Benefício é pago pelo INSS que passará a exigir o cadastro a partir de 1º de janeiro 

A Secretaria de Assistência Social está mobilizando as equipes dos CRAS – Centro de Referência de Assistência Social, para convocar os idosos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC-Loas) a comparecerem nas unidades e realizarem o cadastro no CadÚnico. A partir de 1º de janeiro de 2018, os idosos acima de 65 anos só poderão sacar o valor do benefício se estiverem com o cadastro atualizado. A medida é uma determinação do Ministério do Desenvolvimento Social para a liberação de benefícios sociais pagos pela União. 

Em Petrópolis há pelo menos 3 mil pessoas que recebem 1 salário mínimo através do BPC. Atualmente 5% desta população estão cadastradas e, devido à baixa adesão, a prefeitura está ampliando a divulgação para que os beneficiários procurem os CRAS para se cadastrar até o dia 31 de dezembro a fim de manter o recebimento do valor dentro do prazo. As pessoas com deficiência e que também recebem o BPC só serão convocadas em 2018.

“Nossa preocupação é que se eles não realizarem a inscrição no cadastro, terão o benefício suspenso em janeiro de 2018. Não queremos que isso aconteça porque será um impacto financeiro para estes beneficiários, já que estamos falando de famílias em situação de baixa renda”, explica a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

A alteração das regras de recebimento do benefício ocorreu em janeiro por decisão do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) e do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Para ter direito ao benefício, é necessário ter renda familiar per capta inferior a um quarto de salário mínimo vigente. Por ser um benefício assistencial, não é necessário ter contribuído ao INSS para ter direito ao BPC.

Avisado por um vizinho, o aposentado Jonas e Araujo Viana, 73 anos, compareceu na unidade do CRAS do Centro para realizar o agendamento do cadastro. Para realizar a inscrição/atualização do cadastro, o beneficiário deve comparecer nos CRAS com os documentos de todos os moradores da casa principalmente o CPF.

“Eu soube por um vizinho que viu o cartaz no posto de saúde. Eu nem sabia que precisava atualizar como moro sozinho não acompanho os jornais, então é bom que tenham colocado os cartazes pela cidade para que a gente possa se informar também e eu também já fiz o meu papel e passei a novidade para alguns amigos”, afirma.

A inscrição no Cadastro Único, além de manter o BPC, permite o acesso a vários outros programas sociais, como a Tarifa Social de Energia Elétrica e a Carteira do Idoso.

A aposentada Thereza da Rosa Silveira, 79 anos, pediu que a neta a levasse ao CRAS para fazer o cadastro no cadúnico assim que viu a notícia nos jornais.

“Eu estava lendo o jornal e vi uma reportagem e avisei a minha neta que eu precisava vir ao Cras para fazer o cadastro. É muito importante que todos venham fazer o cadastro e não deixem para a última hora”, alerta. 

O Benefício de Prestação Continuada (BPC) que é concedido ao idoso ou à pessoa com deficiência, de qualquer idade, com impedimentos de longo prazo, de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, que comprove não possuir meios para prover a própria manutenção nem de tê-la provida por sua família. 

Como se cadastrar para manter o BPC

Para realizar o cadastro, o Responsável Familiar (RF) deve ter mais de 16 anos e morar na mesma casa em que vive o beneficiário do BPC e dividir as responsabilidades como despesas e renda. O responsável deverá levar ao CRAS mais próximo de sua residência o número do CPF de todos os membros da família. Isso permite a identificação do beneficiário de sua família no momento em que o INSS avaliar a situação do benefício.

Os Centros de Referências de Assistência Social estão localizados nos bairros: 

CRAS Quitandinha

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço - Rua Alagoas, s/nº – Quitandinha. 

CRAS Centro

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço – Rua Dr. Sá Earp, nº 39 – Centro. 

CRAS Retiro

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço - Rua Henrique Dias, 221 – Retiro. 

CRAS Posse

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço - Estrada União e Indústria, S/N, ao lado do CIEP Gabriela Mistral (CEU da Posse). 

CRAS Corrêas

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço. Rua Vigário Correa, 443 – Corrêas. 

CRAS Vale do Carangola

Horário de funcionamento: das 7h30 às 16h30, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço. Rua Waldemar Vieira Afonso, 19 – Antiga ONG - Vale do Carangola. 

CRAS Itaipava

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço. Estrada União e Indústria, 11.860 – Itaipava. 

CRAS Madame Machado

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, sem horário de almoço. Rua Geraldo Lourenço Dias, s/nº (ponto final do ônibus 704) – Madame Machado.

Em quatro meses, foram realizadas 2,2 mil visitas

A Secretaria de Assistência já registra 300 famílias cadastradas no Programa Criança Feliz, que presta acompanhamento visando estimular o desenvolvimento integral de crianças em situação de risco ou vulnerabilidade social, na primeira infância. Esta é a fase determinante para o desenvolvimento de habilidades de coordenação, memória e capacidade de aprendizado. Na semana passada, as equipes chegaram à marca de 2,2 mil visitas realizadas.

A prefeitura tem muito orgulho deste programa, tão importante para o desenvolvimento de crianças em todo o país. Petrópolis foi um dos primeiros a aderir no estado e está trabalhando muito para atender a todas as famílias. Tem equipes capacitadas para realizar os trabalhos e reconhecer as necessidades de cada família, oferecendo o apoio necessário para cada caso em um momento fundamental.

O Programa Criança Feliz foi iniciado no município em junho. Com ele, as visitadoras fazem trabalhos que despertam a curiosidade, a coordenação e a memória das crianças, com atividades lúdicas. O programa, conduzido pela Secretaria de Assistência Social, conta com o apoio das secretarias de Educação e Saúde.

“Esta integração é uma característica da nossa gestão. É fundamental que os setores se unam visando o mesmo objetivo: mudar a realidade de quem precisa. Para isso, recebemos o apoio da Educação e Saúde para dar mais este acompanhamento. Nossa ideia é que, com este apoio, consigamos reduzir a evasão escolar”, disse a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

Estão sendo atendidas famílias que tenham crianças de até 3 anos beneficiárias do Bolsa Família e as de até 6 anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). O programa funciona em todas as oito unidades do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do município, com os 23 visitadores prestando atendimento em casa. São atendidas, também, gestantes, que recebem apoio no pré-natal e orientações sobre a melhor maneira de estimular os filhos nos estudos.

“Fiquei sabendo do programa no CRAS Centro, onde sou atendida, e estou muito contente. As meninas vêm me visitar, procuram saber como estou e, em caso de dificuldade, me auxiliam, como para marcação de exames, consulta... Tenho dois filhos e isto está sendo importante para eles também”, contou a dona de casa Rayssa Lopes, de 24 anos. Ela aderiu ao Programa para receber apoio durante a gestação, que chegou ao quinto mês.

 As orientadoras do Criança Feliz passaram por um treinamento organizado pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) na capital e multiplicaram os conhecimentos para os 23 visitadores. Petrópolis foi um dos primeiros municípios a aderir ao Programa. A implantação no município foi graças a uma verba federal de R$ 52,5 mil mensais, liberada pelo Ministério do Desenvolvimento Social.

“Estamos muito felizes, pois nosso trabalho vem recebendo reconhecimento. Na semana passada, representantes do Programa no estado vieram a Petrópolis e nos parabenizaram pelo serviço que temos prestado Nossas equipes vem realizando o Programa de forma eficaz, conforme a metodologia passada para todos nós”, destacou a assistente social supervisora do Programa Criança Feliz, Catia Vasconcellos.

Iniciativa garantirá o desenvolvimento integral de crianças desde a gestação

A Secretaria de Assistência Social deu início, na semana passada, às reuniões com beneficiários do Bolsa Família que poderão participar do Programa Criança Feliz, que visa estimular o desenvolvimento integral de crianças em situação de risco ou vulnerabilidade social, na primeira infância – fase determinante para o desenvolvimento de habilidades de coordenação, memória e capacidade de aprendizado. Até esta terça-feira (08.05), 33 famílias já confirmaram a adesão ao programa.

“A ideia do programa é de dar orientações para as famílias sobre a melhor maneira de estimular os filhos nos estudos. O objetivo é diminuir a evasão escolar, prestando acompanhamento das gestantes desde o pré-natal e preparando as mães em toda linha de cuidado, além do fortalecimento do vínculo familiar”, explicou a secretária de Assistência Social, Denise Quintella, lembrando que a iniciativa tem como ponto central a visitação domiciliar que será realizada pelos técnicos da Assistência Social.

A Assistência, a Saúde e a Educação estarão envolvidas para mudar a realidade desses jovens. A expectativa é que sejam atendidas 700 famílias que tenham crianças de até 3 anos beneficiárias do Bolsa Família e as de até 6 anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). O programa tem previsão para ser lançado oficialmente ainda este mês e irá funcionar em todas as oito unidades do Centro de Referência a Assistência Social (CRAS) do município.

“As supervisoras passaram por um treinamento organizado pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) na capital e multiplicaram os conhecimentos para os 23 visitadores, que devem começar os trabalhos no início de junho. Estas reuniões vão seguir durante o mês na busca de apresentar o programa para essas famílias, falando sobre sua importância”, destacou o Diretor do Departamento de Proteção Social Básica, Rodrigo Lopes.

A implantação do Programa em Petrópolis é graças a uma verba federal de R$ 52,5 mil mensais, liberada pelo Ministério do Desenvolvimento Social. Petrópolis foi umas das 50 cidades participantes do Seminário do programa realizado no Rio de Janeiro, no início do ano.

A dona de casa Catia Vidal, moradora do Valparaíso, acompanhou uma das reuniões e está otimista. Ela é uma das pessoas que já garantiram a adesão ao Criança Feliz.

“Achei muito interessante a ideia e quero participar. Estou conhecendo o programa agora e acho que ele tem tudo para dar certo. Fiz questão de já garantir minha presença”, comentou Catia, que estava com a filha, a pequena Heloísa, de um ano e quatro meses.

A secretária Denise Quintella explica sobre a importância dos estímulos e cuidados até os 6 anos de idade para o desenvolvimento social da criança por toda a vida.  “A formação inicial é determinante. O caráter, as competências e a inteligência de uma pessoa são definidos nos primeiros anos de vida. Por isso, é muito importante que a criança receba esse cuidado especial para que se torne um adulto mais preparado”, finalizou.

A próxima reunião está marcada para esta quarta-feira (09.05). O encontro vai acontecer, às 14h, no Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) de Corrêas, que fica na Rua Vigário Corrêa, 443. No dia 11, a Assistência leva as orientações ao Carangola, e, no dia 17, à Madame Machado.

Assistidos são parte dos 21 mil grupos familiares cadastrados no CadÚnico 

Já alcança o número de 4,5 mil as famílias de baixa renda que estão sendo atendidas em programas sociais da prefeitura como o Cartão Imperial e o Aluguel Social. Considerando anda programas federais como Bolsa Família, o número de núcleos familiares atendidos é de 21.550.

Importante consolidar os programas e o acompanhamento permanente para beneficiar realmente quem precisa.  Falta de condições atingem uma parcela considerável da população de nossa cidade e mais do que oferecer um apoio financeiro a atuação tem sido no sentido de as famílias poderem avançar em estudo e formação profissiona.

Petrópolis trabalha alinhado com os dados e ações do Cadastro Único (CadÚnico), que reúne informações socioeconômicas das famílias brasileiras de baixa renda e é a porta de entrada para diversos programas sociais do governo, como o Bolsa Família, por exemplo.

A cidade oferece o Cartão Imperial a 4,5 mil famílias. O valor é de R$ 70 e deve ser usado prioritariamente em alimentação. “Temos 15 mil famílias que vivem com menos de R$ 500 mensais. Então, o Cartão ajuda a manter a alimentação”, aponta Bernardo Rossi.

Das 21.550 famílias cadastradas no CadÚnico em Petrópolis, 9.583 são beneficiárias do Programa Bolsa Família. Cada grupo familiar recebe um valor médio de R$ 176,23. Já o município atende diretamente 4,5 mil pessoas,  Atualmente, 4.100 estão com cadastros ativos no Cartão Imperial recebendo R$ 70 mensais e 400 recebem o Aluguel Social, valor mensal de R$ 500, concedido a famílias desabrigadas das chuvas. A Secretaria de Assistência Social, com o Restaurante Popular, oferece, ainda, mais de 40 mil refeições por mês, entre café da manhã, almoço e lanche da tarde.

“Os dados do CadÚnico apontam que 15.743 famílias em Petrópolis têm renda per capita de até meio salário mínimo. São famílias beneficiadas com a Tarifa Social de Energia Elétrica, o Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre outros. O Cadúnico é a porta de entrada para que a população receba algum benefício social do governo”, explica a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

O município se destaca com relação à atualização dos dados junto ao Ministério do Desenvolvimento (MDS). Segundo relatório do MDS, a Taxa de Atualização Cadastral (TAC) do município é de 77%, enquanto que a média nacional é de 73%. Isso significa que o cadastro de Petrópolis está “bem focalizado e atualizado”, ou seja, com a maior parte das famílias cadastrada pertencente ao público alvo.

“É muito importante perceber que estamos atendendo tantas famílias e nos destacando, inclusive, em relação aos critérios do CadÚnico em todo o Brasil. A Educação dos jovens atendidos, por exemplo. O município possui um acompanhamento da frequência escolar considerado “muito bom” pelo MDS. Mais de 11,7 mil crianças e jovens de 6 a 17 anos do Bolsa Família precisam ter a frequência escolar acompanhada no último bimestre. Dessas, foram acompanhadas 11,5 mil. Portanto, 98% das crianças e jovens de 6 a 17 anos do Bolsa Família tiveram a informação de frequência escolar registrada nesse período. A média nacional é de 91% de acompanhamento na educação”, completa a secretária de Assistência Social.

A dona de casa Catia Vidal, moradora do Valparaíso, é beneficiária do Bolsa Família e vai participar do Programa Criança Feliz, um dos programas do município para atender as famílias, buscando reduzir a evasão escolar. O Criança Feliz foi lançado no fim do mês passado. Catia acompanha as reuniões no CRAS e está otimista com o apoio recebido pela Assistência. 

“Achei muito interessante a ideia e quero participar. Estou conhecendo o programa agora e acho que ele tem tudo para dar certo. Fiz questão de já garantir minha presença”, comentou Catia, mãe da pequena Heloísa, de um ano e cinco meses. 

Moradores de oito locais devem se recadastrar no Cartão Imperial 

A prefeitura está convocando os moradores do Alcobacinha, Bela Vista, Cascatinha, Humberto Rovigatti, Itamarati, Nova Cascatinha, Quissamã e Samambaia a realizarem o recadastramento do Cartão Imperial. A atualização começou na segunda-feira (04.06), no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do Centro localizado na Rua Dr. Sá Earp, nº 39, de segunda-feira a sexta-feira, de 9 às 16h. Ao todo, 168 famílias precisarão atualizar os dados para manutenção do benefício.

Por ser regiões muito populosas, o processo foi dividido em ordem alfabética para realizar a atualização dos dados até o dia 28 deste mês. A meta da prefeitura é manter ativo o benefício dos que comprovarem a situação de vulnerabilidade social, de insegurança alimentar e/ou nutricional para manter o recebimento de R$ 70 mensais. 

Como se recadastrar? 

O recadastramento do Cartão  Imperial garante o recebimento do benefício aos atendidos que estejam dentro dos critérios do programa, ou seja, que comprovem situação de vulnerabilidade social e estejam devidamente cadastradas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). Caso a família não atualize os dados, o benefício é inicialmente bloqueado para que a pessoa entre em contato com a Secretaria de Assistência Social para regularizar o cadastro.

A Secretaria de Assistência Social disponibiliza uma equipe para convocar as famílias por telefone. Para fazer o recadastramento, o usuário deve levar documento de identificação, CPF, comprovante de residência, carteira de trabalho ou comprovante de renda, certidão de nascimento dos filhos menores, comprovante de escolaridade e carteira de vacinação dos menores de 10 anos. 

Pessoas com deficiência ou portadores de doença crônica devem apresentar laudo ou comprovante de acompanhamento médico. Em casos de dúvidas, os moradores podem entrar em contato pelos telefones (24) 2233-8109 e 2233-8110. 

O recadastramento seguirá de acordo com o cronograma: 

11/06 e 12/06 – Letras F, G e H 

13/06 a 15/06 – Letras I, J, K e L 

18/06 e 19/06 – Letra M 

20/06 – Letras – N, O e P 

21/06 e 22/06 – Letras Q e R 

25/06 e 26/06 – Letra S 

27/06 e 28/06 – Letras T, U, V, W, X, Y e Z

‘Bazar 0800’ em Itaipava recebe doações de roupas e brinquedos

Peças são disponibilizadas aos usuários com CadÚnico

Davi Lucca do Nascimento Lima de 3 anos e Hewell Alexandre Faria de Freitas de 4 anos tinham um sonho em comum: ganhar uma bicicleta de Natal. O pedido foi realizado junto a Coordenação do Bazar 0800, iniciativa da prefeitura que recebe doação de roupas e brinquedos e distribui gratuitamente aos usuários cadastrados no CadÚnico, na unidade localizada no Centro de Cidadania, em Itaipava. Graças à solidariedade de um doador, ambos tiveram o sonho realizado.

Em clima Natalino, a Secretaria de Assistência Social promoverá no dia (27.12) uma festa de confraternização entre os usuários do Centro de Cidadania e as doações de brinquedos continuam acontecendo para serem entregues às crianças no dia do evento.

A secretária de Assistência Social, Denise Quintella relembra que a campanha “Roupa boa a gente doa” começou em julho para arrecadar peças de inverno destinada à população em situação de rua. Devido ao grande volume de doações foi montado um bazar que já beneficiou 420 famílias.

“Hoje temos famílias que escolhem peças para todos os filhos mensalmente. Há ainda um grupo de empresários que sensibilizados com a campanha doam peças, muitas delas ainda com etiquetas, então todos aqueles que quiserem contribuir com o bazar as portas estão abertas diariamente. Estamos ainda recebendo a doação de brinquedos e materiais escolares para quem quiser contribuir também com as necessidades das nossas crianças”, afirma a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

Sensibilizado com o pedido das crianças, o motorista Pedro Henrique Siqueira doou as bicicletas para os pequenos Hewell Alexandre e Davi Lucca. Ele afirma que se cada um puder separar o que tem em casa e não usa mais é possível transformar o Natal de muitas crianças.

“Eu vim fazer uma entrega no Centro de Cidadania e vi as crianças saindo tristes. Perguntei o motivo e assim que soube me comprometi a doar as bicicletas. Todo mundo tem alguma roupa ou até brinquedo que pode ser doado. Custa muito pouco fazer o bem”, incentiva.

O coordenador do Bazar 0800, Ricardo Soares explica que muitas doações são realizadas pelos próprios usuários, com peças em bons estados, mas que não serve mais nos filhos.

“É um gesto muito bonito, pois eles trocam entre eles algumas peças. A ajuda que temos hoje vem de toda população independente do nível social e a nossa expectativa é que o bazar cresça para mantermos o funcionamento durante todo o ano”, anuncia o coordenador do bazar que projeta a ampliação do espaço para 2018 “Estamos em busca de um parceiro para viabilizar a pintura, montagem de prateleiras e outros pequenos ajustes. Meu sobrinho já fez um projeto e agora contamos com a solidariedade de empresas e pessoas que nos ajude organizar o espaço para que ele fique mais acolhedor e com melhor exposição das peças”, completa.

Como Doar:

Os interessados em doar as peças de roupas, calçados ou brinquedos podem entrar em contato com o Centro de Cidadania em Itaipava pelo telefone (24) 2246-8746. Um dos itens mais procurados e que estão em falta são as roupas intimas para ambos os sexos e roupas e sapatos masculinos de adultos e crianças.  As peças doadas precisam estar em boas condições de uso ou no caso de roupas íntimas é importante que as peças sejam novas.

“Recebemos muitas numerações femininas, então quem puder doar calçados para crianças e para o público masculino será muito bem-vindo. Logo no início do bazar muitos brinquedos foram doados o que atraiu um grande número de famílias até o local, além de mochilas e itens escolares. Agora estamos sem, então é importante reforçar que também recebemos brinquedos novos e usados, além de já estarmos pensando nas entregas de kits escolares para o próximo ano letivo”, reforça Denise Quintella.

Como receber as peças doadas:

Os usuários inscritos no CadÚnico podem retirar mensalmente um item por membro familiar, basta apenas fornecer o número do NIS (Número de Inscrição Social). A secretária de Assistência Social, Denise Quintella explica que tanto as entregas de doações quanto às retiradas das peças devem ser realizadas no Centro de Cidadania.

Fernanda de Castro e Tatiane Portela, são vizinhas e moradoras do bairro Vila Rica, elas foram com os filhos até o bazar pela primeira vez e já se comprometeram a doar peças que já não servem mais nas crianças.

“O menino que ganhou a bicicleta é meu afilhado e mora lá perto da nossa casa então assim que soube do bazar resolvi conhecer. Eu fiquei maravilhada, pois além de ser ajudada a gente pode ajudar. Na próxima vez que vier vou trazer uma sacola de roupas que não servem mais nas crianças”, afirmaram.

Toda doação é protocolada em um livro de registro que conta o número do NIS, nome completo da pessoa que recebeu a doação e o número de peças retiradas no bazar. A arrecadação e retirada poderá ser feita de segunda a sexta-feira, de 9 às 16h, no Centro de Cidadania Desembargador Jorge Loretti localizado na Estrada União e Indústria, 11860, Itaipava.

Quatrocentos e sessenta e cinco latas de leite em pó foram arrecadadas por meio do Projeto Ciranda das Artes, desenvolvido pela Prefeitura, por meio da Fundação de Cultura e Turismo. As latas foram entregues a representantes da Pastoral da Criança, do Lar Nossa Senhora das Graças e a três famílias, pela presidente da Fundação, Thaís Ferreira e pela secretária de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac), Fernanda Ferreira, na tarde desta terça-feira (7/1), no Centro de Cultura Raul de Leoni.

Os produtos foram recebidos como mensalidade pelos alunos do projeto entre junho e novembro de 2014. Em maio do ano passado foram 213 latas da mesma procedência. Em 2013 foram arrecadados 315 latas e pacotes de leite. O Projeto Ciranda das Artes conta com 13 cursos de iniciação (artesanato, danças folclóricas, jazz, danças urbanas, balé, teatro, desenho/pintura, grafite, artes plásticas e dança de salão) para o público adulto, juvenil e infantil.

‘Bazar 0800’ em Itaipava recebe doações de roupas e brinquedos

Peças são disponibilizadas aos usuários com CadÚnico

 

A Secretaria de Assistência Social está ampliando a divulgação da campanha “Roupa boa a gente doa” junto as secretarias e empresários do município. Com a solidariedade dos petropolitanos, 500 famílias foram cadastradas no ‘Bazar 0800’ e retiram mensalmente uma peça de roupa para cada membro da família cadastrada no Cadúnico. A arrecadação e retirada das peças acontecem diariamente no Centro de Cidadania em Itaipava, 9 às 16h.

A iniciativa que começou há sete meses precisa de ajuda para manter a assistência aos beneficiados. Atualmente a maior procura é por roupas masculinas e calçados do número 38 a 44. As peças para recém-nascidos até os 12 anos também estão em falta assim como roupas íntimas de ambos os sexos.

“Nossa campanha ganhou força graças à solidariedade da nossa população. Hoje temos famílias que escolhem peças para todos os filhos mensalmente. Há ainda um grupo de empresários que, sensibilizados com a campanha, também doam peças ainda com etiquetas, então todos aqueles que quiserem contribuir com o bazar as portas estão abertas diariamente”, convida a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

O coordenador do Bazar 0800, Ricardo Soares reforça que muitas doações são realizadas pelos próprios usuários, com peças em bons estados, mas que não serve mais nos filhos.

“É um gesto muito bonito, pois eles trocam entre eles algumas peças. A ajuda que temos hoje vem de toda população independente do nível social e a nossa expectativa é que o bazar cresça para mantermos o funcionamento durante todo o ano”, disse.

O coordenador do bazar projeta a ampliação do espaço neste ano a fim de dar mais conforto aos usuários.

“Estamos em busca de um parceiro para viabilizar a pintura, montagem de prateleiras e outros pequenos ajustes. Meu filho já fez um projeto e agora contamos com a solidariedade de empresas e pessoas que nos ajude organizar o espaço para que ele fique mais acolhedor e com melhor exposição das peças”, completa.

Como Doar:

Os interessados em doar as peças de roupas, calçados ou brinquedos podem entrar em contato com o Centro de Cidadania em Itaipava pelo telefone (24) 2246-8746. Um dos itens mais procurados e que estão em falta são as roupas intimas para ambos os sexos e roupas e sapatos masculinos de adultos e crianças.  As peças doadas precisam estar em boas condições de uso ou no caso de roupas íntimas é importante que as peças sejam novas.

“Recebemos muitas numerações femininas, então quem puder doar calçados para crianças e para o público masculino será muito bem-vindo. Logo no início do bazar muitos brinquedos foram doados o que atraiu um grande número de famílias até o local, além de mochilas e itens escolares. Agora estamos sem, então é importante reforçar que também recebemos brinquedos novos e usados, além de já estarmos pensando nas entregas de kits escolares para o ano letivo”, reforça Denise Quintella.

Como receber as peças doadas

Os usuários inscritos no CadÚnico podem retirar mensalmente um item por membro familiar, basta apenas fornecer o número do NIS (Número de Inscrição Social). A secretária de Assistência Social, Denise Quintella explica que tanto as entregas de doações quanto às retiradas das peças devem ser realizadas no Centro de Cidadania.

Toda doação é protocolada em um livro de registro que conta o número do NIS, nome completo da pessoa que recebeu a doação e o número de peças retiradas no bazar. A arrecadação e retirada poderá ser feita de segunda a sexta-feira, de 9 às 16h, no Centro de Cidadania Desembargador Jorge Loretti localizado na Estrada União e Indústria, 11860, Itaipava.

12 setores ofereceram serviços durante este sábado (24.03)

A quadra da Comunidade Oswaldo Cruz recebeu cerca de 500 pessoas em busca dos diversos serviços oferecidos por 12 setores da prefeitura durante ação social realizada neste sábado (24.03), no Valparaíso. Emissão de documentos, aferição de pressão e medição de glicemia estiveram entre os serviços mais buscado pela população. Vale do Carangola, Bairro da Glória e Independência também já foram contempladas com ações do tipo.

Com esse tipo de ação conseguimos levar aos moradores da região os serviços oferecidos pela prefeitura e instituições parceiras próximas de suas casas. Além do viés social, também tem aspecto de diversão: as crianças se divertem com as brincadeiras e animação e também tem programação para os adultos. É um dia muito especial e que já contemplou moradores de vários bairros.

Dentre os serviços ofertados gratuitamente estão a inscrição no Cadúnico e orientações sobre benefícios sociais, entre eles, a tarifa social de energia elétrica; a Coordenadoria de Juventude que ofereceu recreação para as crianças e fez um bazar gratuito; também teve a equipe do CRJ divulgando o ID Jovem e os cursos oferecidos; além da divulgação do Benefício de Prestação Continuada (BPC), orientações para microempreendedor individual oferecido pelo SEBRAE; a equipe da Fundação Leão XIII e do DETRAN com a emissão de primeira e segunda via de identidade.

Morador do bairro há 16 anos, Rogério Mendes aproveitou a oportunidade para fazer a emissão da segunda via da identidade – documento que, segundo ele, estava em péssimas condições. “Estava muito velho, mal dava para ver a foto e corria o risco de não aceitarem. Aproveitem a ação social para tirar a segunda via. Pertinho de caso, não tem desculpa. Essa ação é muito bacana”, elogiou o motorista.

Quem também aproveitou a oportunidade para fazer a emissão do documento da filha de 8 anos, Paola Marques, foi a caseira Maria da Piedade de Abreu Marques. Ela é de Minas Gerais e mora no Valparaíso e, com frequência, viaja para sua cidade com a menina e precisa carregar a certidão de nascimento. “Esse é um inconveniente, mas que a partir de agora não vou precisar mais. Vou apresentar a identidade e pronto. Achei muito bom ter a ação social aqui, pertinho de casa. Vim e rapidinho resolvi isso”, disse.

A ação social também foi marcada por um aulão de zumba e roda de capoeira. Houve ainda a divulgação de serviços de mediação e justiça restaurativa, do NAPE-IJ e da Secretaria de Assistência Social.

“Trazer essa ação para a comunidade é aproximar ainda mais os moradores da comunidade dos equipamentos que já dispomos. Estamos aqui hoje não só ofertando os serviços, mas tomando ciência das demandas que eles têm. É essencial essa aproximação. Vamos continuar expandido os serviços porque sabemos a importância dessa relação com as famílias”, destaca a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

O trabalho de prevenção às drogas deve ser encarado de forma intersetorial, envolvendo os diversos atores diretamente ligados ao tema para promoção da igualdade social e inclusão dos jovens na sociedade. Esse foi o centro do debate da segunda pré-conferência de Políticas sobre Drogas, realizada na quarta-feira (11.04), na Casa dos Conselhos. Cerca de 70 pessoas participaram da discussão, a partir da apresentação de dados preliminares da pesquisa “Diagnóstico Rápido Participativo” (DRP), feita pelo Fórum Itaboraí em diversos bairros da cidade, e da palestra do especialista em medicina geral comunitária, Cândido da Fonseca Neto. Este foi o segundo encontro para preparar a conferência, que acontece nos dias 27 e 28 de abril, na Fase.

Foram mais de 170 pessoas, somados os participantes das duas pré-conferências realizadas. O objetivo da reunião é levantar informações e ideias que serão debatidas no fim do mês. Durante a pré-conferência, a presidente do Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas (CMPD), Victoria Gutiérrez, destacou a necessidade de se entender a prevenção às drogas como um trabalho que deve ser feito de forma integrada pelos setores envolvidos com o tema.

“Toda vez que se fala em política de prevenção às drogas, os atores envolvidos não dividem experiências. E prevenção a gente faz junto, não é uma ação de apenas um setor. São diversas as questões envolvidas e, por isso, é preciso articular e ter um trabalho intersetorial para ter um resultado mais efetivo”, disse.

A pesquisadora do Fórum Itaboraí, Marina Rodrigues, mostrou as primeiras conclusões do DRP, um estudo que contou com 600 entrevistas com equipes de 36 postos de saúde, 43 escolas, grupos sociais, mulheres e adolescentes. A intenção do levantamento é mostrar a realidade social dos locais pesquisados e planejar ações para atuação das equipes de saúde da família a partir do que os moradores apontam.

“O que a gente percebe, a partir do estudo, é que é necessário reduzir a desigualdade social e permitir que os jovens tenham participação na sociedade e a possibilidade de se desenvolver. Quando falamos isso, também estamos falando de promoção de saúde. O que precisamos discutir é o que fazer dentro dessa realidade”, afirmou Marina.

Para o médico Cândido da Fonseca Neto, a sociedade impõe desafios constantemente, de diferentes formas. Por isso, é necessário buscar a integralidade como uma boa prática na vida - e também na medicina.

"Às vezes, a pessoa passa horas em uma só posição, só fazendo trabalho intelectual. A gente precisa transformar isso em consciência corporal. Esquecemos que somos um corpo. Tem uma autora chamada Heloísa Capelas que tem um livro, "O Mapa da Felicidade", em que discute um conceito interessante sobre a integralidade, sobre estar íntegro, inteiro. E o que é exercer a integralidade? É estar contemplando os novos desafios sempre", falou.

A reunião contou, ainda, com a participação do comandante da Guarda Civil, Jeferson Calomeni; da coordenadora do Gabinete da Cidadania e presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), Anna Maria Rattes; do comandante do 26º Batalhão da Polícia Militar, Oderlei Souza; de representantes do Centro de Referência em Atendimento à Mulher (Cram), de unidades de saúde, de psicólogos do Centro de Atenção Psicossocial em Álcool e Drogas (CAPS AD); e de pacientes atendidos pelo CAPS AD e familiares.

 II Conferência Municipal de Políticas sobre Drogas seguem com inscrições abertas

As inscrições para a II Conferência Municipal de Políticas sobre Drogas estão abertas. Esta segunda edição vai acontecer nos próximos dias 27 e 28, no auditório da Faculdade Arthur Sá Earp (FASE), e terá como tema principal "Sociedade, Álcool e Drogas: o que fazer? ".

O cadastro para todos os participantes serão realizadas até a próxima segunda-feira (16.04), das 9 às 16h, na sede da Casa dos Conselhos ou pelo site da prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br). A eleição dos 42 delegados vai acontecer no dia 25, também na Casa dos Conselhos, às 18h, e se dará através de reunião de grupos das categorias, onde participarão os representantes credenciados das entidades participantes interessadas e a Comissão Organizadora da Conferência. Confira a programação da II Conferência:

Dia 27 de abril:

19h – Solenidade de Abertura – Boas Vindas

19h50 – Palestra de Abertura

Dia 28 de abril:

08h – 10h – Inscrição, credenciamento, coffee break.

08h30 – Leitura e Aprovação do Regimento da Conferência.

09h – Premiação do Concurso Logotipo do CMPD.

10h – Exposição das realizações do CMPD no período 2016/ 2018. 

10h30 – Palestras - Eixos temáticos.

12h – Almoço.

13h – Retorno.

13h30 – Trabalho dos Eixos.

15h – Plenária.

16h30 – Eleição dos membros do CMPD.

17h30 – Encerramento.

 Tarifa social começa a ser ampliada na cidade

 

 

A prefeitura vai dobrar o número de beneficiados – alcançando 8.692 famílias – com a tarifa social de água. O programa vai ser retomado com a concessionária Águas do Imperador iniciando pelo bairro Vista Alegre, em Araras. Para receber o benefício, as famílias precisam estar inscritas no Cadastro Único Social (Cadúnico), A prefeitura definirá junto à empresa os critérios de adesão que concederá 50% de desconto na tarifa. O consumo de até 10 m3 que custa R$ 29,00 passará para R$ 14,50.

 

O programa foi selado nesta quarta-feira (02.08) em reunião entre o prefeito  e a diretoria da Águas do Imperador, concessionária do sistema de água e esgoto da cidade. A Secretaria de Assistência Social estará diretamente envolvida no projeto.

 

O projeto inicia em Vista Alegre, em Araras, o local recebeu extensão da rede de abastecimento de água no final de março, obra visita pelo prefeito Bernardo Rossi. Foram feitas 307 ligações residenciais, levando água encanada para cerca de duas mil pessoas. A Secretaria de Assistência Social fará um mapeamento da região para verificar o número de moradores que recebem o benefício além de identificar famílias com perfil para cadastro no Cadúnico.

 

A tarifa social de água existe desde 2012 e concede 50% de desconto para a primeira faixa de consumo (zero a 10 m³) mensal de água e esgoto. Hoje, cerca de quatro mil pessoas são beneficiadas com o abatimento.  De acordo com o superintendente da Águas do Imperador, Marcio Salles, a próxima região a receber a extensão da rede de abastecimento é o Vale dos Esquilos com cerca de 400 novas ligações.

 

“Estamos evoluindo na parceria. Nós oferecemos esse programa no passado, mas era um sistema muito burocrático, pois passava pela antiga Setrac e Comdep e neste meio não conseguíamos concluir esse processo de concessão dos descontos. Agora conseguimos trabalhar de uma forma mais integrada, com cruzamento de dados e vamos poder conceder a tarifa social a quem realmente precisa”, afirmou Marcio Salles. 

 

Em um levantamento prévio pela Secretaria de Assistência Social se identificou que das 300 instalações realizadas no Vista Alegre, 80 pessoas são cadastradas no Cadúnico..

 

CadÚnico

 

As famílias com renda de até três salários mínimos ou com ganhos de até meio salário mínimo por pessoa podem se inscrever no CadÚnico - primeiro passo para ter acesso a diversos programas sociais do município, do estado ou da União. O cadastro pode ser feito pela própria família em alguma unidade do Centro de Referência de Assistência Social – CRAS. 


 

Os Centros de Referências de Assistência Social estão localizados nos bairros:

 

CRAS Quitandinha

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira à sexta-feira, sem horário de almoço - Rua Alagoas, s/nº – Quitandinha.


CRAS Centro

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira à sexta-feira, sem horário de almoço - Rua 24 de Maio, S/N– Alto da Serra, Antiga Escola Estadual Professor Augusto Meschick.


CRAS Retiro

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira à sexta-feira, sem horário de almoço - Rua Henrique Dias, 221 – Retiro.


CRAS Posse

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira à sexta-feira, sem horário de almoço - Estrada União e Indústria, S/N, ao lado do CIEP Gabriela Mistral (CEU da Posse).


CRAS Corrêas

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira à sexta-feira, sem horário de almoço. Rua Vigário Correa, 443 – Corrêas.


CRAS Vale do Carangola

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira à sexta-feira, sem horário de almoço. Rua Waldemar Vieira Afonso, 19 – Antiga ONG - Vale do Carangola


CRAS Itaipava

Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira à sexta-feira, sem horário de almoço. Estrada União e Indústria, 11860 – Itaipava.


CRAS Madame Machado


Horário de funcionamento: das 8h às 17h, de segunda-feira à sexta-feira, sem horário de almoço. Rua Geraldo Lourenço Dias, s/nº (ponto final do ônibus 704) – Madame Machado.

 
 

Pagina 3 de 65

Notícias por data

« Julho 2019 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

cmv-logo

Relatorio CMVP