As equipes de enfermagem, sob coordenação do departamento de Vigilância em Saúde, deram sequência na quinta (15/07) a vacinação contra a covid-19. Durante todo o dia, 2.611 pessoas foram vacinadas na cidade. Destas 1.760 receberam a primeira dose e 851 receberam a segunda dose. Até o momento 131.915 pessoas receberam a primeira dose, 43.607 receberam a segunda dose e 6.704 receberam a dose única do imunizante. Por conta da logística de informações para fechamento dos dados o boletim da vacinação passou a ser divulgado na parte da manhã.

Nos pontos de imunização foram vacinados 779 idosos, sendo sete com a primeira dose e 772 com a segunda dose. A primeira dose da vacina foi aplicada ainda em 1.560 pessoas com idade entre 43 e 59 anos sem comorbidades.

Também receberam a primeira dose do imunizante 22 pessoas com comorbidades.

Receberam a vacina ainda 14 gestantes, sendo 12 com a primeira dose e duas com a segunda. Além dessas, 36 puérperas e lactantes receberam a vacina, sendo 35 com a primeira dose e uma com a segunda.

Equipes vacinaram também 128 profissionais, de Saúde, sendo 52 com a primeira dose e 76 com a segunda. Também receberam a primeira dose, 16 trabalhadores da Educação e 56 trabalhadores do setor de transportes.

A campanha de imunização contra a covid-19 segue na sexta (16/07), com a vacinação de pessoas acima de 43 anos sem comorbidades e pessoas de grupos prioritários elencados pelo Ministério da Saúde. O cadastro deve ser preenchido no site da prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br). A vacinação contra a covid-19 acontece em pontos distribuídos nos cinco distritos.

Em caso de dúvidas é possível utilizar o Whatsapp da Saúde - assistente virtual que fornece informações sobre a vacinação, locais de atendimento a pacientes com sintomas da doença e boletins. O atendimento está disponível pelo número (24) 9.9200-1428.

A Prefeitura de Petrópolis, através da Secretaria de Assistência Social, contará com dois novos parceiros na retomada do programa "Criança Feliz", prevista para agosto. Na reunião realizada nesta quarta-feira (14), a secretária de assistência social anunciou a parceria com Universidade de São Paulo e Grupo Lego no apoio ao retorno das visitas às comunidades locais. O trabalho será intensificado em agosto respeitando os protocolos e a consequente aprofundamento da parceria.

Os novos parceiros do "Criança Feliz" terão a tarefa de se tornarem parceiros dos petropolitanos na abordagem que voltará a acontecer em diversas comunidades. Através de seu conhecimento, a USP lançará um trabalho de campo para estudar o perfil das famílias e suas necessidades, além de capacitar as equipes de visitadoras e cuidadores para atuar com as famílias, com o objetivo de melhorar e aperfeiçoar o programa. Atualmente, 380 estão cadastradas para receberem o benefício.

O público prioritário do "Criança Feliz" são gestantes, crianças de até 36 meses e suas famílias inseridas no Cadastro Único para programas sociais do Governo Federal, além de crianças de até 72 meses e suas famílias beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada e também daquelas de até 72 meses afastadas do convívio familiar, em razão da aplicação de medida de proteção.

As comunidades inscritas no programa são Centro, Meio da Serra, Alto da Serra, Contorno, Siméria, São Sebastião, Floresta, Sargento Boening, Sertão do Carangola, Vicenzo Rivetti, Côrreas, Atílio Marotti, Comunidade do Neylor, Comunidade do Alemão, Jardim Salvador, Roseiral, Quitandinha, Independência, Retiro, Madame Machado, Nogueira, Bairro da Glória, Bonfim, Castelo São Manoel, Calembe, Bonfim.

"Num cenário de pandemia, mas com a imunização contra a Covid-19 avançando no município, consideramos muito importante a retomada gradativa das visitações em domicílio. Precisamos fortalecer os vínculos afetivos com as crianças atendidas pelo ´Criança Feliz´, que são mais eficazes mediante a presença das visitadoras, que são as responsáveis pelas atividades sugeridas aos cuidadores", explicou Patrícia Ferreira, que ao lado de Klethlen Pavão, supervisiona o programa.

De acordo com a secretaria de assistência social, a expectativa é a de que já na primeira semana do mês que vem as equipes, compostas por 12 pessoas, irá retomar as visitas. A secretária de assistência social ressaltou a importância dos profissionais que atuam no sentido de fortalecer a interface entre criança, gestante com os Centros de Referência espalhados pelo município, contribuindo dessa forma de uma melhora na qualidade de vida das famílias

Depois do Vicenzo Rivetti e Atílio Maroti, chegou a vez das comunidades do Alemão e Vale do Carangola, receberem parte das duas toneladas de laranjas e tangerinas doadas à Prefeitura por um produtor rural do Bonfim. As equipes da Secretaria de Meio Ambiente, Defesa Civil e Coordenadoria Especial de Articulação Institucional do governo municipal realizaram a distribuição na tarde desta quinta-feira (15).

A Líder comunitária do Vale do Carangola agradeceu o gesto do produtor rural e destacou que muitas famílias carentes vivem na região. “São centenas de famílias que precisam desse carinho e uma sacola de frutas faz uma grande diferença, pois muitos não têm condições de comprar. É um gesto simples, mas ver a alegria das crianças também nos enche de esperança em um futuro melhor”, disse.

A redução na demanda por internações de pacientes com covid-19, que vem sendo registrada desde o início do mês de junho, abriu caminho para uma importante mudança na rede: a Secretaria de Saúde está trabalhando na reestruturação do sistema, aproveitando vagas ociosas antes destinadas a pacientes infectados pelo coronavírus para ampliar o número de leitos clínicos e de UTI para a internação de pacientes com doenças não relacionadas à covid-19. A medida, adotada inicialmente no Hospital Alcides Carneiro e no Hospital Clínico de Corrêas, agora está sendo implementada também no Hospital Municipal Nelson de Sa Earp, onde 34 leitos antes destinados a pacientes com covid-19 agora, após desinfecção, atendem pessoas com outras doenças.

A reversão de leitos foi possível com a queda sustentada na demanda por internação de pacientes com covid-19 nos últimos 45 dias. “Estamos acompanhando os dados e observamos queda significativa na demanda por leitos covid-19. Por outro lado, tivemos aumento na demanda por leitos não covid. Mantivemos o monitoramento e agora, com responsabilidade e planejamento, estamos fazendo a reversão. Iniciamos o trabalho e, com cuidado, organizamos a mudança, garantindo o isolamento das áreas que permanecerão com os pacientes infectados pelo coronavírus”, explica o secretário de Saúde, lembrando que a Secretaria faz o monitoramento constante das internações em leitos covid e não covid.

Os números:

O percentual de internações em leitos de UTI covid, que em 30 de março chegou a 99,7% na rede pública, desde 7 de junho se mantém abaixo de 50%, estando na quarta-feira em 44,32%. A redução na demanda também é observada em leitos clínicos, cuja taxa de ocupação chegou a 93% em 1º de abril e, na última quarta-feira (14/07), estava em 20,90%.

“A rede de Saúde viveu um período de estresse em março e abril deste ano, com um pico de casos de covid-19. A cidade chegou a registrar 374 pacientes internados no início de abril - considerando leitos públicos e privados. Com planejamento, conseguimos ampliar a oferta de leitos covid para pacientes do sistema público no município e atender a demanda”, explica o secretário de Saúde, lembrando que a Prefeitura conseguiu ampliar a o número de leitos, chegando a ofertar 124 leitos de UTI na rede SUS, entre leitos próprios e conveniados.

“Assim a rede conseguiu absorver toda demanda, evitando que os petropolitanos precisassem ser transferidos para outros municípios. Com a queda verificada nos últimos 45 dias, parte destes leitos começaram a ficar ociosos. A reversão permitiu que estes leitos fossem liberados para atender pacientes que precisam de internação, por conta de outras doenças”, diz.

Com a queda na demanda de pacientes com covid, no Hospital Nelson de Sá Earp, 34 leitos estão sendo revertidos para atender pacientes com doenças não relacionadas a covid-19 – toda área do segundo andar do hospital. São 24 leitos clínicos e 10 leitos de UTI disponibilizados para pacientes com doenças não relacionadas à covid-19.

“Temos observado nos últimos 45 dias uma diminuição brusca dos casos moderados graves no HMNSE, o que nos permitiu liberar todo o segundo andar do hospital e fazer esta reversão de leitos”, explica o infectologista e diretor médico do HMNSE, que avalia que a redução na demanda de pacientes com quadro grave da doença já é um reflexo da vacinação dos petropolitanos.

“Desde o início da pandemia nós, especialistas em doenças infecciosas, temos falado que a única forma plausível de controle da pandemia é com a vacinação. Em Petrópolis, o governo interino e o secretário de Saúde vêm trabalhando para acelerar este processo de vacinação. Estamos à frente de muitas outras cidades do interior. Temos mais de 50% da população que já recebeu a primeira dose. Espera-se que até o fim de agosto toda população acima de 18 anos já esteja sendo vacinada com a primeira dose e uma boa parte da população também tenha recebido a segunda dose. Isso permitirá um controle da pandemia, com redução maior nos casos graves e nas internações”, avalia, lembrando que o departamento de Epidemiologia da Vigilância em Saúde tem um trabalho reconhecido.

A taxa de ocupação de leitos para pacientes com covid-19 no Sistema Único de Saúde está, nesta quinta (15/07), em 25,37% em leitos clínicos e 44,32% em UTIs. Levando em conta toda a rede de saúde da cidade, incluindo hospitais públicos e privados, são 122 pacientes internados, sendo 59 em UTIs e 63 em leitos clínicos. Seis óbitos foram confirmados e incluídos na base estatística nesta quinta-feira.

Até agora foram realizados no município 175.802 testes para Covid-19, com 42.873 resultados positivos e 132.156 negativos (levando em consideração testes rápidos e Swab).

A Secretaria de Saúde esclarece que o número de óbitos, hoje em 1.339 é atualizado nos boletins apenas após o registro do atestado de óbito e do resultado do exame do paciente no sistema da Vigilância Epidemiológica, o que é feito por equipe administrativa. Trata-se de medida de segurança para evitar erro na informação divulgada pela Secretaria de Saúde.

A Secretaria acrescenta, ainda, que trabalha na atualização de dados de notificações e casos em análise no sistema, inserindo ainda dados pendentes de meses anteriores. É possível acompanhar a evolução dos casos no portal da transparência do coronavírus, no site da Prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br).

Óbitos registrados:

Mulher, 77 anos, moradora em Corrêas. Internada em 17.04.2021 na UPA Cascatinha. Óbito registrado em 20.04.2021 na UPA Cascatinha. Paciente com hipertensão arterial e diabetes.

Mulher, 30 anos, moradora em Nogueira. Internada em 27.05.2021 na UPA Itaipava. Óbito registrado em 29.05.2021 na UPA Itaipava. Paciente com neoplasia metastática de colo de útero.

Mulher, 69 anos, moradora em Corrêas. Internada em 17.05.2021 no HCC e transferida para o HMNSE. Óbito registrado em 31.05.2021 no HMNSE. Paciente com Alzheimer, diabetes e doença cardiovascular crônica.

Mulher, 68 anos, moradora no Quissamã. Internada em 01.06.2021 no HAC. Óbito registrado em 04.06.2021 no HAC. Paciente com hipertensão arterial e câncer de pâncreas.

Mulher, 78 anos, moradora em Secretário. Internada em 07.06.2021 no HAC. Óbito registrado em 08.06.2021 no HAC. Paciente com diabetes.

Mulher, 43 anos, moradora no Valparaíso. Internada em 04.07.2021 no HAC e transferida para o HNSA. Óbito registrado em 13.07.2021 no HNSA. Paciente com hipertensão arterial e doença arterial oclusiva periférica.

O Centro de Referência em Atendimento a Mulher – CRAM registrou um aumento de mais de 700% no número de atendimentos realizados no primeiro semestre deste ano em comparação ao mesmo período de 2020. O número é resultado, principalmente, da ampliação do acesso aos serviços do órgão, que criou novos meios para a comunicação das vítimas de violência doméstica.

Além do espaço físico, na Rua Santos Dumont, o CRAM conta com o ônibus lilás que consegue chegar às comunidades mais distantes e também oferece o atendimento remoto, por telefone. Até junho de 2020, o Centro de Referência realizou 81 atendimentos, enquanto entre os meses de janeiro e junho deste ano, 711 mulheres procuraram o órgão por meio de alguma das modalidades oferecidas.

Vale lembrar que entre os meses de março e junho de 2020, devido a pandemia, o espaço realizou apenas atendimentos por telefone. Entretanto, em comparação ao primeiro semestre do ano anterior – 2019 –, quando foram feitos 342 atendimentos, o acréscimo é de 107%.

“O número demonstra que estamos alcançando nosso objetivo, que é o de levar políticas públicas para essas mulheres. Essa ampliação do acesso é importante porque, sem esses mecanismos, elas levariam mais tempo para buscar ajuda”, disse o governo interino.

A coordenadora do CRAM destaca que o fomento desses meios contribuiu para o aumento do número de atendimentos. Só este ano, o ônibus lilás recebeu 108 mulheres, enquanto apenas pelo telefone foram 169. Lesão corporal e ameaças foram as principais violências relatadas. O maior número de vítimas tem entre 31 e 40 anos.

“Procuramos enfrentar um dos fenômenos observados em outros países que também passam por período de confinamento: com agressores e vítimas sob o mesmo teto 24h por dia, a mulher tem mais dificuldade de ir até o centro de referência, assim o atendimento por telefone faz com que consigamos ampliar a rede de acolhimento e proteção de direitos”, explica.

No CRAM, as mulheres vítimas de violência obtêm atendimento e acompanhamento psicológico, social e jurídico realizado por uma equipe multidisciplinar, auxilio na obtenção do apoio jurídico necessário a cada caso específico, orientação sobre os diferentes serviços disponíveis relacionados à prevenção, apoio e assistência às mulheres em situação de violência.

O Centro de Referência em Atendimento a Mulher fica localizado na Rua Santos Dumont, no prédio anexo ao Centro de Saúde. Os atendimentos podem ser realizados ainda através do telefone (24) 98839-7387, que também funciona como whatsapp. Já o ônibus lilás estará nesta sexta-feira (16), na Paróquia de São Sebastião do Carangola, no Cidade Nova.

O beneficio também pode ser requisitado na sede do Detra em Itaipava

Quem precisa dar entrada no seguro desemprego já pode requisitar o serviço na Casa do Trabalhador, que funciona no espaço que abrigava o antigo posto do Detran, no Terminal Centro. Para dar encaminhamento a pessoa deve levar identidade, CPF, Carteira de Trabalho, Comprovante de Residência, Rescisão de Contrato, Requerimento do Seguro Desemprego e o Extrato de Saque do FGTS. A liberação dessa ferramenta foi possível em uma parceria com o governo federal, por meio da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia.

“Este é mais um serviço importante que estamos oferecendo neste equipamento, que a Casa do Trabalhador. São vários serviços em um único espaço", aponta o governo interino.

Para os moradores de Itaipava e locais próximos, o seguro desemprego pode ser solicitado no posto do Detra que funciona no Centro de Cidadania Desembargador Jorge Loretti. O secretário de Desenvolvimento Econômico lembra que o braço do Detra em Itaipava também vai realizar o encaminhamento para o acesso do benefício.

“Também é um local de atendimento e funciona para facilitar a vida de quem mora mas distante do Centro da cidade. Além do seguro desemprego, existe o Balcão de Empregos, que oferece novas oportunidades. Vale salientar que os empresários que têm vagas para serem preenchidas nas suas empresas podem usar a ferramenta para o cadastro das oportunidades. O balcão faz uma triagem dos currículos de acordo com as necessidades das vagas e os encaminha para as empresas”, destaca.

O diretor da Casa do Trabalhador também ratifica a importância da oferta do serviço de seguro desemprego. “Muita gente, por falta de uma orientação mais técnica, não consegue ter acesso a vários benefícios aos quais tem direito. Na Casa do Trabalhador damos orientações e conseguimos ajudar esse público”.

A Casa do Trabalhador funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Outras informações podem ser consultadas pelo telefone 2246-8942.


Evento realizado pela Secretaria de Educação reuniu professores doutores que discutiram educação remota, saúde mental e ensino híbrido

A Secretaria de Educação encerrou nessa quinta-feira (15/05) a Jornada Alusiva ao Centenário de Paulo Freire, com a palestra: “Culturas e Educações híbridas: singular? plural?”, ministrada pela Doutora e Mestre em Educação, Adriana Bruno. No evento, que foi transmitido pelo YouTube e Facebook da Prefeitura de Petrópolis, foram abordadas as características principais do Ensino Híbrido os desafios impostos pelas transformações da educação ocorridas desde a pandemia, a necessidade da mudança no currículo e da interdisciplinaridade.

“Vivemos uma guerra. Não estávamos preparados para tantas mudanças. Agora, estamos nos adaptando ao híbrido que tem muitas possibilidades, mas, é preciso formação, usar novos elementos na rotina pedagógica, fortalecer a interdisciplinaridade, mudar o currículo, estar atentos às necessidades dos alunos e estar abertos a transformações no nosso modo de agir, voltar a aprender cada dia mais. É um mundo novo e estamos atendendo e nos adaptando”, explicou Adriana.

Entre os pontos destacados pela professora, está a diferença entre o híbrido e o simultâneo. O ensino híbrido tem sido definido como um programa de educação formal que mescla momentos em que o aluno estuda os conteúdos e as instruções usando recursos on-line e outros em que o ensino ocorre em sala de aula, podendo interagir com outros alunos e com o professor. Já o simultâneo é aquele em que, na carga horária total, todos os alunos interagem ao mesmo tempo com o docente.

"Entendo que uma educação híbrida não está somente na mistura, na composição de artefatos, de dispositivos tecnológicos, mas, sim, na mixagem de ideias de perspectivas, de propostas, de metodologias, integração, interatividade, colaboração, partilha e parceria", mostrou Adrian.

No final do evento, a subsecretária de Educação agradeceu a contribuição da professora Adriana Bruno que é professora associada do Departamento de Didática da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e dos Programas de Pós-Graduação em Educação e em Gestão e Avaliação da Educação Pública - ambos da UFJF, Pesquisadora PQ-2-CNPq e é líder do Grupo de Pesquisa Aprendizagem em Rede - GRUPAR.

“Manhã enriquecedora sobre um assunto que ainda é uma novidade e ter todo esse conhecimento compartilhado foi muito valioso. Agradeço à professora Adriana e todos que participaram desses três dias de jornada conosco”, afirmou a subsecretária.

O pedido é uma forma de minimizar os impactos sofridos pelos motoristas no trânsito, no momento em que as intervenções chegam ao distrito de Itaipava.

O governo interino de Petrópolis formalizou nesta quarta-feira (14), em Brasília, um pedido ao diretor geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes - DNIT, Antônio Leite dos Santos Filho, para que as obras de revitalização executadas pelo órgão federal na Estrada União e Indústria sejam realizadas no período noturno, a fim de minimizar os impactos que os trabalhos vêm causando no trânsito, especialmente neste momento em que alcançou o distrito de Itaipava.

“As intervenções na Estrada União e Indústria são fundamentais para melhorar essa importante ligação entre o Centro e os distritos. A cidade precisa e muito dessas melhorias. No entanto, elas têm impactado duramente na rotina de milhares de petropolitanos”, destacou o governo.

A reunião em Brasília, que contou com a participação dos deputados federais Hugo Leal e Dr. Luizinho, é um desdobramento de um encontro anterior com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, realizado juntamente com o deputado Vinícius Farah e o vereador Maurinho Branco. O município agora aguarda uma resposta do DNIT. “Estamos otimistas quanto a essa mudança no horário de execução”, afirmou o governo interino, lembrando que amanhã (16) a Secretaria de Obras libera a passagem de veículos pela Rua Joaquim Agante Moço (via que passa por trás do Parque Municipal de Itaipava e liga a Rua Des. Antônio Severo da Costa e a Rua Braz Rossi - Vila Epitácio - ao trecho da Estrada União e Indústria próximo ao Shopping Tarrafas). A medida deve atenuar o impacto das obras no trânsito, já que a via pode ser utilizada como rota alternativa à União e Indústria.

Na segunda-feira (12), a secretaria de Obras iniciou a recuperação da via, que estava interditada desde o início do ano passado, quando um trecho cedeu em função de uma obra realizada no local. “Vamos viabilizar já para este fim de semana a passagem de veículos leves. No início da próxima semana, começamos a pavimentação com raspa de asfalto, para melhorar a passagem pelo trecho”, informou o secretário de Obras, acrescentando que o município vai utilizar, com autorização do proprietário, parte de um terreno privado para fazer um desvio de cerca de três metros em relação à via original, em uma área de 150m². A Comdep já está fazendo também a limpeza da rua”.

Ações para minimizar os impactos no trânsito

Com a chegada das obras feitas pelo DNIT no trecho da rotatória de Bonsucesso, em Itaipava, a Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes - CPTrans reforçou na última semana o efetivo de controladores e agentes de trânsito na região, bem como o apelo para que os motoristas evitem o trecho, sempre que possível, usando a BR-040 como rota alternativa.

“Agora, com a liberação da Rua Joaquim Agante Moço, ganhamos mais uma alternativa, com a possibilidade de que os motoristas de carros leves evitem o siga e pare no trecho onde acontece a pavimentação”, pontua o diretor-presidente da CPTrans, que lembra que, além do reforço de agentes de trânsito, houve ainda a instalação de um desvio para veículos leves por Nogueira, bem como a mudança para sentido único na Vila Epitácio.


Em seis ações em 2021, a Coordenadoria já promoveu o acolhimento de 52 pets

A prefeitura de Petrópolis, por meio da Coordenadoria de Bem-estar Animal, vai promover neste sábado (17) mais uma edição da Campanha de Adoção de animais, a sétima deste ano. O evento acontece novamente na Praça Dom Pedro, de 10h às 15h, seguindo todas as medidas de segurança, e vai contar com novidades. Desta vez, os cães e gatos disponibilizados na etapa serão levados exclusivamente por protetores independentes. Os interessados em acolher algum deles precisarão ser maiores de 18 anos, além de apresentar comprovante de residência fixa, RG e CPF. Vale destacar que todos os pets estarão obrigatoriamente vacinados, vermifugados e castrados.

O governo interino destacou a realização de mais uma ação e comemorou os resultados que foram obtidos até o momento. “Já vamos para a segunda etapa deste mês e, neste ano, conseguimos dar um novo lar para 52 animais. Estamos muito felizes pelo sucesso e por todo trabalho que está sendo realizado”, disse.

Outra novidade fica por conta da Universidade Estácio de Sá, que estará presente no local durante toda a campanha realizando palestras e entrevistas. Três cursos foram escolhidos - Direito, Biologia e Jornalismo - para dar destaque e fomentar a reflexão sobre assuntos importantes voltados à causa animal. Os temas levantados serão: “As Leis de proteção aos animais”; “As zoonoses e a saúde da população: você sabe o que são zoonoses?”; e “Roda de entrevista com a população” voltado aos tópicos discutidos no dia.

O coordenador de Bem-estar Animal contou que as palestras têm um intuito educativo sobre a causa animal. “Nossa intenção é despertar a conscientização sobre temas importantes que devem ser debatidos. Trazer uma ação educacional, com conhecimento de quem entende do assunto é necessário para que possamos valorizar a nossa atuação”, garante.

Além do apoio da universidade, a campanha vai receber o apoio da Secretaria de Saúde, Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais (Comupa) e da loja de ração Rospauth. A Cobea disponibiliza contatos por e-mail e telefone para esclarecimento de dúvidas aos interessados em acolher algum animal.
Telefone: (24) 2291-1505
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.