Prefeitura vai regulamentar apoio de lojistas e protetores aos animais de rua

Em consonância com o Ministério Público, a prefeitura vai regulamentar, por meio de lei, a disposição de bebedouros, comedouros e casinhas para animais, prática feita por protetores  e comerciantes nas portas de suas casas e lojas.  A medida põe fim a uma polêmica causada nas redes sociais a partir de uma atuação inadequada da fiscalização de posturas quando uma comerciante foi notificada na quarta-feira (18.07) por manter na porta de sua loja um bebedouro para cães de rua.


O secretário de Serviços Públicos ao qual a fiscalização é subordinada, está entrando em contato com a comerciante para se desculpar. “A orientação do MP foi seguida ao pé da letra, porém, em entendimentos posteriores com o Ministério Público e com a orientação de protetores dos animais, o enfoque é diferente: válido para comedouros e bebedouros sujos, sem limpeza. Então, nosso pedido de desculpas e vamos nos ajustar ao que deve ser fiscalizado”, afirma.


A prefeitura foi notificada pelo MP para que procedesse a fiscalização de objetos colocados nas calçadas em apoio aos animais. A comerciante do Centro da cidade foi então notificada pela fiscalização de que deveria retirar um bebedouro sob a pena de multa. A indicação do MP lista várias ruas da cidade para que a fiscalização assim procedesse.


“Há o entendimento que essas pessoas são cuidadosas com a troca dos vasilhames e sua limpeza. Da mesma forma em que os protetores dos animais nos orientam que alimentar os animais nos mesmos vasilhames não aumenta nenhuma proliferação de doença entre eles porque eles já vivem e dormem juntos, então, estamos ajustando para que a prática de suporte aos animais de rua permaneça”, aponta o secretário de Meio Ambiente.


Os secretários de Serviços Públicos e Meio Ambiente mantiveram uma reunião com Thais Kapps e Domingos Galante, dois dos representantes de protetores de animais na manhã desta quinta-feira (19.07), na prefeitura, junto com o secretário-chefe de Gabinete e procurador-geral do município.


            “Importante que este contato seja permanente para avançarmos nas políticas públicas de proteção aos animais”, afirmou Thais. “A regulamentação, por lei, vai ser feita em consonância com a ordem pública e com a prática de proteção aos animais”, anunciou o procurador.  O secretário-chefe de Gabinete aproveitou para anunciar a castração de animais. “Os procedimentos burocráticos estão em fase final e mesmo em crise financeira o município está destinado recursos para à causa animal porque faz parte das suas metas de governo”.


Contratação de clínica para castração em fase final


O processo de  licitação para   a   contratação   de uma clínica   que   vai realizar   a   castração   de   animais   está   na   fase   final.   O  controle  e   o encaminhamento   para   a   cirurgia   devem   ser   realizados   pela Coordenadoria   de   Bem-estar   Animal   (Cobea).   A  Vigilância   Ambiental   vai fiscalizar   todo   o   processo. 

 

 “É fundamental o  acompanhamento  de  todo   o processo da cirurgia. O material precisa ser de qualidade e o veterinário deve sempre   respeitar   a   saúde   do   animal   para   que   ele   não   sofra   durante   o procedimento. Além disso, existe um público alvo para essa ação, que são os animais   de   rua   e   de   pessoas   que   não   tem   condição   de   pagar   pelo procedimento. Também entram os acumuladores neste processo. Estaremos fiscalizando para que o trabalho seja realizado para quem realmente precisa”, explica  Maria   Beatriz   Fagundes   Pellegrine,   coordenadora   da   Vigilância Ambiental.

Dois apartamentos modelos já foram apresentados e mostram como ficarão os acabamentos das unidades

 

Os blocos de apartamentos das 766 moradias para desabrigados das chuvas no Vicenzo Rivetti já estão com 50% de conclusão das obras após seis meses de retomada da construção pela prefeitura. Anunciadas em 2013, as obras foram paralisadas com apenas 5% de construção um ano depois. As unidades habitacionais foram resgatadas pela nova gestão ainda em janeiro. As obras são executadas pela AB Construtora, que já apresentou à prefeitura e a CEF, que financia o investimento pelo Minha Casa Minha Vida, dois apartamentos modelos. As unidades foram finalizadas e mostram como será o acabamento das residências.

As unidades finalizadas estão no bloco um, o mais avançado deles. Portas, revestimento de piso e a textura do teto serão iguais em todos os 776 apartamentos. Esse padrão já foi apresentado à Caixa. Cada moradia tem cerca de 49 m², com dois quartos, sala, banheiro e cozinha/área de serviço. A previsão de entrega das casas é para o primeiro semestre do ano que vem.


As obras ficaram três anos paradas após a primeira empreiteira desistir da obra. A AB Construtora assumiu a obra em janeiro deste ano com apenas 5% pronto e, no primeiro semestre, colocou o conjunto habitacional do Vicenzo Rivetti entre os mais rápidos do país dentro do Minha Casa Minha Vida.


Com isso, a prefeitura já vem preparando as contrapartidas sociais e de infraestrutura do entorno. As secretarias de Assistência Social e Obras vêm se reunindo com a Caixa para cumprir as exigências sociais como capacitação dos moradores para melhoria de seus empregos, conscientização da vizinhança e de conservação dos apartamentos e ainda de obras de pavimentação das ruas de acesso ao conjunto habitacional, sistemas de drenagem, água e esgoto. Todos os envolvidos atuam junto em um grupo de trabalho que se reúne periodicamente para verificar o cumprimento de metas.

 
 

 

Disque Entulho recolhe 330 toneladas em dois meses

Desde que foi reativado, o serviço já atendeu 659 pessoas no município

 

Em dois meses desde que voltou a funcionar, o Disque Entulho já realizou 893 agendamentos. Destes, 659 pedidos de recolhimento apresentados pela população já foram atendidos pela Comdep. Isso representa que quase 330 toneladas de restos de obras, lixo verde, móveis e eletrodomésticos recolhido apenas por esse serviço


O Disque Entulho foi reativado em maio pela Comdep após quatro anos de interrupção. Ele foi descontinuado porque o antigo governo considerava o serviço muito caro. Isso acabou prejudicando a população de mais baixa renda, já que a contratação de um caminhão para realizar o descarte correto pode custar mais de R$ 200, valor alto para descartar uma quantidade tão pequena.


“O Disque Entulho é para aqueles moradores que fizeram uma pequena obra ou retirou lixo verde em casa, por exemplo, e tem até 20 sacos desse lixo. A maneira correta é destinar para o aterro de Pedro do Rio, mas as pessoas têm dificuldade para fazer isso, principalmente nas comunidades mais carentes. Esse serviço é importantíssimo para a cidade”, destaca o presidente da Comdep.


É possível pedir o Disque Entulho desde que a quantidade de material descartado não ultrapasse 20 sacos. Para pedir a passagem do caminhão, basta ligar para 2243-7822, de 8h30 às 17h, e agendar a data. O serviço possui rotas fixas por dia, mas também atende moradores de outros bairros, de acordo com a disponibilidade.


O solicitante deve deixar o entulho na calçada apenas no dia agendado para o recolhimento. É importante que solicitante deixe o entulho em um local de fácil acesso para o caminhão e que os sacos tenham até 25 kg, caso contrário, é necessário acionar um trator, o que atrasa o atendimento. Também é importante que o morador esteja em casa no momento da coleta para receber o comprovante do serviço.


Quem descarta esses materiais volumosos de maneira irregular sobre calçadas ou ruas, atrapalhando o trânsito de pessoas ou veículos, fica sujeito a uma multa de R$ 800 e intimado a fazer a remoção imediata do entulho. A falta do serviço e de fiscalização até o ano passado encheu a cidade de sujeira. Em 2017, mais de 60 mil toneladas já foram removidas em todo município, seja pela Comdep ou pela Secretaria de Serviços, Segurança e Ordem Pública (SSOP), que dividem o trabalho.


Roteiro do Disque Entulho

 

Segunda-feira: Valparaíso, Centro, Caxambu e Morin

Terça-feira: Retiro, Carangola, Roseiral e Jardim Salvador

Quarta-feira: Bingen, Mosela, Quarteirão Brasileiro, Av. Barão do Rio Branco e Atílio Marotti

Quinta-feira: Quitandinha, Independência, Castelânea e Alto da Serra

Sexta-feira: Itamarati, Provisória e Floresta

Sábado: Samambaia, Cascatinha e Estrada da Saudade

 

Celebração do ilustre morador de Petrópolis foi nesta quinta-feira (20.07) com bolo e a presença do “próprio” inventor

 

 

            Foi com festa, bolo e a presença do “próprio” Santos Dumont – interpretado pelo ator Sylvio Costa Filho – a comemoração, nesta quinta-feira (20.07), dos 144 anos desse ilustre morador de Petrópolis. Uma hora antes do fechamento da bilheteria, que encerra às 17h, a “Encantada” já havia recebido 1.453 visitantes, superando a visitação registrada na mesma data no ano passado, 1.366 visitantes. A visitação total foi de 1.807 pessoas. Em comemoração ao dia especial para o inventor, os convidados foram presenteados com a gratuidade na visita ao Museu Casa de Santos Dumont. Logo cedo o atrativo já estava lotado. As homenagens incluíram ainda a apresentação da Banda do 32º Batalhão de Infantaria Leve.

 

 

Durante todo o dia, o aniversariante divertiu o público na sua festa contando fatos da sua história e muitas curiosidades. Ele estava acompanhado da grande amiga francesa Marcelle Grandcey – interpretada pela atriz Pita Cavalcanti.

 

”Vocês sabem por que meu chapéu é assim? Vou contar. Uma vez quando voava em uma de minhas invenções, um dos meus balões quando comecei a usar motor, começou uma faísca e peguei meu chapéu de Panamá para apagar. Logo que apaguei coloquei de volta à cabeça e quando desci todos gostaram de como ficou o chapéu. Desde então eu mesmo comprava o chapéu, molhava para tirar a goma e fazia a mesma coisa para ficar desse jeito”, revelou ao público, que se encantava com o relato das histórias do inventor, que agradeceu o carinho de Petrópolis.

 

“Estou feliz por comemorar mais um aniversário, meus 144 anos. Estou bem conservado, não acham? E feliz por ser nessa cidade, onde ficava hospedado no Palace Hotel pensando em construir no Morro do Encanto a minha casa. E construí. Em pouco mais de três meses estava morando aqui, na Encantada. Fiquei muito contente, pois gostava do clima de Petrópolis, a beleza da cidade e o ar que me lembrava o da Europa, França e os lugares por onde passei. E hoje estou aqui, em mais um aniversário nessa cidade que tanto gosto”, brincou Santos Dumont na performance do ator Sylvio Costa Filho.

 

            Para os convidados da festa, a data não poderia ser melhor para a visita ao atrativo que recebe mais de 160 mil pessoas por ano. “Viemos especialmente para o aniversário dele”, brincou Dalila Krambeck, professora aposentada de Blumenau, cidade irmã de Petrópolis, acompanhada do marido e um casal de amigos. Pela primeira vez no município, o grupo da cidade catarinense chegou cedo ao atrativo e ainda vai aproveitar as belezas da Cidade Imperial até sexta-feira. “A cidade é linda. Uma riqueza, muita história”, disse a professora Kátia Regina Murphy.  

 

            Para os turistas de São Paulo a maior surpresa foi encontrar o “próprio” Santos Dumont em sua residência. “Eu já tinha conhecido a cidade do Santos Dumont e a fazenda dele. E também uma exposição no Ibirapuera onde estava o 14 Bis. Mas aqui ainda não conhecia. A casa é bem famosa. E é muito interessante e legal. Ainda mais com ele aqui”, disse o jornalista Álvaro Corrêa, que estava acompanhado da esposa e filhos, e que aproveitou para garantir o registro com o inventor.

 

            Mas teve também quem comemorou junto com Santos Dumont idade nova nesta quinta. A aposentada Lucília Silva Maia veio celebrar em Petrópolis os 73 anos com a família e ganhou parabéns do aniversariante do dia. “Meus filhos e netos me fizeram essa surpresa e me trouxeram para comemorar aqui. Junto com o Santos Dumont”, comemorou a aposentada carioca.

Quinta, 20 Julho 2017 - 18:41

Trânsito – Agroserra

Trânsito – Agroserra

Com expectativa de público de 6 mil pessoas em seus três dias de evento, o Festival Agroserra, que acontece de sexta a domingo (21 a 23/07), em Secretário, terá proibição de estacionamento de veículos no entorno do Praça de Secretário. O objetivo é garantir que os veículos consigam trafegar pelas vias sem ficarem retidos no trânsito. Agentes da Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans) estarão no local orientando os motoristas e caso seja necessário, poderão fazer desvios para diminuir o impacto do trafego no local.


O Agroserra reunirá mais de 40 expositores, entre produtores e empreendedores da região. De acordo com o Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, cerca de 40 famílias vivem da produção rural em Secretário. No local são produzidos leite, queijo, mel, verduras e também legumes, que tem maior ênfase na região.
Ação social na Praça da Liberdade acontecerá dia 11 de agosto


Veículo será utilizado para atendimentos e ações junto às comunidades

Buscando medidas efetivas de enfrentamento à violência contra mulher, a Prefeitura irá retomar as atividades do Ônibus Lilás, utilizado pela equipe do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM). O veículo que era usado pela gestão anterior apenas para eventos, passará a levar assistência jurídica, social e psicológica às mulheres de comunidades afastadas de forma permanente e continuada. Petrópolis é a segunda cidade do país a contar com o equipamento, adquirido por emenda parlamentar em junho de 2016. Uma grande ação social marcará a retomada do projeto no dia 11 de agosto, na Praça Dom Pedro.

A proteção e a garantia dos direitos da mulher é uma prioridade do governo. Em abril, o prefeito entregou as chaves de um veículo utilitário de sete lugares para ser usado pelo Centro de Referência e Atendimento à Mulher (CRAM), como ferramenta de auxílio a mulheres em situação de risco.O automóvel foi adquirido por R$ 74.750,00, com recurso proveniente de um convênio com o Ministério da Justiça, feito por intermédio da Secretaria de Políticas para as Mulheres, sem contrapartida do município.

A coordenadora do Gabinete de Cidadania, Ana Maria Rattes explica que o ônibus itinerante tem duas salas para atendimento, banheiro e cozinha. Além disso, um toldo, que pode abrigar até 24 cadeiras, cria uma sala de espera no local onde o atendimento for realizado.

“O ônibus estava parado e antes só funcionava para ações especiais. O ônibus é composto por dois gabinetes e ele pode funcionar como uma unidade volante levando os atendimentos do CRAM às mulheres que moram em áreas afastadas, inicialmente, mas depois pretendemos levar para todos os bairros. Faremos um calendário para o próximo semestre com os itinerários por onde o ônibus irá passar até para fazermos palestras e ações de conscientização”, anuncia Ana Maria Rattes, coordenadora do Gabinete de Cidadania.

O Centro de Referência e Atendimento à Mulher (CRAM) realizou apenas neste mês 41 novos atendimentos, a média mensal é de 20. A maior parte das mulheres que procura o CRAM relata que são vitimas de abusos sexuais, psicológicos e violência física. O espaço oferece apoio jurídico e psicológico às mulheres.

A coordenadora do CRAM, Raquel Gonçalves Viana, lembra que há ainda os casos de violência moral e patrimonial. “A violência contra a mulher precisa ser combatida. Esta é uma realidade que interfere não só a vida da vítima, mas também na vida e na formação dos filhos e na rotina de toda família”, explica Raquel Gonçalves Viana.

Evento na Praça Dom Pedro marcará relançamento do Ônibus Lilás

A Prefeitura,com  trabalho integrado entre a Secretaria de Assistência Social, Saúde e Gabinete de Cidadania promoverá no dia 11 de agosto uma ação social na Praça Dom Pedro a partir das 9h. A programação que está em fase de construção, contará com apresentações culturais, orientações sobre plantas e ervas medicinais, a importância da mamografia, a prevenção a doenças sexualmente transmissíveis, entre outras.

A coordenadora geral de áreas técnicas em Saúde, Patrícia Ramos, disse que reunirão no evento algumas ações de promoção em saúde voltada para a qualidade de vida da mulher.

“Em parceria com a Fiocruz teremos as ervas e plantas voltadas para a saúde da mulher, então entra o climatério, cólicas, infecções, além das nossas ações pela secretaria com o teste rápido de sífilis, direito reprodutivo e orientações sobre a importância da mamografia”, destaca Patrícia Ramos.
Atividade programada para o 2º semestre

 

Os 60 alunos da rede municipal de Educação que participam das aulas de inglês no contraturno na Casa da Educação participarão de um projeto diferenciado no segundo semestre: a elaboração de redações em inglês. O projeto será iniciado em agosto pelo professor Sandro Murta.

 

“Valorizando os sentimentos de respeito, amizade e responsabilidade dos humanos com os animais, os alunos serão convidados a trazerem uma fotografia junto dos animais que possuem, que já possuíram ou que gostariam de ter e farão uma redação sobre esse convívio e apresentarão de forma escrita em inglês e português. Tudo isso fará parte de uma exposição que buscará incentivar adoções responsáveis, respeito pelos animais e ainda, conhecimento de todo o público da Casa sobre as leis que protegem os animais”, explica a diretora da Casa da Educação, Catarina Maul.

 

A idéia surgiu após os alunos acharem um filhote de gato perdido no estacionamento da Casa da Educação. O gato recebeu o nome de Axel e acabou sendo adotado por Sandro. O acontecimento virou inspiração para esse novo projeto da Casa da Educação. O público poderá conferir os trabalhos em uma exposição que será aberta no dia dos animais, 4 de outubro. Os funcionários também participarão da elaboração dos textos.                       

 

“A ideia da atividade é trabalhar algumas estruturas e vocabulário dos alunos, mas também promover uma conscientização destes em relação aos animais. Nem sempre fazemos atividades deste tipo. Geralmente atividades extras em aulas de inglês são feitas com música, o que é ótimo, até por que também sou músico. Mas achei que essa ideia seria interessante. É uma forma de unir o inglês e fazer com que os alunos pensem em nossa relação com os animais também. O trabalho em si vai mostrar fotos dos alunos com seus pets, um texto em inglês com a tradução, contando quando adotaram o animal, como é sua amizade, por que a gente se sente tão bem com eles”, disse Sandro Murta.

 

“Estou super feliz com esse projeto. Os alunos estarão retirando o idioma aprendido das salas de aula para falarem sobre algo que faz parte de suas vidas, da vida dos seus amigos. Dessa forma também estaremos valorizando a relação dos humanos com a natureza e o respeito com as espécies. Sem dívida, muitas histórias emocionantes de amor, resgate e amizade serão registradas”, afirmou Catarina.

 

Exercício Conjunto de Apoio à Defesa Civil começa no dia 31 de julho


            Simulado será realizado pela primeira vez fora de uma capital

 


O diretor de Treinamento e Capacitação da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias, tenente coronel Gileno Alves, participou na quinta-feira (20.07) de uma reunião no Rio de Janeiro sobre a participação de outros setores da prefeitura dentro do Exercício Conjunto de Apoio à Defesa Civil (ECADEC), que acontece na cidade entre os dias 31 de julho e 4 de agosto. Foi solicitada a participação das secretarias de Meio Ambiente, Obras, Assistência Social, Educação, Segurança Pública, além da Companhia de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) no treinamento. Essa é a primeira vez que o ECADEC acontece fora de uma capital do país.  O objetivo é trabalhar com os desastres mais comuns que acontecem em Petrópolis. 


 “Nossa ideia é incluir todos os serviços que apoiam no momento da catástrofe. Levamos em consideração como é feita a resposta nos desastres mais comuns que acontecem na cidade, como os deslizamentos de terra e os incêndios florestais. Acredito que será um aprendizado enorme para a Defesa Civil de Petrópolis e de todo o Estado”, disse o Tenente Coronel Gileno Alves.


Os cenários escolhidos para a realização do exercício na cidade foram de chuvas intensas seguidas por inundações, deslizamentos de terras e vendavais e um incêndio florestal de grande proporção. Será a primeira vez que o Estado do Rio de Janeiro recebe a atividade. A primeira edição do ECADEC aconteceu em 2015, em Santa Catarina. Em 2016, o exercício ocorreu no Espírito Santo.


“Nós, como município anfitrião, queremos aproveitar ao máximo o ECADEC. É uma grande oportunidade de crescimento. Quando trabalhamos de forma organizada, podemos responder as catástrofes de forma mais rápida. A prevenção deve ser tratada como prioridade em Petrópolis”, afirma Gileno.


Além do diretor da Defesa Civil municipal, participaram do encontro representantes da Secretaria de Estado do Rio de Janeiro de Defesa Civil, das Secretarias de Defesa Civil de Teresópolis e Nova Friburgo, além das Forças Armadas.   

                                                           

O exercício acontece na sede 32° Batalhão de Infantaria Leve - Batalhão Dom Pedro II, na Vila Militar. O simulado conta com a participação de representantes da Aeronáutica, Marinha, do Exército, Ministério da Integração Nacional, da Secretaria Nacional de Defesa Civil, da Universidade Federal Fluminense (UFF) por meio do Mestrado em Defesa Civil, da Secretaria Estadual e da Municipal de Defesa Civil.

 

 

Como funciona o ECADEC

 

Sem tropas ou equipes no terreno, as situações são simuladas em fatos que já ocorreram anteriormente na cidade. No exercício, tudo funciona por meio de rede de computadores, sendo que os protocolos, planos e ações são coordenados entre as instituições para o emprego real. O treinamento é moldado para testar a integração entre todas as forças participantes em situações de apoio à Defesa Civil.

Último evento aconteceu na quarta-feira (19.07) na Posse, com 1,2 mil participantes


A prefeitura encerrou na quarta-feira (19.07) a série de eventos sociais do Programa de Esporte e Lazer da Cidade (Pelc), no Centro de Artes e Esportes Unificados (Ceu), na Posse. Mais de 1.200 pessoas participaram das atividades. Neste mês, a programação dos três núcleos teve como tema as Festas Julinas e reuniu 3,5 mil participantes, entre beneficiados, familiares e as comunidades.


Durante o evento no distrito da Posse houve apresentação de danças (forró e quadrilha), além de pescaria, e a “boca do palhaço”, tradicionais neste período do ano. O núcleo tem 400 alunos e ainda uma fila de interessados em participar. O superintendente de Esportes de Petrópolis, Hingo Hammes, explica que os eventos sociais são realizados trimestralmente e estimulam os alunos, familiares e a comunidade a participar.

 

Já na Escola Municipal Marcelo Alencar, no Espírito Santo, Quitandinha, mais de mil pessoas participaram das atividades no sábado (15.07). Os alunos participaram de um verdadeiro “arraiá” com brincadeiras típicas e apresentações de dança e capoeira, além da exposição do artesanato. A aluna do núcleo Ivana Hygino, de 50 anos, destaca que o Pelc é importante pelo lado social. Com os filhos e o marido no trabalho, ela disse que é uma forma de sair de casa. “A gente aprende muito, mas o mais importante é que dessa forma eu distraio a cabeça, saio de casa, me divirto bastante. Meus filhos e meu marido trabalhando, eu preciso buscar algo para me ocupar. É muito bom participar do Pelc, uma verdadeira família aqui na Escola Marcelo Alencar”, afirma.

 

No Carangola, o evento social reuniu 1,2 mil pessoas. Além das atividades típicas, teve também futebol para mães e atletismo. Guilherme Costa, coordenador de atividades do Pelc, destacou a participação da população nos três núcleos e lembrou que a cidade tem a demanda para receber mais núcleos. “Neste mês estamos usando o tema Festa Julina nos três núcleos. É o assunto do momento, então os alunos estavam motivados a participar. Na Posse temos fila de espera. Existe a demanda da cidade para mais núcleos. A prefeitura já fez o pedido ao Ministério do Esporte e seria muito importante que a cidade recebesse o Pelc em mais comunidades”, disse.

 

Evento vai ocorrer de 25 a 31 de agosto de 2017

 

Promovida pela Secretaria de Educação, a III Semana da Educação de 2017 terá como tema: “Múltiplas Linguagens, Múltiplos Olhares, Múltiplas Práticas”. O evento vai contar com palestras e lançamentos de livros e será realizado na Universidade Estácio de Sá. A professora doutora Maria Angélica Augusto de Mello realizará a palestra de abertura no dia 25 de agosto, às 10h na Universidade Estácio de Sá. O tema será: linguagem e desenvolvimento na primeira infância. Já a doutora Nara Maria Carlos de Santana participará do encerramento do evento, no dia 31 de agosto, às 9h, com o tema: Inclusão Escolar e Raça: O Ensinamento da História e da Cultura Afro-Brasileira no Ensino Fundamental.

 

A III Semana da Educação abordará reflexões relacionadas à prática docente e tem como público-alvo alunos de universidades, professores e educadores da rede pública municipal, da rede pública estadual e da rede particular, e sociedade civil.

 

Sobre a linguagem, Maria Angélica Augusto de Mello vai abordar a importância das relações humanas no desenvolvimento da linguagem pré-verbal e das relações iniciais da criança com o mundo. “Em virtude da precocidade da entrada da criança hoje no universo escolar, considera-se ainda o papel fundamental da escola de educação infantil no desenvolvimento da linguagem e na prevenção das patologias mentais”, explica.

 

Maria Angélica é psicanalista, doutora em Psicologia pela UFRJ, professora adjunta de Psicologia da Faculdade de Educação e da pós-graduação em Educação da UFF. Atua na interface da Psicologia Clínica com a Educação, pesquisando primeira infância, autismo e inclusão do autismo.

 

Já a palestra de fechamento “Inclusão Escolar e Raça: O Ensinamento da História e da Cultura Afro-Brasileira no Ensino Fundamental”, de Nara Maria Carlos de Santana, vai falar sobre o reconhecimento do Brasil como país  mestiço. “Trataremos das políticas de inserção do negro e do indígena – principais grupos discriminados – e da política pública de combate ao racismo. Para tanto, faremos uma análise do papel da escola no ensino fundamental, observando a lei de inclusão da história e da cultura afro-brasileira e indígena nos currículos da Educação básica brasileira, por intermédio da promulgação das Leis 10.639, de 2003 e 11.645 de 2008”.

 

Nara é pós-doutoranda em História das Ideias Políticas CAPES – UFES e doutora em História Política e Social pela Universidade Federal Fluminense (2005). Atualmente é professora de História do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET RJ), Unidade Petrópolis, no bacharelado de Gestão de Turismo e do Mestrado em Relações Étnico-raciais e Mestrado Profissional em Filosofia.

 

Os objetivos da Semana da Educação são: desenvolver o profissional de Educação por meio de diversos exercícios e troca de experiências; possibilitar o pensar pedagógico que envolve a compreensão da realidade, a investigação e formulação de opiniões e contribuir para a reflexão e consequente ressignificação das práticas pedagógicas dos docentes a partir de reconsiderações dos saberes necessários à docência.

 

 

 

Pagina 1 de 558

Notícias por data

« Julho 2017 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31            

DO

LDO 2018

iptu

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

Casa dos Conselhos

ecidade

selo acesso informacao.fw