Na manhã desta terça-feira (20), a Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias - SDCAV esteve no distrito da Posse para vistoriar a área devastada por um incêndio em vegetação no Morro do Xingu (como é conhecido o local), que fica à margem da Estrada União e Indústria. O incêndio, que teve início no fim da tarde de segunda-feira (19), se aproximou de residências, antes de ser combatido pelas equipes do 15º Grupamento do Corpo de Bombeiros.

“A gente percebe o risco que esse incêndio ofereceu às pessoas que moram neste trecho e à propriedade dessas famílias. Além disso, esse tipo de devastação tira a proteção de vegetação do solo, o que aumenta os riscos de erosão e deslizamentos no futuro”, ressaltou o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias.

A equipe dos militares do Corpo de Bombeiros foi acionada por volta das 17h50. Segundo o Corpo de Bombeiros, por volta das 21h50 o fogo já havia sido controlado. Os militares atuaram com o apoio de agentes da Defesa Civil. Além da Posse, as regiões de Itaipava, Pedro do Rio e Cascatinha possuem no momento risco muito alto para incêndios. “É preciso destacar que o hábito de atear fogo para limpar terreno, queimar lixo, pode acabar saindo do controle e provocar incêndios como este no Xingu. Também cabe ressaltar que incêndios provocados em áreas de vegetação são crimes ambientais, o mesmo vale para a prática de soltar balões”, lembrou o secretário.

A taxa de ocupação de leitos para pacientes com covid-19 no Sistema Único de Saúde está, nesta terça (20/07), em 20,90% em leitos clínicos e 32,95% em UTIs. Levando em conta toda a rede de saúde da cidade, incluindo hospitais públicos e privados, são 99 pacientes internados, sendo 60 em UTIs e 39 em leitos clínicos. Cinco óbitos foram confirmados e incluídos na base estatística nesta terça. Um deles é referente ao mês de setembro de 2020 e o outro de janeiro deste ano, e foram inseridos agora no sistema, após o recebimento dos atestados de óbitos e resultados de exames com diagnóstico positivo.

Até agora foram realizados no município 176.799 testes para Covid-19, com 43.155 resultados positivos e 133.123 negativos (levando em consideração testes rápidos e Swab).

A Secretaria de Saúde esclarece que o número de óbitos, hoje em 1.351 é atualizado nos boletins apenas após o registro do atestado de óbito e do resultado do exame do paciente no sistema da Vigilância Epidemiológica, o que é feito por equipe administrativa. Trata-se de medida de segurança para evitar erro na informação divulgada pela Secretaria de Saúde.

A Secretaria acrescenta, ainda, que trabalha na atualização de dados de notificações e casos em análise no sistema, inserindo ainda dados pendentes de meses anteriores. É possível acompanhar a evolução dos casos no portal da transparência do coronavírus, no site da Prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br).

Óbitos registrados:

Homem, 57 anos, morador no Cascatinha. Internado em 26.09.2020 na UPA Centro e transferido para o HNSA. Óbito registrado em 02.09.2020. Paciente com hipertensão arterial.

Homem, 86 anos, morador na Castelânea. Internado em 12.01.2021 na UPA Itaipava e transferido para o HNSA. Óbito registrado em 16.01.2021 no HNSA. Paciente com hipertensão arterial.

Homem, 56 anos, morador na Mosela. Internado em 01.07.2021 na UPA Cascatinha e transferido para o HNSA. Óbito registrado em 09.07.2021 no HNSA. Paciente sem comorbidades.

Homem, 62 anos, morador na Mosela, Internado em 07.07.2021 na Upa Itaipava e transferido para o HNSA. Óbito registrado em 11.07.2021 no HNSA. Sem comorbidades.

Mulher, 57 anos, moradora no Castrioto. Internada em 30.06.2021 na UPA Cascatinha e transferida para o HNSA. Óbito registrado em 14.07.2021 no HNSA. Paciente com hipotireoidismo e obesidade.

O governo interino pretende recuperar até agosto mais de 100 quilômetros de vias vicinais na região produtora da Posse e adjacências.

O governo interino vistoriou nesta terça-feira (20) o andamento do trabalho de recuperação de estradas vicinais do Brejal e região, no distrito da Posse. As intervenções do governo municipal, que reestabeleceram um cronograma de trabalho para mais de 100 quilômetros de vias na zona rural - elaborado em acordo com o Comitê de Estradas do Brejal, começaram no início do ano e estão melhorando o acesso de produtores e moradores depois de quase quatro anos sem um calendário organizado de serviços.

“Organizamos comitês com a comunidade, que vem ajudando o município na definição das estradas que precisam ter prioridade. Com isso, já pavimentamos estradas importantes como a do Rio Bonito, do Xingu e seguimos avançando, com quase 75% do trabalho já finalizado. Voltamos a fazer na região um trabalho organizado e extenso de recuperação de estradas como era feito antes, no convênio com a Emater - RJ”, ressaltou.

O governo interino esteve na Estrada da Cachoeirinha, onde é realizada a recuperação de quatro quilômetros de via. “Primeiro a motoniveladora (patrol) corrigiu as irregularidades da pista, nivelando o piso. Acontece hoje o trabalho com a retroescavadeira, para a retirada da terra que acaba se sedimentando nas margens da pista, o que evita que esse material volte para o piso sob uma chuva. O próximo passo é a aplicação de raspa de asfalto”, informou o engenheiro da secretaria de Obras, que informa ainda que as intervenções contam ainda com trabalho de roçada.

A raspa de asfalto, que vem sendo retirada do trabalho de recuperação da Estrada União e Indústria e da BR-040 também já ajudou a pavimentar outros importantes trechos das estradas na região do Brejal. “Só na estrada Rio bonito foram cinco. No Brejal, como um todo, serão 86 quilômetros de vias recuperadas. São dezesseis estradas, que ajudam a escoar a produção local. O trabalho, no entanto, também inclui outras estradas da região, como a Taquaril”, esclarece o secretário de Obras.

Além do Taquaril, o trabalho inclui o Paiolinho e trechos da Granja Cláudia e Mata Cavalos. Já no Brejal, são: Santa Matilde (5km); Albertos (8km); Quisséis (4km); Cachoeirinha (4km); Santa Maria (5km); Avelino de Carvalho (500m); Targinos (4km); Arnaldo Dyckerhoff (6km); Caboclos (2km); Sossego (1km); Rio Bonito (5km); Xingú (11km); Contrões (8km); Pilatos (3km); e Cruzeiro (8km).

A previsão, levando em consideração as condições climáticas, é de que o trabalho possa ser concluído até o fim de agosto. “É muito importante lembrar que já há alguns anos não acontecia um trabalho de recuperação de 100% das estradas da região antes período das chuvas. E ainda tivemos que lidar com a quebra da nossa patrol no início do trabalho, o que atrasou o cronograma. Mas, desde junho, o trabalho vem ocorrendo de forma intensa”, ressalta o secretário de Obras, que lembrou ainda que parte do trabalho (cerca de sete quilômetros de estradas) foi realizado pelo Departamento de Estradas de Rodagem - DER, em uma parceria com o município.


O governo interino acompanhou nesta terça-feira (20/07) o trabalho de adequação das instalações elétricas do Museu Casa do Colono. Até o momento, a equipe realizou o mapeamento do sistema construtivo do espaço, assim como o levantamento de toda rede de energia, com a contabilização de tomadas, pontos de luz e interruptores. O próximo passo será definir quais medidas devem ser adotadas para que a nova instalação elétrica atenda aos padrões de segurança sem interferir na originalidade da edificação.

O trabalho de adequação é custeado pelo Fundo Ibermuseus para o Patrimônio Museológico. O Museu Casa do Colono foi o único brasileiro contemplado pelo Fundo, que também inclui museus da Argentina, Bolívia, Colômbia e Uruguai. O projeto conta com a parceria da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), através dos professores e alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo, Campus Petrópolis.

“A Casa do Colono é um importante patrimônio histórico e cultural da nossa cidade. Acredito que a gente vai ter um museu mais dinâmico, interativo e seguro após a conclusão desse trabalho. É um orgulho para Petrópolis ter a única instituição brasileira selecionada pelo Ibermuseus”, disse o governo interino.

A equipe de trabalho é composta por cinco estagiárias, que atuam sob coordenação dos professores Claudia Mesquita Baima (Arquitetura) e Paulo Eduardo Darski Rocha (Engenharia Elétrica). A previsão é que todo o serviço seja concluído até o fim de setembro.

“O objetivo após realizar diagnóstico é criar um projeto executivo de adequação das instalações elétricas. O desafio maior é pegar uma estrutura que foi projetada sem a existência da energia elétrica e colocar sem interferir na construção original”, explica Claudia, que é doutora em Arquitetura e especialista em restauro arquitetônico.

O acervo do Museu Casa do Colono possui utensílios de uso doméstico e ferramentas de trabalho, fotografias, quadros e objetos de uso pessoal. O atrativo fica aberto de terça a domingo, das 8h30 às 14h (horário reduzido em função da pandemia), com entrada franca. O telefone de contato é o (24) 2247-3715 e o e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

"Desafios e estratégias para manter uma educação com qualidade social: aprendizagem, financiamento e gestão compartilhada"

Busca Ativa Escolar, o Novo Fundeb e volta às aulas presenciais são alguns dos temas que estão sendo tratados durante o 74º Fórum da Undime – União dos Dirigentes Municipais de Educação do Rio de Janeiro que está sendo realizado nessa terça-feira (20/07). Petrópolis está participando do evento que tem como tema: "Desafios e estratégias para manter uma educação com qualidade social: aprendizagem, financiamento e gestão compartilhada".

“Atendendo a um pedido do governo interino, Petrópolis está participando ativamente do Fórum que fortalece a gestão dos dirigentes, oportunizando o conhecimento sobre ferramentas diferenciadas e destacando pontos importantes sobre programas federais indispensáveis para o bom funcionamento da rede pública de educação”, afirmou a secretária de Educação, que está participando do evento junto com a subsecretária.

O evento, que está ocorrendo no Novotel Rio de Janeiro, terá continuidade na quarta-feira (21/07) com o processo eleitoral, eleição e posse dos novos diretores da Undime RJ, que representarão a instituição durante a gestão 2021/2023.


Uma homenagem ao Dia do Trovador – celebrado no domingo (18/07) – marcou a abertura do "CDC Por Aí", projeto lançado pela prefeitura na noite de ontem (19) no Obelisco. Ao todo, 23 artistas tiveram suas Trovas projetadas no ponto turístico. Segundo o governo interino, o objetivo da ação é valorizar o potencial criativo da cena cultural da cidade e fomentar o acesso a cultura pela população da cidade.

Um desses artistas é o petropolitano Luiz Carlos Rodrigues Soares, de 75 anos, que acompanhou a projeção no Obelisco. Ele se dedica há mais de três décadas ao gênero literário. “Acompanhar a minha arte sendo exposta dessa maneira é algo muito bom. É uma emoção muito grande. Hoje o sentimento também é de dever cumprido. Também é bacana nessa ação levar arte para mais pessoas”, disse.

A responsável pelo projeto destacou a presença dos artistas no dia do lançamento do projeto e exaltou a criatividade entre os artistas petropolitanos. “Cada vez mais, a arte necessita criar oportunidades de acessibilidade e de envolvimento do público. Hoje é um exemplo disso. Quem passa por aqui acaba olhando e ficando surpreso. Vamos explorar espaços conhecidos dos petropolitanos levando arte e cultura", disse a gerente do Centro de Cultura.

A trova é um poema que contém apenas uma estrofe com quatro versos. Ela é um gênero literário que possui abrangência extensa através da União Brasileira de Trovadores, instituição que possui seções e delegacias espalhadas em todo o território nacional, inclusive em Petrópolis, sob a presidência da poetisa Catarina Santos, que sucedeu Roberto Francisco, que ficou à frente do movimento por mais de 40 anos.

Entre as Trovas exibidas no Obelisco estavam presentes as dos poetas Roberto Francisco, Catarina Santos, Marcia Alamino, Marina Branquinho Alves, Fernanda Forster, Rodolfo Andrade, entre outros. “O poder público quer dar mais espaço aos artistas e dar a chance do público conhecer um pouco mais daquilo que vem sendo produzido”, concluiu o presidente do Instituto Municipal de Cultura.

Secretaria de Saúde elaborou um termo para que as mesmas tenham ciência

Mulheres vacinadas contra covid-19 com o imunizante da AstraZeneca que se tornaram gestantes após receberem a vacina, podem concluir o esquema de vacinação com o imunizante do laboratório Pfizer/Biontech. No início deste mês a Secretaria de Estado de Saúde já havia recomendado que gestantes que receberam a vacina da AstraZeneca concluam o esquema de vacinação com as vacinas da Pfizer. Em Petrópolis 20 grávidas que receberam a vacina da AstraZeneca deverão concluir o esquema de vacinação em agosto, recebendo a segunda dose do laboratório Pfizer.

“O estado já havia feito esta recomendação para as gestantes vacinadas com a AstraZeneca. Agora a medida está sendo ampliada para que possamos garantir que aquelas mulheres que entraram em gestação neste período de intervalo entre a primeira e a segunda dose, também possam concluir de forma segura o esquema de vacinação”, explica o secretário de Saúde, frisando que é importante que aquelas mulheres que estão nos primeiros meses de gestação informem às profissionais de Saúde no ponto de vacinação sobre a gravidez.

No momento da vacinação é necessário que as gestantes assinem um termo esclarecendo que estão cientes sobre a conclusão do esquema vacinal com imunizantes de laboratórios diferentes. A vacinação de gestantes com a AstraZeneca foi suspensa em 11 de maio por orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Em Petrópolis, a vacinação de gestantes vem sendo feita nos pontos de vacinação da UCP campus Benjamin Constant, no Centro, e do Parque Municipal, em Itaipava. A orientação do Ministério da Saúde é de que as grávidas sejam vacinadas somente os imunizantes CoronaVac/Butantan, ou Pfizer/Biontech. Já aquelas que receberam a primeira dose da AstraZeneca devem concluir o esquema de vacinação com a Pfizer.

Até segunda (19/06) Petrópolis tinha de 135.701 pessoas que receberam a primeira dose, 46.722 que receberam a segunda dose e 6.726 que receberam a dose única do imunizante. O município iniciou na segunda-feira (19/07) a vacinação de pessoas a partir de 40 anos.

“Todos os esforços vêm sendo feitos para que possamos ter toda a população apta a receber a vacina imunizada o quanto antes. A meta é, até o fim deste mês, começarmos a vacinar as pessoas com 35 anos e até o fim de agosto chegarmos ao público de 18 anos. O município tem toda a estrutura para isso. Dependemos apenas da entrega de lotes maiores de vacinas”, destaca o governo interino.