Quinta, 18 Fevereiro 2021 12:31

Boletim Meteorológico

Atualização para as próximas 24 horas


A prefeitura reforçou junto às equipes da Secretaria de Saúde os protocolos a serem seguidos na vacinação contra o coronavírus para garantir a transparência na aplicação das doses. O vacinado e/ou familiar tem o direito de acompanhar a aspiração na área próxima da caixa térmica onde as vacinas ficam armazenadas. Também é permitido registrar, seja em vídeo ou foto, o momento da aplicação. Tanto o profissional quanto o vacinado devem, ainda, conferir a seringa antes e também depois da aplicação. Em caso de dúvida, a população pode, ainda, acionar o supervisor das equipes, presente em cada um dos pontos de vacinação.

Nesta quarta-feira (17/02), as equipes da Secretaria de Saúde continuaram os trabalhos em dois pontos fixos montados na UCP, na Rua Benjamin Constant, no Centro, e no Parque Municipal, em Itaipava. Os dois locais, que também funcionam no sistema drive thru, ficam abertos das 9h às 16h. Esse público será atendido até o próximo sábado (20). Além disso, também estão sendo vacinados acamados acima de 60 anos e idosos com dificuldade de locomoção que sejam cadastrados nos Postos de Saúde da Família com estratégia de saúde da família.

Segundo o secretário de Saúde, é importante que o acompanhante esteja atento e registre o momento da vacinação. O responsável pela aplicação se certifica, antes da aplicação e na presença do vacinado, que a seringa está com a dose. Após a aplicação, ainda na frente do vacinado, o profissional vai mostrar que a seringa está vazia. Por último, a equipe deve informar, no cartão de vacina, qual a vacina aplicada e a data de retorno para segunda dose.

O protocolo inclui ainda a triagem do paciente para coleta dos dados para registro nominal da vacina. Neste momento também é verificado o estado de saúde do paciente. “O paciente que apresentar sintomas da Covid-19 ou que tiver contraído a doença nos últimos 30 dias não poderão ser vacinados, assim como quem não estiver dentro do perfil estipulado em cada etapa anunciada”, explicou a chefe de imunização, Simone Sisnando.

Em seguida, a técnica de enfermagem fará a higienização das mãos com álcool 70% e fará o manuseio da vacina verificando sempre a manutenção da temperatura da caixa térmica onde ficam armazenadas as doses, seguindo a orientação do Programa Nacional de Imunização (PNI). No caso dos frascos multidoses, após a aspiração da vacina, ele volta imediatamente para dentro da caixa e a dose deve ser prontamente ministrada na pessoa.

“O importante é não deixar a vacina exposta à temperatura ambiente para que não sofra nenhuma alteração e mantenha a qualidade. Como as aplicações não estão sendo realizadas em ambiente controlado e climatizado, recomendamos cuidado neste manuseio. A aspiração deve ser feita em área próxima à caixa térmica e sem exposição ao sol”, disse Sisnando, esclarecendo que, após o uso, a seringa é descartada em recipiente próprio.

Este recipiente é levado para a Epidemiologia antes de ser descartado corretamente.

Pacientes atendidos nos pontos de apoio precisam informar se fizeram viagem nos últimos 30 dias

O departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde alterou a ficha de notificação dos pacientes com sintomas do novo coronavírus. Desde a semana passada, os pacientes atendidos nos pontos de apoio precisam informar se realizaram viagem nos últimos 30 dias e para qual local. A medida foi tomada para monitorar a chegada de novas variantes no município.

Na manhã desta quarta-feira (17), a Secretaria Estadual de Saúde, negou que um dos quatro casos da nova variante, informados pela Fiocruz, seja de Petrópolis. O paciente citado como sendo da cidade tem 30 anos e mora há mais de quatro anos no Rio de Janeiro, local onde foi realizado todo o atendimento e onde ele também cumpriu o período de isolamento. O homem já morou na cidade serrana, mas não esteve recentemente na cidade.

Segundo o infectologista José Henrique Castrioto, a chegada da nova variante ao estado é esperada. “Não há motivo para medidas drásticas neste momento. Novas variantes são esperadas e as medidas de proteção são as mesmas”, disse. Ele lembrou que em dezembro houve um pico no número de atendimentos, mas, a partir daí, houve redução significativa. “A rede de saúde conseguiu atender a demanda e temos, no momento, a situação controlada. Temos leitos e a rede de saúde preparada para o atendimento. Precisamos apenas observar a evolução da doença, independente da chegada de novas variantes”, frisou.

Os números de atendimento nos pontos de apoio comprovam que a procura por atendimento Covid-19 está diminuindo. Em dezembro, os dois pontos de apoio que funcionavam (Itaipava e Centro) atenderam 6.423 pacientes. Em janeiro, os três pontos existentes atenderam 4.160 pessoas. Nas primeiras duas semanas de fevereiro, os três pontos atenderam 2.105 pacientes.

O infectologista Marco Liserre alertou que a circulação do vírus só será interrompida quando mais de 70% da população estiver imunizada. “Até lá, as medidas de proteção são as mesmas. A população precisa seguir as orientações e evitar aglomerações, usar máscaras e higienizar sempre as mãos”.