A Prefeitura de Petrópolis está oferecendo, em seu Balcão de Empregos na internet, 109 oportunidades de trabalho em empresas do município. Para participar dos processos de seleção, os candidatos devem fazer o cadastramento de seus currículos aqui em nosso site entre esta segunda-feira (7) e a sexta-feira (11).

O Balcão de Empregos é um serviço da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, por meio do Departamento de Trabalho e Renda (Detra). Todos os candidatos concorrem nos processos seletivos, desde que atendam aos requisitos exigidos pelos empregadores. As empresas têm responsabilidade integral pelo recrutamento e pelas contratações.

Veja as oportunidades desta semana:

Açougueiro – ambos os sexos - 25 a 55 anos – Ensino Fundamental / Experiência de 1 ano na função – 3 vagas

Apontador de mão de obra - masculino - 20 a 40 anos - Ensino Fundamental / Experiência de 2 anos na função – 1 vaga

Ajudante de cozinha - masculino - 25 a 55 anos - Ensino Médio / Experiência na função – 1 vaga

Armador de estrutura de concreto – masculino - 18 a 50 anos - Ensino Fundamental / Experiência na função – 6 vagas

Atendente de lojas e supermercados – masculino - 20 a 35 anos - Ensino Médio – 1 vaga

Auxiliar de cozinha – ambos os sexos - 22 a 50 anos - Ensino Médio / Experiência de 1 ano na função – 2 vagas

Auxiliar de lanchonete – ambos os sexos - 18 a 50 anos - Ensino Fundamental / Experiência na função - 1 vaga

Auxiliar de limpeza – ambos os sexos - 22 a 45 anos - Ensino Médio / Experiência de 1 ano na função – 2 vagas

Auxiliar de produção – ambos os sexos - 22 a 55 anos - Ensino Médio / Experiência de 1 ano na função – 3 vagas

Auxiliar de serviços gerais – masculino - 25 a 55 anos - Ensino Fundamental / Experiência de 1 ano na função – 2 vagas

Balconista de autopeças – ambos os sexos - 18 a 50 anos - Ensino Médio / Experiência de 1 ano na função – 1 vaga

Barman – ambos os sexos - 22 a 45 anos - Ensino Médio / Experiência de 1 ano na função – 1 vaga

Bombeiro hidráulico – masculino - 25 a 40 anos - Ensino Fundamental / Experiência de 2 anos na função – 1 vaga

Carpinteiro - masculino - 30 a 50 anos - Ensino Fundamental / Experiência de 2 anos na função – 1 vaga

Chefe de confeitaria – ambos os sexos - 22 a 50 anos - Ensino Médio / Experiência de 2 anos na função – 2 vagas

Chefe de cozinha - ambos os sexos - 22 a 45 anos - Ensino Médio / Experiência de 1 ano na função – 1 vaga

Cozinheiro geral – ambos os sexos - 20 a 50 anos - Ensino Fundamental / Experiência na função – 3 vagas

Cozinheiro – ambos - 25 a 50 anos - Ensino Fundamental / Experiência na função e conhecimento em comida italiana será diferencial – 4 vagas

Cozinheiro de restaurante – ambos os sexos - 30 a 50 anos - Ensino Médio / Cursos específicos na área / Experiência de 1 ano na função – 2 vagas

Eletricista - ambos os sexos - 30 a 45 anos - Ensino Fundamental / Curso específico na área e experiência de 2 anos na função – 1 vaga

Fiscal de loja – masculino -20 a 26 anos - Ensino Médio / Experiência na função - 1 vaga

Garçom (Serviço de Vinhos) – ambos os sexos - 22 a 45 anos - Ensino Médio / Cursos específicos na área e experiência de 1 ano na função – 1 vaga

Garçom – ambos os sexos - 22 a 45 anos - Ensino Médio / Cursos específicos na área e experiência de 1 ano na função – 2 vagas

Lavador de veículos – ambos os sexos - 18 a 40 anos - Ensino Médio / Experiência de 1 ano na função – 3 vagas

Mecânico – masculino - 18 a 60 anos - Ensino Fundamental / Experiência de 1 ano na função – 1 vaga

Montador de móveis - masculino - 20 a 45 anos - Ensino Médio / Experiência de 2 anos na função - 1 vaga

Motorista de caminhão – ambos os sexos - 25 a 45 anos - Ensino Médio, CNH cat. D e experiência na função - 9 vagas

Oficial de manutenção - masculino - 18 a 70 anos - Ensino Médio, curso específico na área e experiência na função – 1 vaga

Operador de caixa - feminino - 35 a 50 anos - Ensino Médio / Experiência na função – 10 vagas

Operador de loja – ambos os sexos - 18 a 65 anos - Ensino Médio / Experiência na função – 5 vagas

Operador de Loja - masculino - 25 a 45 anos - Ensino Médio / Experiência na função – 10 vagas

Operador de retorcedeira – ambos os sexos - 22 a 55 anos - Ensino Médio / Experiência de 1 ano na função - 6 vagas

Padeiro – masculino - 25 a 55 anos - Ensino Fundamental / Experiência de 1 ano na função – 1 vaga

Pedreiro - masculino - 18 a 50 anos - Ensino Fundamental / Experiência na função – 8 vagas

Pizzaiolo – masculino - 25 a 55 anos - Ensino Médio / Experiência na função - 1 vaga

Torneiro mecânico - masculino - 30 a 60 anos - Ensino Médio / Experiência de 2 anos na função – 1 vaga

Venda Telemarketing - feminino - 20 a 30 anos - Ensino Médio – 1 vaga

Vendedor de comércio varejista - masculino - 25 a 55 anos - Ensino Médio / Experiência na função – 1 vaga

Vendedor externo - ambos os sexos - 29 a 55 anos - Ensino Médio e cursos específicos na área – 1 vaga

Auxiliar de produção (Pessoa com Deficiência) - ambos os sexos - 22 a 55 anos / Ensino Médio, experiência de 1 ano na função e possuir laudo atestando deficiência que permita a realização das atividades com segurança – 4 vagas

Petrópolis está cada vez mais perto de ter a sua moeda social, que já tem até nome: o “Ipê Amarelo”. Na prática, quando for implantada, a moeda social possibilitará que a Prefeitura pague com ela benefícios sociais, gratificações a servidores e até mesmo parte dos pagamentos a fornecedores. Uma moeda que somente poderá ser gasta em Petrópolis, fortalecendo o comércio local.

A Prefeitura já elaborou o projeto de lei, que será encaminhado nos próximos dias à Câmara Municipal. Nesta semana, o prefeito Rubens Bomtempo e secretários de governo apresentaram o projeto na reunião do Conselho Municipal de Economia Popular Solidária.

“O ipê amarelo vai garantir a circulação de riqueza dentro do nosso município. Agora vamos trabalhar para construir incentivos para que o comércio e as pessoas queiram cada vez mais usar a nossa moeda social. É uma política pública que vai revolucionar as áreas social e econômica do município”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

A moeda social fará parte do Programa Municipal de Economia Solidária, instituído pelo projeto de lei que será encaminhado à Câmara. Assim como a moeda social, também fazem parte do programa a criação do Banco Municipal Popular de Petrópolis e o programa de microcrédito no município.

“Estou tomado de emoção. Dez anos atrás, isso era uma utopia. Nas duas últimas eleições para prefeito que concorreu, o prefeito Bomtempo assumiu o compromisso em criar a moeda social. E ele cumpriu. Mostrou que tem palavra. É uma coisa para o futuro, que vai contemplar os nossos filhos, os nossos netos. É uma coisa pra frente, independentemente de quem estiver no poder”, disse o ex-presidente do Conselho Municipal de Economia Popular Solidária Marcelo Xavier.

O secretário de Assistência Social, Fernando Araújo, afirmou durante a reunião que o ipê amarelo será, em um primeiro momento, implantado em um território predeterminado. Em seguida, a moeda social será levada para todo o município.

Mais recursos (um orçamento 7 vezes maior), mais participação popular e mais planejamento na preparação de Petrópolis para as fortes chuvas do verão. Três grandes ações da Prefeitura, promovidas na noite de segunda-feira (7), garantirão esse novo patamar da Defesa Civil já para o próximo verão.

São elas: a posse do Conselho de Defesa Civil, a instituição do Fundo de Defesa Civil e o lançamento do Plano de Contingência de 2023. Essas três ações foram realizadas no evento “Petrópolis Resiliente”, no Instituto Teológico Franciscano, na Rua Coronel Veiga.

Para 2022, a gestão anterior orçou cerca de R$ 200 mil para a Secretaria de Defesa Civil. Já para 2023, a atual gestão está orçando, somente para o Fundo de Defesa Civil, R$ 1,5 milhão.

"Em menos de 1 ano desde que assumimos a Prefeitura, estamos construindo uma Defesa Civil muito melhor do que a que encontramos em dezembro de 2021. Uma Defesa Civil que terá um fundo anual de R$ 1,5 milhão. E o uso desse recurso será decidido pelo conselho, que estamos empossando hoje", disse o prefeito Rubens Bomtempo, que ainda anunciou mais viaturas para a Defesa Civil, uma sede nova (na Rua Teresa) e a ampliação do Cimop (Centro Integrado de Monitoramento e Operações de Petrópolis).

Além do prefeito, participaram do evento: secretários de governo, representantes sociedade civil organizada, representantes de instituições envolvidas na resposta às chuvas (Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, SOS Serra), membros dos Nudecs (Núcleos Comunitários de Defesa Civil) e vereadores (Fred Procópio, Mauro Peralta e Domingos Protetor).

No evento, foram homenageadas com o Selo Solidário da Prefeitura as instituições que ajudaram as famílias atingidas pelas chuvas de fevereiro e março.

Protocolo de Inundações

O Plano de Contingência define o que cada a cada órgão e a cada instituição na resposta às chuvas na cidade. Neste plano para 2023, está incluído o Protocolo de Inundações, produzido em conjunto com os motoristas de ônibus, para que todos saibam o que fazer no caso de uma inundação no Rio Quitandinha entre a Ponte Fones e o Obelisco.

Para colocar em prática esse protocolo, o secretário de Defesa Civil, Gil Kempers, anunciou durante o evento: a implantação de um sistema de sirenes na Rua Coronel Veiga e no Centro; e a instalação de cancelas eletrônicas em 3 pontos (Ponte Fones, Duas Pontes e UPA Centro).

“Garantindo assim que a via permaneça fechada, e os veículos não se desloquem para esses locais em uma situação de risco. Nesta semana, começaremos a pintura e a colocação de placas na via, para que seja visual. O cidadão ao passar pela Coronel Veiga, pelo Centro Histórico, vai ver quais são as ilhas de segurança, e ele vai se acostumar com isso. Eu posso estar fazendo uma compra no Centro da cidade. Tocou a sirene? Eu tenho que me deslocar para um local seguro e permanecer nele até a desmobilização”, disse Kempers.

Prefeito participou de nova reunião com os moradores, que contribuíram para projeto no entorno da Rua Jacinto Rabelo

A Prefeitura realizou, na manhã desta terça-feira (8/11), a terceira reunião com moradores do Vila Felipe para apresentar os projetos preliminares das obras de reconstrução e prevenção aos desastres no local. O encontro foi realizado na Escola Municipal Dr. Rubens de Castro Bomtempo e contou com a presença de cerca de 120 moradores.

O edital da concorrência pública deverá ser publicado ainda no mês de novembro. As intervenções complexas, que preveem barreiras dinâmicas, drenagens, e demolições de blocos rochosos soltos, reconstrução da escadaria, além da reorganização do fluxo das águas pluviais, estão no estudo técnico, que compreende a área no entorno da Rua Jacinto Rabelo.

Além da apresentação da concepção dos projetos, os moradores puderam tirar dúvidas e dar contribuições para as intervenções que serão feitas. Com base no que foi debatido, os técnicos acompanhados pelos moradores, percorreram novamente a área para esclarecer as dúvidas e atender as demandas.

“As catástrofes climáticas trouxeram uma mudança estrutural na região, e a reconstrução demanda uma série de intervenções. A Prefeitura contratou os estudos para fazer as obras de forma a garantir a segurança das famílias, com responsabilidade. Esse projeto preliminar é o primeiro passo para que as obras, que são complexas, sejam efetivadas, após processo de licitação que vai ocorrer nos próximos dias. É junto com os moradores que vamos reconstruir aquela região. Agora, os técnicos vão finalizar e apresentar a fase final do projeto”, explicou o prefeito Rubens Bomtempo.

A reativação dos programas de Saúde da Mulher, do Homem e do Idoso, no Centro de Saúde Coletiva, na Rua Santos Dumont, já garantiu resultados significativos para a Saúde do município. Em apenas dez meses, a Prefeitura conseguiu zerar as filas para o primeiro atendimento ginecológico e de clínico geral. Em janeiro, eram 4.850 pessoas aguardando a consulta e agora elas já podem ser agendadas diretamente na recepção do local.

“Com comprometimento e empenho dos profissionais conseguimos pôr fim a aquela fila. Em muitos casos, as pessoas estavam aguardando há mais de um ano para esse acolhimento. Eram três mil consultas com clínico geral e 1.850 ginecológicas represadas. A medida foi possível com a retomadas dos programas, que são extremamente importantes para o encaminhamento adequado dos pacientes”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

De acordo com o secretário de Saúde, Marcus Curvelo, além de fazer a regionalização dos atendimentos com o encaminhamento dos pacientes para as UBSs e PSFs dos respectivos territórios, seguindo o protocolo municipal, as primeiras consultas são realizadas pelos enfermeiros dos programas. “São profissionais capacitados que, neste atendimento, além de exames físicos, fazem solicitações de análises laboratoriais e também realizam outros encaminhamentos necessários. A consulta de retorno, este com o médico, é agendada tão logo os resultados dos exames fiquem prontos”, explica Curvelo.

Os resultados também foram comemorados pela diretora do CSC, Célia Bretâs. “Ficamos emocionados com esse desfecho. Realizamos uma força tarefa e fomos puxando as filas e, em pouco tempo, conseguimos dar essa resposta a população”, disse a diretora do CSC.