Evento ocorreu durante encontro para elaboração do Programa de Revitalização das Políticas Públicas nas Comunidades Rurais do Município

A importância do saneamento nas comunidades rurais para a garantir a preservação dos recursos hídricos e melhorar as condições de vida das comunidades que sobrevivem das plantações foi ressaltada durante o encontro de elaboração do Programa de Revitalização das Políticas Públicas nas Comunidades Rurais do Município, realizada pela Superintendência Regional do Piabanha - SUPPIB-INEA, nessa sexta-feira (31.05), na sede do INEA em Petrópolis. Uma equipe do Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico apresentou um projeto elaborado em parceria com a Emater que prevê a construção de fossas sépticas em duas comunidades rurais da cidade: Bonfim e Caxambu.

A intenção do Departamento de Agricultura é a de que o projeto seja analisado e abraçado pelo INEA, Comitê Piabanha e moradores das comunidades rurais. O projeto visa ainda a conscientização da população sobre o destino correto do lixo e os cuidados com a irrigação – para evitar o desperdício de água. Por critérios técnicos, e com intuito de melhorar a qualidade das águas captadas para o abastecimento rural e urbano, as comunidades escolhidas para iniciar o projeto são Bonfim e Caxambu, onde totalizamos 423 unidades de fossas a serem implantadas. A ideia não é a só a de colocar as fossas nessas casas, mas, também, de capacitar os moradores a usar corretamente esse instrumento que colabora com a preservação do meio ambiente.

 A apresentação do projeto surgiu a partir de um convite da Superintendência Regional do Piabanha- SUPPIB-INEA que está elaborando o Programa de Revitalização das Políticas Públicas nas Comunidades Rurais do Município. “Observamos a necessidade de se promover políticas públicas mais eficientes nas áreas rurais a partir da experiência que consigamos graças aos  projetos que o INEA já vem realizando nesses locais. Queremos fazer parte dos projetos que possam ajudar o município. Todo esse processo envolve secretarias municipais diversas e estamos felizes com essa perspectiva”, disse Edmardo de Oliveira Campbell, superintendente Regional do Piabanha- SUPPIB-INEA.

O projeto de saneamento Rural das comunidades do Bonfim e Caxambu prevê a instalação de um kit básico composto de fossas, filtros, tubos e conexões que perfazem o valor unitário de R$ 1.732,98 - que totaliza para as duas comunidades o valor de R$ 733.050,54.

Vale ressaltar que, segundo o Departamento de Agricultura, com a ajuda do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, foi destinado um TAC (Termo de Ajuste de Conduta) para aquisição de 122 Kit de fossas sépticas, o que vai ajudar a economizar o valor de R$ 156.404,00 no total geral de gastos para a implantação de fossas nas duas comunidades.

A expectativa é de que o projeto, após passar pela análise do INEA, conquiste os subsídios e apoios necessários para a implantação.

A Presidente do Comitê Piabanha, Rafaela Facchetti, ressaltou a importância da parceria. “Muito importante todas as instituições estarem pensando em conjunto uma forma de viabilizar a ação. Certamente é um projeto que terá bons resultados”, disse.

Sérgio Lage, da associação de produtores rurais do Caxambu, aprovou o projeto. “Tudo o que puder feito para melhorar as condições de vida e de produção da nossa região será bem-vinda. Com apoio de todos, tenho certeza que poderá representar uma mudança na realidade da nossa comunidade”.

Segurança alimentar e nutricional, segurança hídrica e segurança social foram os temas abordados para a política pública da Agricultura.

Iniciativas do setor agrícola que podem ser desenvolvidas em conjunto pela Emater e Prefeitura começaram a ser debatidas pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, responsável pela área. Gargalos ao desenvolvimento da agropecuária e as barreiras institucionais, além do detalhamento sobre as políticas públicas para a agricultura já começaram a ser elencadas. A partir daí são direcionadas as ações que podem ser seguidas para se garantir as seguranças alimentar e nutricional, social e hídrica para um melhor desenvolvimento do setor agrícola no município. O primeiro encontro foi realizado quinta-feira (25.01) na sede da Emater, em Itaipava, com a participação da Associação dos Produtores Hortifrutigranjeiros do Estado do Rio de Janeiro (APHERJ).

Segundo Celso Albuquerque, Diretor do Departamento de Agricultura, Abastecimento e Produção, durante a reunião foram apresentados os pontos que são classificados como gargalo ao desenvolvimento da agropecuária e as barreiras institucionais, além do detalhamento sobre as políticas públicas para a agricultura e as ações que podem ser seguidas para se garantir as seguranças alimentar e nutricional, social e hídrica para um melhor desenvolvimento do setor agrícola no município.

“É fundamental que haja um maior desenvolvimento da cooperação e da integração como uma das alternativas para superar as deficiências. Criar eficiências coletivas, desenvolver os níveis de confiança, cooperação, reciprocidade, organização social e participação política da sociedade civil local. O departamento de agricultura está alinhado com a Emater e vamos convergir as ações para otimizar os recursos necessários para o pleno desenvolvimento do setor”, afirma Celso Albuquerque, Diretor do Departamento de Agricultura, Abastecimento e Produção da Secretaria.

Com relação à segurança hídrica, o departamento de agricultura pretende fortalecer o programa Pagamento por Serviços Ambientais (PSA), com foco em proteção de nascentes. Para se promover a segurança alimentar serão incentivadas as compras institucionais da agricultura familiar para os hospitais, restaurante popular e pelas outras secretarias.

“Com relação à segurança social, está previsto um programa de incentivo à formalização dos produtores familiares”, explicou Celso.

No encontro também foi abordada a necessidade de se implantar projetos e programas para acesso a alimentação adequada e saudável. A elaboração de um cardápio saudável com produtos da agricultura familiar e capacitação das merendeiras foram colocadas como prioridade pelo Departamento de Agricultura. Também estão previstas capacitações para os agricultores, incentivo a agricultura urbana, com a distribuição de mudas, a criação de jardins comestíveis, um maior apoio administrativo para os pequenos produtores e a elaboração de palestras e oficinas.

Além do departamento de Agricultura e do representante dos agricultores, participaram da reunião os representantes da Emater-RJ, Leonardo Faver e José Kleber Rayol.

 

 

O uso de máscaras de proteção pela população já está se tornando hábito entre as ações de prevenção ao coronavirus e, o Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico pede que a população que faz as compras rotineiras nas feiras livres, não abram mão desse hábito. Nessa semana, alguns feirantes fortaleceram a importância das medidas de prevenção. Na feira que ocorreu na última quinta-feira, no Bingen, na Rua Henrique Rafard, todos os vendedores e consumidores usaram máscaras de proteção.

Além das máscaras e uso de álcool em gel, na feira do Centro, a quantidade de barracas foi reduzida pela metade e novas feiras, nos bairros devem ser realizadas para evitar que as pessoas precisem se deslocar até o Centro da cidade.

“Nossa preocupação é a de seguir as orientações do governo com relação à prevenção, sem deixar de lado a preocupação econômica das famílias dos produtores”, explica o diretor do Departamento de Agricultura, José Maurício Soares.

Garantir que famílias que trabalham com produtos artesanais de origem animal, como mel e queijo, por exemplo, possam vender seus produtos até mesmo fora do estado, em feiras específicas, além de receber o Selo Arte. Esta é a intenção do Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, que está atento ao crescimento do setor. A comercialização de produtos artesanais de origem animal é uma vertente econômica que vem sendo cada vez mais explorada no país: microempreendedores são os que mais decidem investir no mercado, principalmente na comercialização direta. Em Petrópolis, o cenário não é diferente. O Censo Agro 2018 identificou a existência de 11 estabelecimentos produtores de mel e outros 23 que vendem queijos e requeijão.

Técnicos do departamento de Agricultura vem participando ativamente das discussões sobre Lei 13.680/18 que prevê uma fiscalização estadual e também a criação do Selo Arte, que identifica os produtos e permite a comercialização fora dos estados onde são produzidos. Na última semana o assunto foi discutido durante uma reunião da Câmara Setorial de Agronegócios da Alerj, ocorrida na Federação de Agricultura, Pecuária e Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Faerj).

Ter um selo de certificação do produto é importante para os produtores. A prefeitura busca garantir que essa lei beneficie os petropolitanos que dependem da venda desse tipo de produto. O município sabe que expandir a venda para as feiras fora da cidade vai garantir um aumento substancial na renda dessas famílias, pois a certificação dos produtos abrirá portas. A Secretaria de Desenvolvimento continuará acompanhando as etapas de implantação da lei.

Marcelo Fiorini, secretário de Desenvolvimento Econômico, avalia que a Lei pode estimular o crescimento do setor, já que os produtos poderão ter um selo de identificação.

“A preocupação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico é a de garantir que o selo possa garantir essa facilidade de vender o produto em outros locais. Queremos estimular o crescimento desse tipo de venda que é uma realidade e pode fortalecer ainda mais a cadeia econômica da cidade, levando o nome de Petrópolis para feiras em outros municípios”, explica Marcelo Fiorini.

Além do Selo Arte, a lei destaca a transferência da fiscalização da produção e comercialização desses produtos para os órgãos de saúde pública dos estados. Anteriormente, os alimentos artesanais com origem animal só podiam ser vendidos fora do estado em que foram produzidos se tivessem o selo do Serviço de Inspeção Federal.

“O selo ajudará em muito na divulgação dos produtos petropolitanos que se enquadram nessa regra, possibilitando ainda que os empresários participem de feiras. As discussões sobre a lei continuam porque no texto original ainda não está claro a definição de produto artesanal de origem animal, a forma e nem qual órgão ficaria responsável diretamente pela fiscalização. Ainda assim, a lei já representa um avanço”, explica José Maurício Soares, diretor do Departamento de Agricultura.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico acompanhará o trabalho do grupo criado – pela Câmara Setorial de Agronegócios da Alerj - e que atuará em duas frentes: a primeira, na definição do que é o produto artesanal, e a segunda para pensar formas de inovar nos processos e avançar na produção de produtos de maior valor agregado que ajudem a aumentar a renda do produtor rural, fixando-o no campo.

Visitas em regiões produtoras e troca de informações fortalecem o setor

A agricultura é dos setores econômicos de referência em Petrópolis com regiões produtoras que fornecem produtos de qualidade para empresas, feiras e até para a merenda escolar. O setor também é reconhecido pelo impulso econômico proveniente do turismo rural: propriedades abrem suas portas para receber visitantes e mostrar tudo o que há de melhor na agricultura petropolitana. Pensando em fortalecer o turismo rural e alavancar o turismo rural técnico, o Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico intermediou nessa semana, uma visita de agricultores suíços na região do Brejal: oportunidade única de troca de conhecimento e de incentivo à produção local.

Ao todo, 11 suíços participaram da visita técnica no Brejal. Todos são produtores agrícolas. Em 2018, Petrópolis se tornou a Capital Estadual dos Produtos Orgânicos, o que elevou o nome da nossa cidade nessa área. Visitas nas áreas são importantes para destacar a produção da cidade e estimular não só o aumento das produções, mas, também, a importância de priorizar o consumo dos alimentos genuinamente petropolitanos.

A visita foi agendada por Milton Luiz Tietz, operador de turismo. “A referência de Petrópolis no cultivo de orgânicos foi o grande incentivador da visita. Eles gostaram muito, ficaram impressionados com a boa recepção petropolitana. Acredito que esse tipo de passeio é agregador e já estamos programando outro. O incentivo e apoio do Departamento de Agricultura foi fundamental para o sucesso dessa iniciativa”.

Na ocasião, os suíços visitaram o Sitio do Moinho, Itaipava, que existe há mais de 30 anos e é especializado na produção orgânica. “Mostramos as técnicas que usamos e eles também falaram sobre os seus usos na Suiça. Eles caminharam pela horta e conversaram sobre a produção orgânica. Foi muito interessante recebe-los. Em Petrópolis, o cultivo é muito forte e esse tipo de visita técnica dá mais visibilidade para as produções. Importante também para as pessoas conhecerem um pouco mais sobre a produção orgânica e repensar sobre a alimentação, sobre o que cada um consome. Além disso, esse tipo de visita move um ciclo econômico diferente na cidade porque os visitantes se hospedam, alimentam e acabam movimentando outras cadeias econômicas do município”, disse Ana Carolina Rocha, engenheira agrícola e ambiental que atua no Sitio do Moinho.

Para o diretor do Departamento de Agricultura, José Maurício Soares, a visita mostra um projeto piloto que deve ser fortalecido no município. “É uma vertente do turismo agrícola que pode e deve ser explorada porque os produtores petropolitanos tem muito o que ensinar e mostrar para os visitantes. A recepção aos suíços foi muito boa e tenho certeza que outras visitas técnicas serão feitas ao longo do ano”, contou.

Mais de 14 mil pessoas prestigiaram os dois eventos.

O final de semana foi agitado com eventos voltados para a divulgação de produtos agrícolas e artesanais locais: Agroserra Imperial no Palácio de Cristal e Biofeira Cultural, em Nogueira, apoiadas pela prefeitura por meio da Turispetro da Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Os eventos valorizaram a produção rural da região, movimentaram a economia e setor turístico da cidade.

Essa foi a primeira edição do Agroserra Imperial no Palácio de Cristal, que reuniu cerca de 12 mil pessoas, uma iniciativa da Print Comunicação. O evento já é um sucesso há três anos em Secretário. A edição no Centro Histórico contou com programação gratuita e 60 expositores com o melhor da produção local: conservas, doces, produtos orgânicos e artesanato, além das famosas cervejas e cachaças artesanais.

O secretário da TurisPetro, Marcelo Valente destaca o papel desses eventos no fomento ao Turismo. "São eventos que agregam valor a um setor já forte na nossa cidade, que é o Turismo, garantindo mais opções de lazer ao visitante e tornando a visita dele a Petrópolis ainda mais enriquecedora com a experiência do que a cidade tem de melhor, com seus produtos artesanais de alta qualidade. Eles vivenciam e ainda podem levar para casa um pouco dessa experiência degustativa que tiveram na Cidade Imperial", comenta.

Visitando a Cidade Imperial pela primeira vez, a turista australiana Monica Ridly desfrutou do evento que agitou o fim de semana em um dos cartões postais de Petrópolis. “Estou gostando muito do evento. Estou apreciando bastante”, afirma.

Mas os petropolitanos também aprovaram a edição do AgroSerra Imperial no Palácio de Cristal. “Nós já conhecíamos a edição de Secretário. Fomos lá. Mas essa aqui também ficou bem legal, com muita variedade. Isso é bom para a cidade e para o turista”, comentaram a autônoma Priscila Carneiro e a aposentada Edileuza de Castro.

Para os expositores, eventos como esse, com a parceria entre o poder público e privado, contribuem para o fomento na economia da cidade e geração de renda. “Acho essas iniciativas maravilhosas. A cidade precisa disso, de movimento para gerar renda, principalmente aqui, em um importante ponto turístico da cidade. Tenho feito eventos aqui e está sendo ótimo”, disse Sônia Regina Moreira, artesã há mais de 30 anos.

“Para nós foi um prazer realizar o AgroSerra Imperial no Palácio de Cristal. O retorno que recebemos durante os três dias de evento foi muito positivo, tanto dos expositores, que fizeram ótimas vendas, quanto do público, que por várias vezes nos parava para dizer que nunca havia visto o espaço tão bonito e bem decorado”, comemorou uma das organizadoras, Janice Caetano.

Biofeira Cultural de Nogueira reuniu mais de 2 mil visitantes

Já em Nogueira, artesanato, culinária e a produção orgânica ganharam ainda mais destaque com uma programação musical diversificada, na primeira edição da Biofeira Cultural de Nogueira, que ocorreu na Praça de Nogueira. A iniciativa foi da Associação Pró-turismo de Nogueira (PROTURNO). A feira contou com a venda de produtos como geleias, biscoitos, doces e sorvetes artesanais. A intenção dos organizadores é de que a feira tenha três edições. As seguintes ocorrerão no segundo fim de semana do mês - dias 10, 11 e 12 de novembro e 8, 9 e 10 de dezembro de 2017.

“A Prefeitura apoia esses eventos nas comunidades porque são importantes para fomentar os produtores e artesãos locais. Todos os setores são contemplados. Esse movimento vai ao encontro da nossa política que é a de promover o desenvolvimento da economia do município com todas as vertentes econômicas envolvidas, agrícolas e artesanais”, diz o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini.

Carolina Xavier, da comissão organizadora, confirma o sucesso da feira. “Todos ficaram felizes, tanto os expositores quanto os comerciantes locais e moradores”, disse.

Referência na venda da agricultura petropolitana de alta qualidade, o Hortomercado Municipal José Carneiro Dias completará 30 anos no próximo sábado (17.08) e, para marcar a data, uma programação especial foi organizada pelo Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento, com música e oficinas culinárias, das 10h às 18h.

O Horto é um dos espaços mais concorridos por veranistas que procuram os distritos nos fins de semana e chega a receber mais de mil pessoas aos sábados e domingos. No local, que funciona sexta-feira e sábado, de 8h às 18h, e aos domingos, de 8h às 13h, há 35 boxes mais três lojas, sendo uma lanchonete, um total de 38 cadastrados.

A comemoração pelos 30 anos terá continuidade, com a programação de melhorias no local.

Na programação, oficinas culinárias e música. “Além disso, o polo gastronômico marcará presença na festa com apresentação de produtos de outras regiões produtoras. Tudo para garantir uma experiência gastronômica inesquecível para os visitantes”, explica o diretor do Departamento de Agricultura, José Maurício Soares.

Confira a programação:

11h30 - Paella Vegetariana

15h - Pablo e Bernardo

16h - Orquestra Infantil

17h - A Voz do Brasil

Além disso, a programação contará ainda com oficinas culinárias com participação de chefs como Mauricio Soares e Cristina Félix, além de food trucks e cervejarias artesanais.

Projeto vai beneficiar, inicialmente, 25 produtores

Pleno desenvolvimento da propriedade rural com melhoria da renda para as famílias que vivem do plantio. Esse é um dos objetivos da Assistência Técnica e Gerencial do Senar – Serviço de Aprendizagem Rural – e que será implantado no Brejal. O projeto chegou a Petrópolis através de uma solicitação do Sindicato Rural e tem apoio da prefeitura através do Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico. O lançamento oficial da ação ocorreu na última quinta-feira (04.07) no Galpão dos Produtores Rurais, no Brejal. O Senar é uma entidade de direito privado, paraestatal, mantida pela classe patronal rural, vinculada à Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA.

Essa será a primeira vez que o projeto de Assistência Técnica e Gerencial funcionará em Petrópolis e a expectativa é de que o projeto beneficie, nesse primeiro momento, 25 produtores. A assistência é um modelo de prestação de serviços fundamentada em cinco passo: diagnóstico produtivo individualizado, planejamento estratégico, adequação tecnológica, capacitação profissional complementar e avaliação sistemática de resultados.

Durante o encontro, o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil e presidente da Federação da Agricultura, Pecuária e Pesca do Estado do Rio de Janeiro, Rodolfo Tavares, salientou que está comprovado que 90% do sucesso do agronegócio é resultado do conhecimento.

“Esses produtores são extremamente sábios e atuam muito bem nas suas produções. O que queremos é auxiliar, dar uma assistência, promover a qualificação. Vamos aprender muito nesses dois anos, com certeza e estamos felizes por estar em Petrópolis realizando esse trabalho”.

Na ocasião, técnicos e o coordenador da Assistência Técnica e Gerencial do Senar, Maurício Salles, explicaram como o programa vai funcionar. “O objetivo é mostrar como eles podem gerenciar a propriedade rural com máximo de aproveitamento produtivo. A assistência é um acompanhamento. A técnica vai estudar as formas, junto com o produtor, de alcançar o potencial máximo de produção e como usar a tecnologia a favor do desenvolvimento”, explicou.

Os produtores que participaram do encontro preencheram uma ficha de inscrição que será avaliada junto com o Sindicato Rural. A expectativa é de que o processo de assistência comece em um mês. O acompanhamento é gratuito e prevê visitas contínuas com duração mínima de 4 horas, por mês por um período de dois anos.

O presidente do Sindicato Rural, Henrique Mesquita, comemorou a chegada do projeto na cidade. “Solicitamos e fomos atendidos e isso é muito bom para o setor agrícola da nossa cidade. Estamos muito felizes e o sindicato vai acompanhar todo o processo”.

Reinaldo Tenório, atuava como arquiteto, no Rio de Janeiro e há três anos resolveu plantar orgânicos no Brejal. Ele não se arrepende e já se inscreveu para fazer parte do projeto. “Conhecimento nunca é demais e sempre ajuda muito os trabalhadores. Já participei de um curso do Senar que me ajudou muito. Com certeza vai valer a pena a assistência e nós, produtores, vamos retribuir com o que temos de melhor, a qualidade da nossa produção para a sociedade”, disse.

Os beneficiários do Programa Compra Saudável, antigo Cartão Imperial, ganharam esta semana mais dois pontos de compra: os Terminais Rodoviários de Corrêas e Itaipava. Os 13 produtores rurais e feirantes que atuam nesses dois locais já estão aceitando o cartão como forma de pagamento. A medida faz parte das ações do programa, que tem como objetivo estimular a compra de produtos saudáveis que contribuam para uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes e vitaminas. Na última quarta-feira (5/8), o prefeito Rubens Bomtempo esteve com os feirantes e acompanhou a utilização do cartão.

“A intenção é levar esta ação para outros pontos e estimular ainda mais as vendas de produtos mais frescos e saudáveis. A medida beneficia os feirantes e produtores, que terão a oportunidade de aumentar as vendas, e também as famílias que recebem o cartão, que poderão comprar alimentos mais baratos e frescos”, disse o prefeito acrescentando que o programa Compra Saudável não é apenas um programa de transferência de renda, mas sim um conceito de segurança alimentar. Atualmente mais de seis mil famílias são beneficiadas pelo programa.

“O programa começou no meu primeiro governo na comunidade do Vale do Carangola, com o nome de Cesta Cheia, Família Feliz. Foi o primeiro programa de segurança alimentar criado no país. As famílias beneficiadas podiam adquirir por um preço bem baixo frutas, legumes, verduras e ovos. Depois o programa passou a se chamar Cartão Imperial, onde as pessoas recebiam um cartão magnético com um crédito para compras em vários estabelecimentos. A partir daí houve uma mudança do conceito. Com a implantação do Compra Saudável estamos resgatando esse conceito de alimentação mais nutritiva”, ressaltou Bomtempo.

Para o feirante e produtor Nilson Ferreira da Silva, a iniciativa vai proporcionar um aumento nas vendas. “É uma ideia positiva que vai ajudar muito. Vale a pena experimentar”, disse o feirante, que atua no Terminal de Corrêas desde 2009, vendendo legumes e verduras. A aposentada Alcideia Seabra Goebel, de 80 anos, beneficiária do cartão, também aprovou a iniciativa. “É prático e rápido. Passo o cartão e faço minhas compras. Posso comprar alimentos mais frescos e baratos”, comemorou.

Na tarde da quarta-feira, o prefeito também se reuniu com os representantes das associações dos produtores rurais e feirantes. Em pauta, as melhorias nas estradas utilizadas para escoamentos da produção rural, a reforma e ampliação do armazém do produtor e reforço na sinalização nas vias próximas às feiras do Centro e do Alto da Serra. “Estamos mantendo um diálogo permanente com as categorias para atender as demandas desse setor, que é tão importante para o nosso município”, destacou o prefeito.

O prefeito Rubens Bomtempo irá priorizar as compras governamentais da Educação com produtos orgânicos para a merenda escolar. O projeto foi anunciado durante um encontro do Chefe do Executivo com produtores rurais e moradores do Brejal, em reunião realizada no Galpão do Produtor Rural Orgânico, na própria comunidade. O secretário de Agricultura Leonardo Faver, também esteve presente.

“Estamos percorrendo todo o distrito com o objetivo de construir um diálogo com a comunidade e estimular as potencialidades da região, estando mais próximo da realidade de todos. Temos que manter a discussão aberta, pois é possível fazer mais, e para isso é preciso eleger as prioridades”, disse o prefeito.

O secretário de Agricultura, Leonardo Faver, destacou os avanços na comunidade do Brejal, salientando que a produção rural de Petrópolis é bastante significativa, principalmente daquela região. Segundo ele, reuniões mensais são realizadas com os produtores, para alinhavar as ações em benefício do produtores. Faver também destacou as obras de melhorias que estão sendo realizadas nas estradas vicinais, em parceria com o Governo do Estado.

O representante do Sindicato dos Produtores Rurais, Paulo Agnala, registrou as parcerias com o município. “Tudo está sendo construído em um diálogo com os produtores e não estávamos acostumados com esse trabalho organizado. Assim, temos dado passos importantes”.

Os produtores rurais serão beneficiados ainda com o programa Produtor Legal. O objetivo é regularizar os trabalhadores rurais da região, com a inclusão no cadastro do MEI – Microempreendedores Individuais. Em parceria com a Emater, ainda na primeira quinzena de agosto, um posto volante será montado na comunidade.

Pagina 2 de 12

Banner INFOS ATUAIS2

Notícias por data

« Agosto 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31            

Prestação de conta COVID-19

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

Cadastro da inscrição do IPTU para crédito da Nota Imperial

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo