Imprimir esta página
Segunda, 11 Fevereiro 2019 - 12:09

Moradores da Posse, Pedro do Rio e Itaipava recebem mutirão do Minha Casa Minha Vida

Moradores da Posse, Pedro do Rio e Itaipava recebem mutirão do Minha Casa Minha Vida

Esta é a última semana para o cadastramento dos moradores de área de risco

O último mutirão para o cadastramento do Minha Casa Minha Vida atende a população da Posse, Pedro do Rio e Itaipava. Os agentes da Assistência Social realizam o serviço neste sábado (09.02) e estarão até este domingo (10), das 9h às 16h, com os estandes montados para o cadastramento dos moradores de área de risco ou que tiveram suas casas interditadas por consequência de desastres das chuvas. Quem se cadastrar terá o perfil avaliado pela Caixa Econômica Federal e poderá ser beneficiado com uma das unidades habitacionais que será construída na cidade.

Petrópolis tem projetos aprovados para a construção de mais de mil imóveis nas regiões de Benfica, que receberá 120 unidades; na Mosela, onde serão construídas 220 moradias; e no Caetitu, para onde estão previstos 792 apartamentos. Todos os imóveis serão destinados sem custos para os moradores.

Neste fim de semana os estandes de cadastramento estarão instalados na Igreja São Pedro em Pedro do Rio; na Posse, no Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU); e em Itaipava, no Centro de Cidadania, Estrada União e Indústria, 11.860. Neste último, funciona um ponto fixo de atendimento, que estará aberto para a população até a próxima sexta-feira (15.02). Assim como o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), do Centro – Rua Dr. Sá Earp, 39 (em frente a Águas do Imperador) também está com atendimento permanente. 

Moradora da Posse há seis anos, a diarista Rosangela da Costa, de 45 anos, teve que deixar sua casa em 2016 interditada depois de o terreno ter sido afetado com um deslizamento. A realização do mutirão no bairro onde ela mora contribuiu para que ela conseguisse fazer o cadastramento. “Fiquei sabendo do cadastramento semana passada, mas para mim é difícil ir ao Centro da cidade. Sendo aqui perto de casa me facilitou. Estou muito aliviada em saber que posso voltar a ter a minha própria casa”, conta Rosângela.

O cadastramento dos moradores de área de risco teve início em novembro de 2018 e já registrou 762 pessoas. Após a primeira seleção, com base no perfil social, feita pelos agentes de Assistência Social, os dados dos inseridos no programa passam por análise da Caixa Econômica Federal. 

Para receber uma das unidades habitacionais a pessoa precisa comprovar que reside em área de risco ou tenha tido a casa interditada. Para quem não possuir o laudo que comprove as condições de risco da moradia, é feita a solicitação de nova vistoria do imóvel.

Para se cadastrar é preciso apresentar documentos como Identidade, CPF e Certidão de Nascimento ou Casamento (adultos); comprovante de residência, como conta de luz, telefone e água; e Certidão de Nascimento, para as famílias que tenham menor de idade.

Itens relacionados por tópico