Temas fundamentais dentro do Plano de Mobilidade, a CPTrans realiza no próximo dia 24, às 19h, nova consulta pública sobre Patrimônio Histórico e Feiras. O encontro está marcado no Campus Barão do Amazonas, da Universidade Católica de Petrópolis (UCP) e ocorre dentro da programação de Semana de Engenharia da instituição. O objetivo da Companhia de Trânsito e Transportes é reunir pessoas que têm a intenção de contribuir para melhorar a mobilidade do município para incluir dados pertinentes dentro do PlanMob.

Dentro do contexto de Patrimônio Histórico, a ligação com o PlanMob se dá devido às características de tombamento de Petrópolis, que requerem atenção especial tanto estrutural quanto nas alterações viárias a que estão relacionadas. Já às Feiras, se dão por conta dos bloqueios realizados no município para sua realização, como no Alto da Serra e no Centro, por exemplo, que impactam diretamente o trânsito em sua mediação.

O plano deve englobar todos os aspectos do município para que seja completo, contemplando, inclusive, as características que o diferencie de outras cidades. Petrópolis é uma cidade única e suas peculiaridades devem ser levadas em conta quando se discute a mobilidade urbana. São aspectos fundamentais para que o município possa fazer um documento que tem tamanha a relevância para a nossa cidade.

A consulta pública ocorre um dia depois do tema Transporte Coletivo ser discutido pela população e um dia antes de tratarem sobre a Cargas e Fretamento. A CPTrans preparou para a próxima semana três das consultas públicas que irão compor o Plano de Mobilidade Urbana da cidade, discutindo junto à população, divididos por nichos de interesse, cada aspecto da nossa cidade.

“Ao subdividir os temas, temos conversas mais especificas sobre temas distintos, trazendo um público mais segmentado e que realmente tenha interesse sobre o assunto. E assim iremos fazer sobre os mais diferentes assuntos, mas pensando sempre no resultado final que é um plano completo e bem estruturado para a cidade”, destaca o diretor-presidente da CPTrans, Jairo Cunha.

Até a conclusão do Plano de Mobilidade serão discutidos os temas educação e segurança no trânsito, turismo e grandes eventos, transporte escolar, eixos de crescimento urbano, LUPOS e leis de planejamento. Após essas consultas, será realizada a primeira audiência pública, dando início a uma nova fase de elaboração do PlanMob.

“Depois das consultas por modal serão feitas novas consultas públicas, só que por eixos: infraestrutura de trânsito; operação de trânsito, que inclui segurança viária, fiscalização e uso do solo; além de acessibilidade universal e sustentabilidade ambiental”, explica o diretor técnico e operacional da CPTrans, Luciano Moreira.

Ao final dessas consultas, será feita mais uma audiência com a apresentação das propostas e, depois, a última etapa de consultas públicas ocorrem nos bairros. Pelo cronograma três consultas: a primeira inclui a área do primeiro distrito; a segunda, do segundo distrito e a terceira do terceiro, quarto e quinto distritos.

Golpistas já contataram dois restaurantes, uma loja e um posto de combustível

Órgão alerta que não avisa estabelecimentos sobre fiscalização e que prática deve ser denunciada à polícia

Um grupo que se faz passar por fiscais do Procon Petrópolis está ligando para comerciantes da cidade e pedindo quantias em dinheiro para evitar a fiscalização. Quatro estabelecimentos do município, sendo dois restaurantes, uma loja de vestuário e um posto de combustível já foram contatados pelo grupo, que denunciou à fraude ao órgão de defesa do consumidor. Nesta quinta-feira (18.10), o coordenador do Procon, Bernardo Sabrá, levou o caso à polícia, denunciando a atuação do grupo na 105ª Delegacia de Polícia, no Retiro.

O Procon Petrópolis não avisa, sob qualquer circunstância, quando irá fazer ações de fiscalização e muito menos pede qualquer quantia para que não faça seu papel de proteger o consumidor. A informação dos comerciantes que são alvos do falso grupo, é que os golpistas chegam a marcar de ir buscar o dinheiro em um dos estabelecimentos e, em nos outros casos, a ordem era para que o empresário fizesse depósito em uma conta no banco.

“É inadmissível que esse tipo de coisa ocorra na nossa cidade. Esse grupo está usando o nome do Procon para roubar os comerciantes. Fizemos a denúncia à polícia para que investigue o caso e também estamos alertando para, caso algum comerciante receba esse tipo de ligação, contate à polícia imediatamente. Nosso trabalho é pautado pela transparência e nossas equipes fazem as abordagens apenas no momento da fiscalização quando são orientados sobre os procedimentos do órgão”, explica o coordenador do Procon, Bernardo Sabrá.

Nas fiscalizações do Procon, a equipe trabalha identificada com colete e crachás, possuem carteira de identificação de fiscais que são mostradas durante a ação e toda a documentação é emitida em termos oficiais com o brasão do município.

Essa não é a primeira vez que grupos se fazem passar por falsos fiscais do município. No início do mês, a equipe da Coordenadoria de Vigilância Sanitária alertou sobre um golpe usando o nome do órgão. Em três meses, foram pelo menos oito denúncias de empresários que buscaram mais informações após suspeitarem da atuação dos falsos fiscais. O objetivo também é cobrar dinheiro para evitar possíveis fiscalizações no comércio.

Guirlandas, presépios, renas de enfeite e, claro, papais noéis feitos dos mais diversos tipos de materiais são alguns dos destaques da Feira de Artesanato que acontece até domingo (21.10) no Palácio de Cristal. Com a proximidade de uma das celebrações mais esperadas no ano, turistas e petropolitanos já procuram por produtos natalinos. Liderada pelas associações Arte em Petrópolis e Cidade Imperial, com o apoio da Turispetro, a feira conta com mais de 30 artesãos. Tricô, pintura em tecido e em madeira, produtos de papelaria, entre outros podem ser encontrados a preços que variam de R$ 5 a R$ 200.

Com o objetivo de fomentar a produção local e criar movimento para um dos atrativos mais procurados de Petrópolis, a prefeitura vem incentivando o artesanato na cidade e já criou um calendário com feiras no espaço que são divididas entre as 11 associações do município.

A prefeitura firmou esse compromisso de fortalecimento com os artesãos desde o início da gestão. A prioridade é fomentar o turismo e também incentivara divulgação dos produtos. Desta forma, o município consegue mostrar o que temde melhor, ao mesmo tempo em que dá a oportunidade para os artesãos possam vender seus produtos em um espaço nobre como o do Palácio de Cristal.

Na feira deste mês, que foi aberta nesta quinta-feira (18.10), ainda participam as associações convidadas: Neilarte, Uniarte, Ideias e Arte em Movimento. Há produtos para todos os gostos, desde tricô, porta trecos, pulseiras, imãs de geladeiras a roupas para pets e bonecas. Uma mesa com peças exclusivamente voltadas para temas natalinos foi montada com presépios, canecas, meias, enfeites, papais noéis, entre outros.

“Quem quiser adiantar as compras do Natal já pode vir. Mas temos também diversos outros produtos, para todos os gostos”, frisa a presidente da Associação Arte em Petrópolis, Gabriela Falconi.

“A expectativa é muito boa para a feira. A gente agradece muito esse incentivo que o artesanato está recebendo. Ter um espaço com esse para vender nossos produtos, é muito importante. Os turistas vêm aqui e gostam muito, falam que vão levar nossos produtos pra longe. A gente fica feliz com isso, nossos produtos rodando tantos lugares. É muito gratificante”, completa a artesã Claudia Cristina Peres.

A Feira de Artesanato funciona até sábado de 9h às 21h e no domingo de 9h às 18h. Além do artesanato, o público também pode contar com alimentos artesanais, como biscoitos, cucas, pães de queijo, brigadeiros, chocolates, entre outros. Para o secretário da Turispetro, Marcelo Valente, a prefeitura vem, cada vez mais, fortalecendo o segmento. “Temos como prioridade valorizar nossa produção local e é fundamental que o artesanato esteja sempre presente nas ações da secretaria. Temos envolvido o segmento não só nas festas do calendário oficial da cidade, como também criado novas oportunidades para os artesãos”, explica.

O prefeito Bernardo Rossi, comandou uma missão do governo a Brasília (DF), em ministérios e órgãos federais, como Iphan, Dnit e ANTT, além da Câmara dos Deputados e Senado para a apresentação de projetos para captação de recursos e emendas parlamentares para investimentos na cidade. No Ministério das Cidades, prefeito e equipe de governo solicitaram celeridade na avaliação de projetos para a construção de casas populares pelo programa Minha Casa Minha Vida. A questão da moradia também foi tratada em reunião no Ministério dos Transportes, onde foi apresentada demanda referente à regularização fundiária para famílias que vivem em comunidades às margens da BR-040. 

Os projetos de construção de casas nos terrenos como Caetitu, Benfica e Mosela já estão em análise pela Caixa. Com o secretário-executivo do Ministério das Cidades, Silvani Pereira, a prefeitura ressaltou a necessidade de que eles sejam avaliados o mais rápido possível para que as unidades possam ser construídas, reduzindo assim, o déficit habitacional em um menor prazo.

A cidade tem um déficit de 12 mil casas. Nestes três terrenos o Ministério das Cidades já autorizou a construção de mais de 1 mil moradias. Para o município, é de extrema importância que esses projetos possam andar o mais rápido possível. O Minha Casa Minha Vida do Vicenzo Rivetti, com 776 unidades, já está próximo da entrega, a cidade também tem outros terrenos. O município está trabalhando para entregar mais de 2 mil residências durante o governo - uma produção habitacional que nunca aconteceu na história de Petrópolis.

A prefeitura também esteve no Ministério dos Transportes com o secretário-executivo, Herbert Drummond, e o assessor Herik Souza Lopes, onde foi acertado a criação de dois grupos de trabalho para tratar de assunto relativos à BR-040: a regularização fundiária e a paralisação das obras. O primeiro vai analisar o trabalho feito em conjunto pela prefeitura, com Ministério Público Federal, Instituto de Terras e Cartografias do Estado do Rio de Janeiro (Iterj), Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH) e APA-Petrópolis. O objetivo é suspender as ações demolitórias de casas construídas às margens da rodovia.

São cerca de 280 famílias que moram em casas na faixa de domínio da rodovia há pelo menos 30 anos, antes até da concessão da rodovia. O município entende que é preciso suspender essas ações demolitória para dar tranquilidade a essas famílias e também quer diminuir a faixa de domínio e poder avançar com o trabalho de regularização fundiária deles. Esse posicionamento nos dá maiores perspectivas de avançar nessa questão de forma mais rápida a partir de agora. Esse grupo vai integrar também ANTT e Dnit, além dos demais órgãos já envolvidos com a questão no município.

Outro trabalho será em cima da questão subida da Serra, tratando tanto a questão da obra quanto as próprias condições da pista.

A população petropolitana continua sendo lesada todos os dias por conta das péssimas condições de tráfego na rodovia. O município quer um posicionamento do governo federal com relação ao processo que pede a caducidade do contrato da Concer e ainda a retomada das obras da Nova Subida da Serra. O Ministério dos Transportes garantiu que vai solicitar celeridade no novo processo de concessão. A prefeitura vai continuar acompanhando e cobrando.

Estradas

Outro assunto tratado na reunião com o Ministério dos Transportes é para avançar na questão da municipalização das ruas Ayrton Senna e General Rondon, no Quitandinha. Hoje, o trecho de dois quilômetros entre o Pórtico de entrada da cidade e a Ponte Fones pertence ao Dnit, mas não integra o Sistema Nacional de Viação.

Passando para o município, a manutenção viária desse trecho passa a ser responsabilidade exclusiva da cidade, o que fará com que este serviço seja feito com mais celeridade.

No Dnit, o chefe de gabinete, Flavio Bazzano, recebeu a equipe de governo para tratar da Estrada União e Indústria. Ele confirmou que será retomada a manutenção da estrada e que, no ano que vem, será feita reforma do trecho entre Retiro e Pedro do Rio.

É uma obra bastante aguarda pelo município, são 100 mil pessoas que trafegam por ela todos os dias. É fundamental que a reforma seja feita. Isso vai ajudar a desenvolver o município, mas enquanto corre o processo burocrático de licitação, estamos reivindicando o reinício do serviço de manutenção, que foi paralisado no fim do ano passado e que obrigou a prefeitura a fazer temporariamente alguns serviços para evitar acidentes. A Secretaria de Obras usou 225 toneladas de asfalto em cerca de 12 km, trabalho feito pelo município no início desse ano.

No fim da tarde a comitiva esteve no Ministério da Saúde e no Iphan.

Foram entregues 2.336 medalhas e 55 troféus para os alunos e escolas participantes

A cerimônia de encerramento do Jogos Estudantis Unificados de Petrópolis (JEUPs) reuniu quase mil pessoas no Teatro Mecanizado do Sesc Quitandinha na noite de quarta-feira (17.10). Foram entregues 2.336 medalhas para os alunos e 55 troféus para os representantes das 44 escolas inscritas na competição. Neste ano, os jogos proporcionaram para os estudantes 295 horas de atividades físicas em 895 partidas, somando todas as nove modalidades. O Colégio São Tomás de Aquino conquistou, pelo terceiro ano consecutivo, o troféu de campeão geral do JEUPs.

A abertura da festa foi com a banda de rock Os Bartira, que animou o público presente por 30 minutos. Na sequência, todas as escolas que participaram dos jogos foram chamadas ao palco para receber as medalhas e os troféus. A cerimônia, com a entrega de toda a premiação, é uma novidade implementada pela gestão do prefeito Bernardo Rossi. No ano passado, o evento reuniu cerca de 500 pessoas no Theatro D. Pedro.

Os jogos estudantis são uma ferramenta importante no fomento ao esporte no município. Desde o início da gestão, a prefeitura dobrou o número de escolas participantes, aumentou o tempo dos alunos praticando as mais diversas modalidades esportivas. A criação de um evento para a premiação tem o objetivo de integrar as escolas e alunos participantes, além de ser uma oportunidade para os pais acompanharem um dia que será inesquecível para seus filhos.

O JEUPs desse ano igualou o número recorde de escolas participantes, que é de 2002: 44. A principal novidade foi a ampliação da disputa para os dois semestres, o que resultou em 105 dias de jogos. No ano passado, o torneio teve duração de 45 dias.  Foram realizadas 895 partidas em nove modalidades, sendo quatro coletivas: futebol de campo, futsal, basquete e vôlei; e quatro individuais: tênis de mesa, xadrez, judô e atletismo. A competição foi dividida em três categorias: sub-13, 15 e 18.

Ferramenta importante na integração entre os alunos, o JEUPs reuniu escolas da rede municipal, estadual, federal e particular. O objetivo da prefeitura é aumentar a participação de colégios e de alunos, proporcionando mais atividades físicas para os estudantes da cidade.

É fundamental que os jovens pratiquem esportes, proporcionando mais saúde e qualidade de vida, além de prevenir doenças. Desde o ano passado, a prefeitura vem investindo para que mais escolas participem dos jogos estudantis, aumentando também a participação dos alunos nas atividades. O esporte é uma ferramenta também de transformação e daqui podem surgir futuros atletas.

A secretária de Educação, Samea Ázara, também participou da cerimônia e destacou os benefícios da prática esportiva no desenvolvimento dos estudantes. Os treinamentos das equipes são feitos no contra turno da escola, ou seja, são mais atividades para os jovens além da sala de aula.

 "É importante que sempre cresça o número de alunos participantes dos jogos estudantis. Neste processo, o professor é uma peça fundamental, estimulando a presença dos estudantes. Todos estão de parabéns pela disputa sadia e organizada no JEUPs", disse Samea.

Campeão geral pela terceira vez consecutiva, o Colégio São Tomás de Aquino conquistou 21 troféus. O diretor administrativo da escola, Henrique Zanatta, disse que a escola prioriza o ensino, mas também investe nas atividades oferecidas no contra turno das aulas. Apesar do resultado positivo, ele quer mais para o ano que vem.

"As nossas equipes precisam sempre treinar e se aprimorar para melhorar o rendimento no JEUPs. Estamos muito felizes com o resultado, mas sabemos da responsabilidade que é manter o título de campeão geral. Vamos investir para que no ano que vem o nosso desempenho seja ainda melhor", afirmou Henrique.

Todos os alunos inscritos no JEUPs receberam medalha pela participação.

Centro de Saúde e Academia da Saúde do Vale do Carangola terão ações extras

O Dia D de preventivo e exame clínico da mama vai movimentar as unidades de Saúde do município, no próximo sábado (20.10). Quarenta equipes vão estar trabalhando para realizar a Coleta de Preventivo, principal exame para diagnosticar precocemente o câncer de colo de útero além de determinar níveis hormonais, diagnosticar inflamações ou infecções vaginais e doenças sexualmente transmissíveis. Serão feitos, também, exames clínicos da mama, que detecta sinais e sintomas sugestivos de câncer de mama.

Vai ser um dia muito especial, pois a prefeitura vai permitir que muitas mulheres que não podem realizar os exames durante a semana possam ter acesso a estes procedimentos. É preciso compartilhar a importância destes exames para a prevenção da saúde da mulher, promovendo a conscientização, e esta mobilização é fundamental.

O Dia D prevê, também, ações especiais no Centro de Saúde Coletiva Professor Manoel José Ferreira e na Unidade de Saúde da Família do Vale do Carangola. No Centro de Saúde, vão acontecer atendimentos extras. Cinco dentistas vão estar de plantão para oferecer escovação e limpeza com flúor para crianças de até 12 anos. O local vai oferecer, ainda, oficina de maquiagem, atendimentos de advocacia, nutrição e shiatzu, das 8 às 12h.

“O município vem investindo em campanhas para conscientizar e incentivar a realização de exames. O preventivo diagnostica precocemente o câncer que é considerado um dos maiores causadores de morte de mulheres no Brasil. O exame clínico de mama ajuda a detectar os primeiros sinais de câncer de mama. As atividades vão nos ajudar a integrar as equipes à população, auxiliando na promoção da Saúde”, conta a secretária de Saúde, Fabiola Heck.

No Vale do Carangola, a Academia da Saúde e a equipe de Saúde da Família da localidade, em parceria com a Associação Petropolitana dos Pacientes Oncológicos (APPO) e a Faculdade Arthur Sá Earp (FMP/Fase), vão realizar uma programação especial durante todo o dia. Além da coleta de preventivo e exame clínico de mama, vão acontecer uma caminhada, atividades recreativas e esportivas e práticas de ioga e shantala.

“Serão realizadas rodas de conversa na Escola Municipal Lucia de Almeida Braga para discutir os direitos sociais das pessoas com Câncer, a valorização da mulher e a Saúde da Mulher em todas as idades. Nossa equipe da Academia da Saúde estará também realizando orientações, apresentações do nosso trabalho e práticas esportivas com quem quiser participar”, frisa a coordenadora da Academia da Saúde, Marcia Verônica Ferreira.

A caminhada está prevista para as 9h, tendo a concentração marcada para as 8h em frente ao Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), do Vale do Carangola. As rodas de conversa vão acontecer das 10 às 12h e das 14 às 16h. Já as práticas de ioga começam às 10h e as de shantala às 14h.

 

Veja os postos que vão participar do Dia D:

USF Alto Siméria – Rua Manoel Francisco de Paula, s/nº

USF Amazonas I e II – Rua Alagoas, s/nº, esquina com a Rua Amazonas

USF Dr. Thouzet – Rua Dr. Thouzet, 609

USF São Sebastião I e II – Rua São Sebastião, 625

USF Santíssima Trindade – Rua Lopes de Castro, 101, Valparaíso

USF Vila Saúde – Rua Santa Catarina, 23, quadra 41

USF Alto da Serra I, II e III – Rua Teresa, 2.024 (Praça Miguel Couto)

USF Meio da Serra – Estr. Velha da Estrela, s/nº, próx. à E. M. Pedro Amado)

USF Vila Felipe – Rua Ermiínio Schimidt, s/nº

USF 24 de Maio – Rua 24 de Maio, 197

USF Bairro Castrioto – Rua Santa Rita de Cássia, 114

USF Bataillard – Rua E, 35, Parque Residencial Mosela

USF Fazenda Inglesa – Estr. da Fazenda Inglesa, s/nº

USF Pedras Brancas – Rua Pedras Brancas, 1.190

USF Nova Cascatinha – Rua Hyvio Naliato, 951, Cascatinha

USF Carangola I e II – Estr. do Carangola, 860

USF Castelo São Manoel – Rua Cap. João Amâncio de Souza Coutinho, 436

USF Jardim Salvador – Rua Juiz Castro e Silva, 33

USF Vale do Carangola – Rua Waldemar Vieira Afonso, 7

USF Boa Esperança – Estr. Ministro Salgado Filho, s/nº, Cuiabá

USF Comunidade 1º de Maio – Rua Nourival Braga da Silva, s/nº

USF Lajinha – Estr. das Arcas, 1.817

USF Vale das Videiras – Estr. Almirante Paulo Martins Meira, 8.201

USF Brejal – Estr. do Brejal, km 06, Posse

USF Posse II – Estr. União e Indústria, 33.530

USF Vila Rica – Rua A, ao lado da quadra 28

UBS Quitandinha – Rua General Rondon, 400 e 490

UBS Morin – Rua Pedro Ivo, 81

UBS Mosela – Rua Mosela, 744

UBS Retiro – Av. Barão do Rio Branco, próx ao Sacolão

UBS Itaipava – Estr. Philúvio Cerqueira Rodrigues, s/nº, ao lado da Águas do Imperador

UBS Pedro do Rio – Estr. União e Indústria, próx. ao Centro

Centro de Saúde Itamarati – Rua Bernardo Proença, 32

Centro de Saúde Coletiva – Rua Santos Dumont, 100, Centro

Ambulatório do HAC – Rua Vigário Corrêa, 1.345

Apresentação de trabalhos e debates vão acontecer na Fase

A Secretaria de Saúde vai realizar, nos dias 29 e 30 de novembro, a primeira Mostra SUS Petrópolis. O evento vai acontecer na Faculdade Arthur Sá Earp (FMP/Fase) e contará com apresentação dos trabalhos realizados pelos profissionais da Saúde e debates sobre a história, o que está sendo feito e as expectativas para o futuro da Saúde pública no município e região. O Sistema Único de Saúde (SUS) completa 30 anos de existência em 2018.

É preciso fortalecer o SUS. Para isso, é fundamental que as equipes estejam integradas e capacitadas para oferecer um serviço de qualidade para a população. A prefeitura está empenhada em oferecer ações que permitam esta integração, ampliando as discussões e proporcionando ideias que vêm para ajudar no desenvolvimento de uma saúde pública de qualidade.

A prefeitura vem ampliando serviços para garantir um bom atendimento a todos os usuários do SUS no município. Em três anos, 44 mil pessoas deixaram planos de saúde e buscaram a rede pública, em Petrópolis. Além disso, um levantamento da Secretaria de Saúde apontou que, em 2017, o número de atendimentos de pessoas vindas de outros municípios foi três vezes maior que 2016. No ano passado, foram recebidos 13.308 pacientes, contra 3.737 do anterior.

“A Mostra SUS será nosso encontro para reunir os profissionais de todos os setores, para dois dias de debates, exposição dos trabalhos e troca de experiências. Contamos com a presença de todos para que possamos desenvolver nossos trabalhos e criar um laço ainda mais forte. Teremos discussões importantes para nortear o futuro das nossas ações”, frisa a secretária de Saúde, Fabiola Heck.

 A abertura, no dia 29 de novembro, vai contar com os primeiros debates, com os temas “O SUS que temos e o SUS que queremos” e “O Panorama Atual do SUS no Estado do Rio de Janeiro”. No dia 30, serão quase 12 horas de atividades, que vão contar com palestras, debates, alongamento, encontro motivacional e meditação.

“Vamos discutir os avanços e desafios dos 30 anos do SUS. Todos os profissionais de saúde do município estão convidados a participar e poderão compartilhar com toda a Rede sua experiência. Queremos mostrar as práticas realizadas em todas as unidades, como as integrativas, culturais e entre outras”, explica a chefe do Núcleo de Gestão de Educação em Saúde, Maria Zenith Carvalho.

Podem ser parte dos grupos de trabalho estudantes de ensino médio, graduação e pós-graduação.  Tanto a inscrição para apresentação dos trabalhos quanto para participação na Mostra SUS podem ser encontradas no site da prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br). O prazo para cadastro dos trabalhos vai até o dia 30 de outubro e o de participação até 22 de novembro.

O programa Mais Asfalto fez a manutenção viária em ruas do Caxambu nesta quinta-feira (18.10). Foram atendidas as ruas João Caetano, Bartolomeu Sodré e Francisco Peixoto da Costa. Essas vias servem de itinerário das linhas 112, 170 e 470, que fazem 64 viagens por dia. A Arnaldo de Azevedo (Alto da Serra) e Pedras Brancas (Mosela) também foram atendidas.

O programa tem sete equipes de serviço, que aplicam cinco toneladas de asfalto cada uma. São 45 funcionários trabalhando todo dia e 35 toneladas de material no total. O trabalho dessas equipes não é apenas de tapar buracos, mas faz reparos em trechos maiores.

Esse é um trabalho privilegiando as comunidades e as rotas dos ônibus, possibilitando manter os itinerários normais e dando maior conforto, segurança e rapidez para as viagens.

Pelo segundo dia seguido, Pedras Brancas recebeu o serviço de manutenção viária, que vai beneficiar os usuários das linhas de ônibus 118 e 132, que fazem 53 viagens por dia, além da noturna 127, que passa quatro vezes por lá. Outro local atendido novamente pelo Mais Asfalto é a Rua Arnaldo de Azevedo (Alto da Serra), que já tinha recebido equipes na quarta-feira (18.10).

Também está previsto ser atendido pelo Mais Asfalto ruas de Itaipava, Corrêas, Caxambu, Alto da Serra e Quitandinha.

Além dos bairros, o Mais Asfalto atua também nas vias de maior circulação da cidade. O programa já pavimentou quase cinco quilômetros entre as ruas Santos Dumont, Souza Franco, Visconde de Bom Retiro, Aureliano Coutinho e Imperador. O serviço terá continuidade pela Rua Dr. Sá, onde metade dos 1,3 km da via já recebeu asfalto. Ela liga o Centro ao Alto da Serra e comunidades do Morin, Meio da Serra, Vila Felipe, Chácara Flora e Sargento Boening. O trabalho também vai passar pela Rua Nelson Sá Earp, com cerca de 350 metros e com movimento de 22,5 mil veículos por dia. A via é uma das alternativas para quem vai para Mosela, Bingen, Valparaíso e Quitandinha.

Mais de 130 artistas, entre dançarinos e músicos, sobem ao palco do Theatro D. Pedro, na próxima terça-feira (23.10), para a 18ª edição do Festival Dançando Contra a Fome. O evento, que tem como objetivo fomentar a cultura e ainda arrecadar meia tonelada de alimentos, começa a partir de 20h, com atrações para todos os gostos. São 17 instituições, escolas, academias, entre outros, envolvidos no projeto. O ingresso custa um quilo de alimento não perecível. A classificação é livre.

O festival terá 90 minutos de duração e inclui diversos estilos. Haverá canto coral, música gospel, música pop, dança do ventre, hip hop, dança espanhola, balé e passinho. “É um evento totalmente livre, para pessoas de todas as faixas etárias e também para todos os gostos”, destaca o organizador e educador social, Marcelo Cruz, lembrando que o evento ainda vai contar com o lançamento do primeiro teaser do GPS, o Grupo Passinho da Serra, com 30 dançarinos.

Os alimentos arrecadados serão entregues ao projeto social Aquarela, do Centro Educacional Terra Santa, no Valparaíso, que atende 90 crianças. Todas as apresentações são voluntárias. “O festival está chegando a sua maioridade. Foram 18 anos ininterruptos. E nossa expectativa é de que gente consiga lotar o teatro e arrecadar todos os 500 quilos de alimento”, completa Marcelo.

Para o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes, IMCE, Leonardo Randolfo, a arte pode e deve estar relacionada à causas sociais. “Ficamos muito felizes de ver um equipamento como o Theatro D. Pedro sendo ocupado para maravilhosas apresentações e ainda com a finalidade de ajudar o próximo. A cultura é transformadora”, frisa.

Confira as atrações do festival:

Top Street Dance

GPS

Coral Cant'Vox

Lorrayne Daniela

Projeto Sou Criança

Projeto Gente Viva

Projeto Aprendendo a Brincar

Escola Lapis de Cor

Isaque Z

Studio Sandra Urselino

E.M Dr. Theodoro Machado

Patricia Freitas/Vinicius Dias

Lagarto Azul

Terra Santa

Break of Dance

Rapper Bê

Comac- ECA

Top Street Boys

Com o objetivo de proporcionar uma programação musical permanente, gratuita, e que valorize a cultura local e os espaços públicos do município, o Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE), promove neste domingo (21.10) às 16h, no Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) mais um Circuito Imperial de Bandas Marciais. Participarão do evento as bandas Marcial Embaixador José Bonifácio, Odette Fonseca e a Banda de Percussão Trovão Imperial.

A intenção é incentivar a descentralização da cultura, garantindo o acesso ao maior número de pessoas possível. Esse projeto é importante neste sentido.

O projeto do IMCE que começou no ano passado, reúne 11 grupos da Associação Petropolitana de Bandas Marciais (Apeban). As apresentações acontecem sempre nos fins de semana, em locais como a Praça Dom Pedro, Praça da Inconfidência, escadaria dos Correios e Praça da Liberdade, no Centro Histórico. Pela primeira vez este ano as bandas se apresentam em um distrito.

 “O projeto já está na sua segunda edição e agora chegando aos distritos. Até o fim do ano teremos mais apresentações, fomentando a cultura e movimentando os espaços públicos do município”, destaca o diretor-presidente do IMCE, Leonardo Randolfo.

Entre os grupos que participarão, a Banda Marcial Embaixador José Bonifácio, de 43 anos, possui 35 componentes entre alunos de sua entidade mantenedora e membros da comunidade de Pedro do Rio, 4º distrito de Petrópolis, além da Banda Marcial Odette Fonseca que é composta por 45 músicos do bairro Duques e a Banda de Percussão Trovão Imperial com 30 componentes do bairro Lopes Trovão no Alto da Serra,

Em novembro, haverá apresentações nos dois primeiros sábados do mês, antecedendo o Natal Imperial, que começa no dia 30 e deverá contar também com o segmento na programação.

São 12 vagas para equipes no masculino e seis no feminino

As inscrições das equipes no 3º Torneio de Vôlei do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) da Posse seguem abertas até o dia 26 de outubro. São 12 vagas no masculino e seis no feminino. Os interessados podem comparecer no CEU da Posse ou na Superintendência de Esportes e Lazer, no Centro de Cultura Raul de Leoni, no Centro, para cadastrar seus times. A prefeitura estima que mais de 200 atletas participem da competição neste ano.

Cada equipe pode inscrever até 12 jogadores no torneio, que será realizada durante o mês de novembro. O regulamento prevê ainda a disputa em fase classificatória com três chaves diferentes, passando os dois melhores de cada grupo e os dois melhores terceiros colocados para a fase final, chamada de “mata-mata”. A competição tem o objetivo de fomentar a modalidade na cidade.

O objetivo da prefeitura é oferecer o maior número de modalidades possível em toda a cidade. O município acredita no esporte como modificador de vidas e para a prefeitura, quanto mais pessoas estiverem envolvidas com as tantas modalidades que existem, melhor.

O vôlei ainda está longe de ter a quantidade de praticantes que o futebol tem, por exemplo, mas faz parte cada vez mais do gosto dos brasileiros. As competições servem como estímulo para que mais pessoas pratiquem o esporte. No ano passado, apesar da participação de equipes de municípios vizinhos, o título do torneio ficou com o Maximus, time de Petrópolis. A cidade tem bastante tradição na modalidade e muitos praticantes. A ideia é que a gente abra mais oportunidades para esses atletas.

Realizado desde 2016, o torneio oferece como novidade para este ano a disputa entre as mulheres. O coordenador do CEU da Posse, Rodrigo Cunha, explica que esse era um pedido antigo das equipes e espera que a competição seja ainda melhor neste ano.

“Com o suporte da prefeitura, vamos promover também o torneio feminino neste ano. Acreditamos muito no potencial da modalidade de Petrópolis. Além disso, tem também o intercâmbio com equipes de outras cidades, que é importante para a evolução dos times da cidade”, disse Rodrigo.

Garantir que famílias que trabalham com produtos artesanais de origem animal, como mel e queijo, por exemplo, possam vender seus produtos até mesmo fora do estado, em feiras específicas, além de receber o Selo Arte. Esta é a intenção do Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, que está atento ao crescimento do setor. A comercialização de produtos artesanais de origem animal é uma vertente econômica que vem sendo cada vez mais explorada no país: microempreendedores são os que mais decidem investir no mercado, principalmente na comercialização direta. Em Petrópolis, o cenário não é diferente. O Censo Agro 2018 identificou a existência de 11 estabelecimentos produtores de mel e outros 23 que vendem queijos e requeijão.

Técnicos do departamento de Agricultura vem participando ativamente das discussões sobre Lei 13.680/18 que prevê uma fiscalização estadual e também a criação do Selo Arte, que identifica os produtos e permite a comercialização fora dos estados onde são produzidos. Na última semana o assunto foi discutido durante uma reunião da Câmara Setorial de Agronegócios da Alerj, ocorrida na Federação de Agricultura, Pecuária e Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Faerj).

Ter um selo de certificação do produto é importante para os produtores. A prefeitura busca garantir que essa lei beneficie os petropolitanos que dependem da venda desse tipo de produto. O município sabe que expandir a venda para as feiras fora da cidade vai garantir um aumento substancial na renda dessas famílias, pois a certificação dos produtos abrirá portas. A Secretaria de Desenvolvimento continuará acompanhando as etapas de implantação da lei.

Marcelo Fiorini, secretário de Desenvolvimento Econômico, avalia que a Lei pode estimular o crescimento do setor, já que os produtos poderão ter um selo de identificação.

“A preocupação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico é a de garantir que o selo possa garantir essa facilidade de vender o produto em outros locais. Queremos estimular o crescimento desse tipo de venda que é uma realidade e pode fortalecer ainda mais a cadeia econômica da cidade, levando o nome de Petrópolis para feiras em outros municípios”, explica Marcelo Fiorini.

Além do Selo Arte, a lei destaca a transferência da fiscalização da produção e comercialização desses produtos para os órgãos de saúde pública dos estados. Anteriormente, os alimentos artesanais com origem animal só podiam ser vendidos fora do estado em que foram produzidos se tivessem o selo do Serviço de Inspeção Federal.

“O selo ajudará em muito na divulgação dos produtos petropolitanos que se enquadram nessa regra, possibilitando ainda que os empresários participem de feiras. As discussões sobre a lei continuam porque no texto original ainda não está claro a definição de produto artesanal de origem animal, a forma e nem qual órgão ficaria responsável diretamente pela fiscalização. Ainda assim, a lei já representa um avanço”, explica José Maurício Soares, diretor do Departamento de Agricultura.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico acompanhará o trabalho do grupo criado – pela Câmara Setorial de Agronegócios da Alerj - e que atuará em duas frentes: a primeira, na definição do que é o produto artesanal, e a segunda para pensar formas de inovar nos processos e avançar na produção de produtos de maior valor agregado que ajudem a aumentar a renda do produtor rural, fixando-o no campo.

Notícias por data

« Outubro 2018 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

Alvará Online - BANNER

DO

loa 2018

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

cpge

gabinete cidadania.fw

selo acesso informacao.fw

cmv-logo