A Prefeitura, por meio da Secretaria de Educação, apresentou ontem (17/09) o resultado do trabalho de reformulação do Referencial Curricular da Rede Municipal de Petrópolis. O documento orienta as bases pedagógicas da educação básica de 6º ao 9º ano na cidade e há seis anos não passava por revisão. A apresentação, que aconteceu pela manhã na Universidade Católica de Petrópolis Campus BC, contou com a participação de coordenadores e diretores da rede. Em discurso de abertura, a secretária de Educação Mônica Freitas, ressaltou a importância do documento e da necessidade de atualização. “A proposta curricular deve acompanhar essa nova escola, que se renova a cada dia e tem um olhar diferenciado”, disse.

Um grupo de dez coordenadores realizou os trabalhos de revisão, que se iniciaram há um ano. Foram contemplados os conteúdos de Língua Portuguesa; Matemática; Geografia; História; Ciências; Artes; Inglês; História, Geografia e Turismo de Petrópolis / Educação para o Trânsito (HGTP/ET); Religião e Educação Física. “Esse documento surgiu de um processo de reflexão no trabalho de cada escola e é um instrumento de análise, devendo estar atrelado ao projeto pedagógico e ser compartilhado entre os professores de cada unidade escolar”, enfatizou a subsecretária de Educação, Rosilene Ribeiro.

A reformulação se faz necessária para dar sentido prático aos conteúdos aprendidos em sala de aula e contextualizar o aprendizado do aluno ao mundo contemporâneo. “O aluno precisa saber para que serve tudo que se  aprende em sala de aula,  e o professor necessita saber qual o objetivo dos conteúdos. Por isso essa atualização do Referencial Curricular é tão importante”, concluiu a professora Bianca Della Nina, responsável pela coordenação da revisão.

Gestão também quita dívida de dezembro e coloca pagamentos em dia

 

Em um encontro com representantes das unidades educacionais conveniadas com o município, representantes do governo municipal apresentaram os números orçamentários para a sequência do ano letivo. Houve um aumento para R$ 200 do valorper capita para crianças da educação infantil e R$ 165 para alunos do ensino fundamental já para este ano. A Secretaria de Educação pagou o montante de R$ 450 mil a 15 instituições educacionais que mantém parceria com a administração municipal. A dívida foi deixada pela gestão passada e é resultado do não pagamento das mensalidades de dezembro de 2016. As conveniadas correspondem a 4.059 vagas na educação infantil e ensino fundamental.

 

De acordo com o secretário de Educação todos os esforços estão sendo feitos para suprir as necessidades dos conveniados e informou que em recente viagem à Brasília conseguiu que o ministro José Mendonça Filho reveja a situação e passe liberar o pagamento por esses estudantes conveniados.


Nesse ano, a Secretaria de Educação está conseguindo manter os pagamentos mensais sem atraso. “Rigorosamente em dia. Estamos cumprindo uma determinação do prefeito Bernardo Rossi de colocar a casa em ordem. O trabalho feito por essas instituições é muito importante. Elas nos ajudam a atender as crianças nos locais onde o poder público ainda não consegue atender a toda a demanda”, disse o secretário de Educação.

 

“Estamos revertendo às situações da falta de investimento da gestão anterior. Queremos ampliar os convênios, mas para isso precisamos de um planejamento feito com transparência e diálogo com as partes envolvidas. Para isso vamos promover outras reuniões e consolidar uma estratégia que atenda de forma propositiva a todos os lados. Essas unidades prestam um serviço relevante para o município, com um atendimento de qualidade”, disse.


O padre Jardel Lima representou as unidades da Mitra Diocesana na reunião e apresentou uma planilha com os custos de um Centro de Educação Infantil (CEIs), incluindo alunos do berçário até o 5º período.


            O governo municipal vai promover um estudo para tentar viabilizar um novo teto per capita para os alunos da rede conveniada. Um grupo de trabalho deve ser formado para formatar alguns cenários para padronizar o novo valor.


11 instituições que mantém 1.215 alunos receberão R$ 3,6 milhões

Valor é 40% maior do que o praticado entre 2013 e 2016

Os Centros de Educação Infantil das conveniadas com a rede municipal de educação, que mantém 1.215 alunos da educação infantil, terão mais um reajuste nos repasses feitos para a manutenção de cada estudante mensalmente. São 11 instituições que passam a receber anualmente R$ 3,6 milhões. Desde o início da nova gestão, o repasse para manutenção de cada aluno das instituições conveniadas aumentou 40%.  O anúncio foi feito nesta quinta-feira (14.12) pela prefeitura em reunião com o bispo Dom Gregório Paixão.

As creches conveniadas com a prefeitura, que atendem juntas 1.215 alunos, são joias que a prefeitura precisa conservar. Têm, além do caráter educacional, caráter social de acolhida das crianças mais carentes, de formar estes estudantes para a vida, para uma profissão, para a formação de suas famílias.

Na mesma esteira, Dom Gregório Paixão, OSB, destacou a importância do trabalho desenvolvido pelas instituições parceiras da municipalidade, creches conveniadas e escolas paroquiais da Diocese, que atendem mais de 9.000 alunos, realizam trabalho primoroso que vai além do aspecto educacional, resgatam a dignidade da pessoa humana.

Também ressaltou, o Bispo Diocesano, a importância do posicionamento da prefeitura em favor das conveniadas que, não obstante a posição da equipe técnica que indicou impossibilidade de reajuste do valor do per capita, o mesmo cumpriu seu compromisso de campanha autorizando o reajuste para R$ 250,00, o que torna viável a manutenção do brilhante trabalho desenvolvido nas creches.

Logo no início da gestão, a prefeitura pagou R$ 450 mil às creches conveniadas, dívidas não quitadas pelo governo anterior. Também no início do ano o valor por cada estudante de R$ 180,00 passou para R$ 200,00. Este valor de R$ 180 não sofria reajuste desde 2013.

A prefeitura está mantendo os pagamentos rigorosamente em dia desde o início do ano mesmo com toda a crise econômica e as dívidas de gestões anteriores que está enfrentando. E em 2018 a cidade terá estas instituições em pleno funcionamento para atender à educação infantil.

 CEIs da rede conveniada:

 Creche São José do Itamarati

Instituto Metodista de Petrópolis

Comunidade São Jorge Infantil

Espaço Educativo São Charbel

Nossa Senhora do Amor Divino

Creche do Castelo São Manoel

Paróquia Santo Antônio e Santo Agostinho

Paróquia São Judas Tadeu

Creche São Francisco de Assis

Casa São José das Oblatas de Nazaré

Associação Recrear

Os Centros de Educação Infantil que têm parceria com a rede municipal de Educação terão um reajuste de 9% nos repasses feitos mensalmente. As instituições atendem 1.310 alunos de forma integral: são dez instituições que receberão anualmente mais de R$ 4 milhões. O anuncio foi feito nessa segunda-feira (25.02) pelo prefeito Bernardo Rossi durante encontro com representantes das instituições.

A prefeitura pagou R$ 250 por aluno para essas instituições no ano passado e agora passa o valor para R$ 270 por criança, um aumento de 8%.  O poder público continua cortando gastos para garantir o investimento nessa área tão importante que é a educação.

Vale salientar que, em 2017, o poder público pagou R$ 450 mil às creches conveniadas, dívidas não quitadas pelo governo anterior. Também em 2017 o valor pago por cada estudante era de R$ 180 – valor que não sofria reajuste desde 2013.

Comparando o valor que era pago em 2016 com o novo valor de R$ 250 por criança que será pago nesse ano, pode-se constatar um aumento de 38% no repasse para essas instituições.

Carmen Lúcia Gonçalves, gestora da creche São Charbel, agradeceu a atenção do poder público. “É muito importante para cada instituição a manutenção do repasse mas, além disso, o mais importante é manter o diálogo aberto e isso nós estamos conseguindo com o governo e Secretaria de Educação”, disse.

150 vagas já serão ofertadas na 24 de Maio e Boa Vista

Para aumentar a oferta de vagas para alunos de até cinco anos nos Centros de Educação Infantil, o poder público pretende abrir novos espaços até o segundo semestre, como o CEI Boa Vista e o CEI Augusto Meshick, no Centro – o primeiro sendo construído e o segundo em adaptação.  Outros espaços também estão sendo pesquisados para abrigar mais creches, no Centro e nos bairros.  Hoje a rede tem 3,7 mil alunos em creches e a expectativa é de ampliar em 20% a oferta de vagas.

Além do CEI Boa Vista, na Estrada da Saudade e do CEI Augusto Meschick, no Centro, o poder público espera adaptar o Ciep Municipalizado Santos Dumont, no Independência,  e inaugurar mais um Centro de Educação Infantil no Centro da cidade.

Um exemplo de local que foi adaptado para receber alunos de até cinco anos é o CEI Herminia Matheus, no São Sebastião. O imóvel, que abrigava uma escola, foi adaptado em 2018 e atende atualmente 117 alunos.

Com 182 unidades escolares, sendo 70 Centros de Educação Infantil, a rede municipal de Educação conta com aproximadamente 42 mil alunos. Destes, 8.976 estão matriculados na educação infantil – 3.688 deles nos Centros de Educação Infantil.

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Educação, iniciou a segunda fase de capacitação dos professores no sistema operacional UbuntUCA, criado pelo município para ser utilizado no programa Um Computador Por Aluno (Prouca). Nesta etapa, 6.763 alunos de 28 escolas do primeiro segmento do ensino fundamental (1º ao 5º ano) serão contemplados e 345 profissionais serão capacitados. O treinamento dos professores no sistema teve início em 2014, quando 3.904 estudantes de 24 unidades receberam os netbooks e 202 profissionais foram capacitados.

“Estamos dando continuidade ao novo projeto de utilização dos netbooks iniciado no ano passado. A reformulação do programa foi importante para garantir a implantação nos netbooks de um sistema educacional de excelente qualidade e gratuito”, ressaltou a secretária de Educação, Mônica Freitas, acrescentando que o prefeito Rubens Bomtempo acompanhou pessoalmente o trabalho. “Quando esses computadores chegaram foram distribuídos sem nenhum conteúdo didático para os alunos. Em 2013, quando o prefeito Rubens Bomtempo assumiu a Prefeitura, a nossa preocupação foi qualificar esse programa e oferecer um sistema de qualidade”.

A capacitação está sendo feita por duas professoras de tecnologia da educação da rede municipal de educação, Patrícia da Cunha Garcia Voigt e Luciane de Paula Jordão dos Santos. As aulas acontecem duas vezes na semana, na Casa de Educação Visconde de Mauá. A previsão é que esta segunda etapa esteja concluída em novembro.

As escolas receberam pontos de acesso, dois carrinhos e 100 netbooks, cada uma, para serem utilizados pelos alunos e professores. Os computadores adquiriram o status de material didático e, depois de utilizados durante as aulas permanecem nas escolas. “Essas capacitações têm como objetivo apresentar aos profissionais os softwares instalados e os links educativos que já estão na área de trabalho do netbook”, disse a professora Patrícia, explicando que os carrinhos, além de serem seguros e de fácil locomoção, recarregam os computadores, utilizando apenas uma tomada elétrica com gasto mínimo de energia. Servem também para carregar notebooks e tablets. O suporte técnico dos equipamentos tem sido garantido pelo Centro de Referência em Tecnologia (Cert) e pelo Núcleo de Tecnologia Municipal (NTM).

Escolas que serão contempladas em 2015:
Nossa senhora do amparo
Germano Valente (comac)
Abelardo de Lamare
Américo Fernandes Ribeiro
Celina Schechner
Darcy Corrêa da Veiga
Dr. Theodoro Machado
Drª Paula Buarque
Duque de Caxias
General Heitor Borges
Leonardo Boff
Moyses Furtado Bravo
Oswaldo Costa Frias
Professor Paulo Monte
Rotary
Senador Mário Martins
Stefan Zweig
Taquaril
Carmem Nunes Martins
Sérgio Ribeiro Rocha
Nossa Senhora de Fátima
Paroquial Santa Bernadete
Paroquial São Pio X
Santa Luíza de Marillac
Santa Rita de Cássia
Santo Antônio (Cuiabá)
São José do Caetitu
Soroptimista

Investimento é de R$ 450 mil

Uma rede extensa em unidades, mas com pouco investimento em manutenção nos últimos anos, ocasionou deteorização da maioria das 184 unidades entre escolas e creches. Para reverter o cenário e dar mais conforto e segurança aos alunos, a prefeitura iniciou programa e melhorias que, este semestre alcança 32 escolas, totalizando 51 unidades já revistas considerando as 19 que passaram pelas intervenções no ano passado.

Desafio é grande pelo volume de alunos que a cidade tem, a quantidade de escolas e a falta de cuidados anos seguidos. Com verbas reduzidas frente à crise e com acúmulo de dívidas, instituímos um programa de pequenas intervenções, mas que aliadas ao empenho dos diretores e acompanhamento de engenheiros, que fazem uma diferença muito grande no funcionamento das unidades.

A Secretaria de Educação iniciou nessa semana obras em duas unidades educacionais: CEI Sagrada Família, localizada no Sargento Boening e no prédio da Escola Municipal Accácio Branco, no Centro.

No CEI Sagrada Família, a reforma contempla reforma do telhado, pintura e melhorias nos banheiros, incluindo a colocação de vasos adaptados e chuveiro, troca das portas das salas de aula e resolução de problemas hidráulicos. A unidade atende a 47 crianças, do matriculadas no 2º, 3º e 4º período.

Já o prédio da EM Accácio Branco, localizado na Rua Buarque de Macedo, no Centro, será adaptado para atender aos alunos do CEI Primeira Infância – que funciona atrás do imóvel da EM Accácio Branco. Com a reforma, que prevê a ligação entre os dois prédios, pintura, adaptação de três banheiros – um para cadeirantes – telas de segurança e revitalização das elétrica e hidraulica, a capacidade de atendimento do CEI Primeira Infância vai aumentar: passando de 34 alunos atendidos – entre 2º e 5º período da educação infantil – para 100 alunos. A Secretaria de Educação também estuda a possibilidade de abrir turmas do berçário e 1º período após a reforma.

São mais duas obras que entrarão para a lista de unidades beneficiadas com revitalizações estruturais. O planejamento inicial da Secretaria de Educação era o de realizar pelo menos 20 obras no inicio do ano, mas, entendendo a necessidade das unidades educacionais, aumentamos esse número. Atualmente, 32 escolas e Centros de Educação Infantil receberam melhorias.

Vale salientar que o prédio do CEI Primeira Infância também foi reformado no início desse ano. O imóvel recebeu pintura, adequações nos banheiros infantis e colocação de telas de segurança, além reforma completa da parte elétrica e do telhado, para acabar com os problemas de infiltração.

“O Departamento de Obras da Secretaria de Educação realiza visita regulares nas unidades de ensino justamente para verificar as necessidades de reformas. Mesmo com a dificuldade orçamentária estamos fazendo os ajustes necessários nas escolas e CEIs para proporcionar mais conforto para os nossos alunos”, disse a secretária de Educação, Samea Ázara. Atualmente, mais de 8 mil crianças estão sendo atendidas nas unidades educacionais da rede municipal que atendem educação infantil. 

Investimento em revitalizações

O investimento feito pela Secretaria de Educação nas reformas de pequeno é médio porte é de aproximadamente R$ 450 mil. Em 2017, mesmo com as dificuldades orçamentárias, a Secretaria de Educação promoveu reformas em 19 escolas, com o uso de R$ 150 mil.

Além dessas, a Secretaria de Educação também retomou, em março desse ano, a obra no prédio da Escola Municipal Jandira Bordignon, no Quitandinha, que estava parada desde 2016.

Com a obra, o espaço passará a contar com 12 salas de aula, biblioteca e quadra poliesportiva. A previsão é de que a obra seja entregue em janeiro de 2019. A Jandira Bordignon atende 400 alunos, matriculados desde o 5º período da educação infantil até o 9º ano do ensino fundamental. Desde 2015, os alunos estão sendo atendidos em duas casas alugas nas proximidades da obra. Em uma das casas, na Rua Getúlio Vargas são atendidos os alunos da educação infantil e ensino fundamental I e na outra, na Rua São Paulo, os alunos do ensino fundamental II. 

A construção coletiva do Plano Municipal de Educação de Petrópolis teve avanços importantes esta semana, quando a Prefeitura promoveu duas audiências públicas para a sociedade participar e dar suas sugestões. Na quarta-feira (10/6), a audiência foi com profissionais da educação, e na quinta-feira (11/6), com a sociedade civil. Nos encontros, realizados na Universidade Católica de Petrópolis (UCP), mais de 20 sugestões foram recolhidas. Elas serão avaliadas durante a 4ª Conferência Municipal de Educação, entre os dias 17 e 19 de junho, quando será elaborada a versão final do plano. A versão preliminar do documento e a programação da Conferência estão disponíveis no site oficial da Prefeitura www.petropolis.rj.gov.br.

O Plano Municipal de Educação norteará as ações para o setor até 2024, incluindo as redes municipal, estadual, federal e particular de ensino em Petrópolis. O documento tem como base o Plano Nacional de Educação, que definiu ano passado as 20 metas gerais para os dez anos seguintes. Já o Plano Municipal tem como objetivo trazer essas metas mais detalhadas, voltadas para a realidade de cada município.

“Vamos ter um plano com uma construção coletiva importante, ouvindo toda a sociedade, de forma democrática e participativa”, disse o prefeito Rubens Bomtempo. A secretária de Educação, Mônica Freitas, destaca que o plano é composto por um diagnóstico com estratégias para o setor para a próxima década. “É um documento voltado para toda a educação de Petrópolis, não só para a municipal”, explicou.

A versão final do plano continua com sua construção coletiva pois será elaborada na Conferência Municipal de Educação. O evento será aberto às 18h de quarta-feira (17/6) no campus da Benjamin Constant da UCP. No dia seguinte (18/6), às 18h, a Conferência será dividida em cinco endereços, um para cada eixo: “Educação Integral”, no Colégio Estadual Princesa Isabel, na Rua General Rondon, Quitandinha; “Educação Especial”, no Colégio Estadual Pedro II, na Rua do Imperador; “Qualidade na Educação”, no campus da Benjamin Constant da UCP; “Valorização dos Profissionais da Educação”, no Liceu Municipal Prefeito Cordolino Ambrósio, no Centro; e “Financiamento da Educação”, no Ciep Cecília Meireles, em Corrêas. Na sexta-feira (19/6), a plenária final será na UCP, a partir das 9h.

SEMANA DE EDUCAÇÃO – As duas audiências públicas sobre o Plano Municipal de Educação foram realizadas dentro da Semana de Educação de Petrópolis. Entre segunda (8/6) e sexta-feira (12/6), a Prefeitura promoveu palestras, oficinas, encontros e apresentações culturais para profissionais da educação das redes municipal, estadual e privada, estudantes universitários e a sociedade, no campus da Benjamin Constant da UCP. Esta foi a primeira Semana de Educação realizada pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Educação. Nesta edição, o tema foi “Currículo e avaliação: transpondo limites”.

A Prefeitura dará ainda nesta semana um importante passo para tirar do papel o projeto de reforma da Escola Municipal Professora Jandira Peixoto Bordignon, no Quitandinha, que atende 460 crianças e adolescentes da Educação Infantil ao 9º ano do Ensino Fundamental. Está marcada para sexta-feira (10/4) a licitação que vai definir a empresa que realizará as intervenções. O projeto prevê a reforma geral na unidade de ensino, com melhorias na infraestrutura, construção de quadra e criação de acesso para portadores de deficiência e pessoas com dificuldades de locomoção.

A secretária de Educação, Mônica Freitas, lembrou que o projeto, estimado em R$ 2,8 milhões, garantirá à comunidade escolar uma nova escola. “O prefeito Rubens Bomtempo nos pediu um projeto que atendesse de forma plena todas as necessidades da equipe e também dos alunos”, disse, lembrando que, durante a obra, os alunos serão transferidos para outro prédio, que está sendo alugado pela Prefeitura, na mesma rua. “Nossa maior preocupação era encontrar um espaço que pudesse receber todos os alunos, na própria comunidade, evitando a necessidade de grande deslocamento dos estudantes. Teremos que fazer apenas algumas adaptações”, explicou.

O projeto prevê a repaginação da fachada, construção de rampas de acesso na entrada e também ligando o primeiro e o segundo pavimentos, ampliação do refeitório e da área de recreação coberta e construção de uma nova quadra poliesportiva. “Todo o prédio passará por obras. A parte interna será totalmente remodelada, com intervenções nas salas, nos banheiros. A escola também ganhará dois banheiros acessíveis a pessoas com deficiência. Vamos colocar novos revestimentos no piso e nas paredes, recuperar esquadrias. Além disso, serão feitas novas instalações elétricas e hidrossanitárias. O prédio é bastante antigo e, por isso, as intervenções são realmente necessárias”, acrescentou a secretária.

A ideia é que todo o primeiro pavimento seja destinado à Educação Infantil. O segundo deverá atender os alunos do Ensino Fundamental. A escola terá nova biblioteca, sala de informática, sala de recursos e espaço multiuso, para atividades. Também haverá espaços remodelados para secretaria, professores, diretoria, orientação pedagógica e almoxarifado, além da substituição de todo o telhado.

A realização das intervenções era um pedido da comunidade, aceito de imediato pelo prefeito Rubens Bomtempo. “A realização da licitação é um importante passo para a concretização deste projeto. Será um ação importante para toda a comunidade”, concluiu.

A Prefeitura confirmou hoje (1/9) que os servidores da Educação que faltarem o trabalho em adesão à paralisação terão os dias descontados dos vencimentos. A medida tem como principal objetivo resguardar alunos, pais e responsáveis, que têm na escola endereço seguro para as crianças e estão sendo diretamente prejudicados pelo movimento. Ao se colocar ao lado dos pais e estudantes, o governo municipal deixa clara que sua maior preocupação é com aqueles que dependem da rede municipal de ensino, incluindo, aí, servidores que, com responsabilidade, mantêm suas tarefas. A Prefeitura também já iniciou levantamento de profissionais em estágio probatório, a fim de verificar se algum deles está participando das paralisações.

“Sempre estivemos abertos ao diálogo. Por inúmeras vezes sentamos com os representantes da categoria, incluindo os representantes do Sindicato Estadual de Educação (Sepe), a fim de discutir melhorias para os profissionais. Sempre entendemos que, para garantir um ensino de qualidade aos nossos alunos, temos que valorizar os profissionais que atuam na rede. Nos surpreendemos ao perceber que a mesa de negociações estavam sendo usados de forma a estimular um verdadeiro embate político. Não queremos isso. Queremos discutir propostas que possam ser concretizadas, sem promessas intangíveis”, disse a secretária Mônica Freitas.

A politização da pauta está levando o governo, agora, a buscar outros interlocutores com a categoria. “O diálogo será mantido, mas queremos que isso seja de forma responsável, séria e transparente. Não vamos prometer nada que não possamos cumprir”, afirmou o secretário de Administração e Recursos Humanos, Henrique Manzani.

Sem aulas, centenas de pais estão ficando sem ter onde deixar os filhos para trabalhar. Famílias carentes que têm na unidade escolar um espaço seguro de educação e também alimentação, também estão sem saber o que fazer. A secretária de Educação, Mônica Freitas agradeceu os servidores que não aderiram ao movimento liderado pelo Sepe, num claro reconhecimento do esforço do governo municipal para avançar e, principalmente, em sinal de respeito aos alunos e seus familiares. “Pedimos que todos tenham bom senso. O diálogo tem que ser feito de forma responsável e levando em conta a Lei de Responsabilidade Fiscal, que nos impõe limites orçamentários”, disse.

Diálogo permanente

A Secretaria de Educação já oficiou o Ministério Público sobre a paralisação dos profissionais da categoria organizada pelo Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe) na última semana. O movimento, na última quarta-feira, surpreendeu os pais, alunos e também representantes da secretaria, que mantinham diálogo permanente com o grupo. Havia, inclusive, um grupo de trabalho formado por representantes do governo municipal e do Sepe para discutir melhorias para os profissionais. Deste grupo saiu, no dia 15 de julho, acordo prevendo várias medidas, entre elas a realização de estudos, em andamento, prevendo, por exemplo, a reformulação do documento de porte e concurso de remoção.

Segundo levantamento da secretaria, o ato liderado pelo Sepe na última quarta-feira afetou o funcionamento de 17% das unidades educacionais do município – sendo Centros de Educação Infantil a grande maioria.

As reuniões periódicas realizadas pelo governo com o Sepe para discutir os pleitos dos profissionais incluíam, entre outros temas, a redução de carga horária de 40 para 30 horas semanais, assim como a destinação de 1/3 da jornada de trabalho dos professores ao planejamento de aulas. A Secretaria de Educação, no entanto, sempre deixou claro que não há como garantir os benefícios sem um plano de médio a longo prazo.

Desde janeiro de 2013, o município garantiu avanços significativos à categoria, como o enquadramento de 1.125 servidores no Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) – processo que estava congelado desde 2011 – e reajustes salariais acima da inflação - 8% de reajuste salarial em 2013 e 8% em 2014, que representaram um ganho real para os profissionais. Além disso, em um ano, 1.101 profissionais foram convocados e, hoje, já atuam na rede.

Banner INFOS ATUAIS2

Notícias por data

« Agosto 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31            

Prestação de conta COVID-19

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

Cadastro da inscrição do IPTU para crédito da Nota Imperial

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo