Segunda, 11 Julho 2022 - 18:02

Academia da Saúde do Cremerie é a primeira a ter cultivo de horta medicinal

Capim-limão, nirá, açafrão e manjericão são algumas das ervas presentes na nova horta suspensa, implantada na Academia da Saúde do Parque Cremerie, por meio de uma parceria entre a Prefeitura, através da Secretaria de Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz.

O projeto ganhou a adesão dos usuários do espaço, que também recebem orientação sobre plantas medicinais.

O plantio é feito em materiais recicláveis, como garrafas pet, por exemplo. “Essa ação já estava dentro das práticas das Academias da Saúde e nossa intenção é contribuir para que a população entenda sobre plantas medicinais, desde o plantio e cultivo e apontando todos os benefícios do consumo”, explica o prefeito Rubens Bomtempo.

Uma vez por mês, os usuários integrantes do projeto participarão de rodas de conversa com fitoterapeutas da Fiocruz, explicando sobre as vantagens da utilização das ervas. “A intenção é garantir que todos entendam e façam o uso correto das plantas. A ideia é disponibilizá-las aos integrantes das academias e contribuir para que sigam o exemplo em suas próprias casas”, destaca o secretário de Saúde, Marcus Curvelo.

Além do Parque Cremerie, as outras três Academias da Saúde – Castelo São Manoel, Vale do Carangola e Itaipava – também receberão o projeto. “O objetivo maior é trabalhar na prevenção de doenças e essa iniciativa é de grande importância para a população, pois além de cuidar da saúde de toda a população irá capacitá-los a produzirem suas hortas em casa com materiais recicláveis”, explica o supervisor das Academias da Saúde, Renato Garcia.Capim-limão, nirá, açafrão e manjericão são algumas das ervas presentes na nova horta suspensa, implantada na Academia da Saúde do Parque Cremerie, por meio de uma parceria entre a Prefeitura, através da Secretaria de Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz. O projeto ganhou a adesão dos usuários do espaço, que também recebem orientação sobre plantas medicinais.

O plantio é feito em materiais recicláveis, como garrafas pet, por exemplo. “Essa ação já estava dentro das práticas das Academias da Saúde e nossa intenção é contribuir para que a população entenda sobre plantas medicinais, desde o plantio e cultivo e apontando todos os benefícios do consumo”, explica o prefeito Rubens Bomtempo.

Uma vez por mês, os usuários integrantes do projeto participarão de rodas de conversa com fitoterapeutas da Fiocruz, explicando sobre as vantagens da utilização das ervas. “A intenção é garantir que todos entendam e façam o uso correto das plantas. A ideia é disponibilizá-las aos integrantes das academias e contribuir para que sigam o exemplo em suas próprias casas”, destaca o secretário de Saúde, Marcus Curvelo.

Além do Parque Cremerie, as outras três Academias da Saúde – Castelo São Manoel, Vale do Carangola e Itaipava – também receberão o projeto. “O objetivo maior é trabalhar na prevenção de doenças e essa iniciativa é de grande importância para a população, pois além de cuidar da saúde de toda a população irá capacitá-los a produzirem suas hortas em casa com materiais recicláveis”, explica o supervisor das Academias da Saúde, Renato Garcia.