Quinta, 23 Maio 2019 - 17:41

Diretora-presidente do Instituto de Segurança Pública lança Dossiê da Mulher 2019 em Petrópolis

O evento é uma realização do Conselho Municipal dos Diretos da Mulher em parceria com o Gabinete da Cidadania

O 14ª Dossiê Mulher foi lançado nacionalmente do mês de abril, apresentando dados levantados pelo o Instituto de Segurança Pública (ISP), dos principais crimes sofridos pelas mulheres no estado do Rio de Janeiro. Na próxima quarta-feira (29.05), às 18h, a diretora-presidente do ISP, Adriana Mendes irá apresentar o Dossiê da Mulher 2019 durante a reunião do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), na Casa dos Conselhos - Av. Koeler, 260, Centro.

Nesta edição, os dados apurados de 2018, mostraram que 350 mulheres foram vítimas de homicídio doloso – quando há intenção de matar, 62% dos casos de feminicídio ocorreram dentro da residência das vítimas. Foram registrados 4.543 estupros no estado do Rio de Janeiro e 70% com menores de idade. Os crimes analisados no Dossiê foram: homicídio doloso, feminicídio, tentativa de homicídio, tentativa de feminicídio, estupro, tentativa de estupro, lesão corporal dolosa, ameaça, assédio sexual, importunação ofensiva ao pudor, ato obsceno, dano, violação de domicílio, supressão de documento, constrangimento ilegal, calúnia, difamação, injúria e aplicação da Lei Maria da Penha.

“A expectativa é muito positiva para a apresentação em Petrópolis.  Esperamos expandir o conhecimento acerca do Dossiê Mulher e contribuir cada vez mais para as ações de prevenção e enfrentamento à violência contra a mulher”, destacou a diretora-presidente do ISP, Adriana Mendes.

Em Petrópolis, o Dossiê Mulher apontou que 35,5% das mulheres sofreram violência psicológica, 52,1% das vítimas variam entre 30 e 59 anos e como a média estadual, 52,7 % dos casos de violência doméstica aconteceram dentro da casa da vítima. O Dossiê tem o objetivo de divulgar estes dados anualmente, para colaborar com a visibilidade da violência sofrida pela mulher, ressaltando a importância ao combate desses crimes.

Município possui uma ampla rede de assistência à vítima de violência

A cidade possui o Centro de Referência de Atendimento à Mulher (Cram) que oferece orientação jurídica, acompanhamento social e psicológico. O órgão trabalha em parceria com as delegacias de Petrópolis para atender à mulher em situação de violência – seja ela moral, verbal, patrimonial, física ou sexual. O CRAM também conta com atendimento na sede do órgão - todas as quartas-feiras, das 14h às 16h, com suporte psicológico. Há ainda um Grupo de Apoio Terapêutico (GATE), onde as mulheres são ouvidas, respeitadas e contam umas com o apoio das outras e da equipe do CRAM.

O município possui também a Sala Violeta inaugurada no Fórum em Itaipava, como mais um suporte de atendimento na rede, para a vítima de violência. O objetivo é garantir a segurança e a proteção das mulheres vítimas de violência doméstica, acelerando o acesso à Justiça. Todo o processo deve ser concluído em cerca de quatro horas. As obras da Sala Lilás, que será implantada no Instituto Médico Legal (IML) de Petrópolis, já avançaram. O novo setor será voltado para o atendimento especial às mulheres vítimas de violência, com espaço reservado e profissionais especializados.

Para denunciar ou solicitar informações, basta ligar para o telefone 2243-6152 ou comparecer à sede do Cram, na Rua Santos Dumont, número 100, no Centro. O funcionamento é de segunda a sexta, de 8h às 17h. Em casos de emergência, a mulher pode ligar em qualquer horário para o número (24) 98839-7387, disponibilizado pelo órgão.

Notícias por data

« Junho 2019 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

cmv-logo

Relatorio CMVP