Quinta, 18 Junho 2020 - 15:11

Implementação do Sistema Integrado de Gestão Administrativa (SIGA) entra na segunda fase

O processo de implementação do Sistema Integrado de Gestão Administrativa (SIGA) teve sua primeira fase concluída, após a assinatura do contrato no início do mês de março deste ano. A ferramenta permitirá ao governo otimizar os trâmites processuais, reduzir custos na compra de materiais de consumo e agilizar a troca de informações entre as secretarias e órgãos do governo.

De março a maio foram concluídas seis etapas do processo. A primeira foi a instalação e configuração do ambiente tecnológico do módulo do almoxarifado e a entrega e licença de uso. A segunda etapa consistiu na instalação e configuração do ambiente tecnológico dos módulos de compras, contratos e registros de preços. A terceira etapa se focou na instalação e configuração do ambiente tecnológico dos módulos de patrimônio mobiliário, imobiliário e transportes. O serviço do quarto segmento foi a disponibilização na intranet da prefeitura dos módulos instalados e o acesso do sistema SIGA aos usuários habilitados. A quinta etapa concluída foi a migração e conversão de dados do módulo de patrimônio mobiliário com a análise e qualificação de dados, além da adequação e padronização de dados e configuração de tabelas corporativas. E a sexta e última etapa foi a conciliação contábil e financeira base migrada com valores 100% validados com a prestação de contas enviadas ao TCE-RJ em dezembro do ano passado e contas contábeis em paridade com os dados auditados pelo TCE-RJ em dezembro de 2019.

Próximas ações para implementação do SIGA

Dentro do escopo da entrega de produtos e serviços estão previstas: a construção de indicadores de processos para geração dos painéis gerenciais e estratégicos; a entrega de coletores, softwares RFID e TAG’s RFID para identificação de bens patrimoniais; o treinamento dos sistemas entregues e o mapeamento dos processos de trabalho de todas as áreas entregues.

Para a seção de saneamento de bens móveis está programado o levantamento dos bens móveis, a atualização e padronização da descrição e situação física dos bens, atualização das localizações e dos termos de responsabilidade, reavaliação dos bens e emissão do relatório dos bens faltantes e divergências apuradas.

No espectro da migração e atualização de dados estão alinhados os serviços de migração, cadastramento, adequação e padronização dos dados de almoxarifado, contratos, imóveis e transportes.

O sistema foi implementado por meio do Programa Nacional de Apoio à Gestão Administrativa e Fiscal dos Municípios Brasileiros (PNAFM), após o convênio firmado com a Caixa Econômica no ano passado. O recurso é proveniente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O PNAFM pode ser aplicado em qualquer um dos municípios brasileiros.