Servidores inativos do Inpas poderão tirar dúvidas sobre as relações de consumo em uma palestra que será realizada na próxima terça-feira (31.10) com o coordenador do Procon Petrópolis, Bernardo Sabrá. O encontro será realizado na Casa Cláudio de Souza, no Centro, a partir das 10h. A atividade é gratuita e aberta a todos aos servidores inativos.

No encontro será feito um paralelo entre os direitos contidos no Estatuto do Idoso, maioria do público do Instituto, e o Código de Defesa de Consumidor, tendo como foco as situações do dia a dia vivida pelos aposentados e pensionistas. De maneira informal, o público poderá esclarecer suas dúvidas em bate-papo e contar suas experiências sobre o assunto.

“Essa é uma palestra muito aguardada pelos idosos para que possam ter certeza dos seus direitos e tirem dúvidas a respeito das relações de consumo. Buscamos sempre trazer um assunto que seja pertinente e que atendam os anseios do público e esse assunto é um deles”, destaca o diretor-presidente do Instituto, Fernando Fortes.

A palestra realizada pelo órgão de defesa do consumidor para os servidores do Inpas faz parte de um circuito em que temas pertinentes são levados à determinada instituição de acordo com seus anseios. Em julho, lojistas e empresários da Rua Teresa participaram de um encontro sobre “Direitos e deveres do consumidor”.

“Nossa intenção é levar o conhecimento sobre as relações de consumo, destacando que o consumidor não pode ser lesado de forma alguma e que pode, inclusive, recorrer ao órgão para que atue em seu favor, se assim achar pertinente. Então, é importante que todos estejam esclarecidos para que isso aconteça”, destaca o coordenador do órgão, Bernardo Sabrá.

Aposentados e pensionistas do Instituto de Previdência e Assistência Social dos Servidores do Municipal de Petrópolis (Inpas) irão participar nesta quinta-feira (31.08) de uma palestra sobre a saúde na terceira idade. O tema será abordado pela equipe da Secretaria de Saúde, encabeçada pelo secretário da pasta, Silmar Fortes. O encontro acontece às 10h, no auditório do Inpas e é de graça.

A palestra, que contará com as presenças da superintendente de atenção à saúde, Fabíola Heck, e da geriatra e intensivista Rita Ravaglia, vai abordar aspectos sobre o envelhecimento saudável na terceira idade e a prevenção e promoção da saúde com informações voltadas a este público. Segundo os dados mais recentes divulgados pelo IBGE, Petrópolis conta com cerca de 45 mil pessoas acima de 60 anos. No país, a expectativa de vida de 75 anos, ocupando a 67ª posição no ranking da OMS.

A palestra faz parte das ações do Café com Sabedoria que leva mensalmente palestras sobre os mais variados assuntos. Este ano a atividade esclareceu dúvidas sobre diversos temas pertinentes ao dia a dia dos idosos. O objetivo é esclarecer e orientar no sentido de dar mais conhecimento e elevar a autoestima dos inativos por meio de atividades de seus interesses.


Garantir as aposentadorias e pensões a quem hoje está na ativa, mas que vai deixar de trabalhar, é a meta de um projeto de lei que altera a previdência dos servidores públicos. O documento já entregue à Câmara de Vereadores, não altera a alíquota, nem idade para se aposentar. A mudança é de ordem financeira e contábil. A medida visa garantir as aposentadorias no futuro, tendo em vista que, hoje, a insuficiência de recursos no Inpas para cobertura dos compromissos das futuras aposentadorias, o chamado déficit atuarial, é de mais de R$ 2 bilhões.

A grosso modo é uma divisão de ‘massas’. Na primeira, até a lei entrar em vigor, servidores até esta data fazem parte da ‘massa 1’, em que o regime continua o mesmo: contribuições de ativos pagam as aposentadorias dos inativos. Na ‘massa 2’, entra a capitalização de recursos no mercado financeiro. As duas massas de segurados são tratadas isoladamente, contas bancárias separadas, contabilidade própria para cada grupo e individualizadas quanto ao cadastro e escrituração, além dos recursos financeiros serem administrados separadamente

A segregação de massas foi aprovada, no ano passado, pelo então Ministério da Fazenda. Ela foi elaborada por uma comissão formada por servidores de carreira, sendo também aprovada por unanimidade pelo Conselho Municipal de Previdência de Petrópolis (CMPP) e o Conselho Revisor do Plano Diretor (CRPD).

Pela proposta as alíquotas de contribuição permanecem em 22% para o patronal e 11% para os segurados. Na ‘massa 1’ ou plano financeiro,  ingressarão servidores ativos com admissão até 31 de dezembro de 2015 e seus respectivos dependentes, aposentados com idade até 76 anos em 30 de setembro de 2017 e seus dependentes, além de todos os pensionistas já inclusos até a publicação da lei.

 Já o segundo plano, a ‘massa 2’, o Previdenciário, será composto por servidores ativos com data de ingresso no município até 31 de dezembro de 2015 e seus dependentes, aposentados com idade superior a 76 anos em 30 de setembro de 2017 e seus dependentes.

A escolha da segregação de massa foi definida após análise de oito cenários, sendo escolhida pela comissão como a melhor opção para o município. Esse plano apresenta equilíbrio atuarial com um superávit de R$ 4,7 milhões no Plano Previdenciário, sendo capaz de suportar eventuais oscilações de custos no futuro - atualmente o déficit atuarial é de mais de R$ 2 bilhões. Nele, as contribuições serão feitas pelos próprios servidores, sem a necessidade de aportes financeiros do município. Já o Plano Financeiro vai continuar recebendo recursos necessários para cobrir a diferença mensal com as despesas administrativas e com benefício dos servidores.

Instituto conta com salas novas para presidência, procuradoria e Comprev

O médico Fernando Fraga dá nome às novas salas, que funciona no mesmo prédio

O médico Fernando Fraga, que há mais de 50 anos se decida à saúde do município, foi homenageado nesta quarta-feira (01.08) durante a abertura do novo espaço do Instituto de Previdência e Assistência Social do Servidor Público do Município de Petrópolis (Inpas). O tributo se deve à sua intensa atuação no município. O novo espaço fica ao lado da atual sede, no edifício Cinda, e vai abrigar a sala da presidência e chefia de gabinete.

Com a reorganização, a procuradoria do Instituto ocupa, agora, um espaço mais amplo e adequado às suas funções. E a equipe do Comprev também tem um local exclusivo para exercer uma das funções mais importantes do instituto, que é Compensação Previdenciária. Na prática, esse grupo que atua no Inpas busca cerca de R$ 30 milhões para os cofres do Inpas, provenientes de pessoas que contribuíram para o INSS antes de se tornarem servidores – recurso que, de acordo com a legislação deve ser compensado.

A homenagem ao Dr. Fernando Fraga dando nome a esses novos espaços demonstra o respeito pela sua atuação e carreira. O trabalho que está sendo desenvolvido atualmente pelo Inpas visa exatamente isso: valorizar cada servidor, por isso a prefeitura está atuando de maneira efetiva na busca da recuperação financeira do Inpas. Isso será importante porque vai garantir a todos os servidores de hoje que tenham sua aposentadoria garantidas.

O homenageado do dia, Fernando Fraga, relembrou sua trajetória. Do extenso currículo, passou pela diretoria do Procon Socorro, onde atua até os dias de hoje, também foi professor na Fase. “Receber essa homenagem é uma honra, mas também reflexo de um trabalho feito com toda dedicação à cidade. Estou muito feliz com isso”, destacou.

A equipe do Inpas vem buscando recuperar o patrimônio do Instituto. O órgão está trabalhando para tornar viável a utilização das salas da Rua Teresa. Também está alugando estes espaços, mas a intenção é adquirir para o Inpas. Isto é uma forma de buscar restaurar o patrimônio do instituto, que durante anos foi sendo fragmentado.

Empréstimos consignados, vendas casadas e títulos de capitalização são três dos problemas mais comuns enfrentados por aposentados e pensionistas que chegam com alguma reclamação no Procon Petrópolis. O debate em torna das relações de consumo foi feito nesta terça-feira (31.10), na Casa Cláudio de Souza, quando cerca de 50 pessoas puderam aproveitar para tirar suas dúvidas sobre o assunto e receber dicas da equipe do órgão de defesa do consumidor.  A palestra foi conduzida pela chefe de atendimento do Procon, Mara Albuquerque Sampaio.

A professora aposentada Lygia Maria Hannickel Wayand foi uma que aproveitou para esclarecer suas dúvidas. Ela e o marido contrataram um serviço de internet e TV a cabo por um valor fixo, mas, depois de receber boletos com valores diferentes do que foi proposto, resolveu cancelar o serviço.

“Mesmo assim as cobranças continuam vindo, mesmo depois da empresa ter levado todos os equipamentos e não oferecer o serviço. Sem dúvidas vou com o meu marido ao Procon para saber como essa situação pode ser resolvido. Isso o que eles estão fazendo é um absurdo sem fim porque a gente faz o contrato e faz as contas com aquele valor, e toda a diferença que vem além do combinado, afeta o orçamento”, disse Lygia.

Problemas como os de Lygia são comuns na cidade. De acordo com a chefe de atendimento do Procon, Mara Albuquerque Sampaio, as empresas “empurram” a contratação de serviços ou falam alguma coisa na hora da venda e entregam outra. Esse problema é ainda mais grave, segundo ela, quando se trata do público de idosos.

“Casos como retirada de título de capitalização, por exemplo, conseguimos retirar sem maiores problemas, mas existe alguns outros mais complicados. Há casos de financeiras que massacram os idosos se aproveitando de suas necessidades e oferendo empréstimos em cima de empréstimos e, quando entramos em contato, ainda dizem que o Procon não é bem-vindo para os idosos”, relata a chefe de atendimento do órgão.

Segundo Bernardo Sabrá, coordenador do Procon, casos como esses podem e devem ser relatados no órgão. Isso para que seja possível a fiscalização e, principalmente, que as pessoas tenham seus direitos assegurados.

“Aposentados e pensionistas muitas vezes são vistos como alvo fácil de gente que se aproveita para vender seus produtos e serviços ao custo do endividamento dos outros. Então, para que consigamos atuar, precisamos que as pessoas compareçam com os documentos. Hoje, o que fizemos aqui, foi trocar experiências e tomar conhecimento de outras formas de abuso com os idosos, mas estamos de olho nessas empresas porque o consumidor, em hipótese alguma pode ser lesado”, explica Sabrá.

O diretor-presidente do Inpas, Fernando Fortes, destaca que a lotação da palestra é reflexo do interesse no tema. “Infelizmente eles são vítimas dessas empresas. Mas é bom que agora têm informações suficientes para que não sejam lesados e, caso sejam, que existe um órgão que está disponível para ajudá-los”

O Procon disponibiliza atendimento pela página do órgão no Facebook Procon Petrópolis, e pelo site www.petropolis.rj.gov.br/procon. Há ainda a opção de fazer denúncias pelo WhatsApp, pelo número 98857-5837 ou pelos telefones 2246-8469 / 8470 / 8471 / 8472 / 8473 / 8474 / 8475 / 8476 e 8477. A sede do Procon fica na Rua Dr. Moreira da Fonseca, 33, ao lado da Câmara dos Vereadores. A unidade de Itaipava funciona no Centro de Cidadania, na Estrada União e Indústria, 11.860.

“A prevenção sempre será a melhor forma de envelhecer de maneira saudável”. A declaração é da geriatra Rita Ravaglia e foi dita a cerca de 50 idosos e aposentados do Instituto de Previdência e Assistência Social dos Servidores do Municipal de Petrópolis (Inpas), nesta quinta-feira (31.08), durante uma apresentação sobre a “Saúde na Terceira Idade”. A palestra foi ministrada na Casa Cláudio de Souza.

No encontro, às 10h, a geriatra explicou que os tombos representam cerca de 30% dos problemas apresentados pelos idosos, causada, geralmente, pela instabilidade postural. Rita destaca que a melhor forma de evitar que problemas como este aconteça é ter uma alimentação balanceada, praticar atividades físicas, evitar a automedicação e buscar ficar ativo.

“Não há forma melhor que a prevenção para combater as doenças. Buscar uma vida ativa vai ser sempre um benefício, tanto para o corpo, quanto para a mente. Existem muitas famílias que também ficam assustadas porque os idosos não estão mais dormindo como antes, mas isso tem a ver com a arquitetura do sono, que vai mudando com o passar dos anos. O problema é que as pessoas acabam usando indutores de sono, o que não é aconselhável”, explica Rita Ravaglia.

O município vem buscando formas de melhorar e incentivar as atividades para melhorar a qualidade de vida dos idosos. Uma delas é a utilização das academias da terceira idade no Cremerie, Itaipava, Carangola e Castelo São Manoel. “Precisamos de uma abordagem diferenciada com os idosos e é isso que estamos propondo, com ações que buscam a prevenção”, explica a superintendente de atenção à saúde, Fabíola Heck.

Participante da palestra, a professora de português aposentada Clea Pereira Rêgo, disse que busca ficar ativa, com atividades físicas diariamente. “É preciso sempre cuidar da saúde e vim assistir à palestra porque entendo que o conhecimento não ocupa espaço. Esses esclarecimentos são muito importantes e pode nos auxiliar a levar uma vida ainda mais saudável”, destaca a profissional que atuou por 45 anos.

A atividade faz parte do “Café com Sabedoria” e é uma das ações desenvolvidas pelo Instituto para melhorar a qualidade de vida dos servidores. Também são oferecidas aulas de pintura, dança de salão, oficina da memória, terapia floral, aula de biscuit, de tricô, massoterapia, drenagem linfática, alongamento, massagem e hidroginástica. 

Gerente da CEF, Petrônio Garcia, se reuniu com aposentados e pensionistas no auditório do Inpas


Aposentados e pensionistas do Instituto de Previdência e Assistência Social dos Servidores do Município de Petrópolis (INPAS) lotaram o auditório do Projeto Conviver para acompanhar a palestra sobre Educação Financeira, proferida pelo gerente geral da Caixa Econômica Federal em Petrópolis, Petrônio Garcia. O encontro aconteceu na manhã desta segunda-feira (31.07) e contou com cerca de 50 servidores inativos, que aproveitaram para tirar dúvidas sobre o tema.


O tema foi definido com base no momento econômico do país. A crise e a má administração das aposentadorias e pensões têm levado a endividamentos. Na palestra, Petrônio lembrou que o princípio básico da educação financeira é não ganhar mais do que se ganha – o que deve ser obedecido por todas as pessoas que compartilham aquela renda familiar.


“As pessoas precisam ter uma relação adequada com o dinheiro. Isso significa, entre outras coisas, não acumular dívidas, evitar o pagamento de juros, ter cuidado com os pequenos gastos do dia a dia, anotar a monitorar os gastos diários, entre outros. Isso é importante porque faz com que a pessoa saiba exatamente para onde seu dinheiro está indo”, explica Petrônio Garcia.


A atividade faz parte do projeto Café com Sabedoria que leva mensalmente palestras sobre os mais variados assuntos inerentes ao dia a dia dos aposentados e pensionistas. Elas acontecem dentro das ações do Conviver. Além das palestras há dança de salão, oficina da memória, terapia floral, aula de biscuit, de tricot, massoterapia, drenagem linfática, alongamento, massagem e hidroginástica oferecida aos idosos.


“O aposentado e pensionista muitas vezes são as únicas pessoas com renda fixa da casa, por isso é muito importante manter o equilíbrio financeiro e a palestra foi pensada justamente para levar esses conhecimentos. Convidamos o Petrônio, que prontamente aceitou o convite e veio esclarecer a dúvida dos nossos servidores”, explica o diretor-presidente do Inpas.

 

O Café com Sabedoria deste mês – promovido mensalmente pelo Instituto de Previdência e Assistência Social do Servidor Público de Petrópolis (Inpas) – contou com uma edição especial nesta quinta-feira (31.01), no Palácio de Cristal. Em comemoração ao Dia dos Aposentados, 24 de janeiro, nove servidores inativos foram homenageados, representando todos aqueles que ajudaram na construção e no desenvolvimento de Petrópolis. Com um aumento de 25% nos últimos dois anos, a cidade tem hoje cerca de 3 mil servidores aposentados e ainda 680 pensionistas registrados pelo Inpas.

“Gostei muito da homenagem. Sinal que lembram de mim com carinho. Fui professora de história no Liceu Municipal e gostava muito dos meus alunos”, disse a aposentada Glória Nicolau, de 96 anos, a mais idosa entre os homenageados. Ela começou a vida pública na Secretaria de Educação em 1958 e conta com uma carreira de 37 anos de trabalho. Entre os homenageados haviam também aposentados dos mais diversos setores, como da saúde, COMDEP, administração, cultura, entre outros. 

Além de manter em dia as aposentadorias e pensões, o direito também está sendo garantido pela administração: em 22 meses, a partir de janeiro 2017, houve 384 aposentadorias concedidas pelo Inpas aos servidores – muitas delas represadas por anos. Esse número é maior que o que foi dado no dobro do tempo, em 44 meses, entre 2013 e 2016, quando foram concedidas 375. 

O fiscal de serviços públicos aposentado Roberto de Sá Filho, de 78 anos, também estava entre os homenageados. Com mais de 40 anos dedicados à prefeitura, ele se disse honrado e emocionado com a lembrança. “Foi uma surpresa muito agradável, estou até um pouco nervoso. Sempre ajudei a cidade e vou continuar ajudando o governo”, disse.

Segregação de massa foi apresentada nesta terça-feira aos sindicatos e elogiada pelos sindicalistas

As alterações propostas pelo Inpas para garantir a aposentadoria dos futuros servidores aposentados foram apresentadas aos sindicatos dos Servidores Públicos e dos Profissionais da Educação, Sisep e Sepe, nesta terça-feira (12.02) durante reunião na sede da Prefeitura. O encontro esclareceu dúvidas sobre o tema e apresentou como será feita a segregação de massa, mudança que não aumenta as alíquotas de contribuição de 11%. A proposta foi elogiada pelos sindicalistas, que destacaram a preocupação do governo com o futuro dos servidores.

A mudança, conforme foi explicado, é essencial para frear o rombo financeiro que existe hoje no Inpas, com um déficit atuarial superior a R$ 2 bilhões. Significa dizer que os recursos – ou a falta deles – acumulados atualmente não serão suficientes para quitar com os direitos dos servidores hoje na ativa. Ou seja, se nada for feito, os trabalhadores que se dedicam ao município não teriam garantidos suas aposentadorias no futuro.  O projeto que propõe a mudança aguarda aprovação na Câmara dos Vereadores, após ter recebido a chancela do então Ministério da Fazenda, no ano passado, do Conselho Municipal de Previdência de Petrópolis (CMPP) e do Conselho Revisor do Plano Diretor (CRPD).

Na prática não há mudanças para os servidores. Eles não serão afetados de maneira direta com esse projeto e a contribuição permanece em 22% para o patronal e 11% para os segurados. O que muda é que divisão de grupos que irão compor as ‘massas’ – que será criado, e a organização deles. A intenção é a de conseguir corrigir os déficits existentes a partir de agora para que o servidor tenha garantido suas aposentadorias.

Funciona assim: até a lei entrar em vigor, servidores até aquela data fazem parte da ‘massa 1’, o chamado Plano Financeiro, em que o regime continua o mesmo com as contribuições de ativos pagando as aposentadorias dos inativos. Na ‘massa 2’, ou Regime Previdenciário, entra a capitalização de recursos no mercado financeiro. As duas massas de segurados são tratadas isoladamente, com contas bancárias separadas, contabilidade própria para cada grupo e individualizadas quanto ao cadastro e escrituração, além dos recursos financeiros serem administrados separadamente.

“É difícil ver esse tipo de preocupação dos administradores. É uma ação corajosa e ousado porque onera a prefeitura com a reposição de valores maiores, sem afetar de forma alguma os servidores. Um projeto que recebe o apoio dos sindicatos”, elogiou o presidente do Sisep, Oswaldo Magalhães. Já a representante do Sepe, Rose Silveira, elogiou o cuidado da prefeitura ao explicar detalhadamente o projeto. “É uma política que continua, um benefício para o futuro e que começa a ser trabalhado agora”, disse.

A definição da segregação de massa foi feita após análise de oito cenários, sendo escolhida pela comissão como a melhor opção para o município. Um grupo formado essencialmente por servidores de carreira se reuniram e analisaram as projeções realizadas por especialistas. A segregação de massa apresenta equilíbrio atuarial com um superávit de R$ 4,7 milhões no Plano Previdenciário, sendo capaz de suportar eventuais oscilações de custos no futuro. Nele, as contribuições serão feitas pelos próprios servidores, sem a necessidade de aportes financeiros do município. Já o Plano Financeiro vai continuar recebendo recursos necessários para cobrir a diferença mensal com as despesas administrativas e com benefício dos servidores.

NoPlano Financeiro, ingressarão servidores ativos com admissão até 31 de dezembro de 2015 e seus respectivos dependentes, aposentados com idade até 76 anos em 30 de setembro de 2017 e seus dependentes, além de todos os pensionistas já inclusos até a publicação da lei. Já no Previdenciário, estarão servidores ativos com data de ingresso no município até 31 de dezembro de 2015 e seus dependentes, aposentados com idade superior a 76 anos em 30 de setembro de 2017 e seus dependentes.

Júlio Machado Passos, o atuário que trabalhou nas projeções, destacou a iniciativa do município em realizar esse trabalho. “Se essa atitude tivesse sido tomada 10 anos atrás, a situação não estaria como está. O trabalho foi feito dentro das normativas federais, uma vez que é uma obrigação legal o equilíbrio previdenciário e dá ao servidor a garantia de sua aposentadoria no futuro ao mesmo tempo de ‘amarra’ à legislação tendo o município que manter os repasses e não mexendo nos recursos já capitalizados. É o melhor e mais inteligente cenário para Petrópolis”, explicou.

A Vacinação na Terceira Idade é o tema da palestra que será ministrada aos servidores aposentados e inativos do Instituto de Previdência e Assistência Social do Servidores Público do Município de Petrópolis (INPAS). Ministrada por Denise de Freitas Marcelo, enfermeira do setor de Epidemiologia da Secretaria de Saúde, o encontro será no auditório do INPAS, às 10h, de sexta-feira (31.03).  A palestra vai destacar a importância de se manter imunizado nessa faixa etária e destacar quais vacinas devem ser tomadas a partir dos 60 anos.

A vacinação, além de melhorar a qualidade de vida, contribui para a prevenção de doenças infecciosas e de possíveis “descompensações” resultantes de doenças como a diabetes e hipertensão, entre outras. No encontro com os idosos, a enfermeira vai falar sobre o calendário de vacinas,  explicar a função de cada uma delas, preconizadas pelo Ministério da Saúde, além de destacar os casos em que cada uma deve ser utilizada.

“São aspectos que os idosos costumam ter dúvidas. A febre amarela, por exemplo, assunto em voga no momento, também será tratado no encontro. É importante explicar a vacinação nessa faixa etária requer avaliação médica, por exemplo. Espero tornar essa palestra esclarecedora para os participantes, deixando mais claro os aspectos que hoje são motivos de curiosidade nesse faixa etária”, destaca Denise.

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil possui a quinta maior população idosa do mundo, com cerca de 28 milhões de pessoas com 60 anos ou mais. Atualmente, a proporção de pessoas idosas no país alcançou 13,7% da população geral, ou seja, 27,8 milhões de pessoas. Em Petrópolis, dados do último senso apontam que cerca de 15% da população tem mais de 60 anos. De acordo com as estimativas, em 2030, o número de brasileiros com 60 anos ou mais ultrapassará o de crianças de 0 a 14 anos de idade.

O Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), oferece pelo calendário nacional de vacinação cinco tipos de vacinas para a população idosa: Hepatite B, Febre Amarela, dT (difteria e tétano), Influenza e Pneumocócica 23. A pneumocócica 23, que protege contra pneumonia, é ofertada para pessoas de 60 anos e mais que vivem em instituições fechadas, como casas geriátricas, hospitais, asilos e casas de repouso.

Já a influenza, é ofertada por campanhas anuais para grupos prioritários no qual se enquadram pessoas com 60 anos ou mais de idade. Em 2016, o percentual de cobertura de vacinação de idosos estava em 97% quando foram aplicadas 20 milhões de doses. Em 2011, o percentual de cobertura era de 84%. As outras três vacinas são ofertadas no Calendário Nacional de Vacinação do SUS para toda a população idosa e estão disponíveis durante todo o ano em mais de 36 mil salas de vacinação.

 

Pagina 5 de 6

Notícias por data

« Julho 2019 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

cmv-logo

Relatorio CMVP