do setor como o processo para aquisição de máquinas para a produção agrícola - arado reversível 3 discos, roçadeira de arrastro e conjunto de lâmina dianteira para trator, além de rolo compactador e caçamba trituradora; a implantação do polo de ensino do Senar - Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – no Hortomercado Municipal – que possibilitará aos agricultores a oportunidade de participar de cursos técnicos e a aprovação da Lei do SIM - selo que permitirá que produtos feitos em Petrópolis como queijos possam ser vendidos em outras feiras, aumentando, assim, a renda desse setor produtivo.Todos os deputados se comprometeram e vão analisar os projetos.

Pagina 4 de 13