Terça, 14 Julho 2020 - 16:20

Petrópolis Iluminada vai avançar agora com extensão de rede

Petrópolis Iluminada vai avançar agora com extensão de rede

Projeto elaborado pela prefeitura prevê quase 2 mil novos pontos criados em locais onde precisa ser criada a infraestrutura elétrica

Cronograma contempla mais de 500 ruas e conta também com substituições lâmpadas comuns de 15 mil pontos já existentes por luminárias de LED

O programa Petrópolis Iluminada vai expandir a atuação. Além da substituição de lâmpadas comuns por LED que está em execução em 28 bairros, também será feita extensão de iluminação pública em locais onde é necessário fazer toda infraestrutura elétrica para viabilizar a instalação – incluindo todo cabeamento, postes, luminárias e outros equipamentos. Para isso, a prefeitura fará um registro de preço para contratação do serviço.

O projeto contempla 517 ruas de 47 bairros ou comunidades em todos os distritos. Nesses locais, os trechos que ainda não contam com iluminação pública terão toda instalação feita – são 1.988 pontos de luz novos que estão programados. Além disso, nessas mesmas ruas, mas onde os moradores já são atendidos com lâmpadas comuns, será realizada a substituição por luminárias de LED para que todo local tenha iluminação padronizada – 14.967 trocas. No total, são 16.955 luminárias de LED programadas para esses locais.

Projeto pode render economia de quase R$ 2 milhões

Um dos exemplos citados pelo Departamento de Iluminação Pública é a localidade Jacuba, na Posse. Todo trecho nessa localidade ao longo da Estrada União e Indústria não tem iluminação pública e nem a infraestrutura necessária para isso. A iluminação só é feita pelos faróis de veículos que passam no trecho, o que aumenta o risco de acidentes.

“As luminárias de LED trazem maior segurança para motoristas no trânsito e também mais tranquilidade para pedestres, porque elas iluminam mais os ambientes e ressaltam mais os objetos, construções, monumentos. O LED pode iluminar até 60% mais que uma lâmpada comum”, destaca o engenheiro elétrico e um dos responsáveis pelo Departamento de Iluminação Pública, Leônidas Mattos.

Este novo projeto prevê a instalação de luminárias de LED de 60, 80, 100 e 180 watts de potência. Já as lâmpadas comuns que estão previstas a substituição são de 84, 117, 172 ou 280 watts de potência (incluindo lâmpada e reator). Todo projeto foi feito com base nas normas da ABNT para iluminação de cada tipo de via.

O projeto que o Departamento de Iluminação Pública elaborou será executado de acordo com a disponibilidade financeira, ou seja, se foi possível realizar todo trabalho, em um ano serão 16.955 mil novas luminárias de LED, sendo 1.988 pontos novos criados em locais onde é necessário construir toda a rede. O levantamento do Departamento indica uma economia de R$ 1,9 milhão durante um ano de uso das luminárias de LED – caso todo projeto seja executado. Isso porque, além do menor consumo de energia, a tecnologia do LED tem maior durabilidade, o que exige menos manutenções e troca de lâmpadas.

Registro de preço

A licitação que será aberta pela prefeitura é na modalidade registro de preço. Neste sistema, as empresas interessadas em fornecer o serviço apresentam ofertas de preço para cada item do edital pelo prazo de um ano. Com o valor definido, a prefeitura determina quais serviços serão efetivamente prestados e paga somente por aquilo que foi executado. E cada serviço só será feito de acordo com a disponibilidade orçamentária do município.

O recurso que será utilizado para custear esse projeto vem a Contribuição de Iluminação Pública, um mecanismo criado em 2002 para ser usado nos serviços de iluminação pública. A lei que criou a CIP estabelece que ela seja utilizada para o pagamento do consumo de energia e também para manutenção, eficientização, melhorias e ampliação do sistema de iluminação pública.

A CIP é calculada sobre a tarifa básica de energia elétrica definida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de acordo com o consumo de cada moradia ou imóvel não-residencial – quem consome menos, contribui menos. Por exemplo, uma casa que consome até 100 kw/h fica isento. Já os imóveis não-residenciais que ultrapassam 2.000 kw/h fazem a maior contribuição.

Cabe ressaltar que o projeto foi analisado e autorizado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ), que analisou o edital e todos os croquis elaborados pelo Departamento de Iluminação Pública.

Notícias por data

« Setembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30        

Prestação de conta COVID-19

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

Cadastro da inscrição do IPTU para crédito da Nota Imperial

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo