Evento vai reunir profissionais de diferentes setores do poder público para levar os serviços para a comunidade 

A comunidade do Caxambu vai ser a segunda região do município a receber a Ação Social promovida pela Secretaria de Assistência Social. O evento aberto a toda a população, vai ser realizado neste sábado (15.06), na Escola Municipal Senador Mário Martins - Rua Flávio Cavalcante, Caxambu. Entre 9h e 14h, vários serviços serão oferecidos gratuitamente na iniciativa que conta com a união de diferentes setores do poder público. A primeira ação, realizada na Comunidade do Alemão, atendeu cerca de 500 pessoas.

O evento tem como objetivo levar até as comunidades serviços básicos oferecidos pela rede pública do município, como atendimento para aferição de pressão arterial, glicose e avaliação nutricional; realização do Cadastro Único, que dá acesso a vários benefícios sociais do município e do governo federal; orientação jurídica; emissão de primeira via de documento de identidade e carteira de trabalho; orientações sobre o combate a violência contra mulheres e crianças; e esclarecimentos de como acessar o balcão de empregos do município.  Para dar entrada em documentações é necessário levar foto 3x4.

Além dos serviços de setores públicos, a iniciativa voluntariosa da população também marca presença na Ação Social. O corte de cabelo para homens, mulheres e crianças é um dos exemplos. Para essa atividade a Secretaria e Assistência Social conta com profissional próprio, mas voluntários e estudantes de cursos de cabeleireiro e barbeiro se juntam para o atendimento à população, que muitas das vezes, não têm recursos para pagar pelo serviço.

Em 2018 foram realizadas 16 Ações Sociais por vários bairros da cidade. Ao todo, 10 mil pessoas foram atendidas pelos diferentes serviços oferecidos durante os eventos. Outras seis ações já estão programadas para acontecer todos os meses, até setembro, nos bairros Pedro do Rio, Meio da Serra, Boa Vista, Atílio Marotti, Amazonas e Duques.

Usuários do benefício devem se apresentar ao CRAS Centro para a atualização dos dados

Até o dia 11 de outubro a Secretaria de Assistência Social realiza a segunda etapa de atualização cadastral das famílias usuárias do Cartão Imperial. Estão sendo chamadas ao recadastramento as 373 famílias das regiões do Alberto Torres, Castrioto, Bingen, Capela, Contorno, Dias de Oliveira, Duarte da Silveira, Fazenda Inglesa, Moinho Preto, Mosela, Pedras Brancas, Vila Militar e Vila São José. Os usuários do benefício, moradores dessas regiões, devem comparecer ao Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do Centro – Rua Dr. Sá Earp, 39 - das 9h às 16h.

A atualização anual de dados dos beneficiários teve início em julho, com a comunidade de Madame Machado. O Cartão Imperial faz parte do Programa de Segurança Alimentar e Nutricional, concede auxílio de R$ 70, para 3700 famílias do município. O recadastramento visa garantir que o benefício continue sendo direcionado para as famílias que ainda se enquadrem ao perfil do serviço. 

São incluídas no programa famílias em vulnerabilidade alimentar ou que necessitem de alimentação especial por recomendação médica.  O auxílio é creditado mensalmente em cartão magnético, que é aceito em 145 estabelecimentos do setor de alimentação na cidade. O benefício é concedido para as famílias até que consigam se reestruturar e deixem de depender do auxílio. 

Os usuários que não comparecerem para realizar o recadastramento terão o auxílio bloqueado e após 30 dias, se não houver contato, o benefício é descontinuado. Desde a nova gestão, cerca de 1500 cadastros foram desligados por falta de comparecimento para a atualização dos dados ou não adequação aos critérios para a inclusão ao serviço.

Para realizar a atualização cadastral os beneficiários do Cartão Imperial devem comparecer ao CRAS portando o documento de identificação do titular, CPF, carteira de trabalho de todos que residem na mesma casa, comprovante de renda atualizado, certidão de nascimento e carteira de vacinação dos menores de 18 anos, declaração de escolaridade, comprovante de residência atualizado, laudo médico ou documento que comprove que o beneficiário tenha doença crônica grave ou seja deficiente.

As famílias atendidas são acompanhadas pelos CRASs, onde todo perfil da família é avaliado e é providenciado o direcionamento dos usuários para outros programas que visam a reinserção social. Pelo CRAS, o usuário é inserido no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), que dá acesso a diversos programas do Governo Federal. A partir daí, os agentes atuam nas necessidades de cada família, na busca por emprego, no combate ao trabalho infantil, na melhoria do desenvolvimento e educação das crianças, entre outros. 

Encontro terá como tema “Promoção de ações intersetoriais de prevenção” e acontece na Casa dos Conselhos

A Casa dos Conselhos Augusto Ângelo Zanatta vai receber, na próxima quarta-feira (11.04), a segunda pré-conferência de Políticas sobre Drogas. O encontro, marcado para às 18h, terá como tema “Promoção de ações intersetoriais de prevenção”, e é uma prévia da II Conferência Municipal de Políticas sobre Drogas, que vai acontecer no fim do mês, na Faculdade Arthur Sá Earp (FASE).

A primeira pré-conferência foi muito proveitosa. Foram mais de 100 pessoas que tiraram dúvidas, questionaram e debateram assuntos relacionados às políticas de prevenção ao abuso e uso de álcool e drogas. É importante que tenhamos este tipo de debate e que a sociedade se envolva para que possamos desenvolver nos grupos de discussão as políticas necessárias para esta prevenção. A primeira pré-conferência lotou o auditório da Universidade Estácio de Sá, na última terça-feira (03.04).

O tema “Promoção de ações intersetoriais de prevenção” também será um dos eixos temáticos da II Conferência Municipal de Políticas sobre Drogas, promovida pela Prefeitura e o Conselho Municipal de Políticas Sobre Drogas (CMPD). Para a psicóloga e presidente do CMPD, Victoria Gutiérrez, o debate vai ser importante para discutir formas de maior integração entre os setores e maior união das pessoas e suas experiências.

“A ideia é trazer à tona a discussão sobre a importância do trabalho intersetorial, a articulação entre diferentes sujeitos e setores, que possuem diferentes saberes e experiência com o tema. Com isso, pretendemos superar a fragmentação do conhecimento, somando forças e, dessa forma, produzir efeitos mais significativos no trabalho de prevenção com a população”, explicou Victoria.

A roda de conversa desta quarta-feira contará com a participação da Assistente Social da equipe do Fórum Itaboraí, Marina de Jesus, e do médico especialista em Medicina Geral Comunitária, Cândido da Fonseca Neto. A Casa dos Conselhos fica na Avenida Koeler, 260, ao lado da prefeitura, no Centro.

II Conferência Municipal de Políticas sobre Drogas seguem com inscrições abertas

As inscrições para a II Conferência Municipal de Políticas sobre Drogas estão abertas. Esta segunda edição vai acontecer nos próximos dias 27 e 28, no auditório da Faculdade Arthur Sá Earp (FASE), e terá como tema principal "Sociedade, Álcool e Drogas: o que fazer? ".

O cadastro para todos os participantes serão realizadas até o próximo dia 16, das 9 às 16h, na sede da Casa dos Conselhos ou pelo site da prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br). A eleição dos 42 delegados vai acontecer no dia 25, também na Casa dos Conselhos, às 18h, e se dará através de reunião de grupos das categorias, onde participarão os representantes credenciados das entidades participantes interessadas e a Comissão Organizadora da Conferência. Confira a programação da II Conferência:

Dia 27 de abril:

19h – Solenidade de Abertura – Boas Vindas

19h50 – Palestra de Abertura

Dia 28 de abril:

08h – 10h – Inscrição, credenciamento, coffee break.

08h30 – Leitura e Aprovação do Regimento da Conferência.

09h – Premiação do Concurso Logotipo do CMPD.

10h – Exposição das realizações do CMPD no período 2016/ 2018. 

10h30 – Palestras - Eixos temáticos.

12h – Almoço.

13h – Retorno.

13h30 – Trabalho dos Eixos.

15h – Plenária.

16h30 – Eleição dos membros do CMPD.

17h30 – Encerramento.

Está sendo prorrogado até o dia 5 de julho o prazo das inscrições para a seleção pública de profissionais para atuar na Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania – Setrac. O edital com a prorrogação será publicada no Diário Oficial de amanhã (29/06).

Um total de 103 vagas, sendo 20 para assistentes sociais, 13 para psicólogos, 10 pedagogos e outras 53 para orientadores sociais, estão sendo disponibilizadas, para contrato inicial de seis meses.

A única exigência é a comprovação de experiência mínima de seis meses em programas, projetos e serviços socioassistenciais. A seleção visa o atendimento das necessidades imediatas da Setrac. Isso porque o último concurso público não atendeu a necessidade da secretaria. A contratação irá auxiliar na continuidade das ações que já vem sendo desenvolvidas, possibilitando ainda para esse segundo semestre a expansão dos atendimentos.

As inscrições podem ser feitas das 14h às 18h, na Secretaria de Administração e Recursos Humanos, onde, além do currículo, os interessados devem comparecer munidos de documentos, como carteira de identidade, CPF, título de eleitor e comprovante de quitação com a Justiça Eleitoral, para os homens é exigido ainda o Certificado de Reservista. Também deve ser levado o comprovante de escolaridade e o registro no Conselho de Classe. A Secretaria fica na Avenida Koeler, 260, no Centro.

 

Termina nessa sexta-feira (28/06) o prazo das inscrições para a seleção pública de profissionais para atuar na Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania – Setrac. Um total de 103 vagas, sendo 20 para assistentes sociais, 13 para psicólogos, 10 pedagogos e outras 53 para orientadores sociais, estão sendo disponibilizadas, para contrato inicial de seis meses.


A única exigência é a comprovação de experiência mínima de seis meses em programas, projetos e serviços socioassistenciais. A seleção visa ao atendimento das necessidades imediatas da Setrac, não atendidas pelo útlimo concurso público.  “Precisamos da continuidade das ações, possibilitando ainda a expansão dos atendimentos o segundo semestre”, disse o secretário de Trabalho, Assistência Social e Cidadania – Setrac, Jorge Maia.


Com a contratação, de acordo com o secretário, será possível ainda a complementação das ações desenvolvidas pela Setrac, como o atendimento a população de rua e outros serviços sociais. As inscrições podem ser feitas das 14h às 18h, na Secretaria de Administração e Recursos Humanos.


Além do currículo, os interessados devem comparecer munidos de documentos, como carteira de identidade, CPF, título de eleitor e comprovante de quitação com a Justiça Eleitoral, para os homens é exigido ainda o Certificado de Reservista. Também deve ser levado o comprovante de escolaridade e o registro no Conselho de Classe. A Secretaria fica na Avenida Koeler, 260, no Centro.

Em comemoração ao Dia do Idoso, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac) e o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa de Petrópolis (CMDDPI) preparam uma semana inteira de atividades para a terceira idade. Estão previstas ações orientativas sobre os direitos dos idosos e alimentação saudável, apresentações culturais, bailes, aulas de ginástica, corte de bolo, entre outros. A programação tem início na segunda-feira (25/9) e segue o próximo sábado (3/10).

“Será uma semana inteira de uma programação especial voltada para os idosos. Também vamos lançar Grupo da Terceira Idade do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos do CRAS Centro e faremos uma grande festa no Terra Santa, no dia primeiro de outubro, quando é festejado o Dia do Idoso”, disse a secretária de Trabalho, Assistência Social e Cidadania, Fernanda Ferreira, destacando que este ano a Semana do Idoso homenageia o professor Nilson São Thiago, falecido em março deste ano.

A programação da Semana do Idoso tem início na segunda-feira (28/9), às 10h, na Praça Dom Pedro com orientações das equipes da Setrac sobre o benefício da prestação continuada (BPC/Loas) e apresentação de dança no Educandário Terra Santa. Na terça (29/9) acontece a inauguração da Exposição de Pinturas das Alunas do Curso de Pintura do Projeto Conviver do INPAS, no Centro de Cultura Raul de Leoni, às 10h.

Na terça também acontece uma aula de ginástica no Restaurante Popular, a partir das 11h30 e a Festa da Primavera do Coral Sintonia no Centro de Cidadania Desembargador Jorge Loretti, em Itaipava, às 14h. A programação completa está no site: www.petropolis.rj.gov.br.

Muita dança e descontração embalaram a quarta-feira (11.10) de cerca de 100 pessoas no Baile da Feliz Idade. O evento realizado no Clube Petropolitano faz parte da Semana do Idoso e foi possível graças a uma parceria entre a Prefeitura o Conselho Municipal de Direito da Pessoa Idosa e do Projeto Maturidade. Os participantes confraternizaram ao som da atração musical Márcio Alves.

 “Trazer o baile para a Semana do Idoso é muito importante, pois a dança de salão faz bem à alma e à saúde. Além disso, leva a outras atividades do projeto e ajuda na sociabilidade de todos, que precisam de mais interação nesta fase da vida”, aponta Silvana Coelho, coordenadora do Projeto Maturidade.

Participante assíduo dos bailes, o aposentado Luiz de Oliveira, de 75 anos, aprovou a iniciativa: “Comecei a vir há alguns anos, e sempre gostei muito. Hoje, como parte da Semana do Idoso, o baile está mais animado que nunca! Trouxemos uma caravana de Nova Friburgo e uma de São Gonçalo para conhecer e todos gostaram muito. É bom saber que, mesmo aposentados e mais velhos, ainda temos espaço na sociedade”, destaca Luiz.

O Baile da Feliz Idade faz parte da Semana do Idoso, que será encerrada na próxima segunda-feira (16.10), em uma tarde musical com a banda Serenata Imperial, na casa Cláudio de Souza.

Aos 77 anos a senhora Marli Kraisher esboça um largo sorriso ao ver as cenas de filmes e ouvir músicas de Carmem Miranda e Mazzaropi. De longe, dá para ver que ela fecha os olhos como se naquele momento fosse transportada para algum lugar do passado. Ao questioná-la a confirmação vem “fez eu ir para longe, para minhas memórias, para momentos felizes da vida”, diz ela, animada. Dona Marli estava nesta quinta-feira (05.10), no auditório do Terra Santa, acompanhando de seus amigos, para o projeto “Cinema, Memória e Bem-Estar”, trazido a Petrópolis pela professora de Estudos Brasileiros, Lisa Shaw, da Universityof Liverpool, na Inglaterra.

O projeto é o primeiro chancelado pelo Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa e faz parte da Semana do Idoso 2017, realizada juntamente com a Prefeitura. O projeto internacional é baseado os resultados de um piloto feito pela Universidade de Liverpool em conjunto com o Posto de Saúde da Família do Fazenda Inglesa. Ele toma como base resultados de pesquisas que indicam que atividades que promovem o bem-estar se tornam mais eficientes quando apresentado como terapia. E o feedback no rosto de cada uma das cerca de 50 pessoas que participaram do projeto confirma: a resposta emocional ao cinema e à música não se desvanece na velhice.

“As respostas ao projeto são muito favoráveis pois estimula a memória por meio de reminiscências compartilhadas com outros participantes, promove o bem-estar afastando problemas físicos e emocionais, reduz índices de ansiedade e depressão, cria um foco ao mostrar como viver com o que se tem, além da socialização gerada com a atividade coletiva”, explica a doutora Shaw.

Morando seis meses em cada país, a professora explica que o projeto nasceu por conta da relação com o pai e a mãe, que têm 90 e 89 anos, respectivamente. Segundo ela, ao assistir filmes americanos com Carmem Miranda, eles apresentavam respostas positivas ao lembrar de suas trajetórias e reviver momentos vividos nas décadas passadas. Já no Brasil, casada com um médico que atendia no PSF da Fazenda Inglesa, buscou formas de interagir e aplicar o projeto ao grupo da terceira idade. Agora, em parceria com o Conselho do Idosos, o projeto está sendo trabalhado para que seja estendido a outras áreas do município.

“Esse projeto estimula pela vivência e pela lembrança, as memórias da juventude e faz com que os idosos se sintam felizes. O processo de envelhecimento já é muito difícil naturalmente e essa atividade faz com que se sintam integrados, com a sensação de pertencimento. É uma atividade que aprovamos no Conselho e que tem se mostrado eficiente em diversos sentidos”, explica a presidente CMDDPI, Gabriela Falconi.

Semana do Idoso terá mais atividades com música

A Semana do Idoso terá mais duas atividades com música: o Baile da Feliz Idade e a Tarde Musical, que acontecem nos dias 11 e 16, respectivamente. As atividades visam usar as melodias, ritmo e outros elementos a fim de estimular reações no corpo, que causam benefícios para saúde.

De acordo com os pesquisadores dos Estados Unidades e da Itália, dependendo do ritmo da música a respiração fica mais branda ou mais ofegante, podendo influenciar ainda no batimento cardíaco por causa da pressão sanguínea que fica mais forte ou menos intensa. Prevenindo, dessa forma, doenças cardíacas.

O Baile da Feliz Idade acontece de 15 às 19h, no Clube Petropolitano, na Avenida Roberto Silveira, dentro do projeto Maturidade. A trilha sonora fica por conta de Márcio Alves. O evento é gratuito e aberto ao público. Já no próximo 16 de outubro, os idosos poderão aproveitar a partir das 16h30 na Casa Cláudio de Souza, a atividade será promovida pelo Instituto de Previdência e Assistência Social do Servidor Público do Município de Petrópolis. Será uma tarde dançante com a banda Serenata Imperial.

A Prefeitura, por meio do Conselho Municipal de Trabalho, Emprego e Geração de Renda (Comter), realizou o seminário: “Ações para Grupo Vulneráveis e seus Impactos Sociais”. Palestras e depoimentos sobre a importância de empregar pessoas com deficiência estiveram na pauta do encontro, que aconteceu na tarde desta quarta-feira (9/10) no auditório do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC).

“Esse seminário tem um simbolismo muito grande. A nossa preocupação tem que ir além da inserção dessas pessoas no mercado de trabalho. É preciso capacitar, qualificar e envolver os empresários da cidade para que a empregabilidade de quem tem deficiência não seja impulsionada apenas pelo que manda a legislação, mas principalmente pelo preparo e capacidade de cada um que se encontra nesse grupo vulnerável”, destacou o secretário de Trabalho, Assistência Social e Cidadania, Jorge Maia, que no ato estava representando o prefeito Rubens Bomtempo.

Ainda de acordo com Jorge Maia, nos últimos 12 meses, o Brasil oferecia 49 mil vagas para pessoas com deficiência. Apenas oito mil desses postos de trabalho foram preenchidos. Em Petrópolis, há 2.381 pessoas amparadas pelo Benefício de Prestação Continuada.

O palestrante Wilton Costa, que representou a gerência do Ministério do Trabalho e Emprego atrelou esses dados ao desestímulo da pessoa com deficiência: “A inserção no mercado deve ser feita com qualidade. As empresas precisam estar adequadas para receber a mão de obra desses profissionais de forma que eles se sintam inseridos naquele ambiente sem qualquer diferença no tratamento ou salário”.

De acordo com o diretor presidente da GE Celma, Júlio Talon, a geração de empregos é a melhor maneira de integrar a pessoa com deficiência na sociedade: “É dessa maneira que resgatamos a autoestima, damos oportunidades de superação e ainda garantimos instrumentos de motivação para os outros funcionários. É o combustível que o empresário precisa”.

“Vamos tirar deste encontro propostas que possam gerar novas ações que garantam as oportunidades não só de emprego e renda, como também de capacitação. Juntos vamos trabalhar e lutar para melhorar a realidade das pessoas com deficiência nesse país, a começar por cada município”, disse o secretário executivo do Conselho Estadual de Trabalho e Renda, Narcísio Coelho Nunes.

Também participaram do evento a deputada Estadual Claise Maria, o vereador Meirelles, o vice-diretor do LNCC Alexandre Grojsgold, a representante do Programa de Ações Inclusivas do Senai, Suzana Amaral Figueiredo, o representante do Grupo Petrópolis, Mauro Lívio, o representante da ELC Produtos de Segurança, Indústria e Comércio, Maurício Bilé, o diretor presidente da Orange Business Service, George Paiva e colaboradores PCD das empresas participantes.

Oferecer um lar para crianças em risco social, esse é o principal objetivo da Família Acolhedora que já começa a realizar capacitações de pessoas interessadas em participar do serviço. A primeira turma de preparação dos candidatos está prevista para fevereiro, quando cerca de cinco famílias já estão programadas para participar do primeiro encontro. Na ocasião, os interessados vão receber informações de como funciona a iniciativa que garante a segurança e os cuidados essenciais para as crianças que foram retiradas temporariamente, por decisão judicial, do convívio de suas famílias biológicas.

Os interessados em participar podem fazer contato pelo telefone 2249-4319. O Serviço Família Acolhedora tem funcionado como uma alternativa aos abrigos. As crianças e adolescentes que, por decisão judicial, precisam ser afastadas de suas famílias, podem ser encaminhadas para o acolhimento de uma família substituta, de forma temporária. O objetivo é fazer com que os menores mantenham a referência da convivência em família.

A capacitação é o primeiro passo para as famílias que querem se tornar acolhedoras. Desde que o serviço foi retomado em 2016, foram formadas três turmas de preparação, a partir das quais, sete famílias se tornaram aptas a acolherem crianças e adolescentes. Em 2018, o serviço foi concretizado com a primeira família que recebeu um menor e segue sendo acompanhada, até que a situação do menor seja definida.

Os menores são direcionados para as Famílias Acolhedoras a partir da avaliação do perfil social de ambas as partes. O encaminhamento é feito pela Vara da Infância, Juventude e do Idoso, que ao receber uma criança em risco social e identifica a necessidade de afastamento do lar e origem, aciona o serviço para verificar a disponibilidade de família apta a acolher o menor. “O encaminhamento para as famílias acolhedoras é feito a partir de um estudo do perfil social das partes. A família que vai receber a criança, primeiro é informada do histórico do menor para então se colocar disponível a recebê-lo”, explica a diretora do Departamento de Proteção Social Especial, Kátia dos Prazeres.           

Durante o período de acolhimento, os menores mantém contato com a família biológica por meio de visitas realizadas na sede do serviço, em sala reservada. Todo o trabalho é acompanhado e orientado por psicólogas e assistentes sociais.  “As famílias, acolhedora e biológica, não fazem contato entre si. As identidades são preservadas”, explica Kátia, destacando que todo o trabalho é voltado para que as crianças sejam reintegradas aos seus lares de origem.

O direcionamento para a adoção é sempre a última opção. Um dos critérios para uma família se tornar acolhedora é não estar no cadastro de espera por adoção. “Qualquer pessoa solteira, casada, separada, com casamento homoafetivo, pode ser acolhedora, depois de passar por avaliação. A pessoa tem que estar ciente que não pode estar na fila de adoção, o serviço não permite que a criança seja adotada, não é essa finalidade. A criança vai ficar temporariamente, é uma transição, até que se resolva a questão com a família de origem”, enfatiza Kátia.

Capacitação discute temas variados sobre a saúde, educação e seguranças das crianças

A capacitação das famílias é feita durante nove encontros, quando são debatidos temas diversos, entre os quais, o desenvolvimento da criança e adolescente, traumas psicológicos que as crianças podem apresentar, política municipal de assistência social, abuso sexual, alienação parental, entre outros. “As famílias acolhedoras são preparadas para entender a importância do papel delas nessa perspectiva de intercâmbio das crianças entre os lares temporários até a reintegração delas aos seus lares de origem. O serviço contribui muito para o desenvolvimento das crianças”, destaca a coordenadora do Serviço Família Acolhedora, Graciele Vanzan.

Após passar pelos nove encontros, a família que não se identificar como sendo uma acolhedora, pode contribuir com o serviço se tornando uma multiplicadora da iniciativa. “É muito comum, a pessoa depois de passar pelos encontros, não conseguir se colocar como acolhedora, mas passa a contribuir para a divulgação do trabalho”, destaca a coordenadora, reforçando que o serviço conta com o acompanhamento de assistentes sociais e psicólogas que atuam no acompanhamento das famílias, acolhedoras e biológicas, até que a criança seja reintegrada.

Pagina 63 de 67

Notícias por data

« Setembro 2019 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30            

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo