Terça, 20 Dezembro 2016 - 07:20

Técnicos e Agentes da Defesa Civil participam de treinamento sobre alertas de deslizamentos

Os técnicos – arquitetos, engenheiros e geólogos – e os agentes da Secretaria de Defesa Civil e Segurança Pública participaram, na última semana, de um treinamento sobre alertas antecipados de deslizamentos à população. O treinamento foi promovido pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden).

O objetivo é que os agentes e os técnicos tenham uma leitura mais rica sobre os índices pluviométricos para, em dias de fortes chuvas, tomarem decisões de forma cada vez mais precisa, como: mobilização de equipes, mobilização de outros órgãos, acionamento de sirenes, definição dos estágios da Defesa Civil (vigilância, atenção, alerta e alerta máximo), entre outras.

O treinamento faz parte do projeto internacional Gestão Integrada de Desastres Naturais (Gides) – parceria entre o governo brasileiro e a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) com o objetivo de reduzir desastres naturais nos municípios de Petrópolis, Nova Friburgo e Blumenau (SC).

“Uma marca da atual gestão do prefeito Rubens Bomtempo foi investir na prevenção. E nessa parceria com a Jica, seis técnicos da Prefeitura foram ao Japão participar de treinamentos nesse sentido nos últimos três anos. Lá eles aprenderam a metodologia japonesa de previsão de deslizamentos. Desde então, técnicos brasileiros vêm em parceria com os japoneses adaptando essa metodologia para a realidade brasileira. E esse treinamento desta semana é justamente para os nossos agentes e técnicos aprenderem essa metodologia”, disse o secretário de Defesa Civil e Segurança Pública, Rafael Simão.

Na prática, o treinamento significa uma mudança na forma como a Defesa Civil acompanhará os índices pluviométricos. Hoje, esse acompanhamento é feito pelos pluviômetros instalados na cidade, que indicam a quantidade de chuva nos últimos 15 minutos, uma hora, quatro horas, um dia, quatro dias e um mês. Com a mudança, a Defesa Civil passará a acompanhar as chuvas por gráficos no formato “curva-cobra”, que já calcula os riscos médios e altos de deslizamentos, com base nos acumulados de chuva.

Tecnologista em hidrologia do Cemaden, Graziela Scofield, que ministrou o treinamento, lembrou que os técnicos da Defesa Civil de Petrópolis deram contribuições importantes para a elaboração dessa nova metodologia. Já o especialista em Gestão de Desastres de Sedimentos da Jica, Akinori Naruto, falou da importância dos alertas antecipados para quem mora em área de risco.

“Os alertas são fundamentais para as pessoas que moram em área de risco, que não têm dinheiro para se mudar definitivamente para um local seguro. Os alertas são emitidos para que essas pessoas consigam sair em tempo hábil, e a Defesa Civil agir na prevenção”, disse Naruto.

Gides – Iniciado no fim de 2013, o projeto Gides tem quatro anos de duração. Os alertas antecipados são um dos quatro eixos dos manuais do projeto. Os outros são: mapeamento de risco; planejamento urbano; e obras de reabilitação e prevenção.

Banner INFOS ATUAIS2

Prestação de conta COVID-19

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

Cadastro da inscrição do IPTU para crédito da Nota Imperial

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo