Espaço passa a receber média de 2 mil pessoas por dia

“Vai ser meu presente de aniversário”, comemorou o servidor público João Paulo dos Anjos, ao saber que, na próxima quarta-feira (02.05), dia em que completa 66 anos, vai começar a ser oferecido o lanche da tarde no Restaurante Popular Regina de Lurdes Vieira, no Centro. O espaço, que já oferece 500 cafés da manhã e mil almoços, vai passar a servir 500 lanches da tarde, a R$ 0,50, entre 15h30 e 16h30.

“Venho ao restaurante todos os dias. A comida é muito boa e sou muito bem atendido. Fiquei muito feliz que este novo lanche vai começar a ser servido justamente no dia do meu aniversário. É um belo presente”, comemorou seu João Paulo, que é morador do Caxambu.

O Restaurante Popular foi revitalizado pela prefeitura no início do ano em parceria com a empresa Sombreiro Tropical, que é a responsável por servir as refeições aos frequentadores do espaço.

“Reformamos o espaço e trabalhamos para manter um cardápio variado e saudável, pensado pela nutricionista. Agora, vamos poder proporcionar mais esta opção, que é o lanche da tarde, e vai ser servido entre 15h30 e 16h30. Sabemos da importância que o nosso espaço tem para centenas de pessoas, que encontram, aqui, uma refeição a preço acessível”, destaca a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

A nutricionista Leticia Lima explica que o cardápio do Restaurante é variado e equilibrado, visando oferecer refeições que agradem ao público, mas sempre tendo como foco uma alimentação saudável.

“Contamos com refeições que sigam os critérios para que sejam saborosos para quem procura o nosso espaço, mas sem deixar de ser saudáveis. O café da manhã é composto por café com leite, pão com manteiga e uma fruta. No almoço, sempre combinamos os tradicionais arroz e feijão com um acompanhamento (geralmente legumes) e duas opções de carnes, além da sobremesa, que pode ser fruta ou doce. O lanche da tarde seguirá o servido na parte da manhã”, explicou a nutricionista.

O aposentado Cosme José da Rica, de 71 anos, também comemora mais esta opção no dia a dia do restaurante. Para ele, o lanche da tarde vem a acrescentar no trabalho realizado pela equipe no atendimento aos clientes.

“Gosto de vir ao restaurante. É uma boa comida servida a um preço muito acessível. Com poucas moedas, vamos ter três refeições. Café da manhã, almoço e lanche à tarde,por apenas R$ 2 no total. Quem não conheceu ainda o restaurante, deve conhecer e confirmar que é tudo muito bom”, contou o morador do Valparaíso.

O Restaurante Popular Regina de Lurdes Vieira funciona de segunda a sexta-feira, no Terminal Rodoviário Imperatriz Leopoldina, no Centro. Os 500 cafés da manhã são servidos das 8h às 9h30, a R$ 0,50, e o almoço a partir das 10h30, a R$ 1, até esgotarem as mil refeições.

Segunda, 30 Outubro 2017 - 18:46

Restaurante Popular vai ser revitalizado

Previsão é que o local receba melhorias já no início de 2018          

O Restaurante Popular Regina de Lourdes Vieira vai ser revitalizado. A novidade foi anunciada na manhã desta segunda-feira (30.10), com apresentação do projeto com as melhorias à equipe de 20 profissionais do local, além dos frequentadores do espaço, durante o café da manhã. Sem ônus para o município, as melhorias serão realizadas pela Sobreiro Tropical – empresa responsável por servir as refeições aos frequentadores.

Diariamente, o Restaurante Popular serve 500 cafés da manhã com pão, café com leite e frutas ao custo de R$ 0,50. No almoço são servidos 1.000 pratos, todos eles definidos por uma nutricionista que garante a qualidade dos alimentos e do tempero. Nesta segunda, por exemplo, o cardápio incluiu arroz, feijão, isca de carne acebolada e farofa com bacon, além de uma saladinha. De sobremesa, doce de leite e, para beber, suco de maracujá. Para quem não gosta de carne, também teve linguiça de frango como opção.

“O pãozinho é uma delícia e a comida está muito gostosa. Melhorou muito nos últimos meses e o melhor é que somos bem tratados aqui. As pessoas são simpáticas, atenciosas, toda a equipe está de parabéns porque tem esse cuidado em dar atenção a todos nós. Tenho prazer em dizer que sou frequentadora do Restaurante Popular”, elogia a contadora aposentada, dona Olímpia Valvino Coelho.

A nutricionista do restaurante popular, Letícia Lima, que trabalha há mais de 4 anos no espaço, explica que o restaurante tem o cardápio feito mensalmente, com variedade nos gêneros alimentícios, buscando sempre equilibrar todos nutrientes. “A intenção é proporcionar opções variadas e ricas em nutrientes considerando as frutas, legumes e verduras que estejam na estação. Essa variedade que a natureza nos proporciona aliada ao carinho com que a nossa equipe realiza os preparos dos alimentos é que torna a comida tão saborosa”, explica.

A secretária de Assistência Social, Denise Quintella, explica que garantir a qualidade nas refeições é uma exigência do governo. “São servidas 1.500 pessoas aqui todos os dias, então precisamos que o restaurante esteja funcionando a todo o vapor, com a comida saborosa e variada. O muito gratificante chegar aqui e ver como cada pessoa é tratada com carinho e como a comida é realmente preparada com cuidado”, destaca.

Frequentador do Restaurante Popular desde que inaugurou, há nove anos, Edézio Oliveira de Souza, conhecido como o Bigode, trabalhou durante 25 anos como cozinheiro em restaurantes da cidade e se aposentou como responsável pela cozinha de uma indústria do município. “Eu conheço o que é comida boa pelo cheiro e aqui nós temos todos os dias. Nos últimos tempos ela está ainda melhor, mais variada e é por isso que venho fazer minhas refeições aqui”, destaca.

O Restaurante Popular funciona de segunda a sexta-feira. Os 500 cafés da manhã são servidos de 8h às 9h30 e o almoço a partir das 10h30, até esgotarem as 1.000 refeições. O endereço é Rua Dr. Porciúncula, s/n°, no Terminal Rodoviário do Centro.

O Restaurante Popular Regina de Lourdes Vieira terá cardápios especiais neste fim de ano e até o Papai Noel já confirmou presença. O serviço é mantido em Petrópolis pela prefeitura por meio da Secretaria de Assistência Social. Diariamente, são oferecidos no local 1 mil almoços ao preço de R$ 1, além de 500 cafés da manhã e lanches da tarde por R$ 0,50.

O almoço especial de Natal será servido no dia 20 de dezembro, com a presença do Papai Noel.  Neste dia, o cardápio contará com pernil ao vinho, frango crocante, farofa doce e Rabanada. No mesmo dia, das 17h às 19h, o espaço também receberá o Baile dos Idosos.

Já no dia 27 de dezembro, o restaurante oferecerá o almoço de Ano Novo. Filé de peixe ao molho de limão, filé de frango ao molho especial, batata duquese e pudim de coco com calda de ameixa para a sobremesa prometem agradar.

O cardápio oferecido durante todo o ano tem a supervisão de nutricionista e é elaborado a partir de critérios de qualidade e de valor nutricional. O almoço é a refeição mais procurada no restaurante, chegando a 1 mil por dia. Para o café da manhã e o lanche da tarde, o restaurante chega a receber até 500 pessoas em cada turno.

Por meio do Restaurante Popular, a Secretaria de Assistência Social também oferece almoço à população em situação de rua. As pessoas cadastradas no Centro POP ganham tickets para se alimentarem no local gratuitamente.

O Restaurante Popular Regina de Lurdes Vieira funciona de segunda a sexta-feira, no Terminal Rodoviário Imperatriz Leopoldina, no Centro. O café da manhã é servido de 8h às 9h30; almoço a partir das 10h30, até esgotarem as mil refeições, e os 500 lanches da tarde são servidos das 15h30 às 16h30.

Com nova sede, CRAS do Retiro oferece mais acessibilidade para cerca de 5 mil moradores da região

A prefeitura inaugurou na manhã desta segunda-feira (24.06) a nova sede do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do Retiro. A nova unidade oferece mais acessibilidade e tem capacidade de levar os serviços dos programas sociais, dos governos municipal e federal, para cerca de 5 mil pessoas da região. Mensalmente são atendidas 250 pessoas na unidade. A Secretaria de Assistência Social estima um aumento de 30% a partir da nova localização, na Rua Hermogênio Silva – 238.

Ainda segundo a prefeitura, a próxima comunidade a receber uma unidade do CRAS, será a do Independência. A nova unidade recebeu o nome do monsenhor Paulo Daher, falecido aos 85 anos de idade, após ter dedicado a vida ao cuidado do próximo, ao trabalho social, com dedicação especial para a educação. A família do monsenhor participou da inauguração e agradeceu a homenagem. “Tenho que agradecer a todos, um momento especial que vemos o trabalho do meu irmão dando frutos. Esse local vai facilitar muito a vida dos mais carentes”, destacou a irmã do monsenhor, Maria José Elias Daher. A inauguração contou com a presença do bispo Dom Gregório Paixão, que destacou que o “CRAS tem exatamente a postura que o monsenhor, que batalhava para que as pessoas caminhassem com os próprios pés”.

Nova unidade oferece mais acessibilidade

Instalada no centro comercial do bairro, a nova sede do CRAS do Retiro, fica mais próxima das comunidades de abrangência e possibilita o atendimento de pessoas com deficiência ou dificuldade motora. A unidade conta com estrutura para desenvolver com a comunidade todos os trabalhos acompanhados por psicólogos, assistentes sociais, pedagogos, educadores e demais apoiadores. Além do atendimento para a inserção ao Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), que dá acesso a diversos programas do Governo Federal, a unidade realiza trabalhos com grupos de convivência, onde os usuários são orientados e acompanhados pelos profissionais.

A unidade agora oferecerá mais comodidade aos moradores do Retiro, cobrindo uma área territorial que abrange as comunidades do Neylor, Alemão, São Luís, Atílio Marotti e Quarteirão Brasileiro.

Atualmente o município conta com oito unidades do CRAS. O serviço segue as normas do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e tem registrado maior celeridade nos atendimentos. As unidades do CRAS são referência para a inclusão dos usuários CadÚnico. Em Petrópolis, cerca de 29 mil pessoas possuem o registro e são direcionadas a programas como o Bolsa Família, destinado a aproximadamente 12 mil famílias na cidade; e o Benefício de Proteção Continuada (BPC), que está disponível para cerca de 3 mil famílias.

A moradora da Comunidade do Alemão, Vania Inei de Oliveira Queiroz, de 30 anos aprovou a nova localização e destaca a importância do trabalho desenvolvido no CRAS. “Esse serviço nos ajuda muito a ter acesso a benefícios e melhorar nossa qualidade de vida. Participo dos grupos de convivência com meus filhos, que têm ajudado muito no relacionamento com meus filhos. Me ajuda muito”, destaca a usuária que tem três filhos com 3, 5 e 8 anos de idade.

A representante dos moradores da Comunidade do Neylor, Marcela Stefanie Carvalho destaca a necessidade da população por serviços como os oferecidos pelo CRAS. “Essa foi a melhor coisa que poderiam fazer pela comunidade. O CRAS atende as necessidades da população. É um serviço essencial”, destaca.

A moradora, Andreza Aparecida do Nascimento é uma das usuárias do CRAS, que também aprovou a nova unidade. “O CRAS é muito importante para as pessoas mais humildes, precisamos de auxílio e aqui conseguimos ajuda com cesta básica, emprego e apoio com psicólogo. Sem esse serviço seria mais difícil”, destaca a usuária. 

As unidades do CRAS também fornecem programas e ações voltadas para o idoso e adolescente. O ID Jovem possibilita a gratuidade de adolescentes ao transporte e à cultura e a carteira do idoso também disponibiliza benefícios para o público da terceira idade que se enquadra ao perfil de vulnerabilidade social.

Para garantir a expansão dos serviços, a Secretaria de Assistência Social tem atuado de forma intersetorial com outros programas oferecidos pelas demais secretarias do governo. A ideia é continuar expandido os serviços. Além da inclusão em programas, o CRAS desenvolve ações para crianças, adolescentes, adultos e idosos. Regularmente são oferecidas oficinas de dança, capoeira, crochê e artesanato. O CRAS também organiza um coral com os usuários interessados.

Os Centros de Referências de Assistência Social estão localizados nos bairros:

CRAS Quitandinha

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço - Rua Alagoas, s/nº – Quitandinha.

CRAS Centro

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço – Rua Dr. Sá Earp, nº 39 – Centro.

CRAS Retiro

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço - Rua Hermogênio Silva, 238 - Retiro.

CRAS Posse

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço - Estrada União e Indústria, S/N, ao lado do CIEP Gabriela Mistral (CEU da Posse).

CRAS Corrêas

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço. Rua Vigário Correa, 443 – Corrêas.

CRAS Vale do Carangola

Horário de funcionamento: das 7h30 às 16h30, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço. Rua Waldemar Vieira Afonso, 19 – Antiga ONG - Vale do Carangola.

CRAS Itaipava

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço. Estrada União e Indústria, 11.860 – Itaipava.

CRAS Madame Machado

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço. Rua Geraldo Lourenço Dias, s/nº (ponto final do ônibus 704) – Madame Machado

Encontro na prefeitura teve participação de 25 pessoas

O aumento no número de pessoas em situação de rua no município e as mudanças no perfil desta população foram discutidas, nesta quarta-feira (28.08), na sede da prefeitura. A reunião de trabalho, promovida pela prefeitura e o juiz Jorge Martins, titular da 4ª Vara Cível de Petrópolis, concentrou 25 pessoas e serviu para buscar alternativas na forma de abordagem destes moradores. Casos de violência foram o principal ponto de debate da reunião.

“Temos que trabalhar em identificar o que está acontecendo em nossa cidade. O assunto é sensível e de alta magnitude. Este encontro serve para ouvirmos alternativas. Não estamos tratando dos moradores em situação de rua, no geral, mas, sim, de identificar indivíduos que se aproveitam da condição para praticar atos que não podem ser tolerados”, disse o juiz Jorge Martins.

O objetivo é reunir os esforços dos órgãos para permitir maior segurança em locais públicos, buscando identificar possíveis infiltrados nos grupos de moradores em situação de rua. O encontro teve a participação de 25 pessoas, entre representantes do governo, das polícias civil e militar, da Defensoria Pública, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), do Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH) e da Câmara de Vereadores.

Só no ano passado a prefeitura conseguiu retornar 18 pessoas para o convívio familiar. Importante reunir todas estas autoridades, já que a questão do morador de rua não é um problema só do governo ou da Polícia. Este é um problema de todos, e é preciso discutir, entre todos os envolvidos, formas para atender quem realmente precisa.

A secretária de Assistência Social conta que as equipes de abordagem, que trabalham durante o dia e a noite, já perceberam esta mudança de perfil, o que gera insegurança para os próprios profissionais. Ameaças aos técnicos da Assistência já foram registradas nestes dois últimos meses.

“Nossas equipes lidam com esta população há muitos anos, então sabemos, entre aqueles moradores em situação de rua, a diferença dos que estão já há algum tempo nesta situação para os que começaram a aparecer agora, principalmente de dois meses para cá. Neste tempo, começamos a ter relatos de ameaças aos próprios profissionais da Assistência, gerando medo, insegurança e transtornos para os nossos equipamentos”, relatou Denise.

Petrópolis tem, segundo a Secretaria de Assistência Social, cerca de 130 moradores em situação de rua, um crescimento de 30% em comparação com o início do ano. O Núcleo de Integração Social (NIS), que pode acolher até 70 pessoas, atende, em média, 65 pessoas por pernoite.

No NIS, é servido café da manhã, almoço, lanche e jantar, além de serem disponibilizados banho e roupas de cama para o pernoite. A unidade oferece, ainda, corte de cabelo, manicure, sessão de filmes e festa para os aniversariantes do mês. Os profissionais do local trabalham visando a autonomia dos acolhidos. Mas, nem todos os moradores abordados aceitam o acolhimento.

“Temos, ainda, as reuniões religiosas e apresentação semanal de capoeira, buscando dar um bem-estar para estas pessoas. Mas tudo com regras, e muitas vezes elas não aceitam. O usuário não pode entrar portando bebidas alcoólicas ou outras drogas, por exemplo. Temos alojamentos para cada sexo. Para o bom andamento dos nossos trabalhos, temos a parceria da Defesa Civil, com a Operação Inverno, permitindo mais 18 leitos em barracas”, completou Denise, citando, também, o apoio da Guarda Civil e da Polícia Militar durante as abordagens.

O juiz Jorge Martins se colocou à disposição do CDDH para ouvir as demandas e avaliar medidas que podem ser adotadas em parceria com o órgão.

Participaram da reunião secretários de governo, o comandante do 26º Batalhão da Polícia Militar, coronel Oderlei de Souza; o representante do 7º Comando de Policiamento de Área, Major Holanda, a Defensora Pública, Marília Pimenta; a conselheira da OAB, Roberta D’angelo, além de vereadores.

Profissionais se reuniram para traçar estratégias de prevenção

As estratégias de prevenção contra a violência infantil foram discutidas durante reunião de um grupo do governo nesta quinta-feira (24.05). Com média de 80 mil crianças e adolescentes na cidade, no ano passado o munícipio recebeu 454 notificações de violência, números que corroboram às discussões e ações em torno do tema. Agora, profissionais das Secretarias de Saúde, Educação, Conselho Tutelar, Gabinete da Cidadania, Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e Centro de Referência de atendimento à Mulher (CRAM) traçam estratégias para a prevenção da violência deste grupo.

Na ocasião, também foi discutida a importância da realização da notificação da violência e o modo como a vítima é conduzida. Os profissionais envolvidos acreditam que as crianças ou adolescentes devem ser atendidos, e sempre encaminhados para o setor de psicologia. Com este atendimento será possível identificar o tipo de violência sofrida pelo menor, para então, o setor correto assisti-lo de maneira mais eficiente. Além de toda melhoria neste atendimento disponibilizado pelo município, foi destacado também a importância da discussão da relação entre família e adolescente, que por vezes não possuí a devida atenção, e esta seria a melhor forma de prevenir uma violência.

“Queremos estabelecer o fluxo da violência contra crianças e adolescentes e criar ações para a prevenção destas situações. É muito importante estimular o vínculo da família até mesmo com a ajuda das escolas”, pontuou a pediatra”, Luciana Prendim.

Os profissionais discutiram, ainda, a importância da integração e melhoria de todos os postos e setores que atendem este tipo de ocorrência. Com esta unificação, será possível inserir nas comunidades a Cultura da Paz e prevenção da violência.

“Vamos sempre fazer estas reuniões sobre violência contra crianças e adolescentes para aprimorar o atendimento às vítimas e reunir sugestões e propostas dos profissionais envolvidos”, disse a coordenadora do Gabinete da Cidadania e presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres, Ana Maria Rattes.

As denúncias de abuso e à exploração sexual contra crianças e adolescentes podem ser feitas para o Disque 100.

O começo de tarde desta quinta-feira (14) foi diferente para um grupo de gestantes do Vale do Carangola: elas participaram de uma roda de conversa com os agentes comunitários de saúde da comunidade. Durante o encontro, os agentes explicaram para as futuras mães os cuidados para se obter uma alimentação mais saudável – tanto para elas quanto para os filhos que estão nascendo. A iniciativa faz parte do Pacto Social Local, que está realizando um conjunto de intervenções e ações sociais na comunidade desde o fim de 2015.

No total, 28 gestantes participaram do evento. “A reunião foi importante para garantir os direitos das mães e dos seus filhos”, afirmou a secretária de Trabalho, Assistência Social e Cidadania, Fernanda Ferreira. “A alimentação correta é um dos fatores mais importantes para o crescimento saudável das crianças. O cuidado com a infância é uma das prioridades da Setrac e do governo municipal”, destacou a secretária.

A oportunidade foi aproveitada pela moradora Evelin Azevedo. Grávida pela primeira vez, ela sempre procura este tipo de evento. “Fiz até um curso para poder cuidar melhor do meu filho. A roda de conversa foi muito interessante, pois normalmente não temos a oportunidade de ouvir esse tipo de orientação. Gostei do que foi falado sobre a amamentação”, afirmou.

Para o vereador Pastor Sebastião, que acompanhou o encontro, as ações de esclarecimento mostram o compromisso do governo municipal com a saúde. “A nossa comunidade tem muitas meninas que estão grávidas, e elas precisam de orientação. Por isso, este evento veio no momento adequado”, opinou o parlamentar.

O Pacto Social Local no Vale do Carangola começou no fim do ano passado. As ações incluem a revitalização da iluminação pública, a desobstrução da galeria de águas pluviais, melhorias na sinalização do trânsito, reforma do ponto de ônibus e operação tapa-buraco. Pequenas intervenções em equipamentos como a Escola Lúcia de Almeida Braga, também estão sendo realizadas. A quadra também receberá reparos.

Os cuidados e a legislação que defende os direitos da pessoa idosa estiveram na pauta do encontro com rodoviários na tarde desta quinta-feira (25/9) na secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania. O evento, de sensibilização, faz parte da programação da Semana da Pessoa Idosa organizada pela Prefeitura, por meio da Setrac, em parceria com o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa. Os eventos acontecem até o dia 1 de outubro e contam com palestras, rodas de debates, feira de artesanato e oficinas interativas.

“Estamos estimulando o desenvolvimento de boas práticas junto aos rodoviários em relação aos idosos. É necessário compreender que o idoso não tem a mesma mobilidade que um jovem e necessita ser acolhido dentro do transporte público urbano. O que pretendemos é mostrar que velho é o preconceito daquele que violenta fisicamente, psicologicamente ou financeiramente a pessoa idosa. O conselho está ativo e vamos trabalhar diretamente nos casos de violação de direitos”, disse a secretária de Trabalho, Assistência Social e Cidadania e também Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa, Fernanda Ferreira.

Uma oficina com a demonstração de pequenos exercícios que simulam a forma como o corpo reage ao envelhecimento, ministrada pelo professor de Educação Física, Renato Farjalla, também fez parte da sensibilização. “O que foi dito aqui ajudou a reforçar o que já pratico no dia a dia. Tenho cuidado ao parar o ônibus e sempre verifico se o idoso já desceu. Tudo isso para evitar acidentes”, declarou o motorista Vitor Dias.
A programação da Semana da Pessoa Idosa foi iniciada na tarde da última quarta-feira (24/9) com um Baile da Feliz Idade que reuniu mais de 200 pessoas no Esporte Clube Pedro do Rio. O baile foi orquestrado pelo músico “Lili e sua Banda” e também contou com a presença do Grupo Conviver do Inpas. Todos os presentes também participaram da Oficina de Papel Reciclado. As idosas também puderam se embelezar com o serviço de maquiagem, que ficou à disposição durante o evento.

Confira a programação completa da Semana da Pessoa Idosa:

Sexta-feira, 26/9
9h às 11h30 – Café com Prosa. Temas: “Sexualidade da Terceira Idade” e “Violência Contra a Pessoa Idosa”.
Museu Imperial .

Sábado, 27/9
10h às 16h – Feira de Economia Solidária com Oficina de Artesanato e venda de artigos produzido por pessoas da terceira idade e música ao vivo.
Praça D. Pedro II.

Domingo, 28/9
10h às 16h – Feira de Economia Solidária com Oficina de Artesanato e venda de artigos produzido por pessoas da terceira idade e música ao vivo.
Praça D. Pedro II.


 Segunda-feira, 29/9
10h – Café da manhã e Palestra “Prevenção aos crimes financeiros contra a pessoa idosa”, com Dr. Luiz Antônio Reis Júnior, procurador jurídico do município de Petrópolis.

INPAS – Instituto de Previdência e Assistência Social do Servidor Público do Município de Petrópolis
Rua Alencar Lima, 35, sl. 101 a 115, Centro


Terça-feira, 30/9
Oficinas interativas “A arte não tem idade”, “A importância da intergeracionalidade” e “Avós e netos”, para os avós e seus netos. Apresentações do Programa Mais Educação e Oficina de reciclagem de papel.
Escola Municipal Posse


Quarta-feira, 1/10
9h – Café da manhã de encerramento da Semana da Pessoa Idosa
10h45 – Apresentação do Coral Pro Têmpore
11h30 – Intervalo de almoço
13h às 17h – Tarde de Prêmios
Salão Felicidade - Terra Santa
Rua Monsenhor Bacelar, 590, Valparaíso

A secretária Chefe de gabinete e presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres (Comdim), Luciane Bomtempo, recebeu na última semana uma homenagem das artesãs que participam da feira da Economia Solidária. No último evento, realizado no calçadão do Colégio D. Pedro II, as artesãs mostraram e ofereceram ao público peças como ímãs de geladeira, canetas, sabonetes e roupas de crochê, entre outros objetos feitos a partir de materiais reutilizados ou reciclados.

A homenagem à Luciane Bomtempo foi uma forma de agradecimento do grupo pelo apoio da Prefeitura e da Secretaria de Trabalho Assistência Social e Cidadania (Setrac) ao trabalho. “Nós, que lutamos por uma cidade sustentável, não poderíamos deixar de apoiar esse trabalho. É um movimento que deve ser fortalecido. O trabalho da Economia Solidária traz não apenas benefícios para quem produz as peças como também para o município, uma vez que movimenta a economia. A indústria criativa surge como um importante segmento frente a crise econômica que vivemos”, lembrou  Luciane.

A secretária de Trabalho, Assistência Social e Cidadania, Fernanda Ferreira, falou que essa produção influencia também a imagem da cidade. “Esse trabalho fez nossa cidade se destacar em Brasília”, destacou.

Célia Barcelos, que é designer de modas, hoje se dedica integralmente ao trabalho. “Esse trabalho, como para outras pessoas, é muito importante para minha vida. Eu trabalho com reciclagem e gosto muito do que faço hoje”, ressaltou ela, que destacou ainda o apoio recebido da Setrac. “Todo mês nos reunimos na Setrac para compartilhar conhecimento e eles nos dão total apoio. A Prefeitura realmente abraça as artesãs”, disse.

Ana Martelo, que faz artesanato há dois anos, demonstra sua satisfação. “Gosto de pintar. Aproveito tudo que jogaria fora e levo esse trabalho até as pessoas. E o melhor é que isso nos gera renda: vendemos nosso artesanato por preço acessível e justo”.

A Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac) está convocando vítimas da chuva de 2011, que tiveram seus imóveis interditados na época e ainda não foram indenizadas por programas governamentais, para comparecerem nesta segunda-feira, dia 22, das 8h às 16h, à Central de Vigilância de Benefícios Socioassistenciais, que funciona na Avenida Dom Pedro, 410, no Centro. O comparecimento é necessário para apresentação de documentos e preenchimento do cadastro para o programa Minha Casa Minha Vida.

De acordo com a secretária Fernanda Ferreira, a ideia é, com o cadastramento, chegar às pessoas quer ainda não atenderam os contatos da secretaria. “Estamos trabalhando para localizar as pessoas e precisamos que elas compareçam à Central de Vigilância com os documentos necessários para a formalização dos registros”, avisou.
É preciso levar os seguintes documentos:

I – Carteira de identidade com foto, na validade, ou outro documento oficial de identidade válido que conste foto e filiação;
II – CPF – Cadastro de Pessoa Física;
III – Prova de estado civil: certidão de nascimento, certidão de casamento, certidão de casamento com averbação separação/divórcio, certidão de óbito do conjugue ou Declaração de União Estável;
IV – Registro de Ocorrência expedido pela Secretaria de Proteção e Defesa Civil, emitido no período compreendido entre janeiro a julho do ano de 2011, à época, Coordenadoria de Defesa Civil;
V- Comprovante de residência ou documento que comprove que o usuário residia no local da área afetada, com data anterior à ocorrência do desastre.

Pagina 61 de 70

Notícias por data

« Fevereiro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29  

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

Cadastro da inscrição do IPTU para crédito da Nota Imperial

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo