Segunda, 05 Fevereiro 2018 - 18:58

Prefeitura participa de encontro com agricultores

Plano de Ação foi estabelecido para atender as demandas da área rural

A garantia do uso de R$ 1,6 milhões nesse ano de 2018 para a compra de produtos da agricultura familiar, aumentando para 40% o uso dos recursos do Plano Nacional de Alimentação Escolar – PNAE foi um dos assuntos abordados pela prefeitura em um encontro com representantes dos produtores rurais realizado nessa segunda-feira (05.02) na Casa dos Conselhos Augusto Ângelo Zanatta.

Segundo a Emater, atualmente 800 famílias, cerca de 2.800 mil pessoas, vivem da produção rural do primeiro ao quinto distrito, movimentando R$ 16 milhões por ano na cidade. Participaram do encontro representantes das associações produtoras do Caxambu, Secretário, Brejal, Vale das Videiras e Taquaril, além da APHERJ (Associação dos Produtores Hortifrutigranjeiros do Estado do Rio de Janeiro) e do Sindicato Rural de Petrópolis.

A cidade teve um ano difícil em 2017, mas conseguiu avançar em muitas áreas. Agricultura é uma delas. O município realizou um registro de preço para a compra de diversos tipos de maquinários. O processo já foi homologado e assim que essas máquinas estiverem na cidade, elas ajudarão na manutenção das estradas vicinais. Essas estradas são importantes para o escoamento da produção rural e essa é uma das reivindicações da categoria. Para dar essa e outras boas noticias, a prefeitura solicitou esse primeiro encontro com os agricultores. A prefeitura vai elaborar um plano de ação e estabelecer metas com prazos para atender as necessidades da categoria.

A prefeitura recebeu as reivindicações dos agricultores para esse ano. O documento foi entregue por Henrique Mesquita, do Sindicato Rural de Petrópolis. “Queremos aproveitar esse encontro para falar da nossa realidade, buscando o auxilio do governo para que possamos investir cada vez mais na agricultura e dar um retorno para o município”, disse Henrique.

Além da manutenção das estradas vicinais, os produtores solicitaram caminhões para facilitar o escoamento da produção rural, a compra de flores dos produtores da cidade para os eventos oficiais da prefeitura e a disponibilização de pontos de venda no Centro da cidade para esse tipo de atividade, a criação de uma empresa de processamento de alimentos e ponto de atacado, disponibilização de pontos de vendas direta em pontos diferenciados e a compra da produção rural para instituições da Secretaria de Saúde e Assistência Social e a implantação de um programa de reciclagem de resíduos.

O maquinário já está sendo providenciado. Uma equipe da prefeitura vai elaborar uma planta com os pontos onde a venda de produtos poderá ocorrer na cidade, como as flores, por exemplo. A compra dos produtos da agricultura para uso nos demais setores da administração pública, como os hospitais, é um assunto que já está sendo discutido para que a viabilização técnica seja feita da melhor forma possível.

“Estamos alinhados com a agricultura e vários projetos que estão em andamento poderão ajudá-los no futuro. Um exemplo disso é a Copape, Cooperativa de Processamento Alimentar de Petrópolis. Um grupo de trabalho está atuando diretamente nesse projeto, incluindo a disponibilidade de lugar para venda em atacado. Outra novidade conquistada com a associação de produtores é a instalação de uma escola técnica do Senai na cidade, com oferta de cursos para esse público”, explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini.

Um segundo encontro foi marcado para o dia 5 de março. Nesse dia, a equipe da prefeitura vai mostrar para os agricultores o andamento dos trabalhos, já com as possibilidades de novos locais para venda direta.

Compra de alimentos orgânicos para merenda

Outro ponto abordado durante o encontro foi o projeto piloto da Secretaria de Educação que pretende, a partir do segundo semestre, comprar alimentos da produção orgânica para a merenda nos Centros de Educação Infantil. “Fico feliz com esse encontro informal quando o prefeito se colocou à disposição para ouvir as nossas reivindicações. Queremos fornecer para merenda porque acreditamos nos benefícios dos orgânicos. Agradeço à prefeitura por ouvir os agricultores de forma tão democrática”, disse Paulo Cesar Matos da APOP – Associação dos Produtores Orgânicos de Petrópolis.

“Quero aproveitar para parabenizar o governo pelo aumento no investimento na compra dos produtos agrícolas da nossa cidade. Ultrapassar a meta do PNAE é um motivo para comemoração e estamos muito felizes com isso”, disse Marco Ávila da APHERJ.

Feirantes do município terão nesta quarta-feira (17/9) a oportunidade de participar do curso gratuito “Qualidade no atendimento”, sobre como lidar com os clientes. A iniciativa da Prefeitura, por meio da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Produção, é para que as feiras de Petrópolis se desenvolvam cada vez mais, garantindo qualidade no serviço e beneficiando consumidores, vendedores e o município como um todo.

O curso será ministrado pelo Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas do Estado do Rio de Janeiro (Sebrae), na sede da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, na Rua Buarque de Macedo, 128, Centro, das 14h às 16h, e é aberto a feirantes e produtores do Hortomercado Municipal, de Itaipava. A iniciativa tem o apoio da Associação dos Feirantes de Petrópolis.

“Esta capacitação dos feirantes é mais uma medida da Prefeitura para levar mais qualidade para as feiras do município. Já fizemos alterações no estacionamento durante os dias de feira no Centro, de forma a facilitar o acesso dos clientes, estamos fazendo teste com máquinas de cartão de crédito nas feiras e avançamos na padronização dos uniformes e das barracas“, disse o secretário de Agricultura, Abastecimento e Produção, Leonardo Faver.

Entre os tópicos que serão abordados no curso, estão “Tratar bem ou atender bem?”; “Superando as expectativas dos clientes”; “Como lidar com situações e clientes difíceis”; e “Como agir mediante reclamações”.  O mesmo curso será realizado nas duas quartas-feiras seguintes (24/9 e 1º/10), para outras turmas de feirantes.

“No curso, também serão discutidos temas específicos das feiras, como o Código de Posturas, por exemplo, e a questão do descarte do lixo, para que não sejam causados transtornos à cidade. As feiras são muito importantes para a segurança alimentar de Petrópolis, já que são vendidos alimentos saudáveis, frescos e de qualidade, e também para a economia do município. Por isso, a preocupação da Prefeitura em sempre investir na qualidade desses espaços”, disse Faver.

 Os amantes do cavalo da raça Campolina se reunem a partir da próxima quarta-feira (23/4) na 8ª Exposição do Cavalo Campolina, no Parque Municipal de Petrópolis, em Itaipava. O evento promovido pela Prefeitura de Petrópolis, por meio da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e
Produção, vai contar com 250 animais e cerca de 50 criadores da raça considerada sinônimo de força e elegância.

Estarão participando do evento criadores das regiões de Minas Gerais e Rio de Janeiro que além de apresentarem seus cavalos vão participar de competições de morfologia e marcha e um leilão, que será realizado no sábado (26/4). Cerca de 40 animais devem ser ofertados no leilão. A entrada é franca.

As competições começam no dia 23 a partir das 8h. No último dia da exposição, domingo (27/4), acontece a grande final. "Os cavalos premiados nacionalmente estarão participando do evento, uma grande oportunidade para quem gosta destes animais", comentou o secretário de Agricultura, Abastecimento e Produção, Leonardo Faver.

Além de atrair os visitantes e turistas, a 8ª Exposição do Cavalo Campolina também movimenta economicamente a região. Segundo Faver, o evento foi elogiado pelos hoteleiros e moradores dos distritos.Entre os grandes criadores que já confirmaram presença está o Haras Mandala, localizado na Fazenda Inglesa, que faz parte do Núcleo de Criadores do Cavalo Campolina no Brasil, além de integrantes da Associação Brasileira do Cavalo Campolina.

Produtores e criadores de Petrópolis devem ficar atentos: a Prefeitura, por meio da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Produção, iniciou no dia 1º de novembro a segunda etapa da Campanha de Vacinação Contra a Febre Aftosa. Todos os animais – bovinos, bubalinos e outros biungalados – com até dois anos de idade devem ser imunizados. Na primeira fase da campanha, realizada em maio, foram ministradas 5.700 doses.

A vacina é vendida em lojas autorizadas durante o período da campanha, que segue até o dia 30 de novembro. Em Petrópolis, apenas a Porteira Agrícola, em Secretário, está autorizada a vender o produto. “O produtor deve se dirigir à loja e adquirir as doses necessárias para vacinar todos os animais. Ele receberá no ato da compra a Nota Fiscal e a Declaração de Vacinação em branco, que deve ser preenchida e levada ao Núcleo de Defesa Agropecuária, juntamente com a Nota Fiscal da compra”, explicou o secretário de Agricultura, Abastecimento e Produção, Leonardo Faver.

O prazo para a entrega da declaração e da nota é de cinco dias úteis após o final da campanha. O produtor que não cumprir o prazo pode ser impedido de retirar os bovinos e bubalinos da propriedade. “Sem a entrega dos documentos o produtor não poderá emitir o Guia de Trânsito Animal (GTA), por isso ficará impedido de transitar com os animais”, ressaltou o secretário.

A febre aftosa é uma doença aguda, que causa febre alta e aftas (bolhas) na boca, língua, cascos e úberes dos bovinos, bubalinos e outros animais biungulados. Além dos prejuízos, a criação tem grande importância econômica para o país, pois um único foco tem como consequência sérias restrições de trânsito para animais e outros produtos, principalmente para a exportação de carne. “O estado do Rio de Janeiro é livre de Febre Aftosa, por isso é importante que todos os animais sejam vacinados”, concluiu Faver. O Núcleo de Defesa Agropecuária de Petrópolis fica localizado na Estrada União e Indústria, nº 11.590 - bloco B/sala 103, em Itaipava.

Alunos, pais e professores das regiões do Brejal, Caxambu, Jacó e Bonfim participaram do primeiro encontro para discutir o projeto da Escola Técnica Rural, desenvolvido pela Prefeitura, por meio da secretaria de Agriculta, Abastecimento e Produção. A reunião aconteceu na Escola Municipal Antônio José de Lima, na localidade conhecida como Albertos, no Brejal.

“A reunião foi muito positiva, tanto pelo interesse dos jovens em propor ideias para o projeto quanto pela adesão dos nossos parceiros”, comemorou o secretário de Agricultura, Abastecimento e Produção, Leonardo Faver. Entre as propostas apresentadas está a realização de oficinas sobre informática, gestão de custos de produção e tecnologia na agricultura.

O encontro teve como objetivo desenvolver políticas educacionais e um programa pedagógico para as escolas do meio rural com foco no trabalho, na inovação e no empreendedorismo, com bases em atividades agrícolas e não agrícolas.  “A finalidade desses encontros é refletir, desenvolver e priorizar as demandas da escola e os anseios dos alunos e ex-alunos, professores, pais e técnicos que atuam no meio rural”, enfatizou Faver.

O projeto para a implantação da Escola Técnica Rural está sendo desenvolvido em conjunto com as secretarias de Educação e de Ciência e Tecnologia; além de parceiros como a Fundação Getúlio Vargas, Fiocruz, Sebrae, UCP e a secretaria de Estado de Agricultura.

O primeiro baile da terceira idade realizado pela Prefeitura na Exposição Agropecuária na tarde da última sexta-feira (2/5) foi um sucesso. Mais de 400 pessoas participaram do evento, vestindo camisas personalizadas e se divertindo ao som da grupo Pássaro de Prata. Foram mais de três horas de muita música, com direito a maquiagem, buffet e apresentação do Coral Sintonia, do Centro de Cidadania de Itaipava.

O secretário de Trabalho, Assistência Social e Cidadania, Jorge Maia, comemorou a participação dos idosos no evento. “Esta programação foi organizada especialmente para eles. Fizemos tudo com muito carinho e vê-los aqui, se divertindo e comemorando, nos dá a certeza de que fizemos
um bom trabalho”, garantiu, anunciando que o evento, lançado nesta 25ª Expo Petrópolis, entra, agora, para a programação da festa.

Integrantes do Projeto Conviver, mantido pelo Instituto de Previdência e Assistência Social do Servidor Público de Petrópolis (Inpas) também participaram do baile, que durou mais de três horas. Ao lado deles, pessoas da terceira idade de todo o município aproveitaram a programação. Aos 71 anos, Sebastião Serrinha era um dos mais animados. “Participo de todos os bailes realizados pela Prefeitura. Não é remédio melhor para osidosos do que dançar”, assegurou ele, entre uma dança e outra.

Eliani Macedo Moreira também aprovou a iniciativa e lembrou que todos os idosos deveriam participar. “É importante que eventos como este se multipliquem. É muito divertido”, disse. Janete Rodrigues também gostou do que viu. “Gostei muito da ideia de trazer o baile para a Expo Petrópolis. Foi muito bom”, elogiou.

Aplicativos do banco serão disponibilizados no site da PMP

Mais de 60 produtores rurais puderam conhecer nessa quarta-feira (21.02) as linhas de crédito que o BNDES – Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico – disponibiliza para os empresários do setor. O encontro com técnicos do BNDES ocorreu na Casa da Educação Visconde de Mauá e foi realizado após um pedido do prefeito Bernardo Rossi. Para aproximar ainda mais os produtores e fomentar o crescimento do setor – Petrópolis conta com cerca de 800 produtores, cinco mil pessoas que vivem da produção rural – o banco vai disponibilizar no site da prefeitura dois aplicativos do banco: o canal ‘Desenvolvedor’ e um especifico que explica todas as linhas de crédito da instituição financeira. Essa será a primeira vez que os aplicativos do banco serão disponibilizados em um site governamental.

Segundo o assessor da presidência do BNDES, José Talarico, a meta do banco é a de se aproximar dos empresários e produtores rurais, fomentando o desenvolvimento econômico. “Ressalto que nada disso estaria acontecendo sem o empenho pessoal do prefeito Bernardo Rossi. A obrigação do BNDES é fomentar o desenvolvimento do Brasil e essa aproximação é muito importante. Através do apoio do prefeito Bernardo Rossi vamos inovar, disponibilizando na página da prefeitura os aplicativos que falam das linhas de créditos disponibilizadas pelo banco e o canal do desenvolvedor, que apoia o crescimento das empresas brasileiras”, afirmou José Talarico.

As linhas de crédito direcionadas para os produtores rurais, bem como os juros, prazos e carências de cada uma delas foi demonstrada pelo gerente de capacitação e Parcerias Institucionais do BNDES, Claudio Rabelo. Segundo ele, para esse ano, o BNDES tem um recurso de R$ 22,4 bilhões voltados para o financiamento. “Hoje, cerca de 50% dos investimentos do setor rural são feitos pelo BNDES. O encontro também foi importante para explicar que o BNDES não financia diretamente esse público. As linhas são disponibilizadas através de bancos parceiros”, contou Claudio Rabelo.

De acordo com a política do BNDES, podem solicitar financiamentos pessoas físicas (empreendedores com CNPJ) e jurídicas, cooperativas e associações, segundo uma classificação de porte de cada micro, pequena ou média empresa, ou ainda, produtor rural.

Entre as linhas disponíveis há, por exemplo, uma especifica para a compra de máquinas agrícolas novas e usadas (Moderfrota), uma para ações de preservação do meio ambiente (Programa ABC), financiamentos para irrigação (Moderinfa), armazenamento de grãos (PCA) e investimento de inovação tecnológica no setor (Inovagro).

Os produtores que quiserem uma linha de financiamento devem procurar um dos bancos parceiros, como Banco do Brasil, Caixa Econômica e Cresol. O banco fará a análise do crédito, vai negociar as garantias e visualizar as taxas. Só após esse trâmite será feita a liberação dos recursos para o agente financeiro.

Vale destacar que, no site do BNDES, os produtores rurais podem acessar o Canal do Desenvolvedor. Lá eles podem preencher os dados cadastrais e através da consulta, o portal avisa quais linhas de crédito estão disponíveis para atender a cada pedido. A solicitação pode, ainda, ser enviada diretamente para os bancos parceiros. Há também o BNDES online, onde algumas operações são aprovadas on-line.

Marco Ávila integrante da APHERJ – Associação dos Produtores Hortifrutigranjeiros do Estado do Rio de Janeiro – afirmou que a aproximação com o banco foi importante para os agricultores. “Foi bom para conhecermos as linhas. Tiramos dúvidas e agora sabemos de que forma podemos conseguir o financiamento”, disse.

Segundo Henrique Mesquita, do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrópolis, o encontro serviu para os produtores pudessem comparar as linhas de crédito. “Quando se fala em crédito, sempre há dúvidas sobre prazos e juros e nada melhor do que poder conhecer de fato todas as linhas e para que cada uma serve. O encontro foi muito positivo”.

Também participaram do encontro o vice-prefeito Baninho; o presidente da Câmara Municipal, Paulo Igor; o subsecretário de Desenvolvimento Econômico, Fernando Pessoa e o diretor do Departamento de agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, José Maurício, além dos vereadores Jorge Relojão, Wanderley Taboada e Jamil Sabrá.

2º encontro do BNDES em Petrópolis

Esse foi o segundo encontro realizado entre a equipe técnica do BNDES e empresários petropolitanos. No dia 18 de janeiro de 2018, os técnicos participaram de uma reunião com 80 empresários no auditório do Centro de Modas e Serviços da Rua Teresa. Na ocasião, representantes dos bancos parceiros, como Caixa Econômica e Banco do Brasil estiveram no evento para tirar dúvidas sobre os pedidos de linhas de crédito. Foram, ainda, montadas baias para atendimento e muitos empresários, na hora, já puderam conferir os financiamentos, vindos do BNDES, e que são feitos por instituições bancárias.

Projeto de criação da Copape - Cooperativa de Produtos Orgânicos de Petrópolis

O fortalecimento da organização coletiva, a criação de uma cooperativa de processamento de produtos orgânicos e as ações necessárias para o aumento da produção orgânica foram discutidas durante uma reunião técnica de apresentação e discussão do projeto "Fortalecimento da agricultura familiar orgânica”, promovida pelo Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e a Fiocruz por meio do Fórum Itaboraí: Política, Ciência e Cultura na Saúde - Fiocruz / Petrópolis.

Participaram do evento, na sede do Palácio Itaboraí, 36 pessoas, entre produtores, representantes da ABIO - Associação de Agricultores Biológicos do Estado do Rio de Janeiro, Embrapa,  MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuário e Abastecimento, Sebrae e presidentes de associações.

“O objetivo foi o de promover o diálogo e a participação de agricultores, militantes e protagonistas da agricultura familiar orgânica de Petrópolis, de forma a agregar contribuições e sugestões na revisão e redefinição das diretrizes estratégicas que nortearão as ações do Projeto ‘Fortalecimento da Agricultura Familiar Orgânica em Petrópolis’”, explicou Daiana de Melo Gomides, integrante da equipe multidisciplinar responsável pelo projeto.

Petrópolis conta atualmente com cerca de cem produtores que se dedicam à produção orgânica e a intenção, segundo o Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, é a de estimular o crescimento da produção para que esse tipo de alimento atenda às demandas de setores como o gastronômico e hoteleiro. “Temos tudo para tornar esse tipo de produção mais uma vocação em Petrópolis. Através desse projeto criado pela Fiocruz, vamos ouvir os produtores e estudar a melhor forma de incentivo para que todas as ações pontuadas no projeto sejam realizadas com sucesso”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico Marcelo Fiorini.

O projeto, criado pela Fiocruz, foi contemplado no Acordo de Cooperação entre a Fiocruz/BNDES e Fiotec para promover a inclusão socioeconômica e o desenvolvimento sustentável de comunidades rurais e urbanas de baixa renda. Todo o programa compreende quatro eixos estruturantes: Organização coletiva /implantação da cooperativa; Implantação da Central de Processamento Mínimo; Canais de Comercialização; e Capacidade Produtiva. Os assuntos nortearam o encontro. Na ocasião, os participantes foram divididos em dois grupos e puderam refletir e apontar os principais desafios e obstáculos, bem como desenvolver propostas de ações e soluções de cada tema proposto. O projeto prevê a criação da Copope - Cooperativa de Produção Orgânica de Petrópolis. A iniciativa contará com o acompanhamento da Prefeitura, Fiocruz, Fiotec, BNDES, Embrapa, UFF - unidade Petrópolis e ABIO.

Segundo o levantamento feito pela Fiocruz, através de um esforço conjunto pode-se agregar valor aos produtos orgânicos produzidos no município e o processamento pode auxiliar nessa questão, inclusive facilitando o atendimento das demandas de diferentes setores.

O encontro, segundo Daiana, gerou ampla discussão e envolvimento dos participantes. “Diversas propostas de estratégias de ação e desdobramentos foram levantadas e serão consolidadas, avaliadas e aplicadas na perspectiva de uma construção coletiva de um plano de ação. Os próximos passos compreendem a divulgação e apresentação do projeto aos grupos de agricultores orgânicos do município, fazer levantamento dos agricultores interessados em participar da cooperativa, fazer o levantamento de demanda de consumo de produtos orgânicos e elaborar o projeto da Central de Processamento. Depois destas etapas, o projeto será revisado e submetido a nova avaliação pelo BNDES”.

“Essa foi a primeira reunião. Agora, a partir da devolutiva dos produtores, vamos nos organizar para cumprir as próximas ações previstas no cronograma”, explicou o diretor do Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, José Mauricio Soares.

Futuramente, o projeto prevê o aumento da produção local de alimentos orgânicos em 30% ao ano, com os alimentos processados utilizados nos setores locais como restaurantes e hotéis, além de departamentos da prefeitura. Também está prevista a formalização dos produtores e a certificação para comercialização nacional, além da criação de um observatório permanente de produção e gestão agrícola orgânica

339 produtores impactados diretamente pela chuva no Caxambu

Um levantamento preliminar feito pelo Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico constatou que 339 pessoas que trabalham na produção rural foram atingidas diretamente pela forte chuva que causou estragos na região do Caxambu no último sábado (03.03). O prejuízo estimado dos produtores da região, com relação ao que foi perdido da produção já chega aos R$ 3 milhões. Somando-se as perdas materiais, como carros, motos e máquinas para o plantio, o prejuízo pode chegar aos R$ 5 milhões.

O resultado é preliminar. No Caxambu, cerca de 150 famílias vivem da produção rural. A equipe do Departamento de Agricultura continua visitando a região, já que a estimativa é de que 30% dos produtores ainda não foram cadastrados. Os dados, consolidados, vão permitir apresentação de projetos para a recomposição, além das ruas e acessos, das plantações. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico está recebendo auxilio da Emater-Rio, Sindicato Rural e Associação dos Produtores do Caxambu, na realização desse levantamento.

“Estamos em contato permanente com a associação dos produtores do local. O resultado será enviado para a Defesa Civil, que está coordenando as ações junto ao Ministério da Integração Nacional. Esperamos que a ajuda federal chegue o mais rápido possível para que os produtores possam recomeçar as suas atividades”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini.

“Continuamos visitando os produtores e fazendo um relatório com as perdas de cada um deles. Há pessoas que perderam carros, motos, a plantação e até mesmo as máquinas utilizadas para o plantio dos produtos”, explicou o diretor do Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, José Maurício Soares.

A  Secretaria Nacional de Defesa Civil reconheceu o decreto de situação de emergência assinado pela prefeitura para as localidades de Caxambu e Bela Vista e a prefeitura já está trabalhando para apresentar ao Ministério da Integração Nacional projetos de intervenções para recuperação destes locais. A Posse, também atingida por chuvas na quarta-feira, será incluída. A prefeitura já garantiu o apoio do governo federal em contato com o ministro Helder Barbalho para a resposta rápida a estes locais e um técnico do ministério, baseado no Rio, já fez visita em campo.

Levantamento também será feito na região da Posse

A forte chuva que caiu sobre a região da Posse na quinta-feira (08.03) também causou estragos nas estradas vicinais da região do Brejal. A equipe do Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico também vai percorrer a região e fazer o levantamento sobre as perdas dos produtores rurais. “Vamos fazer o mesmo trabalho realizado no Caxambu. Conversar com os produtores e fazer o levantamento das perdas financeiras desse público. Ainda não temos números computados, mas sabemos que as estradas da região foram bastante prejudicadas”, contou José Mauricio Soares.

Petrópolis recebe o Festival das Flores para comemorar a entrada da Primavera. O evento vai acontecer neste sábado (21/09), das 9h às 17h, na Praça Dom Pedro que estará enfeitada com o cultivo local de várias espécies de flores, entre eles, o monsenhor. O evento também vai contar com exposição, venda e distribuição de cinco mil mudas de hortênsias, flor que caracteriza a cidade. A praça se transformará em uma grande exposição de flores, na qual serão montadas 13 tendas para apresentação dos principais produtores locais. As quinze Vitórias e o trenzinho também receberão decoração especial com flores cultivadas em Petrópolis, mostrando o grande gesto de gentileza que dar, receber e enfeitar com flores pode significar.

Segundo o secretário de Agricultura, Abastecimento e Produção, Leonardo Faver, a cidade conta com uma média de 800 produtores rurais e, desses, 15% estão focados na cultura de flores. Eles estão concentrados nas regiões do Caxambu e do Bonfim. Entre as principais flores cultivadas na cidade se destacam as da espécie Monsenhor de diversas cores.

Ana Paula Medeiros de Souza tem 37 anos e sempre trabalhou vendendo flores. Seu pai, Avelino, de 69 anos, veio de Portugal com os pais, quando tinha apenas 12 anos, para se estabelecer no Caxambu e cultivar flores. O irmão, Renato, de 39 anos, também trabalha com eles. “Somos uma família que vive de flores. Desde pequena, gosto delas, elas fazem bem para o espírito. O evento será ótimo, estamos com uma expectativa muito boa, venderemos bem”, afirma Ana Paula. O pai, Avelino, garante que nasceu para cultivar flores. “Aqui, em Portugal, em qualquer lugar, eu nasci para plantar, colher e passar adiante as flores”, disse.

Pagina 9 de 12

Banner INFOS ATUAIS2

Notícias por data

« Agosto 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31            

Prestação de conta COVID-19

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

Cadastro da inscrição do IPTU para crédito da Nota Imperial

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo